Por Luiza Drubscky

Gerente de Marketing na Rock Content.

Publicado em 30/01/2018. | Atualizado em 29/07/2019


Profissional autônomo ou trabalhador autônomo é aquele que presta serviços por um tempo específico e sem vínculo empregatício. O profissional autônomo é favorecido por questões tributárias e facilidade de encontrar trabalhos.

O trabalho autônomo compõe uma categoria que cresce muito no Brasil. Porém, o que é um profissional autônomo, afinal de contas?

Toda pessoa que trabalha por conta própria? Que diferenças existem entre esses profissionais e os demais perante a legislação?

Você tem dúvidas a respeito? Então confira o que vem a seguir e tire todas as suas dúvidas!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

O que é trabalho autônomo?

Trabalho autônomo é toda atividade exercida por profissionais de forma liberal, prestando serviços para empresas ou pessoas por um tempo específico, sem vínculo empregatício. Eles são favorecidos por questões tributárias e pela facilidade de conseguir trabalhos no mercado digital.

O que é um profissional autônomo?

O profissional autônomo é caracterizado por não possuir vínculo empregatício com nenhuma empresa. Dessa forma, ele possui total autonomia financeira e profissional, não assumindo o papel de um funcionário efetivo.

jurídico Paulo Emílio Ribeiro de Vilhena define autônomo como “o trabalhador que desenvolve sua atividade com organização própria, iniciativa e discricionariedade, além da escolha do lugar, do modo, do tempo e da forma de execução”.

O trabalhador autônomo pode exercer, inclusive, atividades em casa.

Ainda que se considere que a prestação de serviços de profissionais autônomos seja eventual, ela pode tornar-se habitual conforme a maneira como ele exerce sua atividade.

Os fundamentos relacionados ao profissional autônomo, conforme Antônio Palermo, são:

1.Liberdade de organização e execução do próprio trabalho, podendo contar com a ajuda de auxiliares e mesmo substitutos.

2. Liberdade de disposição do resultado do próprio trabalho, ou seja, ele não aliena a sua atividade, mas pode alienar o resultado dela dependendo do que foi combinado entre as partes;

Isso é diferente do que acontece com o profissional subordinado, que aliena a força de trabalho, sem assumir os riscos, mas se pondo sob o poder da direção empresarial, principalmente no que se refere à disciplina.

3. Autonomia do prestador da obra no duplo sentido, ou seja, seu trabalho é resultado da manifestação de uma determinada habilidade;

Além disso, ele assume e sofre os riscos daquilo que faz.

Para todos os efeitos, o profissional autônomo não está comprometido com um dever de obediência, não recendo ordens da pessoa que se beneficia com seu trabalho (ela somente orienta como esse trabalho deve ser feito).

Qual a diferença entre profissional autônomo, profissional liberal e microempreendedor?

É possível que muitas pessoas sintam dúvidas sobre algumas categorias de profissionais.

Qual a diferença entre o profissional autônomo, o profissional liberal e o microempreendedor?

Vamos resumir as características do profissional autônomo:

  • Não tem vínculo empregatício (não possui carteira assinada);
  • Pode ser pessoa física ou jurídica;
  • Não é obrigatório que apresente certificações/habilitações;
  • Pode prestar serviços a pessoas físicas ou jurídicas diversas;
  • Responde por seus próprios erros;
  • Não está subordinado a uma cadeia hierárquica;
  • Possui maior flexibilidade de horários;
  • Deve pagar determinados tributos.

Profissional liberal

Veja agora como é o trabalho de um profissional liberal.

Quando se fala em profissionais liberais, lembramos logo os médicos, advogados, engenheiros, arquitetos, dentistas, professores, veterinários, agrônomos e outros.

Sim, esses são os profissionais liberais, que exercem atividades em negócio próprio ou de terceiros.

Ao contrário do autônomo, o profissional liberal pode ter vínculos empregatícios com uma ou mais de uma empresa, ou seja, pode ter carteira assinada e usufruir os benefícios que ela proporciona, mas deve se responsabilizar por seus próprios erros.

Eles são representados através de conselhos e/ou sindicatos (OAB, CRM, CAU, CREA e assim por diante).

Os profissionais liberais devem pagar tributos para que exerçam legalmente suas atividades.

Esses impostos são taxados, em sua maior parte, sobre os serviços que prestam. Nesse ponto, eles são parecidos com os autônomos, pagando IRPF/IRPJ, ISS, PIS, INSS.

Caso, eles tenham registro nos conselhos/sindicatos também devem pagar taxas relacionadas à manutenção das entidades.

Microempreendedor

O microempreendedor só pode ser uma pessoa jurídica, isto é, uma empresa.

Deve ter um máximo de nove funcionários (comércio e serviços) ou de 19 funcionários (indústria e construção civil).

A renda do microempreendedor deve se limitar a R$ 240.000,00 anuais.

Quanto à tributação, ele deve pagar IRPJ, ICMS, COFINS, PIS, CSLL, IPI, etc.

São impostos relacionados às suas atividades, à declaração de sua renda e aos compromissos com a previdência (sua e dos funcionários).

Ele pode pagar boa parte desses tributos de forma simplificada optando pelo Simples Nacional.

Confira 10 modalidades e opções de Trabalho Autônomo

1. Professor particular

Aula de reforço é outra ótima alternativa para mudar de carreira. Não importa se você tem mais facilidade com matemática, inglês ou português.

Há oportunidades para todos. Basta divulgar corretamente os seus serviços nas redes sociais e escolher o melhor local para trabalhar: em sua casa ou na residência do aluno.

Para ter sucesso nessa profissão, tire da cabeça aquela ideia que as aulas precisam ser como nas escolas tradicionais.

O ideal é apostar em técnicas de aprendizado mais divertidas. Portanto, use e abuse de jogos educativos, vídeos no youtube, entre outros recursos multimídias disponíveis no mercado.

Quer descobrir 23 maneiras de complementar sua renda?
complementar a rendaPowered by Rock Convert

2. Coach

Provavelmente, você já ouviu falar no termo Coach. Ele é designado ao profissional que tem como missão ajudar o cliente a refletir sobre a sua vida, chegar a conclusões, definir plano de ações e, principalmente, ajudá-lo a alcançar os seus objetivos, metas e desejos.

Para atuar nessa área, é necessário ter uma formação de capacitação, que contém uma carga horária mínima de 80 horas, além de reconhecimento e certificação de credibilidade.

O profissional pode atuar em dois ramos: profissional e pessoal. Elas são divididas da seguinte forma.

Coaching pessoal

  • Coach de relacionamentos;
  • Coach de inteligência emocional;
  • Coach financeiro;
  • Coach espiritual;
  • Coach de emagrecimento;
  • Coach esportivo.

Coaching profissional

  • Coach corporativo;
  • Coach de performance;
  • Coach de carreira;
  • Coach de equipes;
  • Coach de liderança;
  • Coach de vendas.

3. Vendedor de doces

Que tal aproveitar a onda dos programas culinários para investir nessa área? O lucro das vendas de doces, salgados e até potes de saladas pode aumentar a sua renda, afinal, quem não gosta de experimentar uma novidade?

Não use o tempo disponível em frente à telinha somente para rir das avaliações ácidas dos jurados ou dos erros dos aspirantes a cozinheiros. Busque aprender com cada orientação e com os pratos criados por cada candidato.

4. Escritor de convites

Se você domina a arte da caligrafia, use essa habilidade para transformá-la em uma profissão autônoma como por exemplo, escritora de convites para festas.

Aqui, é possível atuar em diversos ramos, entre eles, festas de casamento, festa de 15 anos, formaturas, etc.

O sucesso nesta profissão depende de vários fatores. Pensando nisso, separamos três artigos para que você leia e possa entrar no mercado com mais segurança.

Confira um compilado de dicas e leituras para se desenvolver e ter melhores resultados como um freelancer! 🚀
Marketing Pessoal: o que é e como trabalhar sua imagem profissional
Como criar um blog grátis personalizado: veja as 9 melhores opções!
Personal Branding: a importância de estabelecer sua marca pessoal
Gig Economy: entenda o que é essa tendência e como fazer parte!
Trabalho Remoto: 8 sites e 10 dicas para ganhar dinheiro sem sair de casa
As 13 melhores opções de trabalho de fim de semana!
Nômade digital: o que é, como se tornar um e as principais vantagens
Storytelling: a arte de contar histórias pode mudar os rumos de sua carreira!
O que é freelancer e tudo que você precisa saber para se tornar um

5. Cuidador de pets

Quem é apaixonado por cães e gatos vai adorar essa ideia: já pensou em trabalhar levando um pet para dar uma voltinha na pracinha ou simplesmente fazendo um carinho em sua barriguinha? Pois, fique sabendo:  isso é possível.

Muitas pessoas não gostam de deixar seus filhotes sozinhos em casa enquanto vão ao trabalho ou para a faculdade. E, algumas vezes, buscam um profissional de confiança para executar essas tarefas que mencionamentos acima.

No entanto, não adianta ficar em casa achando que os clientes vão aparecer em um passe de mágica. Por isso, trabalhe o seu marketing pessoal para conquistá-los.

6. Manutenção de computadores

Outra opção interessante é o mercado de informática. Nele, você poderá aumentar a sua renda consertando computadores, formatando máquinas ou até oferecendo aulas para pessoas da terceira idade que não possuem muita habilidade com o equipamento.

7. Nômade digital

Esta dica é especialmente para você que está cansado da sua rotina de trabalho, não aguenta mais ir de ônibus para o serviço ou fica extremamente irritado ao ouvir a trilha sonora do programa Fantástico, da Rede Globo, pois sabe que o domingo está acabando e terá que levantar cedo para trabalhar no dia seguinte.

Se você se encaixa em um dos casos mencionados acima, pode se animar, pois encontramos o trabalho perfeito para você: o nômade digital.

Esse profissional faz parte de um grupo no qual seus membros utilizam a tecnologia e a internet para desenvolver o seu trabalho e enviá-lo de qualquer parte do mundo.

Nota do editor:
Já sonhou em ser nômade digital? Com a ajuda dos 10 principais nômades brasileiros, para produzimos um material sobre o nomadismo, fugindo dos filtros e do glamour do Instagram, abordando os desafios, dificuldades e, é claro, as vantagens desse estilo de vida. Partiu Mundo?

Partiu Mundo!Powered by Rock Convert

8. Consultor

Se você possui especialidade em alguma área, poderá trabalhar como consultor, seja para uma pessoa física ou mesmo para uma empresa.

Ofereça orientações tanto presenciais como online. Basta escolher o ramo da sua preferência: administração, culinária, informática, finanças, e muitos outros.

9. Babá

Foi-se o tempo em que a mulher ficava em casa durante o dia para cuidar dos seus filhos. Hoje, ela tem várias obrigações e ajudá-los em suas tarefas diárias, no dever de casa e nos hábitos alimentares é um verdadeiro luxo. Por isso, a profissão de babá está ganhando força no mercado.

Nesta área, não basta apenas gostar de crianças. É fundamental ter disciplina e boa organização para manter uma relação saudável com a patroa.

Quando você consegue aliar esses três elementos, certamente ganhará a confiança de todos e passará por momentos incríveis ao lado da criança.

10. Organizador de festas

Para finalizar a nossa lista, sugerimos o trabalho de organizador de festas. Várias pessoas não têm tempo disponível para escolher as lembrancinhas, organizar a decoração, conseguir fotógrafo e filmagem ou escolher o melhor salão de festas. Aí que você entra, oferecendo sua mão de obra para essas atividades.

Agora que tal aprender como dar os seus primeiros passos na carreira de freelancer e começar sua jornada no trabalho autônomo? Continue a leitura para entender o que você deve saber para ter bons resultados!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

Como se tornar um trabalhador autônomo?

Para se dar bem no trabalho autônomo, você precisará aprender algumas coisas como o que é preciso fazer para administrar sua própria carreira.

Além disso, conhecer algumas técnicas para conquistar clientes e entender como construir um portfólio também serão coisas com as quais deverá se preocupar a partir de agora.

Por isso, selecionamos 7 passos para ser um profissional freelancer bem-sucedido! Vamos saber quais são?

1. Construa um site ou portfólio para divulgar seus serviços

A melhor maneira de atrair pessoas para aquilo que você faz é provando para elas que tem talento. E o portfólio é o instrumento para isso. Hoje, criar um site na internet é muito fácil e em alguns instantes o seu talento como consultor, cuidador de pets ou escritor de convites, por exemplo, pode ser divulgado para milhares de pessoas.

Acha que algumas das opções de trabalho autônomo que citamos aqui não são fáceis de se colocar em um portfólio? É aí que você se engana. Colete depoimentos de alguns dos seus clientes, capture imagens enquanto estiver executando um trabalho e escreva um pouco sobre a sua experiência.

Na maioria das vezes, isso é o suficiente para mostrar para um contratante que é uma boa ideia tê-lo como prestador de serviços.

curso completo do blog pessoalPowered by Rock Convert

2. Aprenda a se organizar financeiramente

Um dos grandes desafios do trabalho autônomo, porém, chega na hora de fazer as contas. A maioria de nós tem alguma familiaridade com orçamento doméstico, mas na hora de transpor esse talento para administrar um negócio próprio encontra dificuldades.

Há muito que se pode fazer para contornar isso. O SEBRAE, por exemplo, oferece uma série de ferramentas que o profissional freelancer pode utilizar para se organizar. E, até aqui no blog, você encontra recursos como planilhas para administrar melhor seus jobs.

Todavia, será necessário fazer algumas escolhas por si só. Decidir quanto cobrar pelo seu trabalho é uma delas. Coloque todos os seus gastos na ponta do lápis e organize-se a fim de ter informação o suficiente para fazer orçamentos.

Planilha de Controle FinanceiroPowered by Rock Convert

3. Regularize sua atuação profissional

É muito mais fácil pagar os seus impostos como autônomo se você optar por algum tipo de regularização, como a de Microempreendedor Individual. Ao se cadastrar seu negócio ganha um CNPJ e um carnê de impostos que deve ser pago mensalmente, mas que o isenta de outras obrigações fiscais.

Por incrível que pareça, o cadastro é uma das coisas mais simples do mundo e pode ser feito inteiramente pela internet. Com seu registro profissional em mãos, será possível até mesmo contratar um ajudante quando os negócios começarem a dar retorno.

Nota do editor:
Se tiver alguma dúvida para se tornar um Freelancer MEI, confira nosso guia definitivo sobre o assunto!

Powered by Rock Convert

4. Comece a estudar Marketing

Uma das coisas mais importantes para conquistar o sucesso como trabalhador autônomo é entender os princípios do Marketing. Quer você os utilize para divulgar o seu trabalho na internet ou na vizinhança, será fundamental entrar em contato com os conceitos básicos dessa disciplina e descobrir o que ela tem a oferecer para o seu pequeno negócio.

Marketing é todo esforço de divulgação de um negócio. Ele existe para que empresas e pessoas façam mais vendas e consigam obter melhores resultados. Um curso como o de Inbound Marketing oferecido pela Rock University é um dos primeiros passos para uma atuação profissional bem-sucedida.

Ali você será introduzido a conceitos que, quando bem aplicados, podem ajudá-lo a expandir o alcance e alavancar a performance da sua prestação de serviços. São eles que vão guiá-lo na hora de estabelecer um relacionamento com seus futuros clientes.

5. Crie uma rotina de trabalho

O trabalho autônomo, como qualquer outro, exige dedicação. Isso quer dizer que o seu negócio de cupcakes ou a sua carreira como revisor freelancer só funcionará se você tirar tempo todos os dias para investir nela.

Pode ser que nem sempre existam demandas para serem cumpridas. O que não significa que não exista nada que você possa fazer para acelerar seu empreendimento. Investir em aulas de marketing e trabalhar para melhorar o seu portfólio são algumas das atividades que podem ser realizadas nessas oportunidades.

O importante é que se estabeleça uma rotina. Faça um combinado com você mesmo e decrete que das 18h às 21h seu foco estará na sua atuação como profissional autônomo. E discipline-se para que isso realmente aconteça.

6. Fortaleça sua presença nas redes sociais

Uma das primeiras coisas que você aprenderá é que divulgar seu trabalho autônomo pode ser muito caro. Mas há uma maneira de contornar esse tipo de gasto e impulsionar suas vendas: fortalecer a sua presença nas redes sociais.

Presença nas redes sociais é sobre ver e ser visto. Portanto, ingresse em grupos de Facebook nos quais as pessoas podem ter interesse naquilo que você vende, crie uma página para o seu pequeno negócio ou comece um blog para divulgar seus cases de sucesso.

O segredo para se dar bem aqui é não ficar parado. Atualize seu perfil no LinkedIn, faça com que os membros do seu círculo social descubram que você tem uma nova carreira e esforce-se no networking.

Tudo isso trará atenção para seus negócios e fará com que seja mais fácil vender seu peixe.

7. Aperfeiçoe-se e busque diferenciar seu trabalho

Por último, nunca se esqueça de continuar melhorando naquilo que faz. Busque cursos gratuitos que possam ensiná-lo novas técnicas, frequente workshops e assista palestras. Sempre que possível tente entender onde outras pessoas foram bem-sucedidas e você não, procurando se inspirar nesses comportamentos. Lembre-se de encarar todos os desafios que representarem oportunidades de aprendizado!

Quanto mais você se dedicar a sua carreira autônoma maiores são as chances de que ela decole. Então, nunca se considere um profissional completo e busque constantemente maneiras de se aperfeiçoar.

carreira freelancerPowered by Rock Convert

Considerando as características acima, o que se pode dizer sobre o trabalho autônomo? É bom? É ruim? Vejamos.

Vantagens e desvantagens de ser um profissional autônomo

Considerando as características acima, o que se pode dizer sobre o trabalho autônomo? É bom? É ruim? Vejamos.

Entenda as vantagens:

Uma das vantagens que alguns identificarão de imediato é a possibilidade de definir seu próprio horário de atividades, ou seja, ele não precisará seguir um modelo fixo definido por uma empresa ou patrão, com horário fixo para entrada e saída.

Dessa forma, poderá conciliar melhor suas atividades profissionais com outras necessárias à sua vida, como lazer, prática de exercícios, momentos com a família e outras coisas.

Outro ponto a favor: o profissional não tem que prestar obediência a uma figura superior, seguir uma hierarquia necessária em empresas (como forma de garantir melhor organização e controle sobre as coisas).

A ideia de subordinação, hierarquia, patrão, receber ordens não é bem aceita por muitas pessoas.

Entretanto, é preciso lembrar que o profissional autônomo não poderá ser alguém indisciplinado e irresponsável, pois assim jamais conseguirá trabalho.

Há maior flexibilidade sim quanto a horários, nível de disciplina e outras coisas, mas sempre será necessário manter controle e procurar organizar-se o melhor possível.

Bem, os autônomos em geral não precisam apresentar algum certificado sobre suas habilidades, mas isso não quer dizer que não precisem estar preparados para suas atividades.

Por exemplo, alguns ou empresas poderão exigir alguns requisitos para contratar seus serviços.

É bom lembrar que, sendo um prestador de serviços, o profissional autônomo talvez precise preencher certos requisitos para fazer serviços em uma determinada empresa.

Outra vantagem é a carga tributária menos pesada.

E as desvantagens:

O fato de não assumir vínculo empregatício, por outro lado, não permite certos privilégios trabalhistas, como carteira assinada e os benefícios que ela permite: 13º salário, férias, FGTS, folga semanal remunerada, horas extras e assim por diante.

Sendo autônomo, você terá que pagar sozinho seu INSS para garantir sua aposentadoria.

Mas aí entra outra vantagem: o valor a pagar é menor, correspondendo a 11% do salário mínimo.

Muitos benefícios que um empregado pode usufruir dentro de uma empresa (seja pública ou privada) não são concedidos ao autônomo, como vale-transporte, plano de saúde, vale-refeição, diária, gratificações, estabilidade (cargos públicos) e outros.

O autônomo, em geral, não possui uma renda definida, o que pode prejudicar o controle do orçamento e a programação para o futuro.

O fato de ele responder por seus próprios erros poderá ser ou não vantajoso, dependendo da ocasião.

Como funciona o pagamentos dos tributos

Falemos agora de uma questão que, apesar de evitada por muitos, é importante.

O autônomo paga tributos também, mas a maior parte deles está ligada à renda que ganha e à previdência.

No caso de declarar seu Imposto de Renda como Pessoa Física (IRPF), será usada uma base de cálculo de 15% caso sua renda esteja R$ 1.372,00 e R$ 2.743,00; se a renda for maior, então a base de cálculo aumenta para 27,5%.

Ele também deve contribuir com o INSS e pagar o Imposto Sobre Serviços (ISS).

No caso de o autônomo se registrar como pessoa jurídica, ele deve contribuir com 13% de sua renda (Imposto de Renda) e outros impostos, como COFINS, PIS e CSLL.

Pronto! Agora você tirou todas as suas dúvidas sobre o trabalho autônomo e já está preparado para o próximo passo: seu planejamento. Então, onde você se vê daqui 5 anos?

onde você se vê daqui 5 anosPowered by Rock Convert

Posts populares com esse assunto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *