Por Gustavo Grossi

Analista de Marketing na Rock Content.

Publicado em 25/08/2016. | Atualizado em 13/01/2020


Quando ouvimos falar em freelancer, seja designer, redator ou revisor, a primeira imagem nos que vem à mente é a de alguém que pode trabalhar de qualquer lugar.

Mas se você acha que ser freelancer é poder escrever seus textos com o notebook no colo, de frente para a praia, ou em um charmoso café no centro de Paris, saiba que a verdade não é bem assim!

O trabalho freelancer tem seus requisitos de profissionalismo assim como qualquer outro.

Apesar de mais flexível, ainda é preciso um mínimo de ordem para garantir bons textos, cumprimento de prazos e um bom fluxo de trabalho. Vamos desmitificar melhor essa ideia? Confira:

Esqueça os clichês: a verdade sobre o trabalho freelancer

A vida do freelancer pode ser tão desafiadora quanto a de um empregado CLT. Claro que há muito mais vantagens, a começar pelo fato de que você pode escolher quais tarefas quer fazer e quando vai fazê-las. Ainda assim, é importante esquecer alguns clichês sobre a profissão.

Trabalhar fora de casa, em cafés e restaurantes (a imagem clássica do escritor freelancer), por exemplo, pode ser na verdade muito caro e prejudicial para a sua escrita.

Além de ter que arcar com os custos dessa rotina, há diversas distrações e contratempos: andar por aí com o notebook na mochila, você ainda precisa se certificar de que os lugares possuem internet estável e robusta o suficiente para a sua demanda, sem contar o cuidado para equilibrar trabalho e lazer.

Além disso, caso você se exceda nessa autonomia e passe a pegar menos trabalhos para fazer, ou escolher demais as tarefas que faz, é possível que o seu fluxo de renda diminua consideravelmente.

É preciso ter um mínimo de trabalhos rotineiros para garantir seus ganhos, então, ao contrário do que muitos imaginam, não dá para escolher tanto assim o que você quer ou não fazer. Afinal, você precisa pagar as contas no fim do mês!

Ter um espaço de trabalho adequado não significa trabalhar de qualquer lugar

O trabalho freelancer é uma tendência mundial que veio para ficar. Isso significa que muitos dos custos de trabalho são transferidos para o freelancer. Ou seja, em vez de a empresa te dar um computador, mesa, local fixo de trabalho etc., você mesmo se encarrega dessas exigências.

Embora não pareça, há muitas vantagens nisso! Além do freelancer poder personalizar seu lugar e suas ferramentas de trabalho, ele também ganha a flexibilidade de trabalhar de casa, por exemplo.

Mas isso significa poder trabalhar de qualquer lugar? Não necessariamente. É preciso contar com um espaço de trabalho adequado, que se encaixe bem na sua rotina e não prejudique sua entrega de resultados.

Muitos freelancers acabam trabalhando de casa porque isso representa economia de tempo (quem mora em São Paulo ou em outras grandes cidades sabe exatamente como é bom não ter que se deslocar para trabalhar), uso mais racional do dinheiro, local de trabalho tranquilo, menos distrações, flexibilidade de horários e ainda a possibilidade deplanejar sua própria rotina.

Se for trabalhar em casa, vale a pena escolher um quarto ou escritório tranquilo, livre de distrações, especialmente se você vive com outras pessoas. Mas se você decidir trabalhar fora, procure escolher lugares adequados para o tipo de tarefa que você precisa desenvolver.

Não importa se você decidiu trabalhar de casa, na biblioteca de sua cidade, ou até mesmo em um coworking: o importante é escolher um local de trabalho que se adeque a sua rotina e que te proporcione maior qualidade de vida!

É possível ter uma rotina flexível

Definir uma área de trabalho apropriada não quer dizer perda da flexibilidade. Você ainda pode fazer seus próprios horários e escolher o ambiente que mais funciona para o seu processo de freelancer.

Aliás, essa flexibilidade para fazer suas próprias escolhas (espaço de trabalho, horário, tipo de computador, quais tarefas pegar etc.) faz parte da essência desse tipo de serviço. Desde que as decisões sejam responsáveis e não afetem seu fluxo de trabalho, não há porque se limitar.

Procure ao máximo manter uma rotina de trabalho bem definida. Isso significa, principalmente, eleger alguns horários-chave para você trabalhar. Há freelancers, por exemplo, que conciliam suas atividades com outro emprego. Nesse caso, talvez as atividades como freelancer sejam melhor desenvolvidas à noite, ou nos finais de semana.

Quem vive exclusivamente como freelancer pode escolher fazer isso durante a tarde, quando a maioria das pessoas está fora de casa e você tem tranquilidade suficiente para escrever seus textos. Independentemente do que você escolher, certifique-se de manter um mínimo de rotina. Isso ajudará na concentração e na manutenção de uma regularidade de trabalhos!

Além disso, essa imagem do redator que viaja e vai escrever de frente para a praia não é totalmente mentira. Desde que você se planeje bem para isso, é possível conciliar viagens, feriados, finais de semana e outros tipos de “pausa” no trabalho freelancer que não afetem significativamente seus rendimentos.

Mas fique atento: se for viajar, não se esqueça de incluir seu expediente de trabalho no planejamento dos seus roteiros e da sua estadia. Se preferir, também é possível compensar o tempo que você passar sem produzir com mais horas de trabalho nos dias anteriores ou seguintes à viagem.

Conexão com a Internet é fundamental

Vai viajar? Trabalhar fora de casa? Não se esqueça que ter conexão com a Internet é fundamental. Seja para fazer suas pesquisas de temas, seja para entregar seus textos e outros trabalhos de freelancer, certifique-se sempre de que haverá a possibilidade de ficar online.

Muitas vezes isso pode ser resolvido facilmente, por meio de um celular com roteamento de sinal 3G/4G ou um modem USB, por exemplo. Mas o ideal mesmo é não contar com a sorte e já se planejar para trabalhar apenas em locais que oferecem uma boa conexão. Assim, você evita imprevistos de entrega e comunicação com seus clientes.

Quer morar fora? Pense sobre o custo de vida

Há também quem cogite o estilo de vida freelancer para financiar uma estadia no exterior. Se você vai fazer um curso de idiomas fora, ou até mesmo uma imersão cultural mais longa, essa talvez seja uma boa saída! Mas lembre-se também de pensar sobre os custos dessa escolha.

Morar fora e trabalhar como freelancer para clientes no Brasil significa receber em reais. Ou seja, haverá custos de conversão para a moeda do país em que você está (Dólar ou Euro, por exemplo), além de impostos, como o IOF.

Todos essas gastos devem ser incluídos em um planejamento financeiro adequado: assim, seu sonho de morar fora e trabalhar como freelancer não se tornará um pesadelo para o seu bolso!

E você, trabalhar de qualquer lugar é mesmo para você? Faça o teste e saiba se a vida de freelancer é o ideal!

carreira freelancer

Posts populares com esse assunto