tipos de visto

Os principais tipos de visto que você precisa conhecer para planejar uma viagem

Separamos os tipos de visto mais comuns para destinos como Estados Unidos, América Latina, Europa e Ásia. Confira o que você deve fazer em cada caso!
Imersão Freelancer - maior curso online gratuito do BrasilPowered by Rock Convert

Está pensando em fazer uma viagem, mas não sabe a diferença entre os tipos de visto necessários? Cada país costuma ter regras próprias para receber visitantes — com raras exceções.

Isso faz com que muitas pessoas se confundam, ou até percam tempo antes da viagem, por não ter as informações corretas antes de comprar a passagem.

Mas a Comunidade está sempre aqui para ajudá-lo, não é mesmo? Preparamos uma lista completa dos principais destinos para freelancers e nômades digitais e explicamos como os tipos de vistos funcionam. Confira!

Vistos para visitar e se mudar para os EUA

Quem nunca sonhou em morar nos EUA? Nossa cultura é muito influenciada por esse país, afinal, consumimos mídia e até comidas típicas de lá. Porém, os Estados Unidos são um dos países mais severos quando o assunto é migração.

Algumas nações têm acordos com a terra do Tio Sam, já outras sofrem sanções gravíssimas. No governo Trump, alguns países foram impedidos de ter vistos aprovados, como o Irã.

A forma de obter documentos para ingressar no país depende muito do relacionamento entre os EUA e o lugar onde você nasceu. Para brasileiros, existem opções de visto para os seguintes grupos:

  • atletas que estão se apresentando no país;
  • quem compete por um prêmio em dinheiro;
  • babás intercambistas;
  • investidores;
  • diplomatas;
  • estudantes;
  • profissionais domésticos;
  • estagiários;
  • turistas;
  • intercambistas;
  • e outros tantos, como aquele dedicado aos trabalhadores religiosos ou temporários ou para quem está apenas em trânsito pelo país.

O propósito da sua viagem e a comprovação de um plano para voltar para o Brasil serão fundamentais para conquistar boa parte desses vistos. As únicas exceções são para os vistos de casamento, de asilo ou para quem tem familiares por lá.

Vistos para morar e trabalhar na América Latina

Morar e trabalhar na América Latina é bem menos complexo. Chega a ser mais difícil para um europeu conseguir ingressar no Chile, por exemplo, do que para os brasileiros.

Isso também acontece por conta de trocas comerciais entre os países. Como uma grande parte de nossos vizinhos integra o Mercosul, visitar países como Argentina, Chile e Uruguai é um processo comum, que requer apenas uma carteira de identidade. Trabalhar nessas nações é um pouco mais complicado, exigindo passaporte e um visto específico, mas que envolve um processo muito mais amigável do que acontece nos EUA.

É possível solicitar um visto de trabalho no Chile depois que estiver lá. Com um pedido pela internet, você consegue especificar uma atuação profissional e marcar um encontro de poucos minutos no Consulado.

De todos os países que são nossos vizinhos, apenas a Guiana Francesa exige visto antes de ser visitada.

Sugestão do editor: Conheça o maior curso online gratuito da história da produção de conteúdo brasileira e garanta a sua vaga! Serão 12 webinars ao vivo transmitidos ao longo do mês de Novembro, cobrindo absolutamente tudo o que você precisa saber para ter sucesso na sua carreira. E todos continuarão disponíveis caso queira assistir depois, basta fazer sua inscrição aqui.

Imersão Freelancer

Vistos que dão acesso ao Canadá

O Canadá conta com muitos vistos que podem ser concedidos aos brasileiros. Há um visto para turistas (V-1), outro para residentes temporários (PG-1), os de trabalho (W-1) e um para os estudos (S-1). Cada um deles tem exigências particulares que devem ser cumpridas pelos viajantes, como comprovação de renda ou parentesco com alguém que já é cidadão ou residente do Canadá há algum tempo.

O país oferece ainda uma opção muito atraente para moradores de vários países, inclusive o Brasil. É o visto para imigrantes qualificados. Esse visto é disponibilizado de acordo com as necessidades do país, seguindo um documento publicado no site do governo canadense.

A lista mostra algumas profissões que estão em falta no Canadá e exige que você demonstre proficiência nelas. Há empregos para profissionais mais comuns, como professores de idiomas, e outros mais complexos, como trabalhadores especialistas na extração de petróleo.

Quer dicas exclusivas de viagens e como organizar tudo sendo freelancer e profissional independente? Confira este material e aproveite sua viagem da melhor maneira possível!

Dicas de Viagem para Freelancers Nômades Digitais

Vistos para entrar na Europa

Os vistos para ingressar na Europa são, assim como aqueles disponibilizados pelos membros do Mercosul, alguns dos mais fáceis de obter. Porém, essa realidade é apenas para quem faz uma viagem a passeio ou a trabalho. Imigrar é um processo bem mais difícil.

Fazer um mochilão ou passar um tempinho conhecendo o sul da Europa é bem fácil. Cerca de 26 países do continente não exigem nenhum tipo de visto prévio, sendo preciso apresentar apenas o seu passaporte, comprovante de hospedagem e passagem de retorno, além de comprovar que dispõe de recursos financeiros para se manter durante o período de viagem.

Algumas mudanças foram planejadas para o futuro, todavia. A partir de 2021, para ingressar no Espaço Europeu de Livre Circulação, o brasileiro terá de obter uma autorização de viagem pela internet e pagar cerca de 7 euros.

Portugal, Europa e Reino Unido são alguns dos lugares que você pode visitar agora mesmo sem solicitar um visto.

Vistos exclusivos para nômades digitais

Quem planeja trabalhar temporariamente fora do Brasil como nômade digital deve estar atento aos países que já permitem ingresso facilitado nessa categoria. A Estônia é o primeiro deles, mas várias outras nações já oferecem vistos de longo prazo para esses profissionais.

A Alemanha dispõe de um visto para freelancers, e a Austrália também. O primeiro dura cerca de 3 anos, enquanto o segundo permite apenas viagens de 12 meses. Costa Rica, Tailândia e Svalbard, na Noruega, são outros lugares que um nômade pode escolher para chamar de seu, pelo menos temporariamente.

Muitos outros países têm planos para incluir o nomadismo digital entre as possibilidades de ingresso que oferecem. Por isso, é sempre uma boa ideia acompanhar blogs de pessoas que já escolheram esse estilo de vida, como o 360 Meridianos. Eles sempre têm novidades sobre o assunto.

Agora que trabalhamos de forma hiperconectada, tendo acesso a milhares de ferramentas e oportunidades profissionais que não exigem que estejamos na frente do chefe a todo o tempo, que tal sair por aí?

Considere essa oportunidade de conhecer os lugares com que sempre sonhou, fazer novos amigos e até encontrar uma oportunidade profissional que não apareceria de outra forma. Mas lembre-se: a vida de um nômade pode ser difícil, por isso, não deixe de acompanhar a Comunidade Rock Content para ir aprendendo pelo caminho.

Agora que você já sabe quais são os principais tipos de vistos que existem, está preparado para seguir viagem? Tire um tempinho para ler “Partiu Mundo!”, o guia com todas as dicas para ajudá-lo a trabalhar de qualquer lugar!