storytelling

Storytelling: como construir uma narrativa e engajar seus leitores

Contar uma história é uma forma de gerar mais engajamento por parte dos leitores. Entenda melhor este conceito, cases relevantes e como dar um toque mais profissional aos seus conteúdos.

Contar histórias é uma formas de comunicação ancestral entre os seres humanos. Fazemos isso desde quando conseguimos juntar duas palavras em uma frase. Dos desenhos das cavernas até os filmes em 3D atuais, elas possuem diversas finalidades, mas a sua essência é sempre a mesma: ensinar algo. As pessoas têm muito mais facilidade em aprender quando leem uma boa história.

Atualmente, o Storytelling está em alta no mundo corporativo. Contar narrativas que façam com que os clientes se identifiquem com os personagens, problemas e contexto relatado é uma ótima forma de engajá-los com o produto que deseja divulgar.

Se você quiser aprofundar mais na técnica de contar histórias, assista ao webinar com o André Mousinho, nosso especialista em Marketing de Conteúdo e SEO.

Nessa aula ele vai te ensinar, inclusive, sobre o arquétipo do herói por trás de todos os mitos e os 12 passos de sua jornada. Além das similaridades da trajetória do herói com a sua e a do cliente! É só preencher o form abaixo que você terá acesso ao vídeo.

E que tal vê-lo até duas vezes mais rápido e aprender melhor? Veja como fazer isso com o hack que ensinamos para aprender rápido e se torne expert em storytelling na metade do tempo!


E se quiser compreender um pouco mais sobre o Storytelling e como utilizá-lo em sua estratégia de conteúdo, você veio ao lugar certo!

Mas afinal, o que é Storytelling?

Storytelling é uma das buzzwords do momento quando falamos de comunicação e produção de conteúdo. Contudo, a prática é muito mais antiga do possamos imaginar.

O termo representa nada mais do que a prática ancestral de contar histórias. Desde os desenhos das cavernas até os filmes em 3D atuais, elas possuem diversas finalidades, mas a sua essência é sempre a mesma: ensinar algo. As pessoas têm muito mais facilidade em aprender quando leem uma boa história.

Tem dúvidas? Pense na maioria das fábulas e contos de fadas existentes. Elas até são vistas apenas como histórias infantis em alguns casos, mas não é possível descartar a importância delas: afinal, todas surgiram como formas de transmitir ensinamentos para as pessoas.

Você pode falar para o seu filho que ele deve te obedecer e apenas andar por caminhos conhecidos. Mas a forma mais fácil de fazer com que ele assimile essa informação é por meio da história de Chapeuzinho Vermelho.

Outro exemplo é a história dos Três Porquinhos. Ela foi criada após a Revolução Industrial para ensinar as pessoas que o trabalho duro compensa mais do que se dedicar apenas a garantir a subsistência. Ou seja, uma forma de convencer a população a migrar do trabalho no campo para as fábricas.

Tendemos a nos conectar muito mais com histórias com personagens e situações com as quais nos identificamos do que quando ouvimos uma mensagem direta.

É fundamental termos isso em mente quando trabalhamos com produção de conteúdo. Construir narrativas que façam com que os clientes se identifiquem com os personagens, problemas e contexto relatado é uma ótima forma de engajá-los com o produto/serviço que está sendo divulgado.

Sua estrutura narrativa deve criar uma forte relação com o seu público, pois caso ele se identifique com a sua história, há uma chance significativa daquele visitante se tornar um leitor assíduo ou interagir com a marca/empresa.

O Storytelling não pode ser utilizado como uma ferramenta de venda. Sua estrutura narrativa deve criar uma forte relação com o seu público, pois caso ele se identifique com a sua história, há uma chance significativa daquele visitante se tornar um leitor assíduo ou interagir com a marca/empresa.

Nosso cérebro funciona muito melhor para guardar informações que foram passadas através de histórias e não de anúncios. Além disso, quando você usa o Storytelling para falar da sua marca, você humaniza a empresa, criando uma relação maior de proximidade com o cliente.

Cases bem-sucedidos de uso do Storytelling

Podemos citar algumas marcas que utilizaram esta narrativa para conquistar novos clientes e fortalecer os laços com o seu público-alvo. Como é o caso de empresas como a Vivo, e GE, por exemplo.

Apesar de serem vídeos, em cada um dos exemplos há uma história com personagens distintos e problemas únicos, sempre se relacionando com o público, destacando problemas, apresentando soluções e até mesmo instigando o desejo de futuros clientes.

Mas, claro, existem outras maneiras de usar o Storytelling dentro da criação de conteúdo sem ficar com tanta cara de comercial. Quer ver só?

No final de 2015, a GE inovou novamente ao criar um podcast chamado The Message onde a audiência poderia acompanhar o trabalho de uma jornalista em busca de decifrar uma mensagem que supostamente teria sido enviada para a Terra por uma raça alienígena.

Mas como essa história de ficção poderia melhorar os números da empresa? Simples: colocando o ouvinte em contato com a marca tanto nos produtos usados dentro da história quanto no site onde é possível fazer o download de cada episódio.

Quer outro exemplo? O GVcast, o podcast do site Geração de Valor, também usou esse tipo de mídia em áudio para produzir programas onde alguns convidados contavam suas histórias — como em um programa de entrevistas — a respeito de como eles tiveram sucesso com seus empreendimentos (um assunto que tem tudo a ver com o negócio do Geração de Valor).

Repare que tanto em alguns casos em vídeo quanto nesses de áudio, não é necessário criar um roteiro fantástico e ficcional para que você fale do seu produto, basta apenas contar uma história, seja em primeira ou terceira pessoa, seja real ou não.

Como aplicar o Storytelling na produção de conteúdo

A forma como se fazia marketing antes está ficando cada vez mais obsoleta! Hoje em dia, o que queremos e precisamos é atrair o público ao invés de bombardear nossos possíveis clientes com anúncios, propagandas e números que os afastam.

“Mas espera aí, vocês estão dizendo que eu posso transformar até um texto recheado de números em uma história interessante”? Exatamente! Quer ver um exemplo?

Olhe esse artigo que a Bloomberg montou sobre como os Estados Unidos estão acabando com sua dependência de petróleo. Repare que, mesmo no meio de informações recheadas de números e porcentagens, os redatores conseguiram encontrar a história que poderia ser contada ali. Bacana, não é?

Agora, se você gosta de pegar exemplos do cinema, podemos indicar o filme A grande aposta, uma produção que foi inspirada basicamente em um livro técnico sobre a crise imobiliária que aconteceu também nos Estados Unidos de 2008 até 2012, mas que, nas mãos dos roteiristas ganhou profundidade e tramas que exemplificassem o que aconteceu.

Dicas para usar Storytelling como um verdadeiro profissional

Agora que você já está apresentado ao conceito, aprenda como usar o Storytelling de forma matadora na hora de produzir um conteúdo e engajar leitores:

Os 3 elementos-chave de uma boa narrativa

Ok. Não existe uma fórmula mágica de como escrever uma boa história. Mas existem alguns elementos que, quando bem inseridos em uma narrativa, a tornam mais envolvente e inspiradora. São eles:

  • Personagem
  • Drama
  • Resolução

Toda boa história tem um personagem convincente. E você precisa criar toda a história em torno deste personagem. O ideal é que ele seja baseado em sua persona para conseguir gerar identificação junto ao público. Ele será a conexão entre você e seu público-alvo!

Segundo elemento: drama. Pense em todos os filmes que assistiu ou livros que leu. Todos eles possuem uma trama, um momento de ruptura, algo que dê significado aquela história e que a torne mais do que um mero relato.

Pequenos dramas ou conflitos ajudam a construir o vínculo emocional com o seu público.

O drama pode ser baseado nos problemas e angústias reais do seu público. Algo que atrapalhe o seu desempenho em qualquer atividade: pessoal, profissional, etc.

Por último apresente uma resolução para a história. Mostre como o personagem pode resolver ou resolveu o drama. É nesse ponto que você deve inserir um CTA para melhorar a conversão. Após ficar envolvido com a história apresentada, o público estará propenso a obedecer uma chamada para a ação.

Boas histórias nos surpreendem. Elas nem sempre têm que ter um final feliz. A resolução deve encerrar a história, mas também deve chamar claramente o seu público para a ação e cumprir o propósito por trás da história.

A resolução deve fazer pensar e fazer sentir.

Antes de criar sua história, planeje o personagem, crie drama, crie apelo emocional, seja autêntico e decida a resolução. Mantenha sua história clara e concisa.

Leve o leitor de um ponto A até o ponto B

Histórias sem final ou com uma linha temporal não linear podem funcionar muito bem em filmes artísticos e na literatura. Mas não são indicadas quando temos um objetivo claro e uma mensagem que deve ser facilmente transmitida e reproduzida.

Cada narrativa deve ser constituída pela simples estrutura: introdução, desenvolvimento e conclusão.

A forma mais prática é usar a introdução para apresentar o personagem, o desenvolvimento para envolver o leitor por meio do drama e a conclusão para apresentar a resolução.

Sua história precisa pegar o leitor pela mão e conduzi-lo sem turbulências do começo ao fim do conteúdo.

Seja criativo

Qualquer história pode ser criada, tudo vai depender do que você vai oferecer para o seu público. Mas é claro que, para produzir uma boa narrativa, você necessita de um tema que seja relevante, contendo problemas que eles possuam e que você possa resolver, com produtos ou serviços que o seu blog ou marca/empresa produza.

Todo leitor gosta de ser surpreendido, e por essa razão obras que usam recursos narrativos como plot twists (viradas na trama) são tão populares. Use a criatividade para atrair e envolver o seu leitor, só tome cuidado para que a trama não fuja do objetivo principal.

Conte histórias reais dos seus clientes

Estudos de caso nada mais são do que histórias sobre como o produto/serviço que você oferece ajudou uma pessoa. São particularmente eficazes por serem histórias reais que facilmente geram identificação do público.

Desenvolva uma lista de 3 a 5 clientes que obtiveram bons resultados graças a marca que você atende. Clientes que estão felizes e provavelmente dispostos a ajudá-lo.

Considere o tipo de pagamento que você pode dar-lhes para ajudar com o estudo de caso. Às vezes, não tem que ser qualquer coisa. Outras vezes, um desconto pode ser apropriado, ou talvez o acesso a um produto especial ou recurso que você sabe que eles estão interessados, mas ainda não podem adquirir.

Faça uma entrevista e obtenha duas ou três declarações fortes dos clientes para enriquecer a narrativa. Você também pode querer obter relatórios e dados visuais que ajudem a compor um antes e depois. Ou seja, o ponto A (antes) e o ponto B (depois) da história.

Marcas de sucesso, como o Facebook e o Instagram, se utilizam bastante desse recurso para vender espaço publicitário e educarem os usuários sobre as melhores práticas de utilizar as os serviços de mídia das plataformas.

Transmita sensações positivas com o conteúdo

De acordo com um artigo publicado pela Scientific American, as histórias que estimulam emoções positivas são mais amplamente compartilhadas do que aquelas que provocam sentimentos negativos, e o conteúdo que produz uma maior excitação emocional tem maiores chances de viralizar.

Estimule o público a terminar o conteúdo com um sentimento positivo no peito. Isso não significa que o conteúdo deve apenas falar de coisas boas e não exibir problemas! O principal objetivo é que, no final, uma solução seja apresentada. E que, de preferência, ela seja um serviço ou produto oferecido pelo cliente que você atende.

Dicas do que não fazer ao usar Storytelling

  • Incluir informações desnecessárias que não contribuem para o desenvolvimento da narrativa e alongam a história;
  • utilizar personagens rasos ou excessivamente genéricos que não despertem a empatia do público;
  • ocultar fracassos: histórias de sucesso são as que mais temos vontade de compartilhar, mas lembre-se que causar a identificação do público é um dos objetivos principais de um bom Storytelling. Ninguém é bem-sucedido o tempo todo!
  • Ser excessivamente direto na apresentação da mensagem e acabar por não envolver o público o suficiente.

Storytelling é uma das maneiras mais efetivas de se conquistar sua persona e seu blog pode ser uma ótima ferramenta para isso. Suas histórias devem ter significado para as pessoas que estão lendo e, se você conseguir conectar o seu público à narrativa que você criou, parabéns! Você está utilizando bem a técnica do Storytelling.

Contar uma boa história é essencial para envolver o público na mensagem que você deseja transmitir. Mas saber usar o Storytelling não basta para fazer um conteúdo que traga resultados efetivos para os clientes.

Vá além e domine toda a arte de produzir conteúdos que engajam e trazem resultados. Baixe nosso kit Conteúdos Incríveis: