Por Renato Ribeiro

Nômade digital e produtor de conteúdo online.

Publicado em 27/08/2018. | Atualizado em 09/01/2019


Já experienciou momento de solidão do trabalho freelancer? Saiba que não é mito nem desculpa, e sim um dos maiores desafios dos freelas. Confira aqui!

Imersão Freelancer - maior curso online gratuito do BrasilPowered by Rock Convert

A carreira dos freelancers está cada vez mais em alta. É uma tendência no país e no mundo e milhares — ou até milhões — de pessoas estão abraçando esse modelo de trabalho. Entre as vantagens, destaco a liberdade, a flexibilidade e a possibilidade de assumir o protagonismo na vida profissional e pessoal de uma vez por todas.

Por outro lado, há desafios, dificuldades e medos. Não existe renda fixa, não há garantia de sempre ter clientes e muitas pessoas podem se sentir sozinhas.

Este texto toca justamente neste último ponto: sim, a solidão do trabalho freelancer pode ser uma dura realidade na vida de quem trabalha remotamente.

A seguir, vou apresentar alguns problemas relacionados à solidão e suas respectivas soluções. Por fim, dou algumas dicas práticas para você apostar no trabalho freelancer e ainda manter uma rotina dinâmica. Vamos em frente?

Solidão em casa

Trabalhar em casa pode ser o sonho de muitas pessoas. Afinal, não ter que pegar trânsito e não ter que lidar com possíveis chefes chatos do escritório já podem ser motivos para uma pessoa optar pela vida de freelancer.

Mas, por outro lado, o profissional também pode se sentir sozinho, principalmente se tinha uma rotina em que era cercado de muita gente.

Para evitar isso, busque variar os lugares em que trabalha. Sempre que sentir sinais de tédio, busque cafés, coworkings, padarias, bibliotecas e outros locais que permitam que você interaja com outras pessoas e, assim, espante a solidão.

Em uma experiência de 6 meses sozinho no Nordeste, passei por muitos e muitos momentos de solidão. Realmente, às vezes isso até doía na alma. Quando acontecia, buscava algumas “âncoras”, como encontrar algum amigo ou dar uma corrida na praia.

Ao mesmo tempo, foi ótimo para refletir sobre vários aspectos da minha vida. Afinal, vale lembrar que em todas as situações há sempre os dois lados da moeda, ou seja, o lado vazio e o lado cheio do copo. Embora viver momentos de bad vibe seja algo inevitável, sempre escolhi olhar para o lado cheio.

Em Belo Horizonte, no entanto, o cenário é completamente diferente. Tenho minha família e um batalhão de amigos. Além disso, a cidade é muito mais estruturada com espaços para trabalhar. Se você for da cidade ou vier a trabalho ou passeio, recomendo um coworking localizado no Pátio Savassi.

Tem a parte paga, mas, caso você esteja apertado de grana, pode utilizar umas bancadas gratuitas. Além de poder trabalhar, é uma excelente oportunidade para conhecer outras pessoas que vivem como freelas.

Sentimento de tédio e vazio

Todo mundo passa por desafios emocionais — aqueles momentos em que você não sabe para onde está caminhando e faz as tarefas por fazer, porque precisa pagar contas para sobreviver.

Na vida do freela, não é diferente. Mas, em vez de ser algo totalmente ruim, pode ser uma excelente oportunidade para refletir.

Sabe quando você precisa parar e avaliar o que virá pela frente e, assim, tomar as melhores decisões? Sozinho, você tem uma ótima oportunidade para se conhecer mais e entender com mais profundidade suas forças, fraquezas, oportunidades e ameaças.

Com o tempo, você entende por que faz o que faz. Se realmente parar e prestar atenção, o silêncio tem muito dizer. Em minhas reflexões solitárias, passei a prestar mais atenção nas coisas que importam de verdade. Assim, refinei coisas e pessoas.

Tudo isso pode ser resumido em uma única palavra: amadurecimento.

Desmotivação

A motivação nada mais é do que a união das palavras motivo e ação. Pessoas motivadas, portanto, têm um motivo forte e louvável para sempre fazer o que precisa ser feito. Já as pessoas desmotivadas, às vezes, não sabem exatamente para onde estão caminhando, ou seja, não contam com objetivos e metas claras.

Me arrisco a dizer que uma das grandes dificuldades de trabalhar sozinho é que você não conta sempre com motivações externas. Além disso, é preciso ser sincero e dizer que muita gente não entende direito o trabalho do freelancer. Algumas pessoas da minha família, por exemplo, já me taxaram de malandro.

Mas, claro, elas nunca veem o domingo em que trabalho 8 horas. Ou os dias em que, às 5h da manhã, levanto e coloco a mão na massa. Só para dar mais um exemplo, fechei este texto às 22h36 e o revisei às 7h46. Infelizmente, os outros só prestam atenção quando corro às 9h da manhã de uma terça-feira — afinal, devem pensar que era dia e horário de gente responsável estar no escritório.

Lembre-se de que as pessoas só verão as cachaças que você toma, nunca os tombos que leva.

Por isso, você deve desenvolver seu autoconhecimento, trabalhar sua inteligência emocional e ter um planejamento bem claro. Porque aí, mesmo que você não encontre motivações externas no caminho, terá uma automotivação muito forte e não dependerá de nada e de ninguém.

O melhor dos mundos, portanto, é ter autonomia sobre seus sentimentos.

Procrastinação

Esse talvez seja o maior dos vilões dos freelancers, principalmente se eles trabalham em casa. Afinal, estar sozinho oferece um grande risco de que você se torne um procrastinador.

Eu confesso, infelizmente, que fui quase um PhD em procrastinação. Ainda tenho os meus momentos, claro, mas eles são cada vez mais raros, porque aprendi a me blindar.

É preciso lembrar que, no caso do freela, muitas vezes o lugar em que você trabalha é o mesmo em que você dorme, vê TV, toma banho e come. Na maior parte da minha história como freela, a minha mesa de trabalho ficava justamente no mesmo ambiente em que estava minha cama. Então, você já imagina, né?

Sabe aquela história de que “só vou entrar no Instagram por 15 minutinhos?”. 15 minutos que viram uma tarde inteira e aí, quando você percebe, o prazo está estourando e é preciso se transformar em um ninja para entregar a tarefa.

É óbvio que ter uma pressão é ótimo para completar atividades. Não só com relação a prazos, mas também no que diz respeito aos boletos. Quando as contas chegam, o foco vem rapidinho e você produz que é uma maravilha.

No entanto, esse tipo de situação não é saudável, tampouco sustentável. Nesse sentido, o ideal a fazer, novamente, é trabalhar com metas claras. Hoje, por exemplo, tenho uma meta diária de produção e de faturamento.

Além disso, uso o todoist — para mim, é o melhor aplicativo para organizar as tarefas e os projetos e acho que vale muito a pena pagar a versão premium. Com isso, aquele freela mestre da procrastinação de antes está morto e enterrado.

Dificuldade de estabelecer bons contatos

Muita gente pode achar que o freelancer só faz contato virtual com as pessoas. Ledo engano. Confesso que, desde que virei freela, não parou de entrar gente incrível e fora da curva na minha vida.

Tudo bem que muita gente eu conheço apenas no virtual, mas tem uma turma enorme com quem já fiz contato pessoal e estabeleci ótimas relações de trabalho. Para você ter ideia, ontem mesmo recebi um convite para um café de um cara que me viu no LinkedIn e já marcamos de irmos ao Órbi Conecta, que é um superespaço de fomento ao empreendedorismo e inovação em Belo Horizonte.

Por outro lado, também está saindo um monte de gente da minha vida que não acrescentava nada. Não que eu tenha saído dando fora e sendo mal-educado com as pessoas. Isso simplesmente aconteceu de forma natural.

Ainda bem que você não é desse grupo, certo? Se chegou até aqui, é porque é — muito provavelmente — do time das pessoas incríveis. Gente vazia não costuma ter disposição para ler esse tanto que escrevi até agora.

Por isso, é fundamental conviver e estabelecer novos contatos com pessoas que importam na vida. Não sei se já ouviu falar, mas existe uma expressão chamada “seja o mais burro da mesa”.

Isso não quer dizer que você tenha que ser burro. A ideia é estar sempre perto de pessoas que estão em níveis de carreira mais altos do que o seu. Essas pessoas, com certeza, levarão você para o próximo nível. É mais ou menos aquele lance de você ser a média das 5 pessoas com as quais mais convive.

Se você vive algumas relações tóxicas, não espere amanhã para cortar laços. Não precisa ser estúpido. Saia aos poucos, mas não deixe que pessoas que não acrescentam façam parte da sua vida.

Ter gente diferenciada por perto reforçará os laços positivos na sua vida.

Dicas para espantar a solidão

Para encerrarmos o texto e espantarmos a solidão do trabalho freelancer de uma vez por todas, vou deixar 6 dicas pontuais. Confira!

1. Varie seu local de trabalho

Se você ficar trabalhando em casa, estará mais exposto a situações de solidão. Variar o local de trabalho não quer dizer que você tenha que alugar um espaço de coworking. Você também pode ir a cafés e bibliotecas. O mais importante é se cercar de outras pessoas.

Com certeza, ir a outros lugares eventualmente ajudará e muito a evitar a solidão. Cercar-se de colegas criativos e de gente que gosta de horários flexíveis é uma ótima forma de sentir motivado e realizado.

Esses locais certamente farão com que você se sinta revigorado e com um tipo especial de energia. Além de ajudá-lo a fazer as coisas, contribuirão para que você busque sempre os próximos passos na carreira.

2. Reserve tempo para passeios sociais produtivos

Considere dividir o tempo entre trabalho e outros afazeres, como relaxar, ler e fazer atividades físicas. Alguns dos freelancers mais produtivos e criativos sempre maximizam seus horários da melhor forma possível.

Isso significa que é válido tomar um chá ou café, fazer uma caminhada, ir a uma livraria, correr no parque ou fazer qualquer coisa que lhe agrade. Isso fará com que você se sinta muito mais energizado.

Além disso, é interessante participar de eventos e de cursos da área. Programe-se para ir a palestras e treinamentos presenciais, que são ótimas oportunidades para construir relacionamentos duradouros e produtivos.

3. Encontre seus clientes pessoalmente

Uma ótima forma de espantar a solidão é encontrar seus clientes. Pode ser tanto cara a cara quanto em conversas por vídeos. Eles ajudarão você a se sentir, por alguns momentos, como se estivesse em um escritório tradicional.

Além disso, sempre que for possível, pergunte para os clientes sobre o fim de semana, sobre um filme que tenham visto ou sobre a família. Quando você está genuinamente interessado nas pessoas, acaba fortalecendo o relacionamento com elas.

Em outras palavras, uma simples e despretensiosa troca de ideias pode fazer com que o trabalho se torne mais criativo e divertido.

4. Adote um novo hobby

Que tal você fazer um curso de psicologia ou pegar umas aulas para aprender a tocar violão? Adotar um novo hobby será interessante para conviver com pessoas de áreas totalmente diferentes da sua.

Essa experiência fará com que você enxergue os problemas com um novo olhar. Além disso, ela também permitirá que você estabeleça contatos com outras pessoas, sem sentir que está trabalhando.

5. Tenha um animal de estimação

Embora essa não seja uma opção para todos, um gato ou cachorro ajuda efetivamente a espantar a solidão. Ter um cão, por exemplo, contribui para uma rotina de passeios em parques e praças, o que também significa socializar com as pessoas.

Além disso, existem pesquisas que demonstram que quem tem animais está menos propenso a ficar triste ou deprimido. Caso você não possa ter seu próprio animal, passeie com o bicho de algum amigo ou familiar em horários mais flexíveis.

6. Encontre sua tribo online

Ter um grupo de pessoas para conversar a qualquer momento que sentir vontade — seja sobre problemas do cliente, seja sobre algo simplesmente divertido — quer dizer que você nunca mais se sentirá só.

Mesmo que seja pelo Facebook ou WhatsApp, ter essa linha de comunicação fará com que você se sinta feliz e conectado. Lembre-se de que a empatia é sempre uma arma poderosa. Diante disso, encontre sua tribo na internet e divirta-se bastante com ela.

Bom, espero que você tenha verdadeiramente gostado de saber como é possível lidar com a solidão do trabalho freelancer. Caso esteja se sentindo só, está tudo bem. Eu também já me senti muito só em diversos momentos da minha trajetória como freela. Agora, no entanto, não permito que esse sentimento dure mais de 30 minutos ou 1 hora.

Esteja sempre consciente da forma como gasta seu tempo no trabalho e busque uma comunidade legal para fazer parte.

Se quiser, também pode fazer contato comigo, pois estou sempre aberto para trocar ideias!

Por fim, uma dúvida que eu já tive é em relação ao meu futuro e talento para ser freelancer.  Acho importante saber ou reforçar se a carreira de freela é realmente para você. Para isso, o blog da Comunidade disponibilizou um teste, clique aqui e faça o quiz!

carreira freelancer

Posts populares com esse assunto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *