sites para trabalhar como freelancer

11 sites para trabalhar como freelancer: confira as melhores opções

Estar em sites para trabalhar como freelancer é um dos principais passos para ter jobs constantes. Aqui reunimos as plataformas mais conhecidas!
Imersão Freelancer - maior curso online gratuito do BrasilPowered by Rock Convert

O trabalho de redator freelancer é uma das melhores opções para quem decide fazer uma graninha sem precisar sair de casa. Primeiro, porque temos nosso próprio horário. Segundo, porque é divertido sair por aí dizendo para os outros que nós podemos trabalhar de pijama e com nosso pet no colo naqueles dias de preguiça.

Mas você sabe como se iniciar na carreira e pegar os primeiros jobs? Um dos passos é estar em sites para trabalhar como freelancer. Eles têm a vantagem de reunir, no mesmo lugar, quem procura por jobs e quem procura por redatores. Ou seja, facilitam o caminho dos dois lados.

E se você quer conselhos para se dar bem na área, no melhor estilo #ficaadica, então, anote: ao prestar serviços na informalidade, não dependa de apenas uma fonte de renda. Isso quer dizer que estar em mais de uma plataforma, por exemplo, aumenta suas chances de sucesso.

E se, por acaso, atuar por fora delas, evite preencher toda sua agenda com os pedidos de um único cliente. Se ele cancela o projeto, você fica desesperado sem saber como pagar os boletos.

Dito isso, vamos dar uma olhada nos sites mais conhecidos?

1. Workana

A Workana é uma plataforma não só para produtores de conteúdo, mas também para outros tipos de freelancers, como os da área de design, TI, tradução, finanças e assim por diante. Nela, a empresa publica o projeto que deseja, além de suas características e objetivos.

Com isso, os profissionais entram em contato e mandam propostas, incluindo o valor do serviço, o tempo para conclusão e o que mais o cliente solicitar.

A vantagem é que as opções são muitas. São dezenas de negócios solicitando algum trabalho todos os dias. Mas, como nem tudo é perfeito, a concorrência também é gigante. Com isso, não é difícil encontrarmos redatores aceitando fazer jobs por valores irrisórios, apenas para conseguir fechar negócios.

Apesar de tentador, a recomendação é não cair na armadilha, já que essa atitude não valoriza nem um pouco nosso esforço e, ainda, deprecia todo o mercado. Assim, peça um preço justo e tente caprichar na carta de apresentação, já que ela pode ajudar bastante nesse primeiro contato.

Além disso, saiba que uma porcentagem do valor acertado fica para a Workana.

2. 99Freelas

Seguindo nossa lista de sites para trabalhar como freelancer, o 99Freelas é um dos mais famosos. Ele é parecido com o Workana, já que as empresas publicam os projetos e fazem os pedidos de jobs.

Então, da mesma forma, lá é preciso elaborar sua proposta de trabalho, com valores que pretende cobrar e prazos para finalizar o serviço.

Na plataforma, é possível, ainda, criar seu perfil profissional, o qual funciona como um currículo ou portfólio. É importante dar atenção aos detalhes, pois muitos clientes fazem uma análise prévia do profissional antes de contratá-lo.

Saiba, também, que, depois do trabalho pronto, as empresas podem deixar uma avaliação sobre sua produção, o que se torna uma referência, caso outros clientes busquem uma indicação.

A plataforma pode ser usada de forma gratuita, mas costuma funcionar melhor quando o profissional faz a assinatura de planos, que variam de R$29,90 a R$59,90 por mês. Dessa forma, seu perfil ganha mais relevância e se torna mais visado. Além do mais, o assinante tem algumas vantagens, como a de poder deixar a oferta mais destacada diante das demais.

As propostas podem ser enviadas de forma ilimitada. No entanto, saiba que, assim como o site anterior, ao fechar o pedido, uma porcentagem do acerto fica para a plataforma.

Nota do editor:
Aproveite para aprender como montar um portfólio como um especialista!

Powered by Rock Convert

3. UpWork

UpWork é uma plataforma muito popular fora do Brasil. Trabalha com diversos tipos de freelancers além de redatores, como designers, desenvolvedores de softwares e engenheiros.

Os clientes postam seus pedidos e aguardam contato dos profissionais. A partir disso, combinam detalhes sobre cada demanda. No site, é comum adotar o valor com base na hora de trabalho ou pelo projeto todo.

O pagamento é feito pela própria plataforma, o que deixa o processo mais seguro. No entanto, assim como os sites já mencionados, uma parcela do valor é direcionada à própria UpWork.

O site original é em inglês, então se você tem boa fluência na língua, é uma super oportunidade. Mas também é possível encontrar pedidos para redatores brasileiros. Muitas vezes, são clientes que moram fora do país e precisam da ajuda de alguém daqui.

4. Freelancer.com

No site Freelancer.com, é só cadastrar seu perfil, preenchendo detalhes pessoais, talentos, habilidades e competências. Há oportunidades para uma variedade de trabalhos além da redação, como marketing, TI, revisão, tradução, contabilidade.

Depois, é só pesquisar por projetos, usando tags, para que apareçam aqueles mais adequados. Ao encontrar um chame a sua atenção, você envia uma mensagem ao solicitante e aguarda o retorno.

É interessante saber que o cliente receberá várias outras propostas junto das suas. Assim, quanto mais você investir no seu perfil e na sua forma de apresentação, mais inclinado ele ficará a acertar o job com você.

5. Contentools

A Contentools trabalha com redatores, editores, tradutores, social media, videomakers, entre outros. Na plataforma, você monta seu perfil e inclui portfólio e demais informações sobre suas especialidades e cursos realizados.

Para começar a trabalhar lá, é necessário ser MEI, pois uma das exigências é a emissão de nota fiscal. Além disso, é exigido ter uma certificação em Inbound Marketing, que, na verdade, é essencial para qualquer trabalho de escrita para web. A agência também pede seu perfil no LinkedIn, para que os clientes conheçam melhor os profissionais com quem trabalharão.

Depois da inscrição, existem algumas etapas para o freelancer passar. A primeira é a realização de um teste, no qual a equipe avalia as habilidades de escrita. Em seguida, ele passa por uma entrevista.

Nela, o analista faz algumas perguntas relacionadas com o estilo de trabalho, o tempo disponível por semana e os objetivos. Por fim, ao ser habilitado, é só completar o preenchimento do perfil.

Essa plataforma apenas faz uma ponte entre redatores clientes, os quais fazem os acertos de cada job por conta própria.

6. GetNinjas

A GetNinjas é bem eclética, servindo como um classificados online, que possibilita a realização muitos tipos de trabalho além da produção de conteúdo. Lá, é possível encontrar pedidos da área de design, consultorias, anúncios para eventos, aulas particulares, além de reformas e reparos em casas.

Tanto os clientes quanto os profissionais fazem um cadastro, em que sinalizam o que pretendem. Assim, um redator, por exemplo, anuncia o que sabe fazer e aguarda que clientes entrem em contato. Mas também é possível visualizar pedidos de empresas e enviar propostas, visando fechar negócios.

O cadastro é grátis e não há mensalidade. Você só investe nos pedidos que quiser e acerta o preço que achar razoável.

7. VinteConto

Na VinteConto, os profissionais fazem anúncios dos seus trabalhos. A plataforma aceita ofertas relacionadas a marketing digital, escrita, tradução, edição de vídeos, webdesign e consultorias.

Como o nome sugere, a ideia é que cada job oferecido valha apenas o valor de R$20. Como o preço é baixo e a concorrência é alta, você precisa ter estratégias para conseguir algo justo.

Primeiro, invista na sua divulgação. Ela é a apresentação das suas habilidades. Elabore um resumo, em poucos caracteres e insira palavras-chave. Também, tente estabelecer uma proporção do que seria justo por esse valor.

Por exemplo, se, em outras plataformas, os redatores têm cobrado R$25 por 500 palavras, talvez fazer 450 palavras por R$20 já seja algo legal para começar.

Confira um compilado de dicas e leituras para seguir crescendo na carreira freelancer! 🚀
Marketing Pessoal: o que é e como trabalhar sua imagem profissional
Como criar um blog grátis personalizado: veja as 9 melhores opções!
Personal Branding: a importância de estabelecer sua marca pessoal
Trabalho Remoto: 8 sites e 10 dicas para ganhar dinheiro sem sair de casa
Como criar um portfólio de redator impressionante!
O que colocar em um currículo freelancer: tiramos todas as suas dúvidas!
As 13 melhores opções de trabalho de fim de semana!
Nômade digital: o que é, como se tornar um e as principais vantagens

8. Comunica Freelancer

O Comunica Freelancer é mais direcionado para quem é da área de programação, já que a plataforma trabalha com freelancers de TI, desenvolvimento, sistemas, webdesign etc. No entanto, também é possível encontrar projetos de outras áreas, como de marketing digital e redação.

O estilo da plataforma serve como um classificados, pois tanto a empresa quanto o freela podem fazer anúncios.

No primeiro caso, o cliente posta o projeto que necessita e espera que os profissionais entrem em contato para fazer propostas. Dessa forma, é importante contar com uma boa apresentação e ter diferenciais para se destacar.

Já quando o própria freela posta um anúncio, ele se apresenta, diz o que sabe fazer e espera que entrem em contato com ele.

Visto que os acordos e as contratações são de responsabilidade apenas das partes, é importante ter cuidado.

9. Trampos.co

A plataforma Trampos.co funciona como um currículo online. Nela, o profissional descreve suas habilidades, formações, cursos e indica o que pretende fazer.

Nisso, as empresas podem visualizar os perfis e entrar em contato com quem acham que é interessante para o projeto. O site oferece assinaturas que variam de R$14,99 a R$56,99. Elas tornam o perfil mais relevante, para que seja encontrado pelos recrutadores.

Os tipos de trabalhos são bem variados, abrangendo, além de redatores, profissionais de TI e analistas de mídia. Se o desejo for o trabalho home office, é preciso especificar isso no cadastro.

10. Meu Redator

Mais um na lista dos sites para trabalhar como freelancer, no Meu Redator, o cadastro é feito de forma gratuita e, no lugar de testes de candidatura, você envia o portfólio. Para a inscrição inicial, é possível inserir até 2 textos, que podem ser produções mais antigas suas.

É a partir desses artigos que a equipe avalia se a escrita tem qualidade e é apropriada aos princípios de SEO. Então, escolha suas melhores criações e envie algo relacionado aos temas com os quais você pretende trabalhar.

Segundo o site, as áreas com maior demanda são marketing digital, tecnologia, saúde, mercado imobiliário, moda, turismo, finanças. Mas é possível surgirem jobs de outros nichos também.

Após alguns dias do envio dos textos, o redator recebe um feedback dizendo se foi aprovado ou se, antes, precisa melhorar alguns detalhes na produção. Caso você faça parte da segunda opção, é possível tentar novamente outras vezes.

Depois você ser habilitado, a plataforma permite inserir mais artigos no seu portfólio. Isso é bom, já que ajuda a encontrar empresas alinhadas ao que você pode oferecer.

As oportunidades são para textos em blog, ebooks, press releases, entre outros. Com relação aos valores, eles podem ser acordados para cada demanda, não existindo um preço fixo.

11. Plataforma Rock Content

A Rock Content trabalha com redatores, revisores, planejadores de pauta e diagramadores. Há várias oportunidades de trabalho, já que são muitas empresas fechando contrato todo mês, o que possibilita a quem quiser ser freelancer em tempo integral.

As vantagens da plataforma começam antes mesmo da inscrição, pois ela disponibiliza alguns cursos gratuitos, indispensáveis para quem pretende entrar nesse mundinho freela.

Para iniciar, é necessário realizar um teste, conhecido como candidatura, na sua área de preferência, como: saúde, marketing digital, educação, beleza, administração, tecnologia da informação, recursos humanos e muitas outras. Basta seguir uma pauta para elaborar um texto curto de 500 palavras.

Depois, os analistas enviam um feedback da sua produção. Caso tenha algo a ser melhorado, a equipe passa um direcionamento para que você faça outras tentativas. Após a aprovação da sua primeira candidatura, você pode se candidatar em quaisquer outras categorias que quiser, o que é bom, pois aumentam as chances de demandas.

Tendo sido aprovado, já é possível fazer parte de times que são compostos por uma quantidade limitada de redatores para cada cliente. Sempre surgem tarefas no dashboard e você pode escolher quais artigos quer produzir.

Além disso, após ser habilitado, é possível participar da nossa Comunidade no Facebook. Lá, reúnem-se freelas e analistas para conversas sérias — como tirar dúvidas e trocar informações —, mas também para um bate-papo mais descontraído, como o famoso e semanal “Boteco dos Freelas”, em que é permitido falar de tudo, menos de trabalho. Apesar da informalidade, o espaço é uma grande inspiração para freelancers.

Quem faz parte da Comunidade ainda tem a oportunidade de descobrir projetos com temas mais diferentes e divertidos, como “produção de vinhos”, “cultura nerd”, “música” ou “costumes indianos”.

Bem, depois dessa lista de 11 sites para trabalhar como freelancer, você já tem ideia de por onde começar? Não se esqueça de sempre manter suas habilidades atualizadas e ficar por dentro de novidades, como as tendências do marketing digital para freelancers ou novos cursos na área, pois isso ajuda você a se destacar dos demais profissionais.

Aproveitando que está aqui, que tal se inscrever na plataforma Rock Content e fazer parte do nosso time?

Comunidade Rock Content - Faça parte da maior base de freelancers do BrasilPowered by Rock Convert