seo básico

SEO básico: tudo o que um redator freelancer precisa saber

Termos comuns de SEO são estranhos para você? Confira tudo que um freelancer deve entender sobre SEO básico!

Muitos acreditam que escrever bem é um dom e, de fato, existem pessoas que realmente conseguem criar textos incríveis com maior facilidade. Mas, como em qualquer outra profissão, basta treino e estudo para desenvolver uma boa melhora em sua produção de conteúdo.

O que alguns redatores iniciantes não sabem é que, quando escrevemos para a internet, muitos fatores precisam ser considerados e um deles é o uso de técnicas de SEO básico durante o desenvolvimento dos textos.

Comigo foi o contrário. Por cerca de 10 anos trabalhei com desenvolvimento Web, em especial para o WordPress. Por conta disso acabei aprendendo muitas técnicas de Search Engine Optimization nos projetos em que participei durante minha carreira.

Hoje vou contar um pouco do que aprendi e como isso ajudou a melhorar meus textos, minhas avaliações na Rock Content e, principalmente, como isso funcionou muito bem nos projetos em que trabalho atualmente.

Saiba como comecei a usar o SEO básico na produção de conteúdo

Um belo dia eu me cansei da vida de desenvolvedor e resolvi trocar de lado. Depois de tanto criar blogs, sites e portais de notícias acabei percebendo o quão legal era produzir conteúdo para outras pessoas.

Ver redatores e jornalistas redigindo textos enormes e embasados com grande velocidade era fascinante! Da minha perspectiva, isso era muito mais complexo do que digitar as linhas de código que costumava criar diariamente.

Comecei escrevendo para blogs de tecnologia, participei de fóruns de discussão sobre assuntos que gostava e isso melhorou muito minha técnica. Uni meus conhecimentos em desenvolvimento com a vontade de ajudar as pessoas e criei um blog sobre Skate, outra de minhas paixões.

Na época, não sabia o que eram personas e tampouco como criar uma pauta. As ideias surgiam em minha cabeça e começava a escrever enlouquecidamente — da mesma forma que comecei a redigir este conteúdo, sinceramente — sem nenhum planejamento prévio.

As únicas coisas muito bem planejadas e criteriosamente aplicadas eram os títulos e — no mínimo — o SEO básico on page e off page. Com isso ganhei a primeira página do Google em todos os textos que escrevi no blog e, inclusive, consegui monetizá-lo com apenas 3 meses no ar.

O tempo se passou, participei de outros projetos e, com a necessidade de aprender mais. decidi me candidatar para uma vaga na Rock Content, em dezembro de 2017.

Nesses 6 meses que estou por aqui melhorei muito meus conhecimentos sobre os mais diversos assuntos e a paixão por escrever aumenta a cada dia. Tanto que hoje me tornei redator do Blog da Comunidade Rock Content!

Este texto mostra que SEO não é nenhum bicho de sete cabeças, provando que qualquer redator — por mais que não entenda absolutamente nada sobre como um sistema de buscas funciona — pode melhorar a indexação de seus textos e deixar muita gente feliz.

Entenda o porquê de textos de 500 palavras

Até o parágrafo anterior, este texto tem exatas 466 palavras. O mínimo necessário para que o Google — e qualquer outro buscador — considere-o relevante é 300 palavras. Muitos especialistas recomendam entre 400 a 600 palavras e realmente esse é o tamanho em que devemos apostar.

Essa quantidade mínima de 300 palavras é ideal para conteúdos noticiosos simples, que são postados rapidamente e não precisam ser alterados com o decorrer dos anos.

Para um conteúdo evergreen — como é caso deste texto — temos que escrever bem mais que isso. É preciso se aprofundar no assunto e passar ao leitor informações relevantes, fazendo bom uso das palavras-chave e criando uma estrutura totalmente escaneável pelo algoritmo de buscas.

Descubra como funciona o algoritmo de buscas do Google

Em 2015, o Google lançou o RankBrain, um componente que usa aprendizado de máquina e inteligência artificial para reduzir a participação humana nas decisões do algoritmo e, principalmente, aumentar a eficiência nas buscas.

Entender realmente como o pensa o algoritmo do Google é uma tarefa difícil, pois ele está em constante evolução e sempre acontecem alterações. Felizmente, muitas particularidades são simples e não mudam há anos e, certamente, isso vai nos ajudar muito a partir de agora. Conheça as principais para considerar ao escrever um texto:

  • use a palavra-chave no título do texto;
  • aposte no uso de palavras-chave no começo, meio e fim do texto;
  • use a palavra-chave ao menos em um intertítulo do texto;
  • crie links internos relevantes;
  • crie links externos relevantes — mas que não comprometam o negócio do cliente.

Se você já é redator da Rock Content com certeza já viu essas orientações nas pautas de conteúdo, certo? Não é para menos, isso é SEO básico e sempre funcionará muito bem!

Existem ainda outros fatores que podem subir ou derrubar um conteúdo no ranking e isso acontece o tempo todo. Um texto que hoje está em evidência numa determinada busca, amanhã pode ter caído algumas posições ou até pulado para outra página de resultados.

O motivo é simples: cada vez mais profissionais estão aperfeiçoando suas técnicas e a qualidade dos conteúdos disponibilizados na internet aumentam todos os dias.

Prefira palavras-chave long tail

Indexar textos com palavras-chave curtas ou não muito específicas é uma tarefa muito difícil. Competir com sites que estão no ar há anos e têm grande relevância nas buscas demanda tempo, estratégia, investimento e, geralmente, não compensa.

É nesse momento que as palavras-chave long tail são ideais para melhorar o posicionamento de um conteúdo.

Este texto é um ótimo exemplo! Imaginem só se o título deste conteúdo fosse apenas “SEO básico”? A quantidade de resultados mais antigos e bem posicionados para competir seria alta. Por esse motivo foi criado um termo composto de mais palavras: “SEO básico: tudo o que um redator freelancer precisa saber”.

Esse é um meio de ser mais específico com o leitor sobre qual é o conteúdo do texto e também para que o algoritmo de buscas possa adicionar ainda mais referências em seu banco de dados.

Se um redator iniciante precisar de ajuda com SEO básico, possivelmente vai encontrar o link para esta matéria nas primeiras posições da busca orgânica.

Evite usar a técnica do clickbait

Esse cara, não seja esse cara! Clickbait é uma das técnicas mais ardilosas e chatas da internet. Os leitores não gostam disso e o Google odeia com mais força ainda!

Também conhecido como “caça-clique”, o clickbait ocorre quando um título tendencioso e/ou polêmico é usado para atrair a atenção dos leitores — e o pior é que geralmente funciona. Ao acessar o site, a matéria não é fiel ao que o título fazia referência.

Um exemplo de título clickbait é o seguinte: “Ela perdeu 25kg em apenas uma semana! Descubra como fazer o mesmo!”. Ao ler esse título, um leitor que precisa perder peso imagina que há uma resposta incrível e inovadora para resolver seu problema.

As suponha que, ao acessar o site, ele descobre que a mulher perdeu todo esse peso depois de fazer uma cirurgia que custa 35 mil reais. Não era isso que ele procurava.

Resumindo: o leitor se deu ao trabalho de acessar um conteúdo e se decepcionou com o que encontrou lá. Tempo foi perdido e, principalmente, o site perdeu credibilidade. Absolutamente nunca faça isso!

Hoje em dia, não apenas o Google, mas também redes sociais como Facebook possuem algoritmos específicos para identificar e punir sites que usam clickbait.

Use as palavras-chave com sabedoria

Este guia de SEO básico serve para que redatores freelancers entendam melhor o SEO básico e possam aplicar técnicas de SEO básico para melhorar o SEO básico em seus textos.

O parágrafo anterior é o melhor exemplo possível sobre o uso errôneo das palavras-chave em um texto. Repeti-las desnecessariamente não vai convencer o algoritmo de buscas que seu texto é relevante, muito menos seus leitores. Eles, principalmente, ficarão entediados com isso.

Elas devem ser colocadas de forma homogênea no decorrer do texto. Em suma, não force a barra. O algoritmo de buscas é extremamente inteligente e tentar enganá-lo vai apenas gerar penalidades ao conteúdo e ao site.

Para melhor contextualizar, temos um guia completo sobre como usar palavras-chave da maneira correta. É um texto mais aprofundado e será de grande ajuda em sua carreira de freelancer.

Outros posts que podem te ajudar!
Marketing de conteúdo para não-marketeiros: entenda
Como usar palavras-chave: escreva para pessoas, não para buscadores
O que a Content Trends 2018 revela para freelancers?
O que é SEMrush: tutorial de como usar e pesquisar palavras-chave!
Análise da Concorrência: 7 passos para desbancar blogs competidores!

Insira links relevantes em seus textos

Links internos — que levam o leitor para outro texto dentro do site — são ferramentas poderosas para melhorar o posicionamento de um conteúdo nas buscas orgânicas, contudo, eles também são usados para outra função: aumentar a permanência do leitor dentro do site.

Quando um leitor passa muito tempo em uma página ou em um site, isso significa que os conteúdos disponibilizados são relevantes para o buscador e é muito bom para reduzir a taxa de rejeição. Lembre-se apenas de usar palavras ou termos que realmente façam sentido e, novamente, não force a barra!

Já com os links externos vale a mesma dica. Use termos relevantes nos links e sempre direcione o leitor para conteúdos bons, em sites que são referências no assunto. Em hipótese alguma envie seu leitor para sites tendenciosos ou que usem fontes desconhecidas.

Um alerta: quando estiver escrevendo para um cliente, nunca faça um link para o site do concorrente, por favor! Isso pode acabar com uma estratégia de inbound marketing e ainda aumentar a relevância do site errado.

Organize o texto com intertítulos

Os intertítulos são úteis para duas coisas: melhorar a escaneabilidade de um texto e também para facilitar a vida do buscador.

Quando redigimos um conteúdo, é importante separá-lo por intertítulos. Principalmente se ele for grande!

Ao selecionar no editor de formatação o estilo “Título 1”, “Título 2” etc., dentro da página serão adicionadas — automaticamente — tags HTML, criando pontos de referência que o buscador vai catalogar e adicionar em seu banco de dados.

Imagine sua pasta de memes e gifs no computador, ela deve ser a mais organizada que você tem. Há pastas e subpastas devidamente categorizados e fica muito fácil encontrar o que precisa, mesmo que esteja arquivado há meses. Uma hora um deles será útil para alguma coisa e buscá-los será uma tarefa fácil.

Acontece exatamente o mesmo no banco de dados do buscador. Muitas vezes os termos usados no título principal do texto não são relevantes para uma busca específica, mas um dos intertítulos pode responder exatamente a uma dúvida que está sendo pesquisada. É nesse momento que seu conteúdo pode — e vai — aparecer em uma melhor posição.

É inviável que o buscador arquive e processe todo um conteúdo de 3000 palavras, por exemplo. Já o título, o intertítulo, as palavras-chave e as estatísticas de acesso podem ser facilmente armazenadas e buscadas em uma fração de segundos quando um termo é pesquisado.

Escreva textos originais

A prática do plágio é algo recorrente na internet. Muitos sites usam esse recurso e nem ao menos referenciam as fontes de onde o conteúdo foi copiado — nesse caso, roubado.

Tentar “ser o espertão” copiando um texto ou apenas parte dele é uma falta gravíssima. Além de antiético, é passível de penalidades pelo buscador.

Seja original e no máximo use outros textos como inspiração. O legal de ser redator é superar o desafio diário de escrever sobre temas variados e no final alcançar resultados positivos aos clientes!

Redija uma boa meta description

Apesar de o Google já ter se manifestado há alguns anos sobre o assunto e afirmar que a meta description não influencia no rankeamento de um conteúdo, é válido lembrar de sua importância nos resultados orgânicos das buscas.

No momento em que um link é exibido em uma página de resultados, várias informações são disponibilizadas ao usuário, uma delas é a meta description. Esse é o “pulo do gato” para convencer o leitor de que, entre muitos outros, o seu é o que possui maior relevância.

Um bom resumo do texto, que contenha as palavras-chave e que chame atenção — sem clickbait aqui também, por favor — vai ajudar muito na tomada de decisão de alguém que esteja em busca de respostas para suas dúvidas.

Quando você trabalhar em algum projeto que solicite a redação de uma meta description, lembre-se de dar a devida atenção a esse ponto e tenha certeza que isso fará grande diferença no resultado final da produção de um conteúdo.

Muito do que foi apresentado neste texto já faz parte do cotidiano de redatores do mundo todo, principalmente na Rock Content, entretanto, alguns ainda não sabiam que já utilizavam técnicas de SEO básico e foi para isso que esta pauta foi criada. Se você já sabia, isso é ótimo, mas ainda é só o começo e temos muito o que estudar. Eu e vocês!

Que tal se aprofundar no assunto e se tornar um profissional ainda mais completo? Pensando nisso é que foi criado o webinar sobre Escrever para SEO e recomendamos a todos que o assistam!