Por Gabriel Sacramento

Redator de Marketing, músico e desenvolvedor.

Publicado em 18/12/2020. | Atualizado em 21/06/2021


SEO básico é fundamental para todo redator. Dominar as principais técnicas de otimização para busca é o caminho para criar melhores textos e alcançar os clientes. Assim, você conseguirá impulsionar sua carreira e se destacar no mercado com ótimos serviços.

Se você deseja otimizar os resultados de marketing na web, você precisa de SEO. Seja você um representante de uma grande empresa, seja um freelancer. As técnicas de otimização para mecanismos de busca devem estar no seu vocabulário e sob seu domínio para que seja possível destacar um negócio online.

Contudo, como SEO envolve muitos conceitos e tecnologias, é importante ter uma boa base. Isso significa que é fundamental assegurar o conhecimento de SEO básico, para o dia a dia, pois isso impulsiona as possibilidades de sucesso.

Afinal, em seu trabalho com redação e produção de conteúdo, você usará SEO em textos da internet a fim de atrair clientes e atender às demandas dos existentes.

Se quiser saber e finalmente se preparar para o mundo digital a fim de alcançar os seus sonhos como freelancer, acompanhe com atenção o nosso guia.

Por que SEO é essencial para os redatores?

SEO é uma sigla para Search Engine Optimization, ou otimização para motores de busca. Trata-se de um conjunto de técnicas que permitem o bom posicionamento de um site em páginas de resultados. Tudo isso de maneira orgânica, sem anúncios. Vamos entender então a importância do SEO para redatores.

Você, redator, estudou bastante, tem suas habilidades de escrita e agora precisa de clientes que paguem pelo que você oferece. Provavelmente já conta com alguns, mas, para alcançar a tão sonhada estabilidade financeira e consistência para se manter, é preciso mais. O SEO é essencial para ajudá-lo nessa questão.

Primeiramente, ele permite que você apresente o seu conteúdo na web e divulgue-o devidamente. O SEO compreende a estratégia dos mecanismos de rastrear o que existe na rede e exibir para pesquisadores quando os termos de pesquisa combinam com as páginas.

Por meio do processo de rastreamento chamado de crawling e indexing é que a sua página ficará visível para todos os usuários da rede que quiserem encontrá-la ou que façam

Com as técnicas de otimização para mecanismos de busca, o produtor de conteúdo é capaz de encontrar os clientes certos na web — aqueles que estão procurando o que ele oferece. Assim, é possível aproveitar o potencial da internet como um espaço para conseguir mais vendas e fazer negócios bem-sucedidos.

Sendo assim, o processo de SEO contribui para o afunilamento dos usuários para potenciais clientes. O mesmo vale para as empresas daqueles que contrataram você para a produção de conteúdo.

Afinal, se não existisse SEO, as pessoas, ao pesquisarem um determinado termo, encontrariam resultados aleatórios. Provavelmente, elas entrariam nos sites para descobrir do que se trata e identificariam em segundos que o material não as interessa.

Efeitos no conteúdo produzido

Nesse sentido, temos dois problemas: a experiência do usuário seria horrível, pois envolveria muito tempo para achar um bom resultado, e a empresa teria muitos acessos de pessoas que nem fazem parte do público-alvo.

Outra grande vantagem de usar SEO está associada à construção de autoridade. Para profissionais freelancers, isso é muito importante, pois a autoridade é um dos fatores que levam clientes a contratarem seus serviços.

Usar as boas práticas de otimização para busca é imprescindível para que qualquer administrador de site ou blog consiga estabelecer o seu domínio como relevante e confiável.

Além disso, o SEO também ajuda a otimizar a experiência dos visitantes. Os aspectos que são considerados relevantes para essa otimização atualmente estão diretamente ligados à satisfação de quem acessa um site. Por isso, se você trabalhar bem esses aspectos, vai garantir boas impressões para quem entra no seu domínio.

Como já falamos brevemente na introdução: SEO é um combustível para sua carreira e para a qualidade dos seus trabalhos. Ou seja, ele ajudará a encontrar clientes qualificados, além de melhorar os seus trabalhos para os que já existem.

Vale a pena ressaltar outros pontos acerca da otimização para motores de pesquisa:

  • fácil de mensurar, pois envolve uma série de indicadores que podem ser analisados facilmente;
  • é menos custoso que anúncios pagos;
  • traz resultados consistentes em termos de aumento de visitas, de conversões e de negócios.

Mesmo o SEO básico já é extremamente útil para usar nas produções do dia a dia. São conceitos que não podem passar despercebidos. Com o tempo, é possível se aprofundar também para garantir ainda melhores resultados.

Quais são os pontos principais para aprender sobre SEO?

Agora, vamos passear pelos conceitos mais importantes e os fundamentos do SEO. Vamos começar com alguns temas periféricos de extrema importância, depois, adentraremos nos conceitos propriamente ditos.

Marketing de Conteúdo

Marketing de conteúdo é o nome dado para o conjunto de estratégias para planejamento, produção e distribuição de valor em forma de conteúdo. Aqui, isso envolve diversos formatos: texto, áudio, vídeo, infográficos, ebooks, quizzes etc.

A partir desse processo de criação de valor, as empresas conseguem atrair clientes e vender melhor para eles. Isso também engloba outros recursos, como email marketing e marketing em redes sociais.

O SEO atua principalmente na parte de distribuição do conteúdo que é criado. As técnicas de otimização permitem que as publicações alcancem as pessoas certas, por meio dos buscadores, como já vimos. Contudo, para isso, é preciso ter cuidado desde a etapa de planejamento, com pesquisas de palavras-chave, por exemplo.

Inbound Marketing

Outro conceito extremamente relevante é o Inbound. Trata-se do marketing de atração, conceito criado pela Hubspot, gigante do mercado de marketing digital. Isso envolve estratégias para atender às demandas do consumidor atual, que é fortemente digital, com mais autonomia e que não é mais afetado por abordagens incisivas e diretas de marketing.

Diferentemente do Outbound, o Inbound concentra-se em abordagens no mundo online. Além disso, foca em atrair e fidelizar o cliente a partir de uma iniciativa dele, e não o contrário. Tudo começa justamente com as pesquisas em mecanismos de busca — onde entra o SEO.

Funil de vendas

Outro conceito importante: o funil de vendas. É uma representação gráfica do processo linear pelo qual passam visitantes e potenciais clientes de uma empresa que trabalha com Inbound e Marketing de conteúdo. É como uma jornada.

Tudo começa no topo, onde prospects acessam posts mais gerais, que buscam informá-los sobre o problema que eles têm e não sabem que têm.

No meio do funil, estão as pessoas que pesquisaram mais e entenderam que precisam de uma solução. Nessa etapa, eles consomem conteúdos acerca de possíveis estratégias para resolver suas dores.

Na fase do fundo do funil sobram menos pessoas ainda. As que chegam tão longe são aquelas que já sabem das soluções e querem efetivamente contratar alguma empresa — ou algum freelancer. Essa é a fase da decisão efetiva de compra.

Esse pode parecer um conceito dissociado da ideia do SEO, mas não é. Cada termo de pesquisa pode ser classificado como parte de um dos estágios do funil. Então, a otimização envolve ajustar os conteúdos devidamente a esses estágios.

Buyer persona

Outro conceito que vale a pena frisar é o de buyer persona. É uma definição clara e específica do perfil ideal do cliente, com as características psicográficas dele. Ou seja, é mais completo que o público-alvo, que define apenas intervalos e características vagas. A sua persona tem nome, hábitos, sonhos e problemas que podem ser resolvidos.

Quando falamos em SEO, a buyer persona será a pessoa que buscará no mecanismo uma determinada combinação de termos e encontrará o conteúdo. Por isso, os esforços do marketing de conteúdo e do inbound são voltados para essa pessoa ideal. O objetivo é atraí-la com publicações específicas de acordo com o estágio do funil em que ela se encontra.

Criando conteúdos para sua persona: tudo que você precisa saber

Crawling, indexing e ranking

Vamos entrar agora no funcionamento dos algoritmos do principal mecanismo de pesquisa da internet, o Google. Por mais que SEO seja um conjunto geral de técnicas, é evidente que a maioria das abordagens serão voltadas ao motor que é mais utilizado.

No Google, existe um robô que faz o crawling das páginas na internet. Essa ação consiste em varrer toda a rede, de página em página, por meio dos links. O objetivo é identificar quais são os sites da web e trazê-los para o banco de dados do Google. Ou seja, a partir dessa funcionalidade, o buscador realiza a indexação, que é tornar um website disponível para ser encontrado quando houver match com as pesquisas.

Portanto, são os algoritmos que realizam a tarefa de rankeamento dos sites. Isto é, a classificação dos domínios é feita de acordo com as pesquisas dos usuários. Lembra da página de resultados (também chamada de SERP)? Nela, existe a sequência determinada pelo ranking do buscador. Nas primeiras posições, estão os resultados com mais chances de ganharem cliques. Por isso, existe uma forte concorrência por elas.

Em suma, nós aplicamos SEO para que o conteúdo alcance justamente as primeiras posições no ranking. Para esse rankeamento, o Google considera vários aspectos, tais como relevância do conteúdo, autoridade do domínio, usabilidade, experiência do usuário, uso das palavras-chave pesquisadas, responsividade etc.

Sempre que um termo é pesquisado no motor de busca, o sistema procura entre as páginas de seu índice quais são melhores para responder àquela determinada questão. Então, o resultado dessa pesquisa, em forma de lista ranqueada, é exibido.

Pesquisa de palavra-chave

Dentro da fase de planejamento do Marketing de Conteúdo há uma tarefa importantíssima: a pesquisa de palavra-chave (keywords), que é a definição para os termos pesquisados pelos usuários nos motores de busca. Esses termos devem ser usados estrategicamente nos conteúdos que falam sobre isso para que os posts sejam bem-ranqueados.

Na etapa de pesquisa, os redatores descobrem quais assuntos podem ser mais relevantes para atrair a persona. Existem, porém, alguns aspectos que merecem atenção.

Um deles é o tamanho da palavra-chave — ele diz muito. Se usuários buscam por expressões maiores (três ou mais palavras), as chamadas palavras-chave long tail, pode ser o sinal de que eles estão mais próximos da compra e sabem mais sobre o problema. Por outro lado, termos menores, as short-tail, tendem a ser mais gerais, como em guias sobre um assunto.

Por exemplo, pesquisar “cursos online grátis de marketing digital” não é o mesmo que pesquisar “marketing digital”. A primeira palavra-chave denuncia que o usuário deseja se inscrever em algum curso e está próximo de fazer isso. O segundo termo geralmente indica que o leitor quer um guia para aprender mais sobre esse tema.

Para não ignorar

Outra questão sobre as keywords é a relevância. Na hora de procurar quais serão usadas nos conteúdos, é importante atentar para a importância daquele tipo de pesquisa para o negócio em questão. Nesse sentido, pense sempre nas necessidades da persona e no funil de vendas.

Além disso, é fundamental olhar para o volume de buscas e para a competição sobre uma keyword. O volume de busca é o número de vezes que as pessoas pesquisam aqueles termos em um dado período. A competitividade é definida pelo número de empresas tentando ranquear para aquela palavra-chave.

Geralmente, short-tails são mais disputadas. Contudo, em alguns casos, investir em long-tails pode ser mais lucrativo, pois elas conectam o conteúdo com as pessoas certas.

Intenção de busca

A intenção de busca está associada às palavras-chave que são utilizadas. Contudo, é a definição exata do que o cliente desejava com aquela pesquisa.

Existem três tipos de intenção:

  • informacional, que geralmente é uma dúvida que precisa de resposta pontual;
  • navegacional, que endereça o usuário para um site direto;
  • transacional, relacionada com o desejo de compra.

Na informacional, o cliente pode mostrar sinais de que quer saber mais sobre um assunto, como no topo do funil. Na navegacional, ele usualmente está querendo saber mais sobre a empresa. Já na transacional, está de fato procurando comprar, como no fundo de funil. É importante atentar para as palavras-chave que representam essas intenções e criar conteúdo específico para satisfazer essas necessidades.

On-Page SEO

On-Page SEO é o conjunto de técnicas e especificações feitas dentro do site para alcançar melhores resultados nas páginas de resultados. Veja abaixo.

  • título: elemento mais importante do On-Page. Resume sobre o que é a página e apresenta a palavra-chave principal;
  • header tags: definem subdivisões do conteúdo para facilitar a leitura. A recomendação é que um deles contenha a palavra-chave;
  • links internos: os links são as conexões para outras páginas do site. Devem ser feitas em termos relevantes para reforçar o SEO e gerar valor para o leitor;
  • atributos de imagens: é sempre recomendado descrever bem as imagens;
  • meta descrição: resumo do conteúdo que aparece nas SERPs logo abaixo do título;
  • URL: endereço da página propriamente dito, disponível na barra de endereços. Deve sempre conter a palavra-chave.

Escaneabilidade e qualidade do conteúdo

Com relação à escrita, existem alguns aspectos específicos de SEO também. Um deles é a escaneabilidade, que diz respeito à formatação do post, pensando em artigos comuns. O ideal é que os textos envolvam frases simples, parágrafos curtos e trechos em negrito — esses elementos facilitam a leitura rápida, com os olhos “escaneando” a página.

Outro fator é a qualidade do conteúdo. Ou seja, para a otimização nos motores de busca, é importante que os textos sejam bem escritos e contenham informações relevantes para o leitor. Isso inclui não haver erros de gramática e ortografia, e ser completo de acordo com a keyword principal, o estágio do funil e a persona.

Off-Page SEO

Se existe On-Page SEO, evidentemente existe também o Off-Page, que encapsula as otimizações feitas fora da página. Esse não seria um bom manual de SEO básico se não falássemos dele.

Uma das ações é o guest posting. Essa estratégia consiste em estabelecer uma parceria com outros produtores ou empresas. Por meio desse recurso, você publica conteúdos nos blogs deles e faz links com posts do seu blog. Geralmente, isso envolve uma troca de posts: você publica no site do parceiro, ao passo que ele publica no seu.

Entender SEO básico é o que se espera de todo redator freelancer de marketing. É fundamental que ele domine os conceitos que apresentamos e saiba usar a otimização para motores a seu favor. Dessa forma, poderá alcançar melhores resultados na atração de clientes e otimização da estratégia dos seus clientes existentes.

Gostou do nosso guia? Continue estudando o assunto! Entenda as principais técnicas de SEO para redatores.

Posts populares com esse assunto

Os comentários estão desativados.