Por Samanta Jovana

Redatora da Comunidade Rock Content.

Publicado em 27/04/2018. | Atualizado em 06/06/2018


Você já escutou alguém dizer que o Google está cada vez mais semântico? Vamos explicar o porquê dessa frase!

Torne-se um especialista em produção de conteúdo!Powered by Rock Convert

Semântica é o estudo do significado das palavras e frases. Dentro da linguística o papel da semântica é explicar exatamente como nos expressamos e definir as palavras mais apropriadas para que isso seja feito. Existem outros significados para semântica, mas como redator freelancer é imprescindível que você conheça o que essa palavra quer dizer em contraponto com a sintaxe.

Sintaxe no português é como estruturamos as frases e criamos padrões de expressão. A semântica, por outro lado, é quais palavras utilizamos para dar significado às nossas mensagens. Ela pode ser alterada conforme criamos diferentes composições sintáticas.

Quer explorar a semântica de uma maneira diferente da que estudou no colégio? Continue a leitura para ver algumas dicas de como dominar esse aspecto da produção textual.

Explore os sinônimos para arrasar na redação web

Sempre que falamos em escrever para a internet levantamos o quanto é importante entender sobre SEO. Search Engine Optimization é o que garante que as páginas apareçam bem colocadas no Google e, consequentemente, pode aumentar o valor de um texto dentro da estratégia do cliente.

Mas, para dominar SEO, você não precisa apenas entender como inserir palavras-chave em um texto: a semântica pode ajudá-lo.

Afinal, é essa a disciplina da língua portuguesa que lida com coisas como sinônimos e antônimos. Se você se lembra bem das lições que viu no colégio sabe que sinônimos são todas aquelas palavras que têm o mesmo significado de outras e que antônimos são as que representam o contrário de uma ideia.

Porém você sabe como sinônimos podem ajudá-lo em termos de SEO?

Os algoritmos de buscadores, como o Google, são inteligentes e conseguem reconhecer a credibilidade, veracidade e relevância de um texto partindo de uma série de critérios. Um desses critérios é a utilização de sinônimos na construção textual. Digamos que você esteja falando sobre computação em nuvem.

Usar o termo repetidas vezes pode fazer com que o mecanismo de busca entenda seu texto como spam. Como fugir disso e ranquear bem nos resultados dele? Utilizando sinônimos.

Nessa hora termos como “cloud computing”, “computação nas nuvens” e outros podem ajudá-lo a tornar a leitura menos maçante e obter um desempenho melhor no serviço de buscas. Experimente!

Torne redações mais ricas utilizando conotação e denotação

Sabe quando utilizamos uma palavra no sentido figurado? Estamos realizando uma conotação, ou seja, empregando-a de forma diferente do que encontramos nos dicionários. Dessa forma damos margem a outras interpretações e permitimos que o nosso leitor chegue às suas próprias conclusões.

Em textos mais técnicos pode ser inadequado utilizar conotações, mas quando você estiver fazendo uma redação com toques pessoais essa é uma maneira de torná-la mais interessante. Do mesmo modo, denotações tem um papel fundamental na linguística.

Chamamos assim aqueles termos que significam o que eles significam. Ou seja, que não podem ser explorados para além das suas acepções no dicionário. Redações de caráter técnico, tutoriais e outras postagens que não podem gerar dúvidas ficam melhores quando a denotação é a escolha do autor.

Evite a ambiguidade sempre que possível

É uma característica da redação para a web a necessidade de criar conteúdos certeiros. O que significa que, na maioria das vezes, a ambiguidade não é exatamente nossa amiga.

Todavia no português é a semântica que fica a cargo dessa questão, portanto, para evitar a falta de clareza você deve se atentar ao significado das palavras que escolhe para compor uma redação.

O pronome possessivo de terceira pessoa (seu, sua) pode causar muitos probleminhas. Pense na frase abaixo:

  • Jair disse ao amigo que sua encomenda havia chegado.

É impossível saber de quem é a encomenda, certo? Ficar de olho nas construções e nos seus sentidos vai ajudá-lo a evitar situações como a supracitada. Faça sempre o possível para que uma interpretação errada não seja possível dentro da ideia proposta.

Entenda ambos hiponímia e hiperonímia

Essas palavras complicadas (hiponímia e hiperonímia) não são o bicho de sete cabeças que você imagina. Contudo, são parte importante da semântica e vão lhe ajudar a arrasar daqui pra frente nos seus textos.

Hiponímia é quando utilizamos uma palavra para atribuir sentido específico. Hiperonímia quando escolhemos um termo por ser genérico. Ou seja, elas vêm muito a calhar quando estamos explicando alguma coisa para o nosso interlocutor.

Em alguns momentos você precisará compreender temas mais abertos e a hiperonímia garantirá que o leitor entenda isso. Digamos, por exemplo, que você afirme que todos os mamíferos têm glândulas mamárias.

Todavia, em outros momentos, será preciso abordar algo muito específico. Como o fato de que apenas os ornitorrincos são mamíferos aquáticos que botam ovos. Referir-se a eles apenas como mamíferos abre a interpretação para incluir muitos animais que não se encaixam no tema e é um equívoco semântico.

Lembre-se de hiponímia e hiperonímia para garantir que a mensagem enviada pelos seus textos é a mais adequada.

Não se esqueça da polissemia

Quando uma palavra significa um bocado de coisas ela é polissêmica. Essa característica faz com que seja preciso inferir, a partir de um contexto, o significado dela. Nunca deixe isso de lado na hora de construir frases, parágrafos e redações inteiras.

Caso contrário você corre o risco de não se fazer entender e é isso que estamos buscando evitar ao estudar semântica. Se a palavra “manga” se refere à fruta ou ao pedaço de uma camisa apenas saberemos porque temos outras informações para nos auxiliar. Isso acontece também com termos como “braço” e muitos outros.

Então, para garantir o melhor resultado possível do ponto de vista semântico, certifique-se de que suas redações não deixam espaço para que a polissemia cause confusão. É isso que vai garantir que elas são compreensíveis e lhe renderá um ótimo feedback de revisores e clientes.

De certa forma, a semântica é intrinsecamente conectada à semiótica. Essa disciplina da comunicação, muito importante para os profissionais de marketing, lida com fenômenos culturais (como a linguística) e os interpreta como signos. Ela vai além da semântica porque adiciona camadas de análise sobre a acepção que temos das palavras.

Quer se tornar um redator ainda melhor? Confira o Guia de Português e Gramática Para Web e veja algumas das principais dicas que preparamos para ajudá-lo!

Guia de Português e Gramática para Produção de Conteúdo Web

Posts populares com esse assunto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *