SCORM

O que é SCORM e como isso funciona em um curso online?

A palavra SCORM é uma sigla da expressão em inglês Shareable Content Object Reference Model, que em português significa: Modelo de Referência de Objeto de Conteúdo Compartilhável. Aprenda a aplicar esse conceito em cursos online!
Torne-se um especialista em produção de conteúdo!Powered by Rock Convert

Você já ouviu falar em algum lugar sobre SCORM?

Bom, se você está pesquisando para saber mais sobre plataformas de ensino a distância, como criar um curso online ou métodos de treinamento online, provavelmente já se deparou com esse termo.

A palavra SCORM é uma sigla da expressão em inglês Shareable Content Object Reference Model, que em português significa: Modelo de Referência de Objeto de Conteúdo Compartilhável.

Quando um material produzido é disponibilizado online, provavelmente, ele seguirá o padrão SCORM.

Isso acontece porque o SCORM faz com que o conteúdo seja mais fácil de universalizar. Ou seja, ele cria uma padronização para diferentes plataformas LMS (Learning Management System).

Então, para que não restem dúvidas do que é o SCORM, vamos explicar neste post tudo o que você precisa saber sobre esse padrão de normas técnicas para conteúdos de produtos digitais.

O que é LMS?

Antes mesmo de começar a falar sobre SCORM, é muito importante que você entenda o significado de LMS.

Isso porque, para entender o SCORM, você precisa saber em qual ambiente ele funciona, que são as plataformas de ensino e aprendizagem online.

Como dissemos no início, Learning Management System, ou Sistema de Gestão de Aprendizagem (em português) é a ferramenta que facilita o processo de ensino e aprendizado a distância.

Sem um LMS é impossível para o professor disponibilizar todo seu conteúdo e, para o aluno, ter acesso a esses materiais para poder estudar.

Assim como em uma aula presencial você tem o espaço físico para transmitir o conhecimento, no ensino a distância, o LMS cria um espaço online para alunos e professores interagirem.

Agora que você entendeu o que é LMS, vamos explicar como surgiu o SCORM.

Como surgiu e como funciona o SCORM?

O SCORM começou a ser desenvolvido em 1999, pela ADL (Advanced Distributed Learning), depois de uma solicitação do Departamento de Defesa dos Estados Unidos.

Na época, por um decreto de Bill Clinton, então presidente do país, começou a criação desse padrão para desenvolvimento e distribuição de conteúdo oficial online.

O objetivo dos estadunidenses com o projeto era o de criar cursos preparatórios para os seus exércitos.

A importância e a necessidade era tão grande que, logo que o SCORM foi finalizado, todas as agências federais dos Estados Unidos passaram a usar os programas que seguem o padrão.

No início dos anos 2000, era bem mais caro e difícil migrar conteúdos online de uma plataforma para a outra.

Por exemplo:

O conteúdo online hospedado em uma LMS X, no formato de vídeo, não tinha garantia que rodaria na LMS Y. Isso dificultava a distribuição desses conteúdos.

Portanto, o SCORM foi desenvolvido para solucionar esse problema.

Qual foi a solução encontrada?

A solução encontrada e desenvolvida foi um conjunto de padrões técnicos pré-estabelecidos para os produtos de aprendizagem digital.

Sendo que essas normas permitem que os cursos online tenham uma comunicação eficiente com a maioria das plataformas LMS.

Se você já acessou alguma plataforma de ensino a distância, deve ter percebido que há uma variedade enorme de dados dos alunos.

Todos esses dados, que tratam sobre o desenvolvimento de cada aluno do curso, provavelmente são geridos a partir do SCORM e armazenados pela plataforma LMS.

Como o SCORM é implementado em um curso?

Então, se esse modelo de referência melhora a eficiência da parte técnica do curso online, como implantá-lo no curso?

Acontece que o SCORM não é uma metodologia didática ou tecnológica aplicada no curso online. É a padronização dos arquivos dentro da plataforma que hospeda o curso.

O padrão que o referencia são feitos pelos desenvolvedores responsáveis por cada plataforma de e-learning.

Ainda assim, para quem está inserido no mercado digital, é interessante conhecer o SCORM.

Saber como o padrão foi desenvolvido é útil para a hora de escolher a melhor plataforma LMS para hospedar seu conteúdo ou até mesmo para assistir aulas online.

A verdade sobre o SCORM atualmente

Entendemos que o SCORM surgiu da necessidade de padronizar as plataformas de ensino a distância que começavam a aparecer no início dos anos 2000.

Porém, você precisa saber que já existem soluções mais completas no mercado atualmente e, como você já deve ter visto, existem inúmeras soluções para comprar e vender cursos online.

Inclusive, a maioria das área de membros que conectam alunos e professores foram desenvolvidas com inspiração no SCORM.

Entretanto, a maioria das plataformas EAD modernas não utilizam necessariamente todas as regras de compliance dessa padronização.

Explicamos o motivo:

Cada plataforma oferece soluções que são específicas para o público que querem atingir. E essas especificidades nem sempre vão de encontro ao que o SCORM propõe.

Apesar de já ter havido atualizações na padronização, algumas tecnologias já superaram as soluções que foram propostas pelo SCORM. Isso explica o motivo pelo qual a versão mais recente teve menos adoção.

Por exemplo:

O principal objetivo do SCORM, que era de administrar o contato entre o conteúdo e a plataforma LMS, já é uma solução oferecida na maioria das plataformas EAD.

É aí que surge uma grande desvantagem dessa padronização, que vamos mostrar a seguir.

Métodos propostos limitados em relação às soluções atuais

O SCORM propõe uma solução limitada para acompanhar o comportamento do aluno que adquiriu um curso online.

Ou seja, esse sistema acaba focando mais em identificar quem são os alunos e qual o rendimento de cada um na avaliação.

Atualmente, o ideal nesses casos é poder rastrear mais informações sobre o comportamento do usuário dentro da plataforma.

  • Qual nota o aluno dá para aquela aula?
  • Onde o aluno pode abrir discussão sobre o conteúdo com os demais participantes do curso?
  • Que outros materiais o professor pode disponibilizar para os alunos e onde colocá-los para que todos tenham acesso?

Indo mais além, o SCORM compartilha os objetos de estudo em flash, e essa funcionalidade ainda não é suportada em todos dispositivos móveis. Isso pode atrapalhar a experiência do usuário no curso.

Ter métodos limitados acaba tornando o SCORM pouco flexível para oferecer as características que contribuem com o engajamento dos usuários.

O que uma boa plataforma online deve ter?

Dinamicidade, segurança, interatividade, design amigável são bons exemplos do que um aluno espera de uma plataforma EAD.

Portanto, na hora de escolher em qual plataforma incluir videoaulas de um curso que você queira criar ou até mesmo escolher uma plataforma para um curso que você deseja comprar, a sugestão é não se preocupar tanto com a padronização do SCORM.

Você deve estar pensando: falamos sobre tudo isso para, ao chegar no final, descobrir que o SCORM não é tão importante assim?

A verdade é que é importante você entender como funciona essa padronização e os motivos que fizeram ela existir. Afinal, esse é o princípio do que conhecemos agora como plataformas para ensino a distância.

Ao conhecer melhor sobre SCORM, você consegue então entender porque mais importante do que escolher uma plataforma que tenha um Modelo de Referência de Objeto de Conteúdo Compartilhável é escolher aquela que tenha vantagens tanto para o aluno quanto para o professor.

Assim, você consegue optar pela plataforma que oferecerá a melhor experiência para você, independentemente de seu papel.

Uma boa LMS é aquela que tem:

  • Layout customizável, para o professor deixar o curso com a identidade visual que ele quiser;
  • Design responsivo, para que o aluno consiga acessar o material com qualquer dispositivo com acesso à internet que ele tiver;
  • Fácil de utilizar, tanto para o professor; que precisa configurar suas aulas, quanto para o aluno, que precisa acessar o conteúdo;
  • Suporte para todos os usuários, sejam eles produtores de conteúdo ou compradores dos cursos;
  • Meio de pagamento seguro;
  • E muito mais.

Essas são apenas algumas das funcionalidades que você precisa procurar na hora de escolher uma plataforma para fazer ou criar um curso online. Mas se você quiser entender ainda mais sobre isso, separamos um texto que mostra os recursos principais de uma plataforma EAD.

Confira!