Por Mateus Pimenta

Redator e revisor web, leitor profissional e aspirante a Jedi consular.

Publicado em 28/08/2019. | Atualizado em 23/08/2019


De tanto revisar, o freela acumula experiência e começa a lapidar suas noções de qualidade de texto para a web, o que o coloca em condições de ajudar redatores a se desenvolverem. Mas, como o revisor pode fazer isso de uma forma mais, digamos, humanizada?

Se você é redator, talvez já tenha recebido notas e feedbacks que o deixaram chateado. Por outro lado, se você é revisor, certamente sabe como é desafiador corrigir erros e ainda apontá-los de forma respeitosa e, ao mesmo tempo, instrutiva.

Os freelancers da Rock têm bastante liberdade no trabalho. Os redatores, por exemplo, recebem uma pauta e podem desenvolver um conteúdo usando, além de referências, a imaginação! Poder extravasar a criatividade dessa forma é uma delícia, não é verdade?

Os revisores também têm uma boa autonomia. Afinal, podem ajustar o texto conforme acham necessário e têm a liberdade de definir a nota que o redator merece, além de redigir um feedback. Acontece que nessa etapa talvez apareçam diferenças de opinião.

Por isso, vamos conversar um pouco sobre o trabalho de revisar? O objetivo deste artigo não é criar regras — até porque eu não tenho o direito de estabelecê-las, né? —, mas apresentar um ponto de vista que pode contribuir muito para a atuação em conjunto de redatores e revisores.

Por isso, leia com bastante atenção e mente aberta, tá bem?

Qual é a missão do revisor?

Podemos dizer que essa missão é dupla. Veja o que se espera dele.

Entregar um conteúdo perfeito — ou quase! — ao cliente

Fazendo pesquisas cuidadosas e colocando a criatividade para trabalhar, o redator consegue entregar um conteúdo original e bem escrito.

Quanto ao revisor, está tão acostumado a encontrar erros que consegue encontrá-los até em textos praticamente impecáveis! Isso faz parte da experiência que é adquirida à medida que se exerce a profissão.

Depois de fazer os ajustes necessários, o conteúdo segue para o analista, que talvez faça mais alguma alteração. Ou seja, todos nós queremos que o conteúdo chegue excelente ao cliente.

Ajudar o redator a se desenvolver

Sabe quando um familiar mais velho diz a um jovem: “não faça desse jeito porque você vai se dar mal”? Por que a pessoa consegue dizer isso com tanta segurança? Por causa da experiência, já que ela viu muitas pessoas se darem mal em uma situação parecida.

Algo semelhante acontece no trabalho do revisor. De tanto revisar, ele acumula experiência e lapida suas noções de qualidade de texto para a web, o que o coloca em condições de ajudar redatores — até mesmo os mais experientes — a se desenvolverem.

Por isso, esta responsabilidade ficou para o revisor: conversar com o redator sobre o que pode ser melhorado no trabalho dele.

O que deve ser levado em conta ao atribuir uma nota?

Quando eu trabalhava nos Correios, eu recebia anualmente os funcionários do IPEM — Instituto de Pesos e Medidas. Eles visitam as agências, assim como qualquer outro estabelecimento comercial que tenha balanças, para aferi-las.

Eles pegam um peso padrão que pesa 5 Kg, por exemplo, e colocam sobre a balança para verificar se ela indica o peso correto. Mas imagine que, ao colocar esse peso padrão sobre a balança, ela indicasse 5,1 Kg ou 4,9 Kg. Provavelmente ela seria interditada e a agência multada. Para resolver esse desvio, a solução seria calibrá-la.

Se você é revisor, será que seu sistema mental de atribuição de notas está calibrado? Será que a sua balança da avaliação pode estar indicando 8 ou 9 para um texto que pesa 10? A única pessoa que pode fazer a calibração é você.

O bom é que nós temos uma espécie de IPEM que nos ajuda a aferir nossa balança da avaliação: a comunidade de freelas. Se um ou outro redator se queixar do nosso trabalho, talvez o problema não esteja em nós.

Por outro lado, o que podemos concluir quando vários freelas estão questionando nossos critérios? Nesse caso, uma mente aberta nos levará a considerar a possibilidade de não estarmos trabalhando direitinho. Faz sentido para você?

Mas, levando em conta a liberdade que você tem no seu trabalho, não haverá multas, nem interdição no caso de essa calibração não ser feita. Entretanto, avaliações incorretas podem prejudicar a sua imagem e afetar negativamente os sentimentos do redator — falaremos sobre isso ao conversarmos sobre feedbacks.

A seguir estão alguns critérios que podem ser usados nessa calibração.

Considere a possibilidade de conteúdos imperfeitos merecerem 10

Corretores ortográficos e gramaticais não indicam todos os erros e, às vezes, até apontam coisas certas como se estivessem erradas. Nesses casos, somente a leitura atenciosa de um ser humano pode bater o martelo e dizer o que está certo e o que está errado.

A experiência do revisor ajuda muito nessa hora. Afinal, ele revisa quantos textos por dia? E está em contato com o trabalho de quantos redatores diferentes? Quanto ao redator, será que lida com tantos conteúdos assim?

Ao considerar esses fatores, cheguei à seguinte conclusão: se eu definir que só vou dar 10 para textos perfeitos, será que isso não é falta de razoabilidade? Por isso, decidi considerar que pequenos erros não são suficientes para fazer um texto deixar de merecer 10.

Mas veja algo interessante: sabia que eu não sou o único a pensar assim? Note o que um analista escreveu no blog da Rock:

“Espera-se que os redatores não errem muito nesse quesito, mas considerando que eles podem produzir muitos textos diariamente, é melhor esperar que problemas ortográficos surjam em maior ou menor escala.”

Sim, erros acontecem e um redator só pode produzir um texto perfeito na medida do possível.

Considere a possibilidade de problemas pessoais justificarem erros

É verdade que todos nós temos metas, somos cobrados de todos os lados e precisamos entregar uma trabalho de qualidade. Isso pode nos levar a concluir que problemas pessoais não justificam erros nos conteúdos que produzimos.

Entretanto, você já teve a oportunidade de ver o código de cultura da Rock Content? O sétimo valor é este:

“Importar — importamo-nos com nossos clientes, colegas e espaços.”

Por isso, que tal importar-se com o redator e levar em conta que certos erros podem ocorrer por causa de uma infinidade de motivos? Afinal, certas circunstâncias podem prejudicar a concentração dele. Concorda que adotar esse e os outros valores nos torna profissionais e seres humanos melhores?

Compare o peso dos erros com tudo o que está certo no conteúdo

Uma revisão de um conteúdo web leva em conta muitos elementos, não é verdade? Além disso, esses elementos ainda podem ser subdivididos. Quer um exemplo?

Pense na gramática. Não sua opinião, que peso ela tem na qualidade de um texto para a web? Uns 15%? Quem sabe 20%? Talvez você considere que ela tem um peso de 25%.

Mas não se esqueça de que há outros elementos essenciais, como a relevância e a qualidade do conteúdo, a escaneabilidade do texto, a adequação à persona, e por aí vai.

Agora que você atribuiu um peso à gramática, qual é o peso de algumas vírgulas dentro do universo quase infinito chamado sintaxe? E quanto a alguns pequenos erros relacionados com o uso do hífen, acentuação e concordância?

Quando ocorrem de forma isolada, será que essas falhas são suficientes para diminuir a nota do redator em 10%, de forma que ele mereça só 9? Na minha opinião, não, porque a conta não bate.

Por isso, tente atribuir um peso a cada detalhe que está sendo avaliado e compare o erro com tudo que ficou bom no texto.

Como dar um bom feedback?

Além de eliminar erros do texto, o revisor também tem a responsabilidade de usar o feedback para ajudar o redator a crescer. Vamos ver alguns princípios que podem ser levados em conta?

Mostre onde o redator está mandando bem

No curso Revisão de Conteúdo para Web, no tópico Avaliação e Feedback, o Arthur Minoves explica que o revisor deve mostrar onde o redator está mandando bem. Já pensou nos motivos disso?

Essa é uma forma de indicar o que deve ser mantido no trabalho. Mas, além disso, elogios simplesmente fazem bem. Existe um provérbio que diz o seguinte: “não deixe de fazer o bem se estiver ao seu alcance ajudar”. Já pensou em como é interessante adotar esse valor para si mesmo?

Embora não sejamos obrigados a fazer isso, viver com essa ideia em mente nos ajuda a manter bons relacionamentos na família, na escola e no trabalho.

Elogios sinceros têm um poder fantástico de ajudar uma pessoa a recuperar as forças para continuar dando conta de todas as responsabilidades da vida. Você pode, sem gastar nada, nem ter trabalho a mais, ajudar seu colega a ter um dia ou até uma semana melhor! De quebra, isso ainda faz você ser bem lembrado.

Percebe o seu poder? Você pode dar forças a outro freela para ele lidar melhor com os problemas pessoais ou acrescentar um peso a mais no dia ou na semana dele. Deveras, o sábio tinha razão quando disse que “com grande poder vem uma grande responsabilidade”.

Demonstre respeito

O sexto valor da Rock diz o seguinte:

“Confiar — confiamos na Rock, nos colegas, nos parceiros e nos demais envolvidos no nosso propósito.”

Já pensou no significado e na aplicação disso? Confiar envolve acreditar que todos estão dando o melhor sempre. Por isso, precisamos ter em mente que os redatores estão fazendo o melhor que podem.

Assim, precisamos ter cuidado para que nossos comentários não deem a entender que o redator não sabe coisas básicas. Por exemplo, todos sabem muito bem que devem usar um corretor ortográfico e reler o texto antes de entregá-lo.

Quando o revisor diz: “revise o texto antes de entregá-lo” ou “use um corretor ortográfico”, sabe como isso soa? Soa assim: “você podia se esforçar mais” ou “você erra porque não está fazendo a sua obrigação direito”.

É claro que não é isso que o revisor quer dizer, mas a comunicação escrita tem suas limitações e, dependendo do que escrevemos, podemos passar uma ideia bem diferente daquilo que intencionávamos.

Seja cordial

Quando conversamos pessoalmente com alguém, nossa linguagem é muito completa. A fala, a postura, os gestos, as expressões faciais e o tom da voz se unem para transmitir o que queremos — e mesmo assim talvez ainda surjam mal-entendidos.

Em uma conversa por telefone, por exemplo, nosso interlocutor não vê nossa postura, nossos gestos e nossas expressões faciais. Entretanto, o tom da voz ajuda bastante a comunicar a ideia de forma correta.

Por outro lado, o que podemos dizer da comunicação escrita? Requer habilidade transmitir não só um conteúdo, mas também um tom. Não é interessante que o tom, mesmo estando relacionado com o som, possa ser transmitido por meio de um texto?

Dessa forma, é essencial demonstrar cordialidade, já que essa qualidade é uma das mais bem valorizadas no caso do revisor. Já que é assim, como se faz para demonstrar cordialidade na escrita?

Tente transmitir seu tom de voz por meio de palavras bem escolhidas. Da mesma forma que alguns projetos pedem uma linguagem informal e próxima do leitor, faça isso no feedback também. Por exemplo, terminar frases com “não é mesmo?”, “não é verdade?”, “ok?” e “né?” suavizam o tom do feedback.

A forma de construir as ideias também consegue suavizar o tom. Uma linguagem um pouco mais descolada, como aquela dos livros infantojuvenis, pode fazer um texto parecer uma conversa entre amigos.

Outra forma de suavizar o tom é usar emojis, como 🙂 😉 =) e emoticons, como 😊 e 😉. Eles ajudam a suprir, até certo ponto, a falta das expressões faciais na comunicação escrita.

Demonstre empatia

Algumas pessoas definem a empatia como “a sua dor no meu coração”. Você se lembra que um dos valores da Rock quer dizer que precisamos nos importar com nossos colegas, né? Além disso, já reparou como é alto o índice de pessoas com distúrbios mentais entre nós? Vale até um artigo para analisar as razões disso — hello, freelas psicólogas!

Já parou para pensar que, dependendo da forma como nós damos o feedback, podemos destruir o dia de um redator? Acontece que pessoas depressivas se culpam muito e acham que o que estão fazendo nunca está bom. Dependendo do que falamos a elas, pode soar como uma confirmação de que nada vale a pena.

Uma maneira de entender esse sentimento é ter depressão também, mas tomara que você não passe por isso. É melhor exercitar a empatia para compreender essa questão de sentimentos sem precisar sofrer.

Neste artigo, eu tentei transmitir um pouco do meu jeito de ver o mundo no meu trabalho como redator e revisor. Eu vivo de Rock e reflito sempre nessas coisas à medida que penso em formas de entregar um trabalho bem-feito e, ao mesmo tempo, ajudar outras pessoas. Vi que a melhor forma de fazer isso é incluir duas coisas simples e especiais na minha rotina: empatia e bondade.

Já que estamos falando a respeito de corrigir erros, que tal dar uma conferida no guia que fala sobre 63 erros para evitar na escrita? Acesse agora mesmo!

63 erros para evitar na escritaPowered by Rock Convert

Posts populares com esse assunto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *