redes sociais

Redes sociais: 9 características de um conteúdo relevante

É fato que as redes sociais são canais muito valiosos para quem quer se promover. Entretanto, para fazer isso com sucesso, existem algumas coisas que você deve fazer — e outras que você deve evitar.
Torne-se um especialista em produção de conteúdo!Powered by Rock Convert

Assim como o Marketing de Conteúdo, as redes sociais são um dos pilares do Marketing Digital e é impensável estar fora delas como marca ou um profissional que quer se manter em dia com o mercado.

Segundo a Social Media Trends 2018, 94,4% das empresas já se encontram nelas e 94% das pessoas acessam suas páginas e perfis diariamente.

Isso não é à toa. Elas são capazes de fortalecer um negócio, dar visibilidade e o melhor: gerar relacionamento e engajamento com o público em interações constantes.

Porém, com tantas atualizações, canais, novas mídias e uma concorrência cada vez mais forte, se tornou bem mais difícil ter sucesso por lá. E o que não faltam são páginas que falam praticamente sozinhas ou que usam técnicas que ficaram no passado…

Lado a lado com a produção de conteúdo, também é função do redator manter o usuário interessado com temas que se conectem diretamente com ele e publicações de valor.

Sabemos que isso não é uma tarefa fácil e que, com tantas fórmulas mágicas para vencer nas mídias sociais, existe uma alta probabilidade de você acabar se perdendo um pouco, certo?

Mas, não seja por isso. Separamos 9 características de um conteúdo relevante para as redes sociais para você aproveitar. Não tem mistério!

1. Documente muito bem a estratégia que será utilizada

O primeiro passo de toda ação de marketing deve ser a definição de um objetivo, seja uma longa campanha ou algum post oportuno.

Você pode até mesmo quebrar ele em dois níveis, um primeiro mais abrangente e um segundo mensurável e que vai ser diretamente relacionado ao primeiro, como se fosse uma etapa para alcançar.

O primeiro, por exemplo, poderia melhorar a popularidade da marca ou aumentar vendas. Já o segundo poderia ser gerar engajamento, ganhar curtidas, tirar dúvidas eficientemente e expandir as conversões.

A regra é bem simples: um maior para o negócio e outros objetivos mais específicos para alcançá-lo, que você pode usar como um KPIs.

Em seguida, é necessário elaborar uma estratégia a ser seguida. Dentro disso, é essencial alinhar alguns tópicos básicos que englobam toda produção de conteúdo. Técnicas são fundamentais e devem ser seguidas.

2. Não deixe de ter uma persona em mente

Antes de começar a produzir conteúdo, você deve saber quem é que deve consumi-lo. E para ter isso bem claro, podemos tomar como base a criação de uma persona.

Diferente do público-alvo, a persona é um personagem semi-fictício inspirado no consumidor ideal de um produto ou serviço, compreendendo quais são suas dores e quais suas necessidades.

Supondo que você deve falar com uma mulher grávida, ao invés de escrever simplesmente para mulheres grávidas com dúvidas em relação ao enxoval, você pode ter como meta ajudar a Cristina, futura mãe de primeira viagem que precisa muito disso.

Assim, você consegue uma abordagem mais pessoal e íntima, que cria uma conexão maior com o leitor.

Isso se aplica na hora de escrever textos e também na hora de definir as legendas, horários de publicações, formatos para as redes sociais e em quais delas a marca deve estar presente.

Se você já precisa escrever para uma que já existe, preste muita atenção na persona do seu cliente. Temos um passo a passo para analisar a persona!

3. Escolha bem os temas dos conteúdos

Depois de ter a persona alinhada, um bom passo é definir os temas dos conteúdos. Considere os assuntos que ela quer saber, quais suas dúvidas e como ajudá-la.

Selecione tópicos que vão chamar o seu olhar e compartilhar nas redes sociais. Nem sempre precisa ser algo sério. Entretenimento também é uma necessidade.

Também não precisa ser somente conteúdo próprio. Uma ótima tendência de social media é fazer curadoria de materiais interessantes.

O importante aqui, é compartilhar bons materiais e uma boa dica é salvar os melhores utilizando o Feedly.

Se você quer algo de valor e que vai servir a todo o tempo, invista no evergreen, que trata de assuntos que estão sempre em alta. Pode compartilhar amanhã ou daqui há três anos, desde que com uma atualização básica.

Considere a regra 80/20, que consiste em não fazer tanta autopromoção. É o seguinte: a cada 10 publicações, faça 8 sobre assuntos variados e apenas 2 (até menos) sobre a própria empresa.

Em todos os casos, faça a seguinte pergunta: “será que minha persona gostaria de saber sobre isso?”. Acredite, funciona.

4. Siga um tom da marca e um guia de estilo

Após definir quem é a persona e o que falar para ela, um conteúdo relevante sabe exatamente como falar com ela. Para isso, você pode definir o tom da marca.

O tom é a projeção de como dizer aquilo que precisa, por exemplo, em uma abordagem mais séria ou descontraída e o tipo de linguagem, podendo incluir as melhores expressões a serem utilizadas.

É importante que ele seja adaptado para a persona e consiga estabelecer um diálogo com ela. Não adianta nada querer falar com um adolescente e usar uma linguagem rebuscada, e vice versa.

Outra boa prática, que vai além da linguagem semântica, é a elaboração de um guia de estilo, que contempla também as tendências do design que serão utilizadas e a identidade visual.

Você pode usar o Canva, além de outras ferramentas de design que vão te ajudar no dia a dia.

Com esses detalhes estabelecidos e aprovados pelo responsável pelo negócio, é hora de começar mesmo a produção do conteúdo e investir pesado nas redes sociais.

5. Pense em títulos, imagens e formatos chamativos

Você já sabe do que falar e como falar, mas pode usar alguns truques para chamar a atenção.

Se for compartilhar um texto nas redes sociais, é importante prestar atenção no título e torná-lo o mais atraente possível. Para isso, seja direto e claro em sua proposta.

Uma boa prática de SEO pode ser utilizada nas redes sociais também, que é deixar a palavra-chave o mais à esquerda possível, já anunciando de cara sobre o que o leitor vai ler.

Além disso, evite ser exagerado. Devido ao excesso de títulos e legendas assim, os clickbaits acabaram entrando em desuso e se tornaram uma péssima prática online.

É bem melhor já abrir o jogo do que tentar atrair o usuário com algo do tipo “X características de um conteúdo relevante para as redes sociais que vão mudar a sua vida!” ou qualquer coisa nessa linha de “Você não vai querer ver isso…” e companhia.

O mesmo se aplica para as imagens. Já foi comprovado que preferimos conteúdo audiovisual, então aposte em imagens chamativas e que atraiam o olhar do público.

Sério, visual importa, e muito. O Instagram está engolindo todos os canais, só sendo menos usado que o Facebook.

Compartilhar gifs e vídeos também é uma boa pedida. Eles podem complementar textos e dar uma variada nos formatos, além de conseguir melhor alcance.

No Linkedin, se destacam conteúdos sobre liderança e desenvolvimento profissional, enquanto no Twitter quase tudo é permitido, por ser um público mais jovem, antenado e aberto.

Por isso, utilize as especificidades de cada rede a seu favor, com os formatos corretos para engajar mais!

6. Faça chamadas boas, curtas e diretas

Você já preparou conteúdos incríveis e que, com certeza, vão agradar. Agora é hora de pensar na capa dos livros. Neste caso, as legendas. Afinal, toda capa é sim capaz de te atrair (ou retrair) em uma livraria, não é mesmo?

Exatamente por isso, as chamadas para as redes sociais são TÃO importantes. Assim como o título e a parte visual, elas devem ser igualmente cativantes e chamativas.

Enquanto em um conteúdo você pode se delongar, nas chamadas para as redes sociais leve isso como um mantra: menos é mais.

Seja sucinto e, em poucas palavras, mostre qual o tema e qual o benefício que o usuário vai ganhar ao consumir.

Outra dica: dê alguns toques pessoais. Ao definir o tom, você pode até mesmo trazer o conceito de uma brand persona, se mostrando mais como uma pessoa, e menos como uma marca.

Em poucos caracteres, você pode falar muito sobre o seu conteúdo, criar um vínculo com o leitor e ainda esbanjar personalidade.

7. Tente sempre engajar a audiência e converter

Voltando à primeira etapa, sempre devemos ter um objetivo, direcionando o tipo de publicação que será feita e definindo quais ações você quer que os usuários tomem.

Para tal, sempre inclua CTAs em suas chamadas, os conhecidos call to action, que falam explicitamente o que o leitor deve fazer.

Amplamente utilizados nos textos de blogs para converter, eles podem ter ótimos resultados em posts nas redes sociais quando de acordo com o tipo da publicação.

Certamente, você já foi marcado em alguma publicação engraçada ou então em alguma notícia e, muitas vezes, aposto que na legenda tinha um “marque aqui um amigo” ou algo do tipo, confere?

Esse tipo de CTA é capaz de engajar a audiência e garante maior alcance e visibilidade à marca, mas tudo vai de acordo com a meta a ser cumprida.

Se você precisa de conversões no blog, convide o leitor para saber mais no seu endereço online, aprender mais com você. E se precisa de leads, pode convidar para baixar um e-book ou algum outro material rico.

Faça sua audiência querer mais: estimule engajamento, fomente comentários, atice a curiosidade e leve o público para outros canais que dialogam entre si.

8. Publique na hora certa

Quando você viu a persona, certamente você já traçou um perfil dela em sua mente. Nesse perfil, você também deve considerar o horário em que ela está online.

De nada adianta escrever um conteúdo matador, mas publicar ele no canal errado e nas horas erradas. Afinal, ninguém iria ver e toda a sua dedicação foi para o lixo.

Por isso, leve em conta os horários em que suas personas estão ativas, e não precisa ser na adivinhação. Faça testes até encontrar os melhores dias e momentos a partir da reação do público.

Cada audiência é diferente e vai apresentar suas peculiaridades, mas separamos as melhores para você aplicar com base no post do Blog Marketing de Conteúdo e em uma pesquisa da CoSchedule:

  • Facebook: de quinta-feira a domingo, no meio da manhã e início da tarde, com clima mais alegre na sexta-feira;
  • Twitter: quarta-feira, durante o meio e final da tarde, mas se quiser atingir o meio B2C, priorize os finais de semana e os horários fora do expediente;
  • LinkedIn: de terça a quinta-feira, durante o horário de trabalho;
  • Instagram: na segunda e na quinta-feira, durante a madrugada e o início da manhã, e no final da tarde;

Como sabemos que nunca vai ter uma parte do dia em que todos vão acessar as redes sociais, incentivamos também a regra 3x3x3.

Ela consiste em publicar um conteúdo pelo menos 3 vezes, em 3 horários e 3 dias diferentes, com intervalos de mais ou menos uma semana entre cada um, de forma a abranger ainda mais o seu alcance.

Para não ficar repetitivo, faça chamadas diferentes e com diversas abordagens. Assim, não tem erro se uma pessoa ver duas vezes.

Existem algumas ferramentas de agendamento que podem te ajudar. Sugerimos o Hootsuite e o Buffer.

9. Monitore, monitore, monitore…. e analise

Durante todo o texto, falamos sobre como é extremamente importante se planejar. Caso contrário, nenhum conteúdo vai dar certo.

Porém, é preciso se manter atualizado e encontrar oportunidades de ganhar mais engajamento e de melhorar a estratégia.

Por isso, monitore o que está sendo falado por aí. Acompanhe cultura pop, seus concorrentes e atualidades. Isso é uma chance e tanto de fazer um post viral acontecer.

Ilustrando: todo domingo à noite as redes sociais parece que se voltam para somente um tópico: Game of Thrones. Então, aproveite, publique algo que dialogue com a série e ganhe com o buzz.

Você pode usar o BuzzSumo e o BuzzBundle para isso.

Além de monitorar o que está sendo falado, analise também os resultados de suas ações constantemente.

Veja o que deu certo e o que não deu em sua estratégia e vá adaptando o que você planejou. Otimize seu conteúdo e torne ele cada vez mais relevante aos olhos da audiência.

Portanto, acompanhe algumas métricas de redes sociais. Escolha a que mais combina com o seu objetivo e esteja sempre avaliando seus posts.

Considerando tudo que vimos, as principais dicas que deixamos e que servem para qualquer produção de conteúdo são:

  • Sempre mire na persona, se o conteúdo não for produzido para ela, ele vai acabar sendo algo mediano e vazio.
  • Fale sobre assuntos que importam, o valor está aí.
  • Seja chamativo e cativante, mas sempre simples e direto.

E, claro, tudo sempre tem um objetivo, então faça valer para alcançar ele!

Como você pode ter percebido, as redes sociais andam lado a lado com a produção de conteúdo digital. E também não vamos te deixar de lado nessa. Te damos até mesmo uma oportunidade…

Se você pensa em ingressar na carreira freelancer, torne-se um redator Rock Content com a gente. Acredite, vale a pena!

banner levantada de mão redação