Reclamações: entenda por que e como você deve evitá-las

Reclamar é horrível. Reclamar é chato.
Imersão Freelancer - maior curso online gratuito do BrasilPowered by Rock Convert

E reclamar de reclamações não nos faz melhor que os outros reclamões.

Mas como parar de reclamar? Como faço para reparar se estou reclamando ou realmente tentando melhorar as coisas? Todas essas perguntas nos levam para um ponto principal: por que, afinal, nós reclamamos? Vamos começar daí.

Por que reclamamos?

Segundo Travis Bradberry, Ph.D. e co-autor de Emotional Intelligence 2.0, uma conversa média tem cerca de uma reclamação por minuto. Bradberry justifica esse excesso comparando reclamações a cigarro e má alimentação. São coisas que trazem prazer ou alívio imediato, mas são prejudiciais no longo prazo.

Quem nunca acabou deixando a dieta de lado para comer aquele BIS que o colega te ofereceu?

O problema é que nossa mente evoluiu para ser o mais eficiente possível. Qualquer comportamento repetido influencia as ligações entre os neurônios, para deixar tarefas realizadas com maior frequência cada vez mais fáceis e automáticas.

E é aí que está o problema!

Com o tempo, o cérebro vai encontrando maior facilidade para reclamar e fica mais fácil ser negativo que positivo. Reclamar vira um comportamento padrão. Cria-se um ciclo prejudicial a você e a todos à sua volta.

Ok, muito interessante! Mas como faz para segurar a onda e evitar reclamar?!

Como podemos reclamar menos?

Realmente não é fácil! Por mais que nos esforcemos, quando assustamos, já estamos reclamando de novo. Chegamos então ao momento de eu te explicar o que me fez escrever este artigo sobre reclamações!

Aqui na Rock Content, o Edmar Ferreira, um dos fundadores da empresa, não tolera trabalhar com gente que reclama. E essa cultura se espalhou pela empresa toda. Queremos gente boa e positiva trabalhando junto da gente, é claro!

Minha equipe de Outbound Sales foi mais longe e criou o Bruninho, nosso mascote e cofrinho preferido! Cada vez que um membro do time reclama de qualquer coisa, ele deve deixar R$1,00 para o Bruninho. Foi o jeito que encontramos para desincentivar as reclamações e criar uma ferramenta de auto-gestão. Fica a dica!

Reclamações - Bruninho: cofrinho e mascote do time de Outbound sales

Como dá pra perceber, a reclamação dos outros é a felicidade do resto da equipe. É mais dinheiro para ser convertido em churrascos de confraternização da equipe e um excelente lembrete de que reclamar faz mal.

Aí entra a minha história com o Bruninho.

Nunca fui de reclamar mais que os colegas, diria que estou na média, mas tinha um problema grave nas minhas reclamações. Acontece que sou advogado e sempre fui bom de argumentação desde criança. Então, na hora que reclamava, sempre dava um jeito de escapar da punição.

Por livre e espontânea pressão, decidi escrever um estatuto (mais uma cutucada do pessoal pelo meu passado de advogado), deixando claro o que consideraríamos como reclamação daí em diante.

O que é uma reclamação?

Quando tentei definir o que é uma reclamação, parti dos meus próprios argumentos. Percebi que quase sempre, para fugir da culpa, eu emendava minha reclamação em uma sugestão, para justificar que aquilo era uma crítica construtiva.

A diferença já parece bem óbvia no dicionário:

reclamações: definição de reclamação
reclamações: definição de crítica

Reclamações são protestos, queixas, meras contradições. Não agregam em nada.

Críticas, por sua vez, são vistas como uma habilidade de julgar, avaliar um comportamento a partir de um exame minucioso.

Legal! Mas isso não é surpresa pra ninguém!

É, eu sei, mas tem um ponto principal aí que passa despercebido no nosso dia a dia:

As reclamações focam no negativo e enxergam primeiro o problema, para depois focar numa solução. Enquanto a crítica é exatamente o oposto: propõe soluções, focando em possíveis melhorias, ao invés de ressaltar o problema.

Para ilustrar melhor, vou te dar um exemplo:

“Que saco, mais uma vez esse cara não me atendeu, tô muito azarado”

Reclamação! Não está agregando em nada e não apresenta possíveis melhorias.

“Vou tentar ligar pra esse cara em um horário diferente, ele não está me atendendo quando ligo à tarde”

Agora já vemos uma sugestão de solução e, portanto, trata-se de uma crítica!

Aí está o grande aprendizado sobre o que são reclamações e como evitá-las: foque nas soluções, não nos problemas!

E o que a gente descobre no final disso tudo?

O melhor é que isso serve para tudo na nossa vida. Um mindset focado em valorizar melhorias só traz vantagens e reclamar menos vira só um dos benefícios desse ganho de inteligência emocional.

Para fechar…

Espero que você tenha gostado do texto e não reclame de ter lido até aqui. Vou recapitular os 3 pontos principais do que trouxe acima:

  1. A engenharia do nosso cérebro faz com que reclamar crie um ciclo vicioso negativo;
  2. Foque no positivo (na melhoria), ao invés do negativo (no problema). Essa é a grande diferença entre uma reclamação e uma crítica construtiva;
  3. Crie mecanismos para te lembrar do comportamento que você quer evitar, como por exemplo um porquinho que recebe R$1,00 a cada reclamação. Dor no bolso faz milagres!

Você vai ver que diminuir a frequência de reclamações já pode fazer milagres na sua produtividade! Mas se quiser melhorá-la ainda mais, confira nossa planilha de Ferramentas e aplicativos para produtores de conteúdo. Já listamos mais de 100 apps e ela continua sendo atualizada constantemente!

ferramentas e aplicativos para produtores de conteúdoPowered by Rock Convert