Quando ganha um redator freelancer?

[Atualização] Quanto ganha um redator freelancer?

Conheça quais são as variáveis que afetam o rendimento de um redator freelancer!
Imersão Freelancer - maior curso online gratuito do BrasilPowered by Rock Convert

Afinal, quanto ganha um redator freelancer? Essa é uma dúvida que paira sobre as cabeças de muitos jornalistas e produtores de conteúdo que planejam se tornar autônomos.

O trabalho freelancer é muito mais que uma possibilidade para complementar a renda. É uma oportunidade para trabalhar de qualquer lugar, estabelecer os próprios horários e até mesmo guiar as rédeas da própria carreira sendo freela full-time.

Muitos profissionais, inclusive, optam por esse modelo de negócio diante do desemprego ou simplesmente aproveitam as horas livres para estabelecer uma poupança para uma viagem, por exemplo.

Mas qual é o salário desse profissional? Se você tem essa dúvida, não se preocupe. Neste artigo, vamos esclarecê-la e ajudá-lo a decidir se deve ou não investir nesse sistema.

Quanto ganha um redator freelancer?

Há duas formas complementares entre si de calcular o salário de um escritor freelancer.

Uma é olhar para o mercado, estudando pesquisas realizadas com profissionais da área. Outra forma é analisar uma escala de ganhos para descobrir em qual nível você se encontra, considerando diversos fatores.

Há poucos diagnósticos sobre o setor no mercado brasileiro. E, mesmo no exterior, os estudos também são escassos.

Uma pesquisa denominada The State of Freelancing, realizada pela Contently com 643 freelancers, sendo 82% deles redatores, constatou que 24% deles ganha US$ 50 mil ou mais, anualmente.

Já o Relatório da Ed Gandia, Freelance Industry (2012), apesar de desatualizada, traz dados que, aparentemente, se mantém coerentes, tais como: 33% ganha US$ 70 ou mais por hora e 23% recebe entre US$ 50 e 70 por hora.

A pesquisa Mercado Freelancer, realizada pelas empresas Rock Content, WeDoLogos e 99jobs,  (2017) estudou a fundo o mercado brasileiro e revelou que a renda mensal dos freelancers brasileiros é bem diversificada.

Enquanto 26,2% conseguem tirar entre R$ 1.001 e R$ 5.000,  70,5% dos respondentes revelam
que recebem menos de R$ 1.000 por mês.

No entanto, cobrar por hora pode ser uma forma de ser remunerado pela ineficiência. Como? Veja bem, quanto mais tempo você levar para finalizar o trabalho, mais você ganhará. Isso não é bom nem para você, nem para seus clientes.

O ideal são os valores acordados por projeto ou tarefa. Assim, cabe ao redator conquistar um aumento em sua produtividade. Essa recompensa será pelo resultado. Eles precisam contratar a sua experiência e o seu conhecimento e não o seu tempo.

Empresas como a Rock Content remuneram por projeto e a tabela segue um parâmetro que pode variar, conforme o prazo de entrega ou o nível técnico de exigência do trabalho.

No mercado freelancer, em que nível você se encontra?

Muitos fatores devem ser levados em conta para determinar qual é o salário de um escritor freelancer:

  • experiência;
  • intimidade com o assunto;
  • habilidades com o português;
  • rapidez de produção;
  • disponibilidade de tempo para se dedicar à função;
  • prazo de entrega.

Se você tiver disponibilidade em produzir tarefas urgentes, elas, geralmente, valerão mais.

Se você conquistar um alto nível de produtividade, produzirá mais, em menor tempo e ganhará mais por dia.

A vida de um redator freelancer, para ser bem-sucedida, requer planejamento, disciplina e organização. E, assim como em diversas carreiras, tem o bônus e o ônus.

Você faz seu próprio horário, possui autonomia profissional, escolhe sobre qual assunto escrever, traça suas próprias metas de ganho.

Por outro lado, você precisa saber receber feedbacks e tirar o melhor proveito de uma avaliação negativa, estar disposto a reescrever o que solicitarem e, muitas vezes, produzir conteúdo sobre temas árduos e difíceis (pois esses costumam ser os que pagam melhor).

Dicas para ganhar mais como redator freelancer

1. Estude

Com a concorrência acirrada, você precisa se especializar para se destacar. Atualmente, há inúmeras certificações no mercado para você adquirir conhecimento e também comprovar suas habilidades no currículo.

Não estude apenas pelo certificado, tire o melhor proveito das aulas, pesquise, vá além, leia muito sobre o tema. E, mesmo depois que concluir o curso, continue se atualizando.

Seja curioso, busque ferramentas que auxiliam a melhorar a qualidade da produção de conteúdo e busque dicas de colegas.

2. Saia da sua zona de conforto

Parece clichê, mas não é. O redator que sai da sua zona de conforto ganha mais.

Primeiro porque ele próprio estará se desafiando a sempre ir além. E, depois, que escrever sobre temas mais técnicos e árduos custa mais, logo, você ganhará mais do que a média de escritores.

Especialize-se para escrever sobre assuntos que a maioria não quer. Aí pode estar um filão de oportunidades para você conquistar ganhos superiores.

3. Defina uma meta de ganhos

Pense que não há limites. Você pode ganhar o quanto quiser, mas para isso você precisa saber como entregar textos de qualidade em prazos cada vez menores.

Defina o quanto quer ganhar e em quanto tempo planeja conseguir. A sua meta pode ser um novo salário mensal, trocar de carro, fazer uma viagem.

E, para te ajudar a definir essa meta, você pode usar a Calculadora de Sonhos, que vai te dizer exatamente o quanto você precisa trabalhar para conquistar seus objetivos.

4. Monte um portfólio

Divulgue a sua escrita para que você conquiste fontes variadas que te paguem pelo seu trabalho de redator freelancer.

Pode ser montando o portfólio em uma plataforma específica, escrevendo um blog pessoal, Medium ou o Pulse, do LinkedIn.

O importante é colocar o seu marketing pessoal em sua lista de prioridades. Assim, você construirá um mindset de sempre trabalhar para ser visto e lembrado por seus prospects e clientes.

5. Ofereça algo a mais

Se sentir você tiver habilidade e segurança, é possível oferecer serviços além da produção de conteúdo. É natural que freelancers, com o tempo, se capacitem em como elaborar um calendário editorial, aperfeiçoar campanhas, oferecer uma curadoria completa de conteúdo, entre outras funções.

Portanto, é preciso ter algumas soluções prontas para oportunidades que frequentemente aparecem. Por exemplo, se o seu cliente precisar de uma consultoria em Marketing de Conteúdo, ter algo preparado pode render bons jobs!

6. Elabore uma tabela de preços

Você deve ter uma tabela de valores bem definida para cobrar por seus projetos. Ao apresentá-la para os clientes, lembre-se que alguns deles podem pedir desconto.

Esse é o momento de negociar com o cliente. Ofereça um desconto se for possível, considere a qualidade do cliente, mas estipule um valor mínimo por texto. Nunca, nunca menospreze seu trabalho.

Kit de Documentos Para Freelancers

Mas, afinal, como estabelecer o preço pelos serviços prestados?

Você já deve ter percebido que o modelo freelancer é remunerado de acordo com a produtividade e qualidade do serviço. Quanto mais jobs fizer, mais ganha. Quanto mais experiente você for, mais ganha. Simples assim.

Porém, existem algumas recomendações que podem auxiliar na precificação do trabalho freelancer. A seguir, conheça algumas delas:

Pagamento por palavras

Quando se fala em redação web, esse é, de longe, o modelo mais apropriado. Afinal, ele será justo e o valor cobrado será mais exato. Assim, tanto a sua produtividade aumenta quanto o cliente terá certeza do preço.

Redatores iniciantes podem iniciar com valores mais baixos. Existem aqueles que cobram até R$ 0,01 por palavra. Em um texto de 1000 palavras, isso representará um valor de R$ 10,00. O que é baixo, mas pode trazer um bom aprendizado no início.

Já os preços mais comuns aplicados na web giram em torno de R$ 0,05 por palavra. Nesse caso, um texto de 1000 palavras sairia por R$ 50,00. Dependendo do grau de dificuldade, tema e produtividade do freela, é possível ganhar mais do que oferecem muitas empresas no regime de CLT.

Porém, no mundo digital o céu é o limite. Redatores experimentados chegam a cobrar R$ 0,30 por palavra ou até mais. Nesse caso, um texto de mil palavras geraria R$ 300,00, uma quantia que, mensalmente, poderia gerar em média R$ 6.900,00 por mês com apenas um texto por dia. Nada mal, não é mesmo?

Pagamento por peça

A definição de uma peça é bem direta: é um conteúdo pronto. Ou seja, um artigo, um ebook, um post para redes sociais, uma mensagem de e-mail marketing, um conteúdo para apresentação de slides ou um roteiro de vídeo. E, sim, todos esses serviços que cabem a um redator freelancer.

Para elaborar uma planilha baseada em peças individuais, basta estabelecer o preço por cada uma delas. Veja um exemplo a seguir:

  • Ebook: R$ 120,00
  • Artigo: R$ 50,00
  • Roteiro de vídeo R$ 75,00
  • Post para rede social R$ 10,00
  • Texto para infográfico R$ 70,00

É claro que os valores acima são especulativos, pois eles podem variar de acordo com a exigência do cliente, a qualidade e o tamanho do conteúdo.

A decisão é do próprio redator. Ele pode, por exemplo, aumentar ou diminuir os valores de acordo com a complexidade do texto ou a quantidade de palavras.

Pagamento por tempo

Como dito no início do texto, essa não é uma opção muito recomendada para freelancers. Afinal, é possível que determinadas peças demorem mais do que outras e é praticamente impossível estabelecer um orçamento. Ou seja, o cliente só será avisado do preço após a confecção do material, o que pode deixá-lo insatisfeito.

Porém, se você escolher esse modelo de pagamento, é simples: estabeleça um valor (por exemplo, R$ 50,00) por hora trabalhada. Ao fim do job, comunique ao contratante e realize a cobrança.

Se você for um redator mais experiente, é possível medir a quantidade de tempo gasta para cada trabalho com maior precisão. Mas lembre-se: imprevistos acontecem e você pode acabar demorando mais do que achava.

Pagamento por pacote

Existem outras formas de precificar o serviços freelancer. Sabe aquelas promoções que você vê no supermercado? Geralmente, elas vêm com anúncios como “Compre dois sabonetes e leve três” ou “Leve um copo grátis na compra de um fardo de cerveja”.

Pois é, essa é uma valiosa estratégia de negócios. Isso porque geram um fluxo de caixa constante, ou seja, quanto maior o valor da compra, menor o valor individual do produto.

Isso também se aplica aos textos. Um redator web também pode incorporar esse padrão em suas ofertas. Veja um exemplo:

  • 4 textos de 500 palavras por mês: R$ 100,00 (ou seja, R$ 25,00 por texto)
  • 8 textos de 500 palavras por mês: R$ 180,00 (ou seja, R$ 22,50 por texto)

Esse tipo de ação estimula o cliente a assinar pacotes mais caros e os rendimentos do prestador de serviços aumenta.

Pagamento por serviço

Outra opção é o pagamento por serviço. Afinal, um redator freelancer pode oferecer outras outras atividades.

Essa possibilidade oferece, inclusive, uma gama maior de clientes interessados, já que o mesmo profissional pode exercer outras funções, e não somente redigir textos para blogs, por exemplo.

Veja, a seguir, alguns serviços regulares e adicionais que podem ser realizados por um redator freelancer:

Planejamento de Pautas: consiste em encontrar palavras-chave e temas relevantes para a composição de conteúdo.

Redação de Conteúdo: é a redação web em si. Textos, ebooks, roteiros, apresentações, mensagens de e-mail, copywriting etc.

Redes Sociais: publicação de posts regulares em diferentes redes sociais, como Facebook, Instagram, Twitter e Google +.

E-mail Marketing: envio regular de mensagens e fluxos de nutrição de leads para os emais cadastrados na newsletter.

Análise de Métricas: composição de relatórios que afirmam a efetividade de cada ação e canal em uma estratégia digital.

Links Patrocinados: criação de anúncios em plataformas como o Google Adwords e o Facebook Ads.

Composição de peças visuais: criação de artes gráficas, como imagens para blog posts, redes sociais, infográficos, apresentações de slides etc.

A recomendação aqui é: defina suas habilidades e ofereça somente os serviços que você é capaz de completar. Você não precisa ser uma agência ambulante.

Feito isso, basta precificar individualmente cada um dos serviços, levando em conta também os pacotes citados anteriormente.

Variantes de tema e complexidade

Essas são variáveis que precisam ser consideradas. Afinal, você não sabe sobre tudo e terá mais dificuldades em redigir textos cujos assuntos não domina.

Se você é especialista em automobilismo, por exemplo, certamente será um grande desafio escrever sobre contabilidade. Então, nesse caso, crie variáveis de preço.

O mesmo vale para o nível de complexidade do texto. Quando são muito profundos ou muito específicos (escrever sobre uma determinada ferramenta ou algo que exige alto nível de conhecimento), os valores cobrados podem ser mais altos.

Enfim, é preciso lidar com o fato de não saber com exatidão quais são os ganhos mensais. Isso requer trabalhar com pisos e metas de receita para pagar as contas e se manter com tranquilidade.

Na hora de ingressar na carreira freelancer, certamente isso deixa muitos profissionais indecisos.

Mas, agora que você já tem uma ideia de quanto ganha um redator freelancer, já sabe o que fazer para conseguir mais clientes e produzir cada vez mais.

E se você gostou desse artigo, que tal saber também como calcular o valor do seu texto? Descubra agora!

Guia do Freelancer MEI