Por Leandro de Barros

Escrevo sobre cinema, marketing e outras coisas no meio do caminho.

Publicado em 25/05/2020. | Atualizado em 10/07/2020


Saber quem é o público-alvo de uma tradução ajuda a definir o vocabulário adequado para o projeto, o tom do conteúdo e o grau de fidelidade exigido. Leia mais para saber como usar essa informação corretamente!

A comunicação, segundo o dicionário, é um processo de troca de informações entre dois agentes: o emissor e o público-alvo.

Para termos uma comunicação eficaz, seja por qual meio for, precisamos que o emissor e o alvo se entendam em relação aos símbolos da mensagem. No entanto, em alguns contextos, a comunicação pode ser bem específica. E, por isso, é necessário adequar a mensagem ao público-alvo.

Um desses contextos é quando traduzimos um conteúdo para outro idioma ou trazemos um texto de outra língua para o português. Nessa hora, é necessário pensar sempre no público-alvo para adaptar a sua tradução de modo a otimizar a compreensão daquela mensagem.

Se você pretende atuar profissionalmente com tradução ou já trabalha com isso, saiba que é preciso sempre pensar no seu leitor enquanto traduz um conteúdo. Quer saber mais sobre isso e como melhorar as suas traduções com o seu leitor em mente? Então siga a leitura!

O que é público-alvo para tradução

Para trabalhar em conteúdos multilíngues, não basta apenas ter naturalidade na língua-alvo do projeto. Isso é só a exigência “básica” para a profissão. Também é essencial compreender todos os aspectos de cada trabalho e saber otimizar a comunicação ao ajustar a mensagem.

O receptor, nesse caso, é o público-alvo da sua tradução. Trata-se do perfil demográfico, de interesse e regional de quem consumirá aquele conteúdo traduzido.

Se você já trabalha com as melhores práticas de marketing de conteúdo, por exemplo, vai reconhecer o público-alvo de um projeto de tradução como a persona de um blog ou funil de vendas.

Criando conteúdos para sua persona: tudo que você precisa saberPowered by Rock Convert

Ao entender seu público-alvo, fica mais fácil determinar os 3 aspectos mais importantes de uma tradução:

  • o vocabulário adequado para o projeto;
  • o tom correto do conteúdo;
  • o grau de “fidelidade” ao conteúdo original.

Mas como explorar ao máximo o público-alvo na hora de fazer uma tradução? Veja algumas dicas a seguir!

Pense na sua audiência

Antes de começar a traduzir qualquer texto, é importante lembrar que a mensagem de uma comunicação não existe no vácuo. Ela depende do emissor, sim, mas também do receptor.

Afinal, o objetivo de qualquer peça escrita é comunicar algo. Se a mensagem não é compreendida totalmente por causa da tradução, então o seu papel como tradutor falhou.

Quer ver um exemplo simples de como o público-alvo afeta completamente a mensagem? Então responda mentalmente: para você, o que é tradução?

Respondeu? Ok, não tem como eu saber o que você falou, mas imagino que tenha pensado em algo como “é o processo de interpretar um conteúdo de uma língua para outra, ajustando termos para o contexto de cada caso”.

No entanto, se você perguntar a mesma coisa para uma pessoa que não tenha conhecimento na área, ela provavelmente vai dizer que uma tradução é “um processo de transpor as palavras de um idioma para outro”.

Por isso, toda vez que a palavra “tradução” é usada, ela significa algo para quem conhece o assunto profundamente, mas outra coisa para quem não conhece.

Portanto, você deve sempre pensar na sua audiência e em suas limitações, conhecimentos e outras características. Assim, você pode interpretar e adaptar o conteúdo corretamente para que seu público-alvo também o compreenda.

Seja empático com o seu leitor

Uma das maiores dificuldades de um tradutor é encontrar o tom certo de cada projeto. Aliás, essa é uma dor compartilhada também por redatores, revisores e outros freelancers.

Para encontrar o tom correto de cada projeto, é essencialgerar empatia com o público-alvo e entender o que o leitor espera do conteúdo.

Pense, por exemplo, em traduzir um remake de uma clássica série dos anos 80 ou 90. Agora imagine que, na época, um bordão importante no seriado foi mal traduzido.

No entanto, ao gerar empatia com o público-alvo do projeto, que são os fãs nostálgicos, é possível decidir manter a tradução “errada”, pois é o que gera melhor engajamento com o público.

Já se o público-alvo for uma nova geração de fãs, então não faz sentido manter o bordão “clássico”, uma vez que esse público não compreenderá a situação.

Crie naturalidade para seus leitores

Não são raros os estudos nacionais e internacionais que ligam o estresse à dificuldade de compreender alguma informação. Ou seja, quanto mais estressada a pessoa está, mais difícil será entender um conteúdo ou artigo.

Um dos fatores que podem gerar estresse é justamente ler algo pouco familiar. As palavras parecem até mais ameaçadoras em alguns casos!

Outro exemplo que mostra a importância de criar naturalidade para o seu conteúdo é o do Efeito McGurk, que ocorre com filmes dublados. Apesar de ser uma dissonância entre o áudio e o visual, ele ajuda a mostrar como a falta de naturalidade prejudica a compreensão do público-alvo.

Por isso, foque sua tradução em evitar estranheza para o seu leitor. Isso ajudará a deixá-lo mais tranquilo para compreender melhor o conteúdo.

Use a linguagem do público-alvo

Se algum amigo chegar em você e disser que “o fulano foi cancelado ontem”, você provavelmente vai entender do que se trata.

No entanto, imagine ir até uma pessoa de mais idade ou sem muita presença online e dizer que alguém “foi cancelado”. Provavelmente essa pessoa não fará ideia do que você quer dizer.

Isso mostra como certos termos ganham significados específicos para determinadas pessoas ou em momentos específicos. Portanto, é necessário pensar no seu público-alvo para determinar qual é a linguagem certa para se comunicar com ele.

Se o público-alvo do projeto for um executivo acostumado com termos complexos de economia ou administração, por exemplo, então você pode usar palavras mais técnicas na sua tradução.

Já se o público-alvo for um microempreendedor sem muito conhecimento técnico, o melhor é reduzir a complexidade da tradução com uma linguagem coloquial para que a compreensão seja otimizada.

Não tenha medo de adaptar o conteúdo

Muitas vezes, quem produz o conteúdo original que será traduzido não pensou muito bem na persona daquele material. Ou, se pensou, não considerou as diferenças regionais.

Afinal, um texto bem informal feito para o público cearense poderá ser quase ininteligível para um mineiro ou um paulista — vide algumas cenas do filme Cine Holliúdy, por exemplo.

Por isso, quando for traduzir um conteúdo, não tenha medo de adaptar o material para que a compreensão do receptor seja otimizada. Lembre-se: o papel de um tradutor não é só transpor uma palavra pela outra, mas sim interpretar o conteúdo para adaptá-lo de modo a gerar maior compreensão.

Agora que você já entendeu o papel do público-alvo, está mais capacitado para fazer boas traduções e participar de projetos de conteúdos multilíngues.

Sendo assim, registre-se no nosso Banco de Talentos e explore a oportunidade de trabalhar em projetos de tradução com a Rock Content!

Comunidade Rock Content - Faça parte da maior base de freelancers do BrasilPowered by Rock Convert

Posts populares com esse assunto