pronome mesmo

Você sabe utilizar o pronome “mesmo” corretamente?

A palavra mesmo é um dos termos mais comuns do Português. Enquanto pronome demonstrativo, o uso do mesmo passa despercebido. Confira os principais erros e quais são os usos certos do pronome!

Você já parou para pensar sobre o pronome “mesmo”? A utilização desse pronome costuma confundir até os redatores mais experientes e é por isso que decidimos dedicar um post exclusivamente a esse tema. Afinal, o pronome “mesmo” é tão comum em nossa vida que nem sempre observamos as regras que o regem.

Em qualquer lugar do Brasil você, provavelmente, já viu ou ouviu a frase “Antes de entrar no elevador, verifique se o mesmo se encontra parado neste andar”. Essa frase já faz parte do nosso cotidiano, porém, é um dos clássicos exemplos de mau uso do pronome “mesmo”, por isso, vamos entender o porquê ao longo deste texto.

Pronto? Então comece já a leitura!

“Mesmo” não é pronome pessoal?

A frase do exemplo introdutório tem uma história complicada. Tudo começou quando a câmara de vereadores de São Paulo, preocupada com a segurança dos moradores da cidade, promulgou uma lei obrigando os edifícios da cidade a implementar essa frasezinha na porta dos elevadores. O que parecia um ato de boa intenção, todavia, não passou em momento algum pelas mãos de um revisor.

É que na frase dos elevadores o principal erro que alguém pode cometer em relação ao pronome “mesmo” aconteceu: ele foi aplicado como pronome pessoal. E quando a lei se espalhou por todo o país, ninguém se deu ao trabalho de corrigir essa simples frase.

Quando “o mesmo” é utilizado como pronome pessoal, especificamente nesse contexto, a incorreção é provocada pois não há em nenhum momento a informação sobre quem é esse tal de “mesmo”. O ideal em situações como essa seria uma correção bem simples, substituindo o “mesmo” pelo pronome “ele”.

Porém a confusão é muito natural. Mesmo porque somos ensinados, incorretamente, a usar o pronome “mesmo” toda vez que não queremos nos repetir, não é?

Aí em frases como “Conversei com o padre e o mesmo acredita que a juventude está perdida” o erro passa quase que batido. A frase soa muito bem e acreditamos que estamos respeitando o bom português.

Porém o “mesmo” não é pronome pessoal em situação alguma. Ele é um pronome demonstrativo, que deve ser utilizado para retomar uma oração ou na hora de realçar um substantivo. Como fizemos ali na frase: “Mesmo porque somos ensinados, incorretamente, a usar o pronome “mesmo”…” acima.

Qual a função do “mesmo” nas frases?

Os pronomes demonstrativos, como o “mesmo”, são pronomes específicos que utilizamos na hora de retomar ideias e situar pessoas em relação a um dado discurso. Todos os pronomes demonstrativos se referem ao tempo, ao espaço ou ao próprio texto que estamos escrevendo. Por isso, eles são demonstrativos, servindo para reforçar os pronomes pessoais.

Na língua portuguesa temos pronomes demonstrativos de sobra e eles são: o, a, os, as — quando equivalem a isto, isso, aquele, aquela e aquelas —, mesmo, próprio, tal, semelhante, este, esta, esses, essas, aquele(s) e aquela(s). De todos esses pronomes, todavia, o “mesmo” é o que melhor nos indica uma referência a ideias que já foram expressas textualmente, porém, ele sempre pede um complemento, pois ele não é usamos para retomar como faz o pronome pessoal.

Por exemplo, “toda vez que eu ando de bicicleta eu caio, o mesmo acontece com a minha irmã”. A pergunta que fica é: o “mesmo” quê? “O mesmo caso”; “o mesmo fato”, portanto, “toda vez que eu ando de bicicleta eu caio, o mesmo fato acontece com a minha irmã”.

Como utilizar o pronome “mesmo” corretamente?

Então, como garantir que estamos usando “o mesmo” corretamente? Use as equiparações abaixo para orientá-lo:

  • o “mesmo” está correto quando denota ideias como “justamente, de fato, até, ainda”. Pense em frases semelhantes a “É aqui mesmo que quero morar quando estiver mais velho”;
  • o “mesmo” também é adequado quando falamos da exata mesma coisa já referida. Um bom exemplo é “O mesmo que lhe informei tratei de ressaltar naquele momento”;
  • mas o “mesmo” também é usado “na mesma situação”, ou seja, como uma expressão. Nesse caso ele aparece em frases como: “Falar ou não com Pedro dá no mesmo”; e
  • outra situação em que o “mesmo” aparece é como conjunção concessiva, significando “ainda que”. “Mesmo que eu não vá a festa você deve ir”.

Os únicos contextos em que o “mesmo” é pronome é quando ele significa “idêntico”, “próprio” ou “exato”. Frases como “Elas mesmas arrumaram o chuveiro” se encaixam nessa situação.

E aí? Acha que agora terá facilidade de usar o “mesmo”, quer ele apareça na frase como pronome demonstrativo (o mais comum) ou conjunção? Esperamos que sim.

Gostou de entender melhor como usar o pronome “mesmo” corretamente? Então aproveite para aprender tudo sobre pronomes em um guia simples que vai ajudá-lo a ser um redator ainda melhor!

63 erros para evitar na escritaPowered by Rock Convert