Por Autor Convidado

pelo blog da Comunidade Rock Content.

Publicado em 24/01/2017. | Atualizado em 09/01/2019


A sua voz nas redes sociais precisa estar muito alinhada com o seu público, usar técnicas de neuromarketing, storytelling e muito mais.

Torne-se um especialista em produção de conteúdo!Powered by Rock Convert

Este artigo foi escrito pela equipe do blog Vitamina Publicitária para o blog da Comunidade Rock Content.

Quem já conhece um pouco de Marketing de Conteúdo, sabe que as redes sociais deixaram, há muito tempo, de ser somente uma plataforma de entretenimento. Mais do que isso, elas se tornaram uma ferramenta essencial para que marcas e empresas alcancem o seu público.

Entretanto, não basta estar lá: é preciso desenvolver um trabalho contínuo, frequente e de (muita) qualidade para que esse objetivo se concretize.

Os números ratificam o que vemos diariamente: segundo a própria rede, em 2016, o Facebook ultrapassou a marca de 1,65 bilhão de usuários ativos no mundo todo. A cada minuto, mais de 500 mil comentários são publicados e mais de 300 mil de atualizações de status são postadas.

Na ótica de uma empresa, isso significa que potenciais clientes estão diariamente, minuto a minuto, atualizando sua timeline, consumindo conteúdo nos mais variados formatos.

Essas mesmas empresas e marcas, por sua vez, têm a tarefa de produzir conteúdo da forma mais eficiente possível, focando em ser relevante e dentro dos padrões ortográficos.

posts para redes sociais

É aí é que “o calo aperta” e as empresas se perguntam: qual o segredo para publicar conteúdo que faça sucesso entre os curtidores? Mais do que isso, que os leve a conhecer o meu produto?

Saiba com quem você está falando

Caso não saiba, ao começar uma estratégia de social media esse deve ser o primeiro passo. É uma boa prática realizar essa análise antes mesmo de fazer check-in no Facebook.

Você precisa saber com quem conversar, quem atrair, quem é a persona da sua empresa… Afinal, é com essa pessoa que o seu conteúdo vai interagir!

Mapa de empatia

Usar um mapa de empatia ajuda a entender o cliente e criar produtos e serviços que eles realmente vão comprar.

Mas você sabe o que é isso? O mapa de empatia é uma ferramenta visual, com 7 campos principais.

Resumidamente, é uma folha dividida em 4 quadrantes cujos títulos são “Pensando”, “Vendo”, “Fazendo” e “Sentindo”. Existem versões ligeiramente diferentes, com variações dessa ideia principal.

Após completar esse exercício, o resultado será o seu mapa de empatia. Utilize-o para criar a sua estratégia e conversar com a sua equipe sobre ele (se você tiver uma!).

O que todos acham? Como poderiam melhorar? Este processo é contínuo e melhora com o tempo.

Todos os dias aprendemos mais sobre nossos clientes, e o mapa da empatia pode ser revisto mensalmente, semestralmente ou anualmente.

Buyer Persona

Uma buyer persona também pode aprofundar o entendimento do cliente e ajudar você a construir um conteúdo melhor. Inclusive, se você deseja se aprofundar nesse assunto, confira aqui um ebook perfeito sobre o tema.

Conteúdo: a chave de todo relacionamento!

No fim das contas, o conteúdo é o responsável pelo sucesso (e também pelo fracasso) da presença na rede social. É ele quem vai atrair o seu potencial cliente.

posts para redes sociais

Todavia, algumas boas práticas para criação de conteúdo nessa rede podem fazer a diferença, principalmente no que diz respeito a ir além do Facebook e conhecer o seu website, os seus produtos e serviços.

Construa seu Conteúdo Mínimo Viável

Depois de entender e conhecer seu cliente a fundo, construa o seu conteúdo mínimo viável, também conhecido como conteúdo de fundação.

Seu conteúdo de fundação deve ser as principais informações e conhecimentos que seu cliente precisa saber para fazer negócio com você. Esse conteúdo resume as principais respostas para as perguntas que foram levantadas no mapa de empatia.

Podem ser alguns artigos ou vídeos, por exemplo. O formato será determinado pelo conhecimento da sua audiência. Como eles preferem consumir essas informações?

Construa esse conteúdo de fundação para que seu cliente faça negócio com você. Apresente este conteúdo de uma forma única e especial, que educa e entretém seus leitores em direção a seus produtos e serviços.

Atraia as pessoas que possuem potencial para adquirir seus produtos e serviços e tente educá-las, mostrando porque seus produtos e serviços são as melhores soluções para elas.

Para isso, utilize o mapa de empatia que você criou! Ele vai mostrar o que deve ser seu conteúdo de fundação e como ele deve ser apresentado.

Cuidado com as fórmulas ou receita prontas!

Cada negócio, cada cliente, cada pessoa é única. Tem suas particularidades, seus desejos, suas vontades, seus objetivos, suas dores. E é exatamente por isso que não existe uma fórmula, uma receita única para alcançar o sucesso no Facebook: o êxito é construído post a post, curtida a curtida, com muito esforço e muita dedicação.

A curtida, o comentário e o compartilhamento do seu usuário são as suas maiores fontes de informação

Antes de mais nada, é primordial que você, na condição de marca e de empresa, entenda que você está no Facebook por um único motivo: pelo seu potencial cliente.

Dessa forma, todas as ações que você desenvolver nesta plataforma devem ser direcionadas e focadas nele: no que ele pensa, no que ele faz, no que ele consome, no que ele gosta (ou não gosta).

Assim, observar, analisar, entender, compreender, explorar a origem dos seus prospects é fundamental.

Por trás de cada curtida, cada comentário, cada marcação, cada compartilhamento, há um motivo. Compreendê-lo é a maneira mais eficaz de definir o posicionamento de uma empresa e da linha de conteúdo que você seguirá.

É preciso que você tenha sempre em mente que, no Facebook é você quem deve trabalhar para ser encontrado e não o contrário: da oferta de conteúdo à oferta de serviço, é papel da empresa facilitar a vida do potencial cliente!

Não seja o “tio descolado”

As taxas de rejeição para as marcas e empresas que querem ser “diferentona feat. bacaninha” são estratosféricas.

Forçar uma postura que não condiz com a identidade da sua empresa afasta os usuários (ao invés de atraí-los).

#Hashtags têm limite!

Os usuários buscam por conteúdo de primeira, diferente e nada superficial: encher a sua publicação de hashtags não ajudam em nada; aliás, só dificulta a compreensão da mensagem que você precisa passar. Use com moderação!

posts para redes sociais

Use Técnicas de Mídias Sociais

Algumas técnicas de marketing e comunicação funcionam especificamente bem nas mídias sociais. Além de criar um relacionamento de longo-prazo para construir a confiança necessária para vender, use táticas como a técnica PAS.

A Técnica PAS

Esta técnica é chamada de PAS, e resume Problem, Agitate e Solution. A ideia é que primeiro você jogue um problema na mesa. A mesa, neste caso, são as redes sociais 😀

Então o primeiro passo é apresentar um problema para os seus seguidores. Normalmente, este problema vem em forma de uma pergunta.

Na verdade, você já tem a resposta para essa pergunta, que é o seu conteúdo. Encontre um problema e sugira um conteúdo que ajude o seu cliente a superá-los, o que significa atingir as metas, superar os seus concorrentes e responder às questões pré-venda.

Ainda pensando na resposta ao problema, você só a tem porque estudou o seu mapa de empatia e a persona. Utilize essa informação para construir um excelente conteúdo de fundação ou um bom planejamento de conteúdo para o ciclo de vida do cliente.

Se você não pular as etapas e realizar estas etapas passo a passo, você estará muito a frente da sua concorrência e vai realmente engajar nas redes sociais.

Então você jogou o problema na mesa. O segundo passo é agitar esse problema, a fase que chamamos de Agitate. Nesta etapa você vai agravar a situação e mostrar o tamanho do problema para o seu cliente.

Como é um problema importante para ele resolver, você não está manipulando ele, mas apenas relembrando a gravidade da situação e lembrando como é importante resolvê-la. Mesmo agitando o problema, você está ajudando o seu cliente.

É como se você fosse um médico que deixa clara a gravidade da situação. E aí vem a parte bonita da equação, a terceira parte, que é a solução. Então você dá o problema, agita e dá a solução.

Neuromarketing

Mais do que atingir seu público-alvo, chegou a hora de desenvolver campanhas de marketing com foco no subconsciente de seu consumidor, a fim de ampliar sua lista de clientes fidelizados.

Crie Conteúdo com a Técnica de Neuromarketing Discurso Fechado

O conteúdo precisa ser produzido da forma que a mente humana gosta de ser convencida. E fazemos isto através do discurso fechado, ou discurso quadrifásico, que é uma das técnica de neuromarketing mais efetivas.

O Discurso Fechado

O primeiro elemento que você precisa no seu conteúdo para atrair, vender e fidelizar com a internet e as redes sociais é uma headline, ou título do seu conteúdo. A headline é uma linha de assunto que chama a atenção do seu cliente.

É uma chamada que ele realmente quer ler. E você vai chegar nessa chamada com o seu mapa de empatia, buyer persona e o seu conteúdo de fundação e planejamento de conteúdo para o ciclo de vida do cliente.

A Primeira Impressão é a que Fica

A headline (ou título do post) precisa ser bem trabalhada, afinal não adianta você criar o melhor conteúdo do mundo se ele não for acessado por ninguém. Se o seu conteúdo não for clicado, também não será lido.

Logo, com a buyer persona e o seu planejamento de conteúdo, você vai adicionar palavras que ressoam com a sua audiência.

Dessa forma, você pode chegar em uma headline que chama a atenção da persona. Seja criativo, use palavras persuasivas e seduza o seu leitor.

Agora, veremos como é feita a estruturação do seu conteúdo com o discurso fechado.

A Introdução

posts para redes sociais

A primeira parte necessária para o sucesso do seu conteúdo é uma boa introdução.

Ela precisa ser um resumo do texto e inspirar o seu leitor a continuar lendo. Pode ser uma história, um fato, elogio, conselho, pergunta, desafio…

Vai depender da sua estratégia. A introdução é importante porque é onde você faz uma promessa que vai ser respondida ao longo do seu conteúdo.

Portanto, tente responder na introdução:

  • Por que o leitor deveria continuar lendo?
  • Por que ele deveria se importar com o que você escreveu?
  • O que tem neste conteúdo para ele?

Lembre-se que o leitor, seu potencial cliente, é o herói da história que você está contando com seu texto. O que ele vai conseguir fazer após consumir o seu conteúdo? Qual é o resultado?

A Narração

A segunda parte é chamada de narração, também conhecida como desenvolvimento do conteúdo.

Aqui, você vai contar o que precisa de uma forma lógica, que mostre o seu conhecimento sobre o assunto, que seja fácil de ler e realmente agregue valor para ele.

É essencial lembrar que aqui é onde o publicante agrega valor, ensina, para somente depois sugerir a venda de alguma coisa.

E, claro, quanto mais valor você agregar, mais caro você pode cobrar.

A Prova

A terceira parte é chamada de prova. Responda:

  • Por que tudo que você escreveu é verdade?
  • Por que o seu leitor ou cliente deveria acreditar em você?
  • Quais provas, estatísticas, números ou referências você tem para embasar a sua história?
  • Quais os resultados que você ou outras pessoas atingiram com o que você contou?

Essa parte prova porque ele deve fazer a ação que você vai sugerir na quarta parte.

A Conclusão

posts para redes sociais

E a quarta parte é a conclusão.

Agora, você precisa revisar os pontos principais do seu discurso e influenciar as emoções e ações do seu cliente.

É preciso incitar e incentivar o seu leitor a realizar a ação que você deseja. A essa prática, chamamos de call-to-action, ou chamada para ação.

Leitura dinâmica e emojis

Quando fazem sentido, dando dinamicidade ao texto, os emojis são bem-vindos! Nos casos de textos um pouco mais extensos ou, ainda, quando existirem muitos links, eles quebram a monotonia e facilitam o clique!

Erros de ortografia: mais do que evitar, não se permita!

O erro na mídia online se tornou banal pela sua facilidade de correção. Não deixe que isso se torne uma desculpa para que as suas publicações contenham erros.

Leia, releia com atenção e peça para que outra pessoa revise seu conteúdo. Em resumo, tome todas as providências possíveis para dirimir falhas de grafia.

Um filme de terror chamado “20% de texto”

Quem trabalha com impulsionamento de publicações no Facebook sabe que a rede diminui consideravelmente o alcance de imagens que contenham mais de 20% de texto.

Mais do que selecionar as publicações para que a timeline não seja poluída visualmente, essa é uma estratégia para separar o joio do trigo, de quem sabe dizer muito com pouco.

“Textão”

Nem só de objetividade viverão as marcas: quando bem construído, bem argumentado, um conteúdo mais extenso tem seu valor.

Acima de qualquer coisa, tenha claro que a sua proposta de publicação — independentemente do tamanho —, seja pertinente e relevante!

Variedade e equilíbrio: a chave do sucesso!

Diversificar os formatos e os conteúdos é a grande questão. As pessoas vivem um ritmo desenfreado de vida e, por isso, se destacar (não somente diante da concorrência, mas também do conteúdo compartilhado pelos amigos) no Facebook não é uma tarefa fácil.

É preciso muito teste, muita observação, muita análise para se sobressair e, ainda mais importante, ganhar a atenção e o tempo do seu potencial cliente.

Para isso, é recomendado explorar as ferramentas que o Facebook disponibiliza. Procure adaptar o conteúdo, o formato e a relevância.

Ouça o que os seus prospects dizem e estabeleça uma conversa horizontal, de mão dupla, provando que sua marca quer muito mais do que um like ou um comentário.

Use E-mail Marketing

Apesar deste artigo falar sobre mídias sociais, nunca se esqueça que você não controla as mídias sociais, que são plataformas pay-to-play atualmente. Isso significa que, para atingir a sua audiência, você precisa pagar se quiser usar as mídias sociais.

Se você quer evitar isso, utilize o email marketing e seja o dono do alcance da sua comunicação e da sua audiência. Se você não sabe, o email vende 40 vezes mais do que o Facebook e o Twitter juntos.

Por isso, ter um website ou blog onde as pessoas podem acessar e se inscrever para receber seus e-mails, suas novidades e conteúdos, é fundamental.

A premissa básica do marketing digital é que o dinheiro está na lista. Com o e-mail das pessoas interessadas em você, no seu negócio e na sua marca, é mais fácil vender!

Em conjunto com conteúdo para as redes sociais, você vai atrair, vender e fidelizar clientes com mídia, não marketing.

E agora? Preparado para dominar a criação de posts para redes sociais? Continue acompanhando muito mais dicas de produção de conteúdo aqui no blog da Comunidade Rock Content e também no Vitamina Publicitária!

Posts populares com esse assunto