Por Alvaro Furtado

Publicado em 05/06/2018. | Atualizado em 06/02/2020


Aprenda como estruturar um Plano de Desenvolvimento Individual para crescer na carreira.

Desenvolvimento é hoje um assunto muito recorrente nos ciclos de discussão em recursos humanos.

Cada vez mais, percebemos a constante necessidade de aprimoramento, tanto em ambiente profissional quanto pessoal.

Mas como fazer o tal PDI? E principalmente, por que fazê-lo? Descubra suas respostas agora neste artigo!

O que é um PDI?

Em curtas palavras, PDI é um plano de desenvolvimento individual. Ou seja, é um conjunto de ações, diagnósticos e prognósticos, que sugerem a mudança de um comportamento, desenvolvimento de habilidades ou ambos, por outros mais adaptativos ao contexto no qual o sujeito está inserido.

Um bom PDI deve delimitar objetivos, meios para o atingimento das metas e modos de mensuração das ações propostas.

Assim, o plano deve especificar, inicialmente, poucas áreas de desenvolvimento e em um período de tempo determinado, sempre apontando para uma mudança futura situada na interseção existente entre interesses x forças/fraquezas x ambições e estará sempre equilibrado entre vida pessoal e profissional (não se sujeitando a nenhuma das duas).

Mas por que ter um PDI?

Faça o seguinte movimento: olhe para você mesmo no passado e escolha um momento em que você não obteve êxito total no atingimento de algum objetivo.

Muito provavelmente, o seu “eu” hoje vê novas formas de atingir tais resultados! Isso acontece porque você desenvolveu habilidade ou comportamentos mais adaptados e aprimorados para aquele desafio, o que é desenvolvimento em sua essência.

E, aqui está o principal fator motivador para se ter um PDI claro e objetivo: preparar-se para os desafios futuros, seja em sua carreira ou em seus objetivos pessoais.

Passos para criação de um PDI

PDIs são planos de evolução, que norteiam nos próximos passos para o atingimento de um objetivo.

A primeira etapa na elaboração de um PDI deve ser um diagnóstico para se perceber as habilidades que você já possui, para em seguida ordenar suas aspirações — incluindo prazos para atingimentos de tais metas.

E por fim, deve-se verificar se há adequação entre suas habilidades e aspirações. De forma que o PDI deve trabalhar exatamente nesses espaços, entre o aprimoramento e a potencialização de habilidades já instauradas. Além da promoção de habilidade latentes, de modo a suprir os GAPs percebidos, viabilizando o atingimento destes objetivos.

Como boa prática, é indicado focar em no máximo 3 novas habilidades, a cada período de mensuração (que pode variar de acordo com os objetivos selecionados).

Isso irá aumentar a eficiência e eficácia dos esforços empreendidos. E, como dito anteriormente, o objetivo deverá idealmente estar na interseção entre vida pessoal, aspirações de carreira e habilidades que você já possua ou deseja desenvolver.

Recapitulando

PDIs são planos de desenvolvimento, personalizados para o alcance de um objetivo, devem ser mensuráveis e com duração determinada.

Lembre-se: você deve sempre priorizar objetivos com os quais você tenha afinidade, além de habilidades que você deseja lapidar ou desenvolver. O seu desejo será fator crucial na manutenção de sua motivação! 😉

E aí, se interessou? Quer saber mais sobre PDIs? Confira nosso webinar sobre o assunto!

Posts populares com esse assunto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *