Por Gustavo Grossi

Analista de Marketing na Rock Content.

Publicado em 17/06/2017. | Atualizado em 16/04/2019


A persuasão é uma das maiores artes que um copywriter pode desenvolver. Mas afinal, o que precisa ser desenvolvido em termos de ideias e escrita? Persuadir é o mesmo que manipular? Descubra tudo no post de hoje!

Torne-se um especialista em produção de conteúdo!Powered by Rock Convert

Uma das melhores qualidades que um redator freelancer pode ter é o poder de persuasão. Afinal, não importa se você está escrevendo sobre Direito, Moda ou Tecnologia, há sempre um objetivo por trás da escrita: convencer o leitor de que suas dicas, argumentações e explicações são sensatas, adequadas e contém a resposta que ele procura para a solução de um problema.

Na prática, transparecer essa habilidade em seus textos pode ser um pouco mais difícil, principalmente quando você está escrevendo sobre temas com os quais tem pouca familiaridade.

Para isso, preparamos um post com tudo que você precisa saber para criar textos muito convincentes. Siga estes passos e nunca mais perca um potencial cliente! Confira:

Entenda o conceito de persuasão

Persuasão é a arte do convencimento. Basicamente, é a habilidade que algumas pessoas possuem para convencer as outras acerca de determinado assunto, opinião ou objetivo.

Uma pessoa persuasiva apresenta diversas vantagens no mundo profissional, acadêmico e pessoal, já que ela exerce certo encanto sobre as pessoas ao seu redor.

Logo, alguém persuasivo sabe identificar as necessidades do outro e interage com elas exatamente da forma mais adequada para gerar convencimento.

Persuadir não é manipular

Se engana quem pensa que persuadir é algo negativo. Na verdade, esse conceito não se confunde com manipulação, que é a habilidade de enganar e convencer as pessoas a partir de fatos mentirosos ou enviesados.

A persuasão, ao contrário, tem como fundamentos informações verdadeiras, ainda que polêmicas. De maneira simples e clara, persuadir não é manipular!

Para o redator freelancer, é muito importante ter isso em mente para que você não cometa o erro de cair na síndrome de impostor, ou então se sentir culpado por apresentar a argumentação pedida por seu cliente no pitch da tarefa.

Na verdade, como você vai descobrir depois de terminar a leitura deste post, o poder de persuasão deve ser exercido de forma honesta, informada e leal como seu leitor!

Por que essa habilidade é importante para uma estratégia de marketing de conteúdo?

Se você escreve textos para web usando as práticas do marketing de conteúdo, provavelmente já percebeu a importância da palavra “persuasão” para a qualidade de seus textos. Em uma estratégia de marketing de conteúdo, cada texto publicado no blog de um cliente é uma peça de um quebra-cabeças muito maior, que visa a atrair, ajudar e fidelizar consumidores em potencial.

Cada uma dessas peças contêm respostas para problemas-chave que seu leitor visa solucionar em sua vida, sejam elas questões simples do dia a dia, até problemas mais graves, que provavelmente o produto ou serviço do cliente será capaz de resolver.

Nesse contexto, é imprescindível ter noção dessa imagem mais ampla, na qual seus artigos representam um degrau entre a confiança do leitor e uma aproximação mais efetiva com o cliente. Assim, cada artigo que você escreve faz toda a diferença na aproximação entre leitor e cliente.

Você é o mediador que tem nas mãos a ferramenta ideal para promover essa aproximação: um texto bem escrito, coeso, fundado em dados e fatos.

Mas, com tudo isso na mão, eu tenho garantia de que um texto é persuasivo? Como colocar em prática a persuasão nos seus textos?

Identifique problemas, gere empatia e ofereça soluções

Essa é a tríade fundamental de um texto persuasivo bem escrito. Se uma pauta foi bem elaborada, ela já oferece esse caminho das pedras para seu texto.

Do começo ao fim, do título à CTA, ela determina exatamente o problema que você deverá levantar na introdução, a empatia que você precisa gerar com o leitor e a necessidade de oferecer respostas concretas, úteis e efetivas para essa pessoa. Se você conseguir atingir esses três objetivos, seu texto terá muito mais chances de gerar bom convencimento no final das contas.

E qual é o primeiro passo? Basta pensar na persona de cada post. Normalmente, não é difícil ter empatia por esses sujeitos.

Por mais que eles tenham uma idade diferente da sua, sejam de uma classe ou gêneros distintos, alguns desses problemas são universais e você só precisa se colocar no lugar dessa persona para conseguir levantar problemas e sensibilizar o leitor por meio de suas palavras. A seguir, algumas dicas fundamentais para que isso ocorra de forma natural:

1. Conhecimento é fundamental

Não adianta querer convencer alguém acerca de um tema sobre o qual você não sabe nada. Mas é possível escrever sobre temas que você conhece pouco!

Por isso, é imprescindível fazer uma boa pesquisa prévia sobre o tema a ser tratado. Nessas horas, procure observar com atenção o tipo de vocabulário utilizado, os principais tópicos mencionados nos textos de referência, bem como as fontes mais confiáveis para tratar sobre o tema.

Alimente seu conhecimento sobre o tópico do texto para só então começar a pensar na estrutura e no desenvolvimento.

2. Corrobore seus argumentos

Em geral, você já sabe aonde seu texto irá chegar. Antes mesmo de iniciar a redação, o pitch de uma tarefa já te diz qual deve ser a conclusão, ou ao menos os principais aspectos que você deverá destacar ao longo de sua argumentação.

Para que você consiga efetivamente persuadir o leitor acerca dessa conclusão, é preciso corroborar seus argumentos com fatos, exemplos, casos, dados e informações.

Sempre possível, enriqueça suas tarefas com links internos, de publicações anteriores do blog ou veículo em que o texto será publicado. No caso de links externos, utilize-os para confirmar dados e estatísticas que comprovem aquilo que você está dizendo.

Essa é uma forma de ganhar o leitor por meio da maneira mais simples de persuadir: oferecendo fontes que comprovem suas frases. Portanto, certifique-se de que o link building de seu texto, sobretudo os links externos, direcionem apenas para fontes confiáveis, de autoridade no assunto.

Confira um compilado de conteúdos para te inspirar a produzir textos incríveis! ✍️
Como escrever bem: 39 dicas para começar agora
Inspiração para escrever: 15 dicas de como ter ideias para escrever
Storytelling: tudo sobre a arte de contar histórias inesquecíveis
Copywriting: entenda como dominar a escrita persuasiva

3. Vendo sempre a metade cheia do copo

Se você está escrevendo sobre um tema polêmico, ou sobre algo que tem sempre dois lados, pontos negativos e positivos, não é preciso esconder a realidade dos fatos.

Aliás, uma das maneiras de persuadir seu leitor é justamente mostrar os aspectos positivos e negativos de determinado tema, ainda que você escolha um ou outro lado dessa moeda. Isso gera uma relação de maior honestidade entre você e o leitor, já que ele sabe que você poderia ter apresentado somente os pontos que favorecem seu cliente na argumentação.

Em vez disso, você fez algo ainda mais interessante: mostrou a metade cheia do copo. Ao mostrar que há sim problemas, mas que existem soluções possíveis, ou oferecendo algumas alternativas para o leitor, você conquista a sua confiança e acaba por se aproximar mais dele.

Afinal, não é mesmo essa a estratégia do marketing de conteúdo? A cada passo em direção ao cliente que você ajuda o leitor a dar, melhor é sua atuação como redator freelancer!

4. Linguagem importa? Sim, mas não como você pensa!

Já falamos aqui neste texto sobre a persona. Muito mais importante do que identificá-la na pauta, saber exatamente quem é a persona de seu texto serve para identificar a linguagem ideal de escrita do texto. Esse é um dos pontos mais fundamentais para persuadir seu leitor.

Afinal, de nada adianta você utilizar todos os argumentos corretos ao escrever um texto para um adolescente, mas o fazer de forma excessivamente formal, tediosa e protocolar. É preciso se adequar à linguagem da persona!

Assim, é importante ter em mente que o poder de persuasão não depende, necessariamente, da linguagem do texto. Um texto pode ser escrito com vocabulário mais coloquial e ainda assim ser persuasivo!

Da mesma forma, se seu leitor for um executivo de idade avançada e gostos refinados, talvez seja imprescindível utilizar a norma culta e o vocabulário rebuscado para gerar confiança suficiente e, consequentemente, convencimento.

Atente-se para esses aspectos de linguagem quando estiver escrevendo seu próximo texto!

5. Facilitando o trabalho do leitor

Você também já deve ter percebido que a maioria dos textos de marketing de conteúdo é recheada de intertítulos, marcações em negrito, hiperlinks, imagens que condizem com o texto, entre outros elementos que facilitam o trabalho do leitor.

Em uma sociedade cada vez mais conectada, multitarefa e cheia de estímulos online, é preciso escrever artigos de forma objetiva, clara e precisa. Já falamos aqui que clareza e objetividade são alguns dos elementos mais importantes do copywriting.

O uso dos intertítulos, por exemplo, é uma ótima forma de tornar seus textos mais convincentes. Vamos imaginar que seu texto contenha 10 dicas sobre como organizar as finanças pessoais. Dividir essas dicas em exatamente dez tópicos vai ajudar seu leitor a passar por seu texto escaneando aquelas dicas mais úteis.

Ele pode já utilizar algumas em seu dia a dia. Em vez de simplesmente rejeitar seu texto por encontrar dicas que ele já conhece, dividir o artigo por meio de intertítulos o ajuda a procurar novidades, ou até mesmo argumentos que o convençam a fazer algo de forma diferente.

Veja uma lista de conteúdos que irão ajudar você a estruturar seus textos! ✍️
Título de texto: aprenda a causar a melhor primeira impressão
Como fazer uma introdução perfeita: o guia definitivo
Como fazer uma conclusão perfeita!
Textos Argumentativos: veja como trabalhar seus argumentos da melhor maneira
O que é resenha e qual é a diferença para o resumo?
Como fazer uma resenha: o passo a passo definitivo para uma resenha perfeita
Descubra como fazer um resumo de qualidade em 7 passos

6. Escrevendo sem enrolação

Por falar em clareza e objetividade, está na hora de você parar de enrolar seus leitores! Independentemente do número de palavras de seu texto, não adianta repetir exaustivamente os argumentos apenas para preencher um número mínimo de palavras exigido pelo cliente.

Seu leitor percebe a enrolação de longe e dificilmente chegará ao final do texto para ser convencido! Assim, nada de enrolar seu leitor! Lembre-se que tarefas com mais palavras significam, na verdade, mais argumentos, maior riqueza de detalhes!

Por isso, você sempre pode pesquisar novas informações para complementar seu texto, ou até mesmo dicas sobre como escrever textos que agradam seus clientes.

7. Tornando tudo mais prático

Dependendo do tema sobre o qual você está escrevendo, pode ser bem difícil para um leitor leigo compreender o seu texto. Isso costuma acontecer quando é preciso usar termos técnicos, médicos, científicos e até em outro idioma. Por mais que um vocabulário rico agregue valor ao texto, ele pode gerar o efeito contrário e fazer o artigo parecer complexo.

Para esses casos, tente escrever da forma mais prática possível. Use exemplos para explicar cada situação proposta, dê sinônimos para termos pouco utilizados, faça o que for necessário para garantir que qualquer leitor possa entender o que está sendo dito no texto.

Um ponto importante são as palavras estrangeiras. Algumas expressões da língua inglesa já estão até corriqueiras no Brasil, mas é perigoso presumir que todos sabem a tradução. Sempre que utilizar um termo em outro idioma, inclua a expressão equivalente em Português ou faça a tradução literal — assim ninguém fica em dúvida!

8. Dados, números e estatísticas

“Muitos brasileiros ainda não se vacinaram contra a gripe em 2017.”

“73% dos brasileiros ainda não tomaram a vacina de gripe neste ano.”

Qual das duas chamadas parece mais convincente? A presença de uma estatística torna o fato palpável, e oferece mais credibilidade do que as palavras “muito”, “pouco”, “bastante” ou “vários”. Para alcançar a persuasão em seus textos, você deve apresentar dados concretos sempre que eles existirem.

Além dos números em si, citar as fontes responsáveis por ele pode aumentar consideravelmente a autoridade do texto. Isso se intensifica quando tratamos de institutos de renome e empresas de referência em determinados segmentos.

9. Usando o poder dos gatilhos mentais

É impossível falar de persuasão sem falar dos gatilhos mentais. Essas expressões são importantíssimas para convencer o leitor do seu ponto de vista, principalmente em um texto voltado para vendas. Veja alguns exemplos dos gatilhos mais utilizados:

  • Identificação: Esse texto é para você que quer aprender a dominar a arte da persuasão em seus textos! 
  • Prova social: Mais de 4000 leitores já comprovaram que as nossas dicas funcionam!
  • Autoridade: Comunidade Rock Content é um dos blogs da maior empresa de Marketing de Conteúdo do Brasil, a Rock Content!
  • Urgência: Esse conteúdo é exclusivo e só vai ficar no ar por pouco tempo! Não deixe de conferir!

Os gatilhos mentais são formas de tornar seu texto ainda mais persuasivo, então não se esqueça de incluir alguns em todas as suas produções.

10. Capriche no CTA

Os calls-to-action são fundamentais para que o texto seja útil dentro de uma estratégia. É por meio deles que o leitor caminha pelo funil de vendas, adquire seus materiais e conhece melhor sua proposta. Ou seja, é pelos CTAs que um visitante se torna um lead, e futuramente um cliente.

Um texto persuasivo com CTA fraco é totalmente dispensável para os seus objetivos. Se você se esforça para convencer o leitor durante todo o conteúdo, feche com chave de ouro e inclua um CTA forte, irresistível e impossível de ignorar!

Aqui estão alguns exemplos de bons CTAs:

  • Clique aqui para conferir outro artigo aqui do blog que pode te ajudar a se tornar um mestre da persuasão.
  • Quais gatilhos mentais você costuma utilizar em seus conteúdos? Conte para a gente, deixe um comentário abaixo:
  • Baixe nosso novo ebook e confira 35 CTAs que geraram retornos inacreditáveis para empresas brasileiras! 
  • Assine nossa newsletter e receba os conteúdos exclusivos para membros da nossa comunidade!
  • Deixe seu e-mail e receba nossa oferta especial do mês: 
  • Curta nossa página no Facebook e concorra a um Kindle no sorteio da próxima semana!

Tenha em mente que os CTAs, para serem efetivos, devem conter esse tom imperativo, de ordem. É importante que os usuários sejam guiados e recebam direcionamentos a respeito do que fazer em seguida. Use isso a seu favor, não tenha medo de parecer incisivo demais. Lembre-se de que a persuasão se concretiza com o equilíbrio entre assertividade e sutileza!

Agora que você conhece bastante sobre a teoria, que tal colocar na prática suas habilidades de persuasão? Procure adotar essas dicas em seu texto e certamente você terá leitores mais engajados, avaliações melhores para suas tarefas e, consequentemente, maior sucesso como redator freelancer!

Para conhecer mais dicas espetaculares, aproveite também para ler nosso artigo Ciência da escrita: como um conteúdo web impacta nosso cérebro! Nele, você encontra toda a teoria científica por trás dos impactos do conteúdo web no nosso cérebro.

Faça a leitura e aprenda como escrever textos mais persuasivos com embasamento científico! Ah, e se você quiser ser um especialista na arte de escrever textos persuasivos, baixe nosso kit Conteúdos Incríveis:

Posts populares com esse assunto