O que fazer em agosto, o mês mais longo do ano?

O que fazer em agosto, o mês mais longo do ano?

Agosto, sem dúvida, parece o mês mais longo do ano. Mas isso pode trazer uma oportunidade. Para quem teve sucesso com suas metas (ou não), pode ser o momento perfeito para reconhecer as vitórias e organizar o que está por vir!

Agosto… Conhecido como o mês dos leoninos, dos não feriados, do desgosto. “Chega o Natal, mas não acaba agosto”, tenho certeza que você já ouviu alguém dizer algo do tipo, certo?

Acontece que, se por um lado agosto realmente é um mês longo no quesito número de dias, com pouco ou nenhum feriado (dependendo do lugar em que você mora), ele pode ser uma ótima oportunidade para rever o que você fez até aqui durante o ano, traçar seus objetivos para o restante e concretizar esses objetivos.

Afinal, agora você tem tempo, não é mesmo?

Por isso, neste texto, vamos mostrar para você como aproveitar esse mês tão infame para tirar o que ainda está no papel e colocar a mão na massa.

Antes de tudo, analise o que você fez até aqui

Imagino que lá na virada de 2018 para 2019 você fez uma (ou até várias) promessas de ano novo. Quem nunca, né?

E agosto é um ótimo mês para avaliar essas promessas, metas ou objetivos — chame como preferir. Isso porque ele é um dos meses intermediários do ano, logo após julho, quando costumamos ter um período em que muitas pessoas tiram férias (esse ano ainda tivemos Copa do Mundo) e logo depois voltam à vida normal.

Assim, torna-se um momento oportuno para analisar o que você alcançou.

Quer uma sugestão? Escreva em uma folha todas as metas que você tinha se proposto e comece a riscar todas que você já consegui até aqui. (Isso dá uma grande sensação de “dever cumprido” e é bem gratificante, vai por mim.)

Riscou o que você conseguiu? Valorize essas conquistas. Isso é fundamental para seu autodesenvolvimento e bem-estar.

Feito isso, o que fazer com o que você não fez ainda? Vamos ver isso no próximo tópico.

Depois, reavalie o que você ainda quer e pode conquistar

Valorizar o que você conseguiu alcançar é fundamental, mas também é importante observar o que você nem tirou do papel.

Ao observar as metas não alcançadas, diferencie aquelas que você ainda quer alcançar e as que você nem quer mais fazer.

Sim! Você não precisa conquistar tudo que queria a oito meses atrás. O tempo passa, as coisas mudam e nenhum objetivo precisa ser fixo! Provavelmente existirão coisas na sua lista que nem fazem sentido mais na sua vida.

Assim, agora você tem que pensar acerca da realidade daquelas metas iniciais, o que mudou até então que afetou a concretização delas.

Por exemplo: imagine que queria juntar mil reais e não conseguiu. Mas talvez isso não seja um problema, já que você fez uma viagem que não estava nos planos, e esses mil reais foram usados para uma experiência incrível.

Ao mesmo tempo, reflita se você ainda consegue fazer isso até o fim do ano. Nesse momento, uma dose de realidade é fundamental. Lembre-se, você tem mais quatro meses! Faça de tudo para que, ao reavaliar seus objetivos, estabeleça metas SMART, para não se frustar até o fim do ano.

Feito isso, crie uma nova lista com o que você já alcançou, com as metas que você vai manter e com eventuais novas metas que tenham surgido. Mas não crie metas demais, porque corre o risco de não ter tempo para concretizar todas, ok? Tenha sempre um pé no chão.

Quadro de Produtividade Para FreelancersPowered by Rock Convert

Por fim, crie um planejamento consistente para concretizar seus objetivos

Pronto, agora você tem uma nova lista com o que se propôs a alcançar até o fim do ano. Mas de nada adianta ter essa lista se você não tem um plano para concretizar seus objetivos, certo? Planejamento é fundamental.

Então, agora vamos ver dar o passo a passo para você criar o seu plano e conseguir, no fim do ano, sentir-se feliz com seus resultados.

1. Estabeleça prazos

Você estabeleceu suas metas até o fim do ano, mas isso não significa que elas precisam estar prontas no dia 31 de dezembro, né?

Estabeleça prazos para cada meta. Isso não significa que esses prazos são fixos (eles podem ser readaptados), mas são importantes para entregarmos os resultados. Caso contrário, acaba-se adiando a entrega, vamos postergando e fica tudo sempre pro final.

Prazos diferentes também contribuem para que você tenha pequenas vitórias ao longo do tempo, trazendo mais motivação para completar o restante dos objetivos.

2. Crie milestones

Na mesma lógica do tópico anterior, você não precisa concretizar um objetivo todo de uma vez. Crie pequenos objetivos dentro de cada meta! Isso é conhecido como milestones, que funcionam como marcadores e indicam o tanto que um objetivo está progredindo.

Isso também é importante para criar a sensação de vitória ao longo do tempo, fortalecendo sua motivação.

Observe exemplos de milestones:

  • Meta: juntar mil reais
  • Primeiro milestone: 400 reais em setembro
  • Segundo milestone 200 reais em outubro
  • Terceiro milestone: 250 reais em novembro
  • Quarto milestone: 150 reais em dezembro
  • Meta: correr 5 quilômetros
  • Primeiro milestone: finalizar agosto correndo 3 quilômetros
  • Segundo milestone: finalizar setembro correndo 4 quilômetros
  • Terceiro milestone: finalizar outubro correndo 5 quilômetros

3. Crie uma rotina

Se você chegou até aqui, já sabe como estabelecer prazos e milestones. Mas saiba que você só vai conseguir realizá-los se entender como encaixá-los em sua rotina. Afinal, uma meta exige persistência, organização e prática!

Não adianta, por exemplo, que você estabeleça o milestone de juntar 400 reais em setembro, se é aniversário do seu pai, da sua avó e do(a) seu(sua) namorado(a) e você quer comprar presente para todos. Também não tem como terminar o mês correndo 3 quilômetros se correr apenas uma vez na semana.

Assim, uma planilha de organização financeira e uma rotina de exercícios torna-se fundamental para a concretização das suas metas.

Sugestões dos editores:
[Planilha Gratuita] Controle de Gastos Mensais
4 dicas para organizar o e-mail e ser mais produtivo
Sem bagunça: descubra como organizar a mesa de trabalho
Técnica Pomodoro: veja como aumentar sua produtividade com a gestão do tempo
Definição de metas: o guia passo a passo para começar ainda hoje!
Freela Talks: o que você quer aprender nos próximos 40 minutos?

Lembre-se sempre que é preciso incorporar e encaixar suas metas na sua realidade. Caso contrário, dificilmente elas farão sentido na sua rotina diária e se tornarão sonhos distantes ou, pior, motivo de frustração.

Por fim, fica o recado: agosto pode parecer inacabável, mas ao mesmo tempo pode ser a oportunidade que você precisava para dar aquele pontapé inicial nos seus projetos de vida. Tudo depende de como você vai aproveitar todo esse tempo disponível.

Para que tudo isso ocorra da melhor forma, nada melhor do que conhecer a si mesmo e avaliar como estão os diversos aspectos da sua vida: profissional, pessoal, relacionamentos…

Quer mergulhar ainda mais na sua jornada de autoconhecimento? Conheça a Roda da Vida, ferramenta que vai ajudar você a explorar melhor suas potencialidades.

Roda da VidaPowered by Rock Convert