Por Luana Rios

redatora da Comunidade Rock Content, jornalista confiosa no poder da palavra para alumiar e mover. Pós-graduada em Marketing.

Publicado em 09/05/2018. | Atualizado em 29/07/2019


Resenha ou resumo: você sabe reconhecer as diferenças entre esses tipos textuais?

Torne-se um especialista em produção de conteúdo!Powered by Rock Convert

Gêneros textuais fazem parte do cotidiano das pessoas que estudam — seja no colégio, ensino superior, pós-graduação, mestrado, doutorado etc. — e também daquelas que são operadoras das palavras, certo?

Se algumas dessas opções se encaixa no seu perfil, você bem sabe, assim como nós, que, embora gêneros textuais sejam instrumentos corriqueiros na nossa rotina, hora ou outra surgem dúvidas sobre as características de cada um.

Por isso, neste post, vamos explicar direitinho o que é resenha e mostrar de uma vez por todas qual é mesmo a diferença desse tipo de texto para um resumo. Agora, deixe o celular de lado e preste atenção! Vamos lá?

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

Resenha versus resumo

A resenha é caracterizada por transmitir a opinião de uma pessoa sobre determinado conteúdo. Pode ser um livro, filme ou texto desde que o escritor faça uma abordagem analítica sobre esses formatos.

Geralmente, na resenha, são apresentados pontos de vista sobre o conteúdo de determinada obra; sua estética, em caso de filmes; sobre a intenção do trabalho; o contexto de sua produção, entre outros aspectos que variam a depender do objeto avaliado.

Já o resumo tem a intenção única de compilar os principais argumentos utilizados pelo autor para explanar uma ideia ou conceito. Trata-se de uma síntese bem objetiva sobre o assunto apresentado, na qual não são inseridos quaisquer conteúdos novos por parte de quem está resumindo.

Para facilitar a compreensão, vamos ilustrar o assunto com um exemplo de uma resenha e de um resumo escritos sobre a mesma obra: a série da Netflix “La Casa de Papel”. Aliás, no Blog da Comunidade, fizemos um post incrível sobre as semelhanças do título e um planejador de pauta!

Resenha na prática

“A Netflix sabe mesmo como surpreender seus espectadores. Sem muita divulgação, disponibilizou em seu catálogo uma série com nome em espanhol e sem rostos conhecidos no elenco. O que ela não esperava, porém, é que La Casa de Papel fosse se tornar uma das melhores do ano. Lançado ainda em 2017, o seriado prende a atenção do público desde o primeiro capítulo.”

A passagem acima foi escrita por Paula Ramos em resenha crítica publicada no site Poltrona Nerd.

Resumo na prática

“Lançada em 2017, a série La Casa de Papel é disponibilizada pela Netflix e conta a história de oito ladrões que se trancam na Casa da Moeda da Espanha para realizar aquele que seria o maior roubo da história do país, sob o comando do Professor, quem lidera o grupo é o responsável por recrutar e reunir o bando.”

Deu para notar a diferença? No primeiro exemplo, a autora do texto emite claramente sua opinião sobre a obra: para ela, a produção é surpreendente e prende a atenção do público desde o início.

Já quando estamos falando de um resumo, nota-se que a autora do texto (no caso, esta redatora que vos escreve) se isenta de adjetivar o conteúdo, trazendo no texto somente aqueles elementos que são fatos: quantos e quem são os personagens, qual o enredo da trama, ou seja, nenhum elemento opinativo.

Nota do editor:
Em uma resenha, saber recontar a história à sua maneira é fundamental. E uma técnica que pode te ajudar a desenvolver bem essa habilidade é o Storytelling! Para aprender mais sobre ela, confira nosso mini-curso gratuito sobre a arte de contar boas histórias. 😉
Mini-curso de Storytelling: Conquiste sua audiência contando boas históriasPowered by Rock Convert

5 características da resenha

Bom, seguimos na missão de deixar ainda mais claro o que é uma resenha. Se você ainda não entendeu, car@ leitor@, por gentileza, siga sem olhar o celular, beba uma água e volte sua atenção bem aqui.

Neste tópico falaremos especificamente das características que compõem esse gênero textual. Em resumo, a resenha:

  1. Traz opiniões assinadas;
  2. Usa adjetivos com frequência;
  3. Pode ser escrito na primeira pessoa do plural (nós);
  4. Descreve sucintamente a obra analisada: autor, enredo, contexto; elenco etc.;
  5. Recomenda o consumo ou não do conteúdo analisado.
Nota do editor:
Para aprender as melhores práticas e técnicas sobre como fazer uma resenha, confira nosso passo a passo definitivo para uma resenha perfeita!

Agora, segue a leitura que vamos esmiuçar os tópicos citados acima para eliminar toda e qualquer dúvida, ok?

Resenha = opinião!

Ainda que não seja uma opinião igual a sua, a resenha crítica emite SEMPRE o ponto de vista do resenhista, que é aquele quem escreve o texto. Inclusive, é importante ressaltar que esse tipo textual vem sempre assinado pelo responsável, ok?

Também nesse gênero, a apreciação do autor pode vir embasada, claro, com comparações a outras obras, metáforas e, claro, eles: os adjetivos — assunto do tópico a seguir!

Resenha da resenha = é maravilhosa, brilha como pôr do sol de verão!

Embora uma resenha possa não ser apresentada com adjetivos e metáforas tão óbvias, decerto que aparecerão algumas palavras que dão ideia de qualidade, que podem ser boas ou ruins.

Confira outros conteúdos para aprender como cativar o seu leitor produzindo textos incríveis! ✍️
Como escrever bem: 39 dicas para começar agora
Como fazer uma introdução perfeita: o guia definitivo
Como fazer uma conclusão perfeita!
Storytelling: tudo sobre a arte de contar histórias inesquecíveis
Copywriting: entenda como dominar a escrita persuasiva
Textos Argumentativos: veja como trabalhar seus argumentos da melhor maneira

Resenha = certa liberdade de escrita

Nesse gênero, há uma leve restrição somente ao uso da primeira pessoa do singular (eu), que não é muito utilizado e recomendado. Geralmente, os resenhistas escrevem esse tipo de conteúdo na primeira pessoa do plural (nós) ou na terceira pessoa do singular ou plural (ele ou eles), dando um tom mais impessoal ao texto, ainda que se trate de uma avaliação própria.

Meio louco, não é? Mas. acredite: é assim!

Resenha = contém elementos do resumo

Esse tópico pode confundir um pouco, por isso, é importante esclarecer: quando se trata de uma resenha as caraterísticas da obra aparecem apenas para deixar o leitor a par das informações relevantes que contextualizam a análise como nome do diretor do filme, quais os personagens do elenco, quando foi lançada e o enrendo da obra.

Se você olhar, por exemplo, o trecho da resenha crítica que citamos lá em cima, notará que a autora citou o ano de lançamento e o elenco de atores desconhecidos até então para embasar a própria opinião de que a série surpreende o espectador.

Resenha = call to action

Ainda que esteja longe de ser uma ação do Marketing de Conteúdo o final da resenha crítica nos mostra uma interseção com as redações para a web, acredita? Pois é!

Isso porque, ao final de uma análise crítica, o autor geralmente recomenda uma ação para quem está do outro lado da telinha: ler ou não o livro, assistir ou não ao filme, comprar ou não um cd ou música, entre outras “call to action” do universo resenhístico.

E, então, aposto que suas dúvidas sobre o que é resenha foram todas dizimadas, não é mesmo? Então, agora, que tal seguir ampliando os conhecimentos na língua portuguesa e suas aplicações? Por isso, encorajamos você a ler nosso Guia Definitivo do Texto Perfeito agora mesmo!

Guia definitivo do texto perfeitoPowered by Rock Convert

Posts populares com esse assunto