Por Arthur Minoves

Analista de Sucesso do Talento, na Rock Content.

Publicado em 21/07/2020. | Atualizado em 21/07/2020


Quem utiliza a RockStudio, muito provavelmente, já teve contato com o Copyscape. Então nada melhor do que conferir como essa ferramenta ajuda a detectar eventuais plágios!

O Copyscape é uma ferramenta que existe na RockStudio, a nossa plataforma de gestão de conteúdos, para ajudar a detectar plágios nas tarefas entregues. O programa desempenha um papel importante ao procurar e selecionar reincidências de palavras, mas é preciso entender como interpretá-lo para que ele se torne eficiente e útil.

Pensando nisso, desenvolvemos este post que aborda as funcionalidades do Copyscape e como utilizar esse recurso adequadamente, além de uma breve explicação sobre o conceito de plágio e dicas para produzir conteúdos originais. Confira!

O conceito de plágio

Primeiramente, é interessante discutirmos um pouco o conceito de plágio, a fim de entendermos o que caracteriza essa prática para, mais adiante, usufruirmos das funcionalidades do Copyscape.

A primeira definição que trouxemos vem do Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, que considera que plagiar é o ato de “copiar ou imitar, sem engenho, as obras ou os pensamentos dos outros e apresentá-los como originais”.

Já a cartilha “Nem tudo o que parece é. Entenda o que é Plágio”, produzida pelo Departamento de Comunicação Social — Instituto de Arte e Comunicação Social (IACS), da Universidade Federal Fluminense, se debruça sobre o plágio acadêmico, definindo-o como quando alguém se apropria de “ideias, conceitos ou frases” de outra fonte sem creditá-la.

A partir dessas considerações, podemos aferir que o plágio consiste em produzir cópias na íntegra, sem a citação da origem daquelas informações, mas também trata-se da prática de promover paráfrases — ou seja: reescrever com outras palavras —, além de se utilizar a mesma estrutura ou tomar para si conceitos já abordados por outros.

Dessa forma, o redator web que produz materiais plagiados mancha a própria credibilidade enquanto profissional e compromete a confiança do cliente em relação às suas entregas. Por isso, os Termos e Condições de Serviços da Rock preveem a desabilitação dos produtores de conteúdo em caso de plágio detectado, considerando que o freelancer é responsável pela sua própria entrega.

Usabilidade do Copyscape

O site da ferramenta destaca que o serviço objetiva encontrar plágios por meio dos mecanismos de busca. Dessa forma, o Copyscape alerta que há chances de o seu relatório não detectar conteúdos que não estão indexados, como aqueles em formato de imagem, animação, vídeo etc.

O FAQ do programa o isenta de julgamentos sobre a definição de um responsável pela produção original. Em seu relatório, portanto, podem aparecer cópias literais, citações devidamente referenciadas (com fonte externa especificada), além de frases com termos, coincidentemente, semelhantes. Assim, cabe ao usuário entender o contexto e interpretar a informação que recebeu.

O relatório do Copyscape

Se ao submeter um conteúdo para a etapa seguinte, você foi notificado com um relatório de suspeita de plágio, é necessário, primeiramente, verificar os links destacados pela ferramenta.

Ao abrir cada um deles, lembre-se de conferir as marcações e compará-las com o texto postado na plataforma. Caso o plágio seja, de fato, constatado, a recomendação é eliminar as passagens em que as cópias surgiram e substituí-las por outras que sejam originais.

Não basta reescrever os mesmos trechos com outras palavras, já que essa é uma prática que também se enquadra em plágio, conforme já abordamos neste post. Inclusive, vale reforçar que o Copyscape não detecta paráfrases, traduções, uso sinônimos etc. A utilidade do programa reside sobretudo, nos casos em que há reincidência no uso das expressões.

De qualquer forma, quem altera o conteúdo original — apropriando-se dessas ideias sem citar a fonte de pesquisa — está ciente da origem daquilo que escreveu e será, portanto, responsabilizado pela entrega de um texto plagiado nessas condições. 

Aqui vale abrir um parênteses em relação à atuação dos revisores que podem ajudar a resolver essa situação analisando o relatório da ferramenta, solicitando ajustes para o freela de redação remover as cópias e avisando a moderação responsável.

Há também situações, como acontece nas tarefas de extensão, em que o Copyscape costuma detectar o conteúdo original. Isso não significa, necessariamente, que trata-se de um plágio, já que o redator deve replicar, no campo de texto, boa parte do material que será atualizado. Claro que, se um artigo além do alvo da atualização for detectado, é necessário verificar, atentamente, o que houve.

Por via das dúvidas, sempre que surgir um relatório do Copyscape e a situação não se enquadrar em um plágio, propriamente dito, é interessante comentar na tarefa, explicando o que foi, de fato, detectado. Esse tipo de atitude evita contratempos e garante uma comunicação transparente entre as partes envolvidas no fluxo de trabalho.

Powered by Rock Convert

Boas práticas para evitar plágio

Quem já escreveu artigos, ensaios ou trabalhos acadêmicos, sabe que a ABNT tem uma série de regras e orientações para os escritores utilizarem ao se referirem a textos produzidos por terceiros, seja em casos de citações diretas ou indiretas.

Quanto aos conteúdos produzidos dentro de uma estratégia de Marketing de Conteúdo, não é necessário seguir fielmente essas diretrizes acadêmicas — exceto se a pauta trouxer essa prática como uma especificidade para determinado projeto. Isso não significa, conforme já abordamos, que não deve-se referenciar as suas citações em conteúdos web. 

No caso de uma estratégia de Marketing Digital, o ideal é fazer uma linkagem para a origem da informação, destacando a fonte daquele conhecimento. Neste post, inclusive, utilizamos essa estratégia ao referenciar as citações da cartilha e do dicionário que servem de referência para nós, além do próprio site do Copyspace. 

Outro método valioso é investir na personalização dos conteúdos, formulando exemplos e situações intimamente ligados à persona e ao próprio projeto. Essa conduta serve para que a sua criatividade, enquanto redator web, seja exercitada para garantir a originalidade das informações em prol da estratégia do seu cliente.

Ou seja: a consciência do produtor de conteúdo é a principal ferramenta para evitar a entrega de materiais plagiados. O Copyscape ajuda ao detectar, sobretudo, as cópias literais, mas o seu relatório também pode ressaltar citações referenciadas ou o texto original de um conteúdo de extensão, além de não ser tão eficiente ao encontrar trechos parafraseados e uso de sinônimos.

Por isso, o uso constante e consciente da criatividade deve ser uma preocupação daqueles profissionais que se dedicam à produção de conteúdos web. Este post com dicas incríveis para melhorar a sua escrita, inclusive, pode ser o seu aliado nesse desafio diário. Boa leitura!

Guia da escrita criativaPowered by Rock Convert

Posts populares com esse assunto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *