Por Redator Rock Content

um dos freelancers da Comunidade. Seja também um redator!

Publicado em 13/08/2017. | Atualizado em 19/03/2018


Advérbios são as palavras e expressões que estão junto de um verbo, geralmente modificando-o ou especificando o seu sentido.

Torne-se um especialista em produção de conteúdo!Powered by Rock Convert

Como copywriter, você sabe que possuir domínio da língua portuguesa é indispensável para conhecer explorar e fazer uso as palavras que você conhece corretamente, eliminar chances de erros, criar textos mais ricos e encantar seu cliente, certo?

É aí que entra a morfologia. Caso você não se lembre dessa palavra complicada, saiba que ela existe para nomear o estudo de cada palavra que você usa em seus conteúdos, bem como suas classificações gramaticais.

Neste post, você vai relembrar uma importante classe que está certamente presente em todos os seus textos: o advérbio. Está preparado para saber tudo sobre ele? Confira o que vem a seguir:

O que é um advérbio

Etimologicamente, a palavra “advérbio” é composta por “ad” (ou ‘junto de’) e “verbo”, que significa: “o termo que acompanha o verbo”.

Sendo assim, as palavras e expressões que estão junto de um verbo, geralmente modificando-o ou especificando o seu sentido são chamadas de advérbios. Veja alguns exemplos:

  • Fui mal na prova.
  • Ela saiu de casa rapidamente.
  • Fui embora ontem.
  • João chegou cedo.
  • Mariana está muito doente.
  • Ninguém apareceu aqui em casa.

Como você pode perceber, o advérbio é uma palavra que especifica as circunstâncias em que se dá a ação verbal, indicando o seu tempo, intensidade, lugar, etc.

Apesar do significado do seu nome, os advérbios que indicam intensidade não acompanham necessariamente os verbos, somente. Também podem modificar substantivos, adjetivos outros advérbios e até mesmo uma oração inteira. Quer ver como isso acontece?

  • Carlos já é quase médico, pois cura doenças com eficiência.
  • A minha mãe cuida muito bem do meu irmão.
  • Os olhos de Maria são muito escuros, inexpressivos e calmos.
  • Infelizmente, não passei no teste.

Tipos de advérbios

Você já sabe que os advérbios recebem diferentes denominações. Agora, é hora de conhecer todos os seus valores semânticos:

  • Afirmação (sim, deveras, decerto, certamente, efetivamente, incontestavelmente, realmente…).
  • Dúvida (possivelmente, talvez, porventura, acaso, provavelmente, possivelmente, quiçá…).
  • Intensidade (bastante, muito, pouco, mais, menos, tanto, demais, tão, quão, meio, todo, excessivamente, demasiadamente…).
  • Lugar (aqui, ali, acolá, aí, cá, lá, perto, longe, atrás, abaixo, acima, adiante, dentro, fora, além…).
  • Modo (assim, apenas, bem, mal, depressa, devagar, calmamente, rapidamente, tristemente, alegremente, propositalmente, cuidadosamente, gentilmente…);
  • Negação (não, absolutamente, nunca, jamais…).
  • Tempo (agora, hoje, já, amanhã, ontem, breve, logo, antes, depois, sempre, nunca, cedo, tarde, diariamente, anualmente, antigamente…).
  • Causa (onde, quando, como, por que…). Estes elementos também podem ser chamados de “advérbios interrogativos”.

Algumas palavras e expressões não possuem uma classificação morfológica consensual em nossa gramática normativa, como “também”, “apenas”, “salvo”, “a saber”, “aliás”, “isto é” etc.

Isso acontece porque certos profissionais da língua as incluem entre os advérbios. Outros preferem classificá-las como “palavras denotativas” ou ainda: “palavras de inclusão”.

Flexão dos advérbios

Os advérbios são palavras invariáveis em gênero (masculino e feminino) e número (singular e plural). No entanto, podem apresentar variações de grau, que você deve conferir a seguir:

Grau de um advérbio

Alguns advérbios permitem a flexão em graus superlativos e comparativos, que são formados por processos análogos aos da flexão de grau próprios em adjetivos.

Grau comparativo

Nessa categoria, o advérbio pode expressar relações de:

  • Igualdade (ela fala tão baixo quanto eu).
  • Superioridade (ela fala menos baixo do que eu).
  • Inferioridade (ela fala mais baixo do que eu).

Grau superlativo

Ao se tratar do grau superlativo, o advérbio ser acompanhado de outro ou formado por sufixos:

  • Analítico (muito cedo, consideravelmente baixo).
  • Sintético (cedissimo, baixíssimo).

Locução adverbial

Às vezes, a junção de duas ou mais palavras podem exercer uma função de advérbio, pois também exprimem circunstâncias de lugar, tempo, modo, causa, entre outros. Veja os exemplos:

Ela recolheu as coisas de seu falecido marido entre lágrimas e soluços.

Fiz uma entrevista de emprego em Cuiabá.

Saio às pressas de casa para encontrar meus amigos.

Além desses tipos de circunstâncias que você já conhece, as locuções adverbiais também podem indicar outras especificações, como: assunto, condição, fim, companhia, etc. Confira alguns exemplos abaixo:

O palestrante falou sobre filosofia.

Fui ao cinema com as amigas.

Estudei para a prova.

Erros comuns

Ainda que o conceito e classificações dos advérbios estejam agora bem claros para você, não há como negar que a língua portuguesa possa apresentar, de vez em quando, aquelas pequenas armadilhas ou situações que induzem o redator a cometer erros gramaticais, não é mesmo?

Muitos deles acontecem porque a maior parte das pessoas confunde o uso e conceitos dos advérbios, locuções adverbiais e adjetivos. Confira algumas pequenas dicas para evitar os deslizes mais comuns:

Independentemente/independente

A palavra “independentemente” é um advérbio, e “independente” é um adjetivo (mulher independente, filme independente, jornal independente…).

Por isso, jamais confunda os dois conceitos ao escrever “independente da proposta, aceitarei o emprego” ou “sairei de casa, independente da opinião de meus pais”, por exemplo. Essas situações requerem o uso de advérbios.

Mau/mal

Quem nunca confundiu o uso dessas suas palavras? “Mau” com “u” é um adjetivo, ou seja, serve para falar de algo ou alguém que não é bom (lobo mau, mau comportamento, mau perdedor…).

A palavra “mal”, por outro lado, pode aparecer como um advérbio, uma conjunção ou até mesmo um substantivo, dependendo do contexto. Alguns exemplos podem ser observados abaixo:

  • Livrai-nos de todo o mal.
  • O menino é mal educado.
  • Não fui trabalhar porque estava passando mal.

Onde/aonde

Nesse caso, estamos falando de dois advérbios que servem para indicar a localização de algo. No entanto, o que deve ser observado é o verbo com o qual eles se relacionam. Se ele exige a preposição “a”, provavelmente o uso do “aonde” será o indicado para se transmitir a ideia de onde se vai. Exemplos:

  • Não sei onde fica o mercado
  • Aonde você vai?
  • Onde coloquei minhas chaves?
  • O lugar aonde vou não tem internet.

Por meio de/através de

Muita gente usa uma dessas locuções quando na verdade deveria usar a outra. “Por meio” está relacionada com a ideia de intermediação, enquanto “através” significa, literalmente, aquilo que atravessa ou transpõe algo.

Veja dois exemplos do uso correto dessas duas expressões:

  • Vi muita fumaça através do vidro da janela.
  • Fiquei sabendo por meio de um e-mail que fui demitido.

Viu só como o uso correto do advérbio pode ser decisivo na construção da coesão e da expressividade do texto? Por isso, não economize tempo ao estudar essa classe gramatical tão importante para redigir corretamente e criar conteúdos engajadores!

Gostou do post? Aproveite para expandir ainda mais os seus conhecimentos técnicos e conheça mais 102 erros de português para você nunca mais cometer.

Posts populares com esse assunto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *