Por Luana Rios

redatora da Comunidade Rock Content, jornalista confiosa no poder da palavra para alumiar e mover. Pós-graduada em Marketing.

Publicado em 02/09/2017. | Atualizado em 09/01/2020


Desenvolver hábitos, respeitar os próprios limites e não desistir facilmente vai aumentar a sua motivação ao longo do tempo.

Torne-se um especialista em produção de conteúdo!Powered by Rock Convert

Escrever não é tarefa simples, uma vez que exige habilidade, criatividade e, claro, motivação para iniciar e executar.

Nós bem sabemos que, para um texto traduzir o objetivo de cada pauta com nitidez e precisão, alguns passos prévios, como pesquisar sobre o tema ou fazer um breve planejamento, são fundamentais e precisam ser cumpridos, não é mesmo?

Mas, ainda assim, a hora de colocar a mão na massa e iniciar a operação com as palavras, mesmo depois de cumprir todo o passo a passo costuma ser difícil.

A sensação é de que está faltando algo. Parece que as mãos emperram e o único movimento da mente é a apatia. Esse é o momento que sentimos falta de motivação para escrever — e TODOS nós, produtores de conteúdo, estamos sujeitos a isso.

Neste post, reunimos oito dicas infalíveis para você encontrar motivação para escrever, até mesmo naqueles dias em que nada parece fluir.

Antes de seguirmos, precisamos deixar algo bem claro: escrever é uma tarefa que exige tranquilidade e engajamento, ok? Não adianta você querer produzir conteúdo sem estar com a mente e, por que não, o coração abertos para a atividade.

Agora sim, vamos à primeira lição:

1. Encontre o seu lugar

É libertador não ter uma rotina pré-definida, trabalhar por conta própria e não precisam cumprir horários — os nômades digitais são exemplos um pouco mais extremos disso. Mas decidir ter essa rotina itinerante para produção dos seus textos pode prejudicar o seu desempenho.

O ideal mesmo é ter um espaço adequado para execução de suas tarefas, e não somente para manutenção da sua saúde, quando devem ser observadas questões como ergonomia da cadeira e da mesa, além da posição do mouse e do teclado.

Outro ponto importante é que o seu cérebro é capaz de diferenciar o momento de lazer e o momento de trabalho instantaneamente. Por isso, a dica aqui é criar o hábito de sentar para produzir em um determinado local. Dê preferência a ambientes calmos, silenciosos e organizados, se possível.

A ideia é que, assim que você se sentar para produzir, as ideias comecem a bailar pela sua cabeça. Quanto maior a disciplina e prática, mais bem educada sua mente ficará para notar que você está predisposto a trabalhar!

2. Seja amoroso e gentil consigo

Essa é uma dica poderosa! Quando a mente está bloqueada para produção criativa, nada de ficar movendo pensamentos derrotistas ou violentos consigo.

“Como eu sou burro!”, “Não consigo fazer isso!”, “É impossível pra mim!” são alguns exemplos de frases que logo vêm à tona na hora do bloqueio de ideias.

Então, nossa dica é: pare com isso agora! Tudo bem não ser produtivo o tempo todo, não saber como começar e ficar ansioso. Somos humanos e perfeitamente imperfeitos!

Lembre-se, nessas horas, de que o modo como nós cultivamos o diálogo interno influencia diretamente a nossa capacidade criativa. Então, acolha esse seu lapso com muito amor, carinho e gentileza. Talvez, seja ideal beber uma água, relaxar ou fazer atividades que você goste.

Apenas esteja atento para a amorosidade e a afabilidade interna não virarem procrastinação. Esse é um processo muito comum entre redatores e freelancers que trabalham com prazos, ok? É uma linha tênue!

3. Relacione o texto com sua experiência de vida

Um bom caminho para encontrar a motivação para escrever é pensar na própria experiência de vida. Sim! Encontrar uma relação entre o tema sugerido e aquilo que você vive ou viveu no dia a dia pode ser extremamente prático para o fluxo de ideias surgir.

Pode ser, por exemplo, pensar nas dúvidas que você teria ou já teve ao ler sobre aquele tema, quais curiosidades gostaria de saber e se convidar para refletir como sua experiência de vida pode ajudar a colocar a informação a serviço de todos.

O escritor colombiano Gabriel García Márquez afirmava que as pessoas deveriam começar a escrever somente após escutar as histórias próprias das suas experiências de vida. Boa referência, não é mesmo?

Ou seja, brinque com sua imaginação se apropriando desse lugar que é somente seu: ser você mesmo. Ninguém, absolutamente ninguém, escreverá do mesmo jeito que você.

4. Escreva, escreva e escreva mais

A sugestão para desenvolver abundantemente a motivação para escrever é não parar de se debruçar no tema, seja lendo diversas obras, revistas, ata de reunião, bula de remédio; observando outros gêneros e tentando novos estilos, ficção, romance, poesia, contos, etc.

Aqui é o importante é brincar com as palavras e nunca parar de escrever.

Uma dica interessante é começar anotando os seus sonhos mais marcantes, por exemplo, e tente lhes dar uma trama ficcional: explorar os detalhes, as pessoas, as formas estranhas que só aparecem nesses momentos. Aprimorar a descrição deles pode ser um bom caminho para dar asas à imaginação sem tanto esforço!

Guia do texto perfeito

5. Converse com outros produtores de conteúdo

Uma das maravilhas da vida são as trocas com as pessoas, não é mesmo? Hoje em dia, está cada vez mais fácil encontrar gente com os mesmos interesses que os nossos. E assim também é com os produtores de conteúdo!

Conversar com pessoas afins nos abre a mente para novos olhares sobre o mesmo tema e nos apresenta possibilidades que não conseguimos enxergar sozinhos. É uma ótima oportunidade para tirar dúvidas, conhecer o modo de trabalho do colega, bem como aumentar a rede de relacionamento, correto?

Há diversos espaços online para redatores, como grupos e comunidades nas redes sociais, que servem tranquilamente para compartilhar informações sobre o mundo da produção de conteúdo. Ah, e claro que se você já conhece alguém que trabalhe na sua área, então, não hesite em bater um bom papo!

6. Faça trabalhos manuais

Quando a nossa mente está muito agitada, voltar a atenção para as práticas manuais, como lavar prato, consertar roupas, fazer colagens e pintar, pode nos levar a um estado de relaxamento e quietude similares à prática de Yoga e meditação.

Esse desacelerar nos ajuda a diminuir aquele barulho ensurdecedor da mente que, convenhamos, só atrapalha. Aquietar nossos pensamentos também aumenta a possibilidade de surgirem novas ideias. É o famoso ócio criativo!

O sociólogo italiano Domenico De Mais defende a prática como caminho necessário à produção de ideias! Veja só: é uma espécie de união entre trabalho, estudo e lazer a serviço de uma maior fluxo da imaginação.

O cientista Isaac Newton, por exemplo, provavelmente descobriu a força gravitacional em um momento de ócio criativo: estava sentando embaixo de uma macieira quando uma fruta despencou do pé. Pimba! Eis a gravidade.

A prática de exercícios físicos com regularidade pode ser também uma ótima aliada para sua dança com as ideias e as palavras. Pessoas que conseguem manter um ritmo de vida mais saudável mantêm um melhor desempenho na lida com as tarefas cotidianas.

Portanto, temos outro mandamento para a arte da escrita: corpo são, mente sã!

7. Consuma conteúdo de outras áreas de atuação

Por vezes, sair da nossa bolha, do nosso ciclo, nos confere um grau de bem-estar e amplia nosso olhar sobre a vida. Para o texto? Também. A sugestão aqui é acessar conteúdos de outras áreas de atuação para que sua gama de soluções também possa ser aumentada.

Acredite: quanto mais diverso, melhor! Nesse sentido, é bom ir percebendo quais outros temas te interessam, quais despertam sua curiosidade e quais você tem bastante dúvidas. Esses elementos são indicativos das temáticas que podem e vão efervescer seu coração e sua cabeça.

Na prática, estamos dizendo que você precisa expandir suas referências. Isso porque, na hora de escrever, é essa mente rica e diversa, cheia de assuntos, que será acessada. No entanto, se você se limita a ler, ouvir e assistir aos mesmos tipos de conteúdo, logicamente, sua bagagem cultural será mais enxuta. O resultado? Menos possibilidades criativas para seus escritos!

Portanto, meu caro, viaje na maionese e curta!

8. Lembre-se do motivo pelo qual você escreve

Essa é uma dica que serve para encontrar motivação em qualquer atividade que deseje desempenhar na vida. Saber e se lembrar constantemente por que o fato de estarmos fazendo determinada escolha ou ação nos leva para um lugar de conforto, segurança e entusiasmo para seguir.

Você escreve para complementar a renda? Ou seria para colocar em prática sua energia e amor pela atividade? Quer conhecer e estar habilitado para discorrer sobre temas diversos? Bom, há infinidades de impulsos. Investigue dentro de si qual é o seu e reconheça todos os passos que você vem dando rumo à concretização desse seus objetivos e sonhos.

Quanto mais nítidos eles estiverem na sua mente, maior será sua garra e persistência na hora de seguir em busca da motivação para escrever!

Agora que você já tem oito motivos práticos e palpáveis para exercitar seu ânimo para produção de conteúdo, é hora de colocar a mão na massa — ou melhor, no teclado (ou caneta, se você for old school).

“Mas, poxa, eu já tentei todas essas dicas e o bloqueio continua! Não sei mais o que fazer”

Perfeito, caro redator, essa é a artimanha mais antiga que sua mente tem para te paralisar. E o que nós temos para lhe dizer? Apenas continue tentando.

Sim! Porque a prática leva à perfeição e a maioria dos grandes inventores não tiveram sucesso logo na primeira tentativa de materializar suas ideias.

Vamos listar alguns exemplos para você se inspirar e não deixar a peteca cair:

  • invenção da lâmpada incandescente: Thomas Edison fez mais de 10 mil protótipos antes que a lâmpada funcionasse perfeitamente. Ficamos felizes com a resiliência desse homem! Não fosse isso, talvez, o mundo não estivesse tão avançado tecnologicamente quanto está hoje;
  • troca dos cavalos por máquina: ir à falência por cinco vezes foi o fato que precedeu a história do empreendedor Henry Ford, que revolucionou a indústria dos automóveis durante o século 18, com a produção em massa de carros em menos tempo. Já parou pra pensar nossas vidas sem o meio de transporte? Ônibus, carros, vans, etc;
  • escrita criativa: o autor americano Stephen King, famoso por suas histórias de terror e fantasia, teve uma trajetória de carreira permeada muito trabalho, pouca grana e algumas tragédias pessoais antes de começar a fazer sucesso;
  • talento para música: o compositor Ludwig van Beethoven, conhecido mundialmente, teve de escutar do seu professor que era um fracasso na sua lida. Já imaginou? Nós agradecemos que ele não desistiu da carreira artística.

Pronto, confesse agora que não há mais desculpas para desistir de encontrar a motivação para escrever, correto?  Como já dissemos lá no início, a arte com as palavras requer tranquilidade, criatividade e habilidade. É importante, também, estar completamente engajado com a tarefa para executá-la com maestria.

Bem, nossa produção de hoje com este guia pode ser seu melhor amigo nas horas em que o ato de iniciar seu texto seja um fardo daqueles bem grandes. Estamos aqui para te lembrar: há alternativas e elas estão em você mesmo!

Caso queira se inspirar mais ainda, aproveite para conferir o nosso Guia da escrita criativa — um material prático que vai te inspirar e te deixar pronto para escrever motivado.

Guia da escrita criativa

Posts populares com esse assunto