Por Guilherme Pimenta

Designer e escritor, percebi que era melhor desenhando com palavras.

Publicado em 10/06/2020. | Atualizado em 30/09/2020


Motion designers são profissionais que conseguiram muito destaque nos últimos anos, acompanhando as tendências visuais e a evolução da tecnologia. Veja um guia completo para iniciar nessa carreira!

A popularização de tecnologias e ferramentas de design vem criando novas oportunidades para o profissional que inicia sua carreira ou se interessa em ingressar na área.

O motion designer é um desses maiores exemplos. Essa é uma forma de comunicação visual que sempre foi limitada a grandes agências, mas que hoje é uma profissão viável e lucrativa para freelancers.

Quer conhecer melhor essa especialização? Neste post, eu conto tudo o que você precisa para começar. Confira!

    O que faz o profissional de motion design?

    Antes de qualquer coisa, vamos entender melhor o que é esse trabalho e que tipo de profissional costuma atuar nele. Bom, fica mais fácil quando usamos o nome completo: Motion Graphics Design.

    É uma denominação bem autoexplicativa. Gráficos em movimento. O Motion Graphics é uma técnica de animação que utiliza os conceitos estáticos do design para criar elementos dinâmicos que comunicam, informam e guiam o olhar do espectador.

    Ou seja, sua responsabilidade geralmente está em desenvolver uma peça a partir de um briefing (que contém informações como expectativa do cliente e identidade visual a ser abordada), desde sua concepção até a execução da animação.

    A peça criada pode ser em si o próprio conteúdo (como um infográfico animado) ou servir de apoio para outros conteúdos em vídeo (como o lettering em uma reportagem ou elementos para destacar pontos em uma propaganda).

    Dessa forma, o motion designer é ao mesmo tempo designer e animador. A união dessas características torna o profissional muito valorizado no mercado.

    Onde ele pode atuar?

    Então, vamos conversar sobre quem vai dar valor ao trabalho desse profissional e com que fim. Quanto mais as plataformas de vídeo se tornam importantes, mais demanda existe para o motion designer.

    Falando sobre peças em que você pode atuar, o Motion Graphics hoje está presente em uma série de conteúdos, por exemplo:

  • infográficos animados;
  • propagandas;
  • vídeos tutoriais;
  • vídeos institucionais;
  • suporte a conteúdos informativos;
  • aplicativos;
  • guias interativos;
  • stories.

O mercado se expandiu tanto que hoje é possível encontrar espaço em agências de publicidade e design, mas também é viável começar sua carreira por conta própria.

Freelancers de Motion Graphics Design têm liberdade para trabalhar em vários projetos simultaneamente. Têm a oportunidade de aprender da teoria e evoluir a prática em uma velocidade que nunca antes foi possível — já que atua diretamente no mercado, sem intermediários criativos.

Seja qual for a escolha, o fato é que o motion designer tem espaço para crescer e consegue um retorno de seu investimento profissional bem rápido. Com o mercado aquecido, é fácil encontrar novas oportunidades.

Quais são as habilidades necessárias?

Para trabalhar como motion designer, muitas das habilidades são bem óbvias:

  • conhecimento teórico e prático de design;
  • domínio da teoria das cores;
  • domínio tipográfico;
  • noções de construção de identidade visual;
  • noções de publicidade e propaganda;
  • teoria e prática da comunicação visual como um todo.

Contudo, além dessas habilidades básicas para começar sua carreira, eu queria apontar também algumas skills que são muito importantes para não só entrar na área, mas se destacar nela. Veja!

Direção e cinematografia

Uma armadilha em que muitos designers caem quando vão das peças estáticas para o Motion Graphics é desconsiderar a importância do movimento nesse contexto.

Se não fosse tão importante, não estava no próprio nome da técnica! O motion designer precisa de noções de TV e cinema: como funciona a direção de vídeo, como é feita a fotografia, o que é um script, etc.

Essas capacidades vão ajudar a criar gráficos bem dirigidos que funcionam por conta própria ou que se mesclam bem com o vídeo no qual estão inseridos. É hora de explorar suas veias para design, animação e cinema ao mesmo tempo.

Organização e relacionamento com o cliente

Essa é uma habilidade mais relevante para quem vai iniciar sua carreira de freelancer, mas pode ser expandida para todos os profissionais.

Organização de trabalho é fundamental em qualquer área. Para o Motion Graphics, significa um bom gerenciamento de projeto que permita planejamento, otimização do tempo e respeito aos prazos.

Inclusive, entregar o trabalho no tempo combinado é fundamental. Também é essencial manter um contato constante com o cliente.

Uma das habilidades que mais se destacam em um designer é saber lidar com feedbacks e alterações. Não é questão de aceitar tudo, mas de entender de onde vem a preocupação do cliente e agir da maneira certa: ceder quando ele tem razão e educar quando ele não tem.

Atualização constante

O design é uma área que muda muito em pouco tempo. Muda não só pelas tendências visuais, mas também pelas novas ferramentas que sempre permitem elementos cada vez mais inovadores.

Por isso o motion designer é um eterno estudante. É preciso seguir comunidades, portais e discussões sobre o assunto e ter as antenas captando qualquer novidade do mercado. Entender e assimilar inovações antes dos concorrentes é o caminho mais curto para o sucesso.

Qual a média salarial do motion designer?

Como o mercado de Motion Graphics Design ainda é relativamente novo e em franca expansão, fica difícil falar de cara qual é o salário de quem está iniciando.

Na média, quem começa em uma empresa ganha entre 2 e 3 salários mínimos. O valor, claro, sobe com a sua experiência e a concorrência pelo seu talento.

Já freelancers podem moldar o quanto ganham pelos projetos que aceitam e os clientes que conseguem — sem contar com o fato de poderem fazer o próprio horário e estruturar melhor a sua rotina.

Em geral, o designer autônomo começa em um piso mais baixo, mas tem um potencial muito maior de crescimento. Quem não quer começar do zero pode apostar em bancos de talentos e outras plataformas que fazem a ponte entre profissional e mercado.

Como se tornar um profissional de motion designer?

Uma vantagem dessa carreira é que, embora seja interessante ter ensino superior, ele não é necessário para ingressar e se destacar no mercado.

O design com valor vem de pessoas que conseguem utilizar bem as ferramentas de trabalho (nesse caso, principalmente, Photoshop, Illustrator e After Effects) e, mais do que isso, sabem conceituar antes da prática.

Portanto, você precisa se informar e se educar. Aprender a teoria do design e da animação unida ao que é feito hoje nas empresas e projetos freelancers.

Com esse conhecimento e um pouco de treino, sua carreira de motion designer está pronta para começar! Encontre seu diferencial e prepare-se para lidar com clientes. Assim, você vai colher bem rápido os frutos do seu esforço.

Se você já se sente capaz de iniciar essa jornada, por que não colocar seu trabalho em uma vitrine incrível? Entre agora para o banco de talentos da Rock Content!

Powered by Rock Convert

Posts populares com esse assunto