Por Luiza Drubscky

Gerente de Marketing na Rock Content.

Publicado em 28/06/2016. | Atualizado em 13/09/2018


Materiais ricos são conteúdos em variados formatos que têm como objetivo gerar e nutrir leads. Esses conteúdos são mais aprofundados e, normalmente, estão disponíveis para download. Confira como produzir esse tipo de material!

Os materiais ricos são uma parte importante da estratégia de Marketing de Conteúdo de qualquer empresa. Um blog, com posts frequentes, é excelente para atrair visitantes e gerar tráfego.

O material rico, entretanto, é um conteúdo educativo mais extenso e aprofundado, com o objetivo de agregar valor e aumentar a autoridade da marca no assunto.

Os materiais ricos mais comuns são os e-books, mas existem diversos outros tipos, como guias completos, passo a passos e até conteúdo essencialmente gráfico (como os infográficos) ou ferramentas (Máquina de Títulos, Calculadora de ROI, por exemplo). No geral, os materiais ricos são a melhor isca para gerar e nutrir leads em diferentes etapas do funil de marketing e vendas.

Cada vez mais empresas têm procurado bons redatores para escrevê-los. E, considerando que materiais ricos exigem mais atenção e trabalho do que uma redação comum, redatores que saibam lidar com esses conteúdos ganham destaque!

Por isso, é importante saber criar um material verdadeiramente rico. Para ajudar você a mandar bem nessa tarefa, separamos algumas dicas de como fazemos aqui no blog da Comunidade Rock Content. Confira:

Escreva sobre algo que você sabe

Se você é um redator freelancer, a dica é só aceitar uma tarefa se você se sentir confiante para escrever a respeito, ou seja, se você já possui conhecimento razoável sobre o assunto.

Com certeza você já passou pela experiência de ler um texto em busca de aprender algo novo, mas se decepcionou com sua superficialidade. Portanto, lembre-se de que os leitores do seu material rico podem pensar o mesmo.

Quem faz o download de um material rico geralmente já realizou leituras prévias de posts e outros materiais, portanto está em busca de informações mais aprofundadas.

É claro que você não precisa ser uma autoridade mundial no assunto, mas se for um tema sobre o qual você nunca leu, a tarefa será bem mais difícil — e talvez você demore tanto tempo aprendendo que ela acabe também não sendo muito lucrativa.

Faça uma boa pesquisa

Ainda que você seja expert no assunto, na produção de um material especial é importante realizar uma boa pesquisa para se certificar de que o conteúdo será o mais atual e amigável possível. Novidades e tendências surgem diariamente, e a discussão promovida em torno dos assuntos importa muito!

Se você usa a produção de um material rico como meio de se tornar autoridade, seja original todo o tempo. Um material rico não pode ser apenas uma reciclagem de conteúdo. É importante que ele possa agregar um novo conhecimento para quem lê.

Por isso, ao pesquisar o tema, fique atento a possíveis oportunidades de caminhos inexplorados: eles podem ser um grande diferencial do seu material rico.

Dica: para enriquecer a sua pesquisa, vá além do Google e procure também vídeos de cursos, palestras, talks, redes sociais específicas, perfis pessoais e outros materiais gratuitos.

Conheça seu público (e seu cliente!)

É imprescindível saber para quem você está escrevendo e esse é um ponto elementar, que precisa estar claro antes do início da redação. Uma pesquisa rápida sobre a empresa e um conhecimento inicial sobre a persona a quem o material se destina podem ajudar você a se planejar.

Se a empresa é uma grande referência no segmento e seus leitores já dominam os conhecimentos básicos do tema, sua pesquisa precisará ser ainda mais extensa.

Depois de aceitar a tarefa, é importante pesquisar um pouco mais sobre quem encomendou o material — que outros materiais ele já produziu, qual o nível de formalidade do texto, que tom costuma adotar em sua comunicação — e também sobre a persona do leitor, para saber que tipo de exemplos e storytelling você poderá utilizar em seu texto.

Lembre-se que toda empresa possui uma cultura e uma identidade, e a função do copywriter é assumi-las ao redigir um texto para web.

Elabore um bom índice e uma estrutura

Materiais ricos possuem um conceito especial, diferenciado, por isso têm esse nome. A melhor maneira de garantir isso é começar pela estrutura do seu material, ou seja, escrevendo seu índice e resumindo em uma ou duas frases cada capítulo.

O exemplo mais ilustrativo é este post que você está lendo. Antes de começar, elaborei a seguinte estrutura:

  1. Introdução: o que são e para que servem materiais ricos.
  2. Escrever sobre o que sabe: material não pode ser superficial.
  3. Pesquisa: atualizar o conhecimento e encontrar oportunidades de conteúdo inexplorado.
  4. Cliente e persona: tom, maturidade etc.
  5. Índice e estrutura: garantir começo – meio – fim.
  6. Mãos à obra: dicas para escrever.
  7. Revisão do material: importância e dicas.
  8. Conclusão e CTA.

Você deve ter reparado que os tópicos são quase idênticos aos intertítulos, mas isso não é uma regra. No momento da estrutura, eu estava interessado mais em fazer um guia para mim mesmo do que em pensar nas palavras exatas que eu usaria.

Seguindo a regra de dividir para conquistar, depois de realizar a estrutura em tópicos, é recomendado quebrar cada um deles em subtópicos, para ajudar a estruturar o capítulo também em começo, meio e fim. Por exemplo, o tópico de cliente e persona eu dividi da seguinte forma:

  1. Pesquisa rápida antes de aceitar a tarefa.
  2. Empresas/leitores maduros exigirão mais pesquisa.
  3. Conhecer os conteúdos anteriores publicados pelo cliente: tom, formalidade etc.
  4. Não usar exemplos que os leitores não vão conhecer.

Se você comparar a estrutura com o que eu escrevi, verá o quanto fica fácil transformar tópicos em parágrafos de texto corrido. Experimente fazer o mesmo e veja o quanto pode ajudar nos seus posts e materiais ricos!

Um bom material serve para endereçar a solução de um problema ou satisfazer uma curiosidade do leitor. Garanta, portanto, que sua estrutura cubra um desses dois tópicos.

 

Hora de escrever seu material

Definida a estrutura do seu material, é hora de desenvolver as ideias de cada tópico e subtópico. É possível que, durante a escrita, você prefira reordenar um pouco os capítulos, enfatizar alguns mais que outros, e isso é perfeitamente normal. Apenas garanta que o texto resolva as verdadeiras dores do leitor.

Por exemplo, se você está usando alguma sigla ou palavra desconhecida, certifique-se de que na primeira vez que ela aparece no texto, exista a explicação do que ela significa.

Ao escrever, lembre-se sobre não ser superficial, fique à vontade para entrar em detalhes relevantes e explicá-los melhor. Se possível, apresente bons exemplos e casos de sucesso para ilustrar cada tópico.

A menos que seja um assunto muito conceitual, você vai precisar oferecer um pouco de prática. Exemplos práticos são recursos pedagógicos essenciais, eles ajudam o leitor a realmente entender o que está sendo dito.

Mantenha um bom equilíbrio entre o tamanho de cada capítulo. Se um deles começar a se estender demais, considere dividi-lo em dois; se algum estiver muito curto, veja se não vale a pena uma fusão com outro que também esteja pequeno.

Ao fazer essas modificações, tome o cuidado de manter uma estrutura coesa. O importante é que cada capítulo encerre em si mesmo uma ideia relevante para o material como um todo, e que faça sentido durante a leitura.

Outro ponto importante, e que faz toda a diferença para um redator experiente, é ajudar na formatação dos materiais ricos. Quando você está escrevendo, sabe que existem ideias e conceitos que são mais importantes para a compreensão do material.

Por isso, pense em frases de impacto e destaque-as na formatação do seu texto. Pequenos blocos de texto — como lembretes, dicas e chamadas para pontos de atenção — também podem criar um impacto visual, que compreenda os pontos centrais do que você está dizendo. Com essa prática, você ajudará o próprio diagramador a entender o que é mais importante na sua ideia.

Revise com cuidado o que você escreveu

Muitos freelas incluem a redação e a revisão do material, por isso é importante se preparar antecipadamente para revisá-lo. Mesmo que a revisão não seja obrigatória, os redatores de maior prestígio no mercado são aqueles cujos textos não exigem muita inspeção.

Um redator freelancer organizado se programa para terminar de escrever antes do prazo, para que possa revisar o conteúdo sem pressa. O ideal é que haja uma pausa entre o fim da redação e o início da revisão, isso ocorre porque o esquema mental para a revisão se assemelha aos olhos de um leitor.

Para isso, é preciso que seu cérebro termine de assimilar a avalanche de informações adquirida com a produção do conteúdo para, em seguida, voltar ao texto como se o estivesse lendo pela primeira vez.

Ainda que o seu freela não inclua a tarefa de revisão, lembre-se que seu nome estará sempre associado aos trabalhos que você entrega e é importante zelar pela sua reputação. Portanto, separe um tempinho para uma vistoria antes de entregar!

Uma revisão de texto exemplar, muito além de ortografia e gramática, considera também a coesão do material como um todo, o uso adequado de figuras de linguagem e até os detalhes de formatação para garantir uma entrega de qualidade.

Seguindo essas dicas, temos certeza que você conseguirá escrever materiais ricos muito mais facilmente, dando uma boa impulsionada em sua carreira de freelancer.

E agora, acha que já pode se tornar autoridade em produção de materiais ricos? Quer saber quais técnicas os especialistas recomendam? Baixe agora o nosso Guia Completo de Produção de Conteúdo!

Guia Completo de Produção de Conteúdo

Posts populares com esse assunto