Por Raissa Galvão

Analista de Marketing na Rock Content.

Publicado em 09/06/2017. | Atualizado em 16/06/2017


Um marketplace é o lugar em que freelancers se conectam com clientes e pegam novos jobs. Eles são muito úteis para prever a renda no fim do mês e fazer contatos. Que tal aprender a escolher o melhor antes de começar?

Trabalhar em casa, flexibilidade de horários, ser seu próprio chefe… Ser um freelancer tem diversas vantagens. Não é a à toa que os marketplaces de freelancers crescem vertiginosamente e cada vez mais profissionais têm considerado fazer dessa atividade a sua principal fonte de renda.

Porém, os benefícios vêm com alguns riscos: você estará por conta própria, administrando todos os aspectos da sua carreira. Nesse sentido, o sucesso depende diretamente de muito planejamento, esforço e atenção a uma série de detalhes.

Para evitar os erros mais comuns, e para que você tenha certeza de que esse mercado combina com o seu perfil, nós separamos alguns conselhos que todo freelancer adoraria ter recebido quando estava começando. Veja, abaixo, tudo o que você tem que saber antes de dar o primeiro passo e entrar em um marketplace de freelance:

1. Plataformas de produção de conteúdo oferecem mais estabilidade

Angariar clientes é um dos maiores desafios de qualquer profissional. Contudo, os freelas não contam com o amparo de uma marca ou de uma equipe de marketing, o que complica mais ainda o processo.

É por isso que as plataformas de produção de conteúdo são tão importantes. Além da oportunidade de conseguir mais experiência, uma boa plataforma é um marketplace de freelance seguro, tornando a jornada de quem está começando menos estressante e desanimadora.

Ainda assim, você precisa estar atento aos elementos fundamentais para uma boa autopromoção e para que o seu trabalho na plataforma seja rentável.

O mais importante é ter em mente que, apesar da liberdade característica da atuação freelance, profissionalismo é imprescindível, como veremos a seguir.

2. O tempo não é seu inimigo — se você administrá-lo bem

Prazo. A princípio, essa palavra dá um pouco de medo, não é? Você logo se imagina correndo para não perdê-lo, e com razão: não cumprir com datas é péssimo para sua imagem profissional.

Como freelance, a pressão pode até ser menor nesse sentido, uma vez que você está a cargo de seus próprios horários. Porém, é justamente aí que mora o perigo.

É preciso tomar muito cuidado para não se acomodar. Nas plataformas, os prazos são perfeitamente conciliáveis e o tempo que você tem para desempenhar cada tarefa é o suficiente, desde que administrado com sabedoria.

Nos primeiros dias, é interessante pegar pouco trabalho para estudar o seu ritmo e, então, ir adequando a demanda de acordo com o que você consegue fazer dentro dos prazos estipulados.

Lembre-se, também, de organizar o seu dia e disponibilizar um tempo exclusivo para trabalhar nos freelas. Desenvolvendo o seu próprio “horário comercial”, dificilmente terá problemas com perda de prazo.

3. Abandonar tarefas comprometerá seriamente a sua imagem

Da mesma forma que atrasar entregas, abandonar tarefas é visto como falta de compromisso com o trabalho. Afinal, por que você começaria a fazer algo se não tem o intuito de terminar?

Por isso, estude a pauta e os requerimentos da tarefa, a fim de ter certeza de que poderá fazê-la. Evite, também, pegar muitas tarefas de uma vez só para não ser necessário abandonar nenhuma.

Mas, se não tiver outro jeito — afinal, imprevistos acontecem —, é fundamental esclarecer o motivo do abandono e fazê-lo com alguma antecedência para não prejudicar os demais envolvidos. Nesse caso, o diálogo é sempre a melhor opção!

4. Preparar-se é o melhor jeito de se prevenir

Embora um marketplace de freelance seja o meio ideal para quem está começando, o intuito ali não é educar amadores, mas oferecer um espaço de trabalho para profissionais.

Portanto, se você não sabe muito sobre marketing de conteúdo e pretende aprender por meio dessas plataformas, vai se frustrar. Elas são procuradas por clientes que esperam um trabalho bem-feito, então é muito importante que você vá preparado se quiser ter sucesso.

A boa notícia é que existem diversos cursos gratuitos sobre marketing e produção de conteúdo disponíveis na internet. Dedique um tempo a eles, obtenha seu certificado e, aí sim, mãos à obra!

5. Lidar bem com clientes e críticas demonstra compromisso

Para trabalhar com redação e copywriting, você deve estar disposto a se desapegar de seus textos.

Muitas vezes, eles precisarão de ajustes para se enquadrarem no gosto do cliente ou nas características de um artigo de marketing — isso quando não precisarem ser reescritos para otimizar o conteúdo!

Portanto, ser inflexível é extremamente prejudicial para sua carreira no marketplace de freelance. Quanto mais solícito às ideias e necessidades do cliente, melhor.

Vale lembrar, aliás, que feedbacks negativos e críticas não devem ser levados para o lado pessoal. Os seus textos, nesse caso, terão objetivos práticos. Se eles não forem alcançados, é importante atentar aos apontamentos do analista de conteúdo e do cliente para saber o que falta para escrever artigos matadores.

6. O planejamento financeiro é fundamental para fazer seu trabalho render

Como freelancer, você ganha pelo que produz. Isso significa que não há um ganho fixo e que seu lucro na plataforma está condicionado tanto pela demanda quanto pela aprovação das tarefas.

Para fazer um planejamento financeiro de curto, médio e longo prazos, é necessário, primeiro, saber quão rentável é o seu trabalho em pelo menos um mês.

Com essa noção, você estará apto a coordenar a quantidade de tarefas a serem feitas em determinado período, bem como se organizar de acordo com seus ganhos.

7. Não se limite, se destaque

Um bom jeito de fazer sua produção render mais é se candidatando a mais de uma categoria ou assunto.

As opções são várias: Saúde, Moda, Marketing, Redação, Entretenimento, Psicologia… Faça uma autoavaliação e veja sobre quais temas você gostaria de escrever e com quais tem mais afinidade.

Essa iniciativa só traz benefícios, pois, além de contar com mais oportunidades de trabalho na plataforma, um redator com portfólio variado é muitíssimo bem visto no mercado.

8. A experiência dos outros pode ser a sua

Finalmente, você deve ter certeza de que está se associando a uma plataforma confiável e de que o marketplace de freelance é uma boa ideia. Como? Conversando com quem já tem alguma experiência na área, é claro.

Junte-se a grupos de freelancers no Facebook, pergunte quais plataformas eles recomendam, como costumam se organizar, para quais categorias costumam escrever e o que mais você julgar necessário. As possibilidades são muitas e o melhor jeito de saber qual funciona melhor para você é fazendo uma pesquisa detalhada!

Se depois disso você concluir que o marketplace de freelance é a alternativa ideal, não perca tempo. Cadastre-se como freelancer na Rock Content e venha fazer parte do nosso time!

Posts populares com esse assunto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *