Por Clarissa Damas

Publicado em 04/04/2018. | Atualizado em 09/01/2020


Acredite: outros freelancers passam pelas mesmas dificuldades que você e por isso, aprender com os erros dos outros podem ser chave para o sucesso.

A decisão de ser freelancer foi muito natural. Ela veio em um momento de muita insatisfação profissional, falta de tempo para a família e questionamentos internos. “É isso mesmo que eu quero passar o dia todo fazendo?” Pensava.

Foi então que descobri que havia um jeito de pagar as contas, organizar meus horários, ser produtiva e fazer o que mais me deixa feliz: escrever. Conheci a Rock e a Comunidade, pedi demissão de um jornal (trabalhava há 5 anos como repórter) e decidi me aventurar como freelancer.

É difícil assumir todos os riscos e responsabilidades da vida livre, mas a verdade é: ser freela é bom demais. A gente aprende um pouco, dia a dia, sobre nós mesmos, sobre o que gostamos, processos e rotinas que criamos ao longo dos meses e que dão certo – ou não.

Sou formada em jornalismo há 10 anos, e, destes, 8 passei em redação de jornal (trabalhei por 3 anos em um e 5 anos em outro), e também tive uma experiência de dois anos como assessora de imprensa.

Mas eu seguia naquela incessante busca pela realização profissional, e queria muito conseguir equilibrar o trabalho com minha mais nova função: a de ser mãe.

Comecei conciliando o trabalho de freelancer com meu emprego formal, depois pedi demissão e fiquei por conta mesmo. Minha vida sem carteira assinada durou pouco mais de 4 meses, pois acabei de entrar pro time efetivo da Rock. Mas, nesse pouco tempo, posso garantir que aprendi lições freelancer muito valiosas, que compartilho agora com vocês:

1. Ser seu próprio chefe é ser mais produtivo

Não existe ninguém que cobre mais da gente do que nós mesmos. Enquanto freelancer, eu era minha própria chefe, e, por isso, queria produzir sempre mais e melhor, o que refletia diretamente no que recebia no final do mês.

2. Ter horários é muito importante

Justamente por estar “sempre no escritório” quando se é freelancer, é importante ter horários definidos para começar e terminar a jornada. Afinal, também nessa carreira, nós não queremos nos estressar, não é mesmo? Além disso, criar rotinas ajuda muito a manter a organização e produtividade em alta.

3. Fazer intervalos conta muito

Não tem problema dar uma paradinha no meio do dia para checar email, ler algum blog ou site interessante, ver um pouco de televisão, escutar uma música. Fazer intervalos é essencial para espairecer e render mais. Claro que eles devem ser controlados para não tirarem o foco, mas parar um pouco pela manhã e um pouco à tarde não faz mal nenhum.

4. A cobrança externa cansa

Muitas pessoas, principalmente mais velhas e acostumadas com o sistema tradicional, não entendem bem o que é ser freelancer. Eu sentia muita cobrança da família, que questionava se eu estava de fato trabalhando. É importante ter paciência, bem como explicar que o trabalho remoto é uma tendência não apenas para freelas, mas também em grandes empresas dentro e fora do Brasil.

5. Poder dedicar o fim de semana para o que você quiser, inclusive, para a família

Como bastava abrir o laptop pra começar a trabalhar, decidi que os finais de semana seriam para lazer e tempo com a família. No início, acabei trabalhando também nos sábados e domingos e, aos poucos, fui ficando cansada. Então, decidi trabalhar apenas de segunda a sexta e em dias úteis, sem exceções. E essa foi uma das lições freelancer mais sábias para mim. Mas lembre-se: nesse modo de trabalho mais autônomo, a decisão de organização do tempo livre é uma escolha própria.

6. Ter sempre um plano B com relação à internet

Ficar sem WiFi é a pior coisa que pode acontecer a quem trabalha de casa. É importante ter um plano B caso ocorra algum problema. No meu caso, contava com a boa vontade de uma vizinha e, nas duas ocasiões que a internet me deixou na mão, pedi socorro a ela.

7. Ter um espaço agradável ajuda a produzir melhor

Escolher um cantinho só seu, onde seja agradável estar, é importante e te ajuda a produzir melhor. Eu até tenho um escritório em casa, mas não gostava de trabalhar nele. Achava fechado, escuro, sem muita luz natural. Decidi trabalhar na sala, que é mais ampla e arejada, e foi muito bom. Conseguia concentrar mais e produzir mais também. Faça testes para ver onde você se sente melhor.

8. Trabalhar em casa implica comer melhor

Sim! Trabalhando remotamente conseguia cozinhar todas as minhas refeições. Com isso, comia melhor e ainda podia economizar um bom dinheiro. Aproveite a oportunidade e cuide mais de você mesmo!

9. Sair de casa é necessário

Sair de casa é necessário. Todo dia. Nem que seja para dar uma volta na rua. Principalmente nas horas de bloqueio criativo, andar pelo quarteirão me ajudava a pensar melhor e a passar por esses momentos de falta de inspiração.

10. Nunca, nunca mesmo, deixar de trocar de roupa

O trabalho remoto não implica ficar de pijama o dia todo. Não mesmo. Nem em deixar de arrumar a cama. Manter um ritual pela manhã é importante para “avisar ao cérebro” que o dia começou e que é hora de trabalhar. Além do mais, passar o dia de pijama e ver a cama desarrumada é tentador. E um cochilo rápido pode acabar se transformando em horas dormindo.

11. Usar roupas confortáveis

A dica de trocar de roupa é importante, mas não quero dizer para você colocar calça jeans ou roupas formais de trabalho. Pra mim, bastava um short, roupas de ginástica, vestidos leves, roupas confortáveis que eu já usava para ficar em casa mesmo. Desde que não fossem pijamas, estava tudo certo!

12. Amar os dias de chuva

Quando a gente tem que encarar o trânsito para ir trabalhar e cai aquela chuva, dá um baita desânimo. Já trabalhando de casa, os dias de chuva são os melhores! Acordar com calma, colocar um moletom confortável, fazer um chá e trabalhar ouvindo a chuva cair. Não existe nada melhor!

13. Ter uma agenda pode salvar a sua vida

Esquecer datas e confundir prazos são erros que você não pode cometer. Por isso, compre uma agenda. Manter o dia a dia organizado e as datas de entrega de trabalhos bem definidas é essencial se você quer ter sucesso como freelancer. Pra mim, tinha que ser uma agenda de papel mesmo, mas se você se dá bem com agendas e planners virtuais, melhor ainda.

14. Aprender a levar seu “escritório” para outros lugares

Pegar o laptop e ir a uma cafeteria ou um espaço de coworking também é legal. Ter essa flexibilidade ajuda a sair da rotina. Ficar em casa todos os dias pode acabar sendo monótono, mas, como existem inúmeros espaços com WiFi grátis e cafés gostosos, passar uma tarde trabalhando em um ambiente diferente vale a pena.

15. Aprender a dizer não para as pessoas

É possível que sua família ou amigos te peçam ajuda. Para ir ao banco, para buscar o cachorro no pet shop, para ir junto ao médico. Aprenda a dizer não. Você trabalha de casa. Não está à toa em casa. É claro que cada caso é um caso, e uma das maiores vantagens de ser freelancer é justamente ter essa flexibilidade, mas você precisa ter uma rotina se quiser se dar bem. Por isso, diga não quando te pedirem ajuda e você não puder ajudar.

16. Responder emails sempre

Como você não estará em contato direto com o pessoal do trabalho, seja ágil com relação à comunicação. Responder emails rapidamente é essencial. Isso mostra que você se preocupa com o trabalho, está sempre disponível e atento às demandas, novidades, mudanças etc. Outro ponto é que, quando respondemos prontamente qualquer mensagem, o risco de esquecer de responder alguma coisa é infinitamente menor.

17. Ter organização financeira

Essa é uma das lições freelancer mais importantes. Ter organização financeira é essencial para viver como freelancer sem infartar. Não dá para entregar um trabalho hoje e contar com o pagamento amanhã. Essas coisas levam tempo. Eu sempre me programava para receber o dinheiro com mais ou menos 30 dias da data da entrega. Assim, se recebia antes, era só festa. Se recebia com 30 dias, tudo bem. Estava no script. Se passava disso, ligava o alerta vermelho e procurava saber o que tinha acontecido.

18. Buscar outros freelas para conversar

Ninguém entende melhor as dores e as delícias de ser freelancer do que quem também trabalha assim. Busque colegas de profissão para conversar, trocar experiências, ouvir histórias e se inspirar. Isso ajuda muito! A Comunidade Rock Content, por exemplo, tem um grupo exclusivo no Facebook. Se você já faz parte da equipe de freelas, que tal se juntar aos coleguinhas?

19. Manter um portfólio atualizado

Essa dica é muito importante. Por não estar diretamente ou oficialmente ligado a uma empresa, mantenha um portfólio atualizado. Selecione seus melhores trabalhos constantemente. É seu portfólio que vai te ajudar a encontrar novos clientes, caso o atual decida romper o contrato ou deixe de ser interessante para você.

20. Não se culpar ou se cobrar demais

Não é por ser freelancer que você não pode ter dias ruins, adoecer, ficar muito cansado. Isso tudo é normal. Lembre-se de que você é um ser humano. Você vai pegar uma gripe, ter dor de barriga, precisa dormir um pouco mais. Ou parar de trabalhar mais cedo, encontrar uma oportunidade imperdível de viagem. Essas coisas acontecem.

O importante é tentar equilibrar para não ficar no vermelho no fim do mês, e nem deixar ninguém na mão. Caso em um dia você produza menos, tente compensar no dia seguinte. Caso não consiga cumprir um prazo, avise aos responsáveis, peça um tempo maior, explique a situação.

21. Aprender algo novo todos os dias

Por fim, a última lição que aprendi é que todos os dias são dias de aprendizado. Eu sempre achei que escrevia bem e sabia português, mas a verdade é que com o trabalho de redatora descobri que português é muito mais difícil do que parece. Fui compreendendo quais eram meus vícios de linguagem, recebendo dicas de gramática, ortografia, organização textual, pontuação etc. Hoje sei que escrevo melhor, e sei também que ainda tenho muito a aprender. Todos os dias!

Essas foram as 21 lições freelancer que aprendi na prática. Foi um período de descoberta, autoconhecimento, e, principalmente, confiança no meu potencial. Se identificou, não é mesmo?

Então, confere aqui a história de outras pessoas que vivem maravilhosamente bem com a vida de freela!

Posts populares com esse assunto