Por Autor Convidado

pelo blog da Comunidade Rock Content.

Publicado em 15/01/2021. | Atualizado em 15/01/2021


Trabalhar como freelancer é uma possibilidade cada vez mais considerada, seja pela própria mudança no mercado de trabalho ou pela liberdade de não estar preso a apenas um tipo de emprego. Acompanhe o post escrito pela equipe da Escola Saga, referência em computação gráfica, jogos e arte digital no Brasil!

Quando o assunto é ser freelancer na indústria criativa, o número de opções é ainda maior, com uma atuação na carreira bastante diversa. Uma pessoa que consegue desenhar, por exemplo, pode criar ilustrações, editar outros trabalhos, colorir, enfim, existe uma série de opções. Já um escritor pode desenvolver roteiros, criar posts para blogs e fazer muitos outros trabalhos.

Neste texto, vamos falar um pouco sobre as possibilidades de trabalho quando se é freelancer e trabalha com a indústria criativa. Continue!

5 opções para trabalhar como freelancer na indústria criativa

Separamos profissões que têm relação com diferentes áreas como moda, computação gráfica, etc. Dessa forma, você pode observar como a indústria criativa é um setor bastante expansivo em termos de trabalho.

Designer de games

O mundo dos games tem se mostrado nas últimas décadas mais do que apenas uma opção de entretenimento. Existe um verdadeiro trabalho na criação dos jogos, as histórias são complexas e os gráficos cada vez mais trabalhados para dar a sensação de realidade.

Um game não é só um game, são centenas de profissionais trabalhando durante meses — ou até anos, dependendo do jogo — para trazer vida a uma ideia. É só observar os últimos lançamentos: são jogos com storytellings realmente elaborados. Logo, essa é uma profissão bastante criativa, mas que exige um conhecimento técnico muito grande.

Esse profissional deve saber sobre as etapas de criação, roteiro, modelagem de cenário, produção de arte, entre outros detalhes. Além disso, não é um trabalho restrito apenas à criação de jogos; o desenvolvimento de games pode também ser usado para plataformas de treinamentos.

Mini-curso de Storytelling: Conquiste sua audiência contando boas históriasPowered by Rock Convert

Designer gráfico

A profissão de designer passou por importantes mudanças conforme a computação gráfica foi se tornando cada vez mais utilizada. Hoje, como designer, é impossível não utilizar algum software para desenvolver projetos. Isso também trouxe uma variedade maior para a profissão, e quando o assunto é ser freelancer, isso é muito útil.

O designer gráfico pode trabalhar com ilustrações, editoração de revistas e livros, desenhar logotipos ou cuidar do layout de sites e templates. Entre os requisitos, estão: entender bem as ferramentas, mas, principalmente, os fundamentos do design, como a organização dos elementos visuais, o uso das cores, formas, tipografia etc.

Além disso, é necessário ser bastante criativo e uma pessoa atenta às tendências, com bastante referências para desenvolver projetos.

Modelagem 3D

O 3D é definido como um objeto que possui 3 dimensões, uma imagem bem diferente do 2D que representa figuras mais planas. Hoje em dia, é bem difícil não encontrar jogos ou filmes que não tenham algum efeito em 3D. Em relação aos games, é padrão que eles sejam feitos em terceira dimensão.

Porém, não se assuste — para trabalhar com modelagem em 3D não é preciso ser um gênio da computação. Esse tipo de profissional, além de utilizar softwares específicos para a criação dos objetos, como ZBrush, Maya, 3DS Max, também precisa ter alguns conhecimentos.

Saber sobre desenho 2D pode ajudar a compor melhor personagens e outras figuras. Além disso, é bom que ele seja uma pessoa criativa, até porque esse não é um trabalho feito apenas no computador.

Um dos processos iniciais para criar personagens, por exemplo, é fazer uma escultura de referência em argila ou clay. Dessa forma, há uma visão melhor sobre os aspectos de luz e sombra e outros detalhes.

Roteirista e Redator

Para quem se dá bem com as palavras, essas são ótimas alternativas para trabalhar como freelancer, primeiramente, vamos falar da profissão de redator. hoje, com o crescimento sites e dos blogs, é possível desenvolver conteúdos bastante diversos. Você consegue

sobre assuntos específicos como mecânica, e até a respeito de entretenimento, séries, filmes e jogos.

Além disso, o redator não precisa focar apenas em conteúdo para internet. Pense na sua série favorita. The Boys? Stranger Things? Breaking Bad? O que você acha que faz ela ser tão especial? Os efeitos visuais? Os atores? A direção? A plataforma? Claro que todos esses elementos ajudam, mas, definitivamente, sem um roteiro bem escrito, pode ter certeza que a série só resiste até a primeira temporada.

Muita gente nem percebe, mas a base de todas as produções audiovisuais é o roteiro. É ali que estão as cenas, o enredo da história e é por ele que o diretor e o ator vão se guiar. Logo, o roteirista é o primeiro contato com a criação de uma produção, aquele que vai moldar a estrutura narrativa para que a história apareça na sua tela.

Essa profissão exige, sim, que se gostar de escrever e é importante fazer isso muito bem, mas é fundamental que ele seja criativo. É da cabeça dele que sairão as situações que ocorrem com os personagens, as falas — então, ele deve ser capaz de desenvolver ideias que façam sentido e sejam inovadoras para o enredo.

Editor de vídeo

O editor é uma parte muito importante para qualquer produção de vídeo. Aliás, arriscamos dizer que sem ele é como se esse tipo de conteúdo não existisse. Ele é responsável por transformar o material bruto em realmente um vídeo. Eliminando os erros, arrumando a sequência das cenas, cortando os excessos, tudo para que o resultado faça sentido.

Para isso, além de saber operar ferramentas como Adobe Premiere, Sony Vegas, entre outros. Ele também precisa ter um conhecimento de estrutura narrativa, roteirização e linearidade.

Hoje, falamos sobre algumas possibilidades de trabalhar como freelancer na indústria criativa. Lembrando que há muitas outras alternativas — algumas, inclusive, acabam integrando outras áreas, como a própria redação onde é possível trabalhar até no desenvolvimento de roteiros.

Outras necessitam de uma bagagem técnica, como designer, em que é necessário não só conhecer os tipos de ferramentas, como também estudar formas, organização de elementos e cores. De qualquer forma, a indústria criativa, principalmente voltada para os freelancers, tem muitas alternativas para quem quer sair da CLT e ampliar a suas possibilidades.

Se interessou por alguma destas áreas? Então aproveite para ter o seu primeiro contato com Criação de Games, Animação e Photoshop com as Oficinas Gratuitas da SAGA. Ganhe o seu primeiro certificado de 2021 e dê os seus primeiros passos no mercado criativo. 

Posts populares com esse assunto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *