Por Jardel Rodrim

Criatura de fevereiro: músico que estudou Letras e já foi ator.

Publicado em 25/06/2019. | Atualizado em 21/06/2019


Para se adaptar e ter sucesso na vida de freelancer, existem alguns hábitos que irão ajudar em sua carreira. Confira os 5 mais importantes que você deve cultivar!

Falar de hábitos saudáveis no trabalho parte do pressuposto de que a primeira obrigação de todo profissional é ser uma pessoa feliz.

Trabalhar tem como função, é claro, nos manter bem alimentados, vestidos, morando em um lugar confortável e com todos os boletos em dia, mas não pode servir apenas para isso. Se for encarado dessa forma, vai se tornar um estorvo.

A felicidade nas esferas profissional e pessoal de nossas vidas demanda autoconhecimento, e esse é o tema deste artigo. Abaixo, vamos dar algumas dicas de hábitos para cultivar que podem ajudar você a se conhecer melhor e a aumentar não só a sua produtividade, mas, também, o seu nível de satisfação com o trabalho. Por isso, leia até o fim!

1. Trabalhe todos os dias

Se você mora com os pais e tem uma vida confortável, pode ser que tire apenas algumas horas vagas para as atividades freelancer, sacrificando um breve período, antes ocioso, em troca de um dinheirinho a mais.

Por outro lado, há freelas que fizeram da sua atividade um meio de subsistência: moram sozinhos e pagam todas as contas com esse trabalho. Muitos e muitas têm filhos, inclusive, e proveem seu sustento com o suor das tarefas de cada dia.

Em ambos os casos, é recomendável trabalhar todos os dias. Sabe por quê? Pelo fato de que a prática diária de uma atividade ajuda no desenvolvimento cognitivo necessário para desempenhá-la de maneira simples e rápida.

Além disso, aplicar-se em uma mesma tarefa rotineiramente ajuda na hora de criar metas mensais baseadas em produtividade diária. Ou seja, você começa a ser capaz de prever a sua renda no fim do mês, o que leva a um maior controle das finanças.

Então, independentemente dos seus objetivos com a atividade freelancer, crie uma rotina. Produza todos os dias, focando em uma meta financeira ou um número de horas preestabelecido.

Para entender bem o universo freelancer e começar com o pé direito! 🤓
Gig Economy: entenda o que é essa tendência e como fazer parte!
Trabalho Remoto: 8 sites e 10 dicas para ganhar dinheiro sem sair de casa
Tudo o que você precisa saber sobre um profissional autônomo
Trabalho autônomo: 10 opções para quem quer mudar de carreira!
O que é freelancer e tudo que você precisa saber para se tornar um

2. Experimente e entenda o que funciona melhor

Muitos profissionais abrem mão do conforto de uma ocupação com carteira assinada para trabalharem em casa. Se você faz parte desse grupo de pessoas, há grandes chances de ter feito isso para se livrar de rotinas que não serviam para você.

Em uma empresa convencional, o horário de trabalho comercial é o mesmo para todos, e é necessário se adaptar a ele. Portanto, se você é o tipo de profissional que tem pico criativo à noite, dificilmente vai se adaptar.

Logo, agora que você está livre dessas convenções, faz sentido tirar um tempo da sua nova rotina para experimentar diferentes regimes de trabalho. Livre dos sistemas convencionais, um novo universo se abre, e algumas rotinas que pareceriam absurdas podem fazer todo sentido para você, a partir de agora:

  • trabalhar durante a madrugada;
  • viajar ou morar em outros países sem deixar de atender seus clientes;
  • ter outras atividades, colocando-as no mesmo patamar de importância dos freelas;
  • trabalhar em qualquer cômodo da casa, deitado na cama ou sentado no chão;
  • vestir-se da maneira que quiser enquanto produz (sim, roupas de baixo também contam).

Ou seja, experimente novas maneiras mais agradáveis de fazer o seu trabalho. Essa é a maior vantagem de ser freelancer e trabalhar em home office.

3. Preserve seus momentos de lazer

Curiosamente, em muitos casos, é longe de um chefe e de uma máquina de ponto que a produtividade cresce exponencialmente. Muitos de nós se cobram o tempo todo, e isso também tem o seu lado ruim.

Por exemplo, se você sacrifica momentos de lazer porque acha que poderia ganhar mais dinheiro, começou mal. Receber por tarefa é desafiador, o seu trabalho fica parecido com um videogame e você só depende do próprio esforço. Às vezes, sua energia parece infinita.

Mas ela não é. E é exatamente aqui que estabelecer uma rotina ajuda. Sem o lazer adequado, ninguém trabalha bem. Além do mais, lembre-se do que dissemos no início deste artigo: o seu primeiro compromisso não é com os clientes, mas consigo mesmo: ser feliz.

Evite problemas como estresse, depressão, burnout e outros. Estabeleça seus limites e se respeite. Se não fizer isso e se mostrar capaz de trabalhar incansavelmente, o nível de cobrança — vindo de si próprio ou de outros — aumenta na mesma proporção.

Estabeleça uma linha entre trabalho e lazer e deixe cada um dos seus clientes saber por onde essa linha passa. Eles vão compreender e cobrar só o que você se propõe fazer bem, sem e-mails fora do horário ou pedindo o que está fora do escopo.

4. Tenha outras atividades

Verdade seja dita: quem trabalha de oito às seis passa a maior parte do seu período produtivo — se não todo ele — dedicando-se a uma mesma atividade. Assim, outros interesses na vida são forçosamente colocados na categoria de hobbies, o que prejudica um pouco o desenvolvimento dessas atividades.

Sendo freelancer e trabalhando em home office, é possível colocar limites no trabalho. Pode, inclusive, produzir cada vez mais em cada vez menos tempo. E sobram várias horas diárias para suas outras paixões, de modo que é possível se envolver a sério com elas.

Não são poucas as pessoas que, além dos freelas, desenvolvem trabalhos profissionais como músicos, atores, gamers, trabalham em ONGs que prestam serviços à comunidade, praticam boas causas sociais etc.

Essas atividades não precisam ser pensadas como descoladas do trabalho freelancer. Pelo contrário, muitas das aptidões exigidas para praticá-las enriquecem o corpo de conhecimento que o freelancer deve ter, e vice-versa.

5. Aprenda coisas novas

E por falar em conhecimento, o nosso nível de satisfação com um trabalho está, muitas vezes, relacionado ao aprendizado que ele nos proporciona. Sendo assim, julgar-se entendido em tudo e renunciar aos estudos profissionais pode atirá-lo ao tédio muito facilmente.

Por isso, a última dica deste post é que você busque conhecimento. Não apenas conhecimento técnico relacionado à sua área de atuação, mas também outras leituras e sacadas que o tirem do seu lugar de conforto.

Quanto a esses bons hábitos, para cultivar cada um deles é importante desenvolver autoconhecimento. Se estiver cumprindo a sua missão de ser feliz e fazer o que gosta, estará também se tornando um melhor freelancer. Afinal, a linha entre os campos pessoal e profissional é tênue, e o correto é que, toda vez que um lado cresce, o outro cresça junto. Bom trabalho e seja feliz!

E já que falamos sobre aprender coisas novas, fica aqui o convite para você assistir às aulas da Imersão Freelancer, o maior curso gratuito disponível para produtores de conteúdo na internet. São vários profissionais de destaque comentando os tópicos mais importantes sobre o assunto. Aproveite!

Imersão Freelancer: 11 videoaulas gratuitas para te ajudar a ter sucesso como freelaPowered by Rock Convert

Posts populares com esse assunto