Por Renata Figueiredo

Publicado em 03/05/2021. | Atualizado em 19/07/2021


Mais que codificar, o desenvolvedor web é o responsável por trazer para a realidade o design e a funcionalidade de sites na forma como conhecemos. Veja as habilidades que você deve dominar na área!

Imagine que estamos em 1995, a internet é uma terra pouco explorada, cheia de sites com fundo de estrelas e imagens estáticas no centro. Abaixo, há gifs em 16bits e textos coloridíssimos sobre como foi o dia de alguém. Sabemos que essa realidade parece um pouco assombrosa, mas, acredite, os sites eram assim no começo. 

A boa notícia é que o tempo passou, para sermos mais precisos, cerca de 20 anos, e chegamos ao momento em que os sites não são só melhores que o que foi descrito acima, mas, também, mais complexos e desenvolvidos. 

Agora, mais que saber sobre HTML é preciso conhecer outros conceitos que vão desde design responsivo a JavaScript para gerar uma página. Toda essa complexidade fez com que essa competência de trazer um site à vida se tornasse uma profissão, o que chamamos de desenvolvedor web. 

Neste texto, vamos não só explicar o que ele faz, mas apresentar o que é preciso saber para se tornar um. Continue!

O que é um desenvolvedor web?

O desenvolvedor web é o responsável por codificar, desenvolver e gerenciar sites. Para isso, ele usa blocos de construção feitos de linguagens específicas da web, como CSS e HTML. Podemos dizer que ele será responsável por pegar uma ideia de um site, incluindo o conceito de design e transformar em realidade. 

Qual é a sua importância?

Na introdução, trouxemos um exemplo de como eram os sites no começo dos anos 1990, dá para imaginar que sem o desenvolvedor web esse tipo de página poderia ainda estar por aí? Porém, mais que isso, mesmo que o site tivesse um bom design, sem um desenvolvedor, as chances de ser funcional e estar de acordo para rodar na web seria impossível. 

Esse profissional é o que está por trás do que vemos em todos os sites. Links, imagens bem enquadradas, botões de interação e efeitos visuais, como flash, não são nada sem o auxílio de um desenvolvedor. Logo, a sua importância é crucial para tornar a internet o que ela é hoje em dia. 

Se olharmos por um ponto de vista mais específico, muitas empresas nem teriam condições de apresentar seus produtos e serviços na web sem um site padronizado de acordo com a linguagem web. 

Quais são as habilidades profissionais essenciais?

Então, chegamos a um ponto interessante deste texto. Você verá nos tópicos a seguir um compilado de conhecimentos necessários para exercer essa profissão. Procuramos escolher as principais, continue!

1. HTML/CSS

O HTML (HyperText Markup Language) e o CSS (Cascading Style Sheets) podem ser enxergados como códigos responsáveis por tudo o que você vê na web. Para sermos mais específicos, são linguagens, uma série de caracteres que, ordenados de certa maneira, podem ser lidas pelo sistema do seu computador, smartphone e tablet para apresentar as páginas na web. 

Antes de mais nada, é preciso dizer que é impossível, ao procurar sobre desenvolvimento de software, que você não encontre essas duas linguagens em algum ponto. Mas do que elas se tratam? Bem, o HTML é um código de marcação padrão — um bloco de construção modelo, por isso, bem mais básico. 

Agora, o CSS é um pouco mais complexo, digamos que ele é um complemento. Enquanto o HTML cria a base da página, o CSS age no desenvolvimento de cor, fontes, layout de páginas, ou seja, tudo o que é direcionado ao estilo. Portanto, é fundamental que o desenvolvedor de web aprenda a ler essas linguagens e a gerenciá-las.

2. JavaScript

Você verá que, ao longo deste texto, há algumas linguagens básicas para o desenvolvimento de uma página, uma delas é o JavaScript. Ele é um mecanismo que permite que o programador crie e atualize o conteúdo de um site em tempo real. Um bom exemplo de JavaScript é a interação que o usuário faz com uma animação. 

Acontece que essa ferramenta é geralmente focada em um contexto específico, em um tipo de estrutura. Enquanto o CSS e o HTML são responsáveis pelo que vemos, o Java cuida de como isso funciona. 

Um site pode ter um bom estilo, cores harmonizadas, fontes padronizadas e nenhum problema na codificação HTML, mas, por outro lado, pode não apresentar nenhum tipo de efeito, vídeos, recursos de rolagem, vídeo, animações etc. O JavaScript será a ferramenta para colocar esses elementos, ou seja, acrescentar vida à sua página na web. 

3. SQL

Tudo o que apresentamos aqui são etapas essenciais para o que vemos e também para a interação com a página. Entretanto, existe uma ferramenta que funciona nos bastidores para garantir que o JavaScript funcionará: o SQL. Ele é responsável por armazenar os dados de atualização do conteúdo do Java. 

Quer um exemplo prático? Quando você entra em um site de compras e vê uma página com tudo o que você comprou, essa informação precisa ficar armazenada em algum lugar, um banco de dados. Bem, isso é o SQL. 

4. NoSQL

Apesar de não ser uma exigência obrigatória, é bastante comum encontrar empresas que buscam por desenvolvedores que também entendam sobre NoSQL. Porém, do que isso se trata? Essa é uma ferramenta bem semelhante ao SQL, que também armazena dados, mas a sua principal diferença é que, enquanto o primeiro tem uma estrutura já pré definida, o NoSQL, é completamente indefinido.

Portanto, sua utilidade se difere um pouco do SQL, sendo usado principalmente quando a estrutura dos dados muda constantemente e é necessário mais plasticidade. 

5. Pré-processamento CSS

Essa é uma habilidade um pouco mais específica e que pode ser vista como um complemento do que falamos no início deste tópico. A verdade é que existem limitações no CSS, não é algo que impedirá suas criações, mas pode atrapalhar e tornar o processo um pouco mais trabalhoso. Com ele, você não pode determinar variáveis, funções ou fazer cálculos no CSS, por exemplo.

Agora, você deve estar se perguntando por que precisaria de matemática para um site? Lembre-se que estamos lidando com códigos. Sendo assim, algumas operações e sinais fazem parte dessa linguagem e podem ser bem úteis. 

Especificamente no CSS, o que pode atrapalhar é que, sem conseguir colocá-las em um projeto que cresce em escala, você terá que reescrever o código toda a vez que precisar fazer uma alteração. Nem precisamos dizer que isso levará muito tempo, não é? Então, qual é a solução?

Aprendendo a usar pré-processamento, como LESS, Sass ou Stylus, você escreve o código na linguagem da ferramenta e ele converte o código para CSS. Dessa forma, se você precisa mudar a cor da fonte de todos os menus, não precisa fazer isso em todos os locais em que a linguagem está, pode mudar na ferramenta e ela automaticamente altera as partes necessárias de uma só vez. 

6. Sistema de controle de versão

O controle de versão pode ser chamado de bote de salva-vidas quando o assunto é desenvolvimento de software, principalmente para a web. Isto porque, em muitos casos, depois de todo o trabalho de codificação HTML, CSS e JavaScript, você terá que lidar com a possibilidade de que algumas coisas não saiam tão bem assim — e o controle de versão é uma das soluções. 

Refazer o trabalho não é uma das tarefas mais agradáveis, aliás, no caso de desenvolver um site, pode ser bem cansativo e complicado. O controle de versão é uma forma de tornar esse processo bem mais ágil. Ajudando o profissional a rastrear e controlar as alterações do código-fonte. Dessa forma, ele pode retornar a versões anteriores sem estragar o que já foi feito. 

7. Design responsivo

Smartphones respondem por quase todos os acessos à internet no Brasil, o que significa que mais que ter um site com um bom design e que funcione, é preciso que ele esteja adequado para aparecer em telas menores. 

Tablets e celulares são dispositivos facilitadores para as pessoas, sendo muito mais populares e acessíveis que um computador tradicional ou notebooks. Portanto, a responsividade, que molda o layout de um site à tela na qual ele está sendo exibido, é fator fundamental para um maior alcance e uma melhor experiência do usuário.

Conhecer as técnicas que tornam o design de uma página responsiva e saber implementá-las é imprescindível para ser um desenvolvedor web completo.

8. Teste

Testar faz parte das habilidades profissionais que não têm uma relação direta com aprender códigos exatamente. O grande ponto, aqui, é ter a noção de bugs, ou melhor, de que erros são uma realidade quando se fala do ambiente digital.

É muito importante que qualquer produto passe por testes exaustivos antes de ter qualquer versão exposta ao público. Afinal, testar o seu código em busca de bugs é uma maneira de sempre aperfeiçoar as suas criações. É uma habilidade, mas também é um hábito que deve ser cultivado independentemente do seu nível de conhecimento. 

Sendo assim, é preciso dizer que há algumas formas de testar os processos de desenvolvimento web. Por exemplo, existe o teste funcional, que analisa aplicações específicas do site, assim como o teste de unidade, focado em uma parte do código. Mesmo que pareçam medidas específicas demais e que levam tempo para ser analisadas, é importante aprender a como executá-las corretamente. A boa notícia é que existem programas feitos para simplificar esse processo. 

Quais são as habilidades comportamentais? 

Até aqui, apresentamos habilidades que têm como características serem mais técnicas, por isso, elas podem parecer mais fáceis de serem aprendidas. No entanto, existem qualidades que vão além da técnica, que têm uma relação direta com o modo de ser, ou seja, com o comportamento.

Isso significa que elas não podem ser aprendidas? Na verdade, não, mas que também precisam ser consideradas. Quem quer trabalhar como desenvolvedor deve estar atento ao que apresentaremos abaixo. Confira.

1. Habilidades de analíticas

Para sermos sinceros, a análise é uma parte importante da vida de um desenvolvedor web. Ele está sempre avaliando o seu trabalho, seja ainda na fase de codificação, seja quando ele o apresenta para o mundo. Afinal de contas, bugs e atualizações são uma parte do processo de criação de sites, de forma que se pode dizer que o trabalho nunca está terminado. 

Portanto, é preciso que ele seja capaz de analisar o que faz, mas que consiga checar outros trabalhos. Muitas vezes, esse profissional é contratado para cuidar de um site que não foi desenvolvido por ele e precisa conseguir avaliar o que pode ser melhorado. Ter um olhar crítico para isso é uma habilidade essencial. 

2. Boa escuta e comunicação

Mesmo que seja uma profissão em que, em um primeiro momento, boa parte da rotina seja trabalhar em frente a uma tela do computador, codificando páginas na web, ainda assim, a comunicação será uma qualidade essencial. Afinal, será preciso conversar com o cliente, saber quais são suas necessidades e qual é a ideia que ele tem para o projeto.

Além disso, o desenvolvedor web precisará entrar em contato com outras partes do desenvolvimento, como design, integração com servidores, banco de dados, segurança e até eventuais plataformas de e-commerce. Sendo assim, ele deve saber como se portar socialmente e dialogar. Também é importante que ele tenha a capacidade de escutar, principalmente para não ser arrogante quando seu trabalho desagradar o contratante. 

3. Estar atento às tendências

Essa é uma qualidade que não tem relação apenas com quem desenvolve para a web, mas com qualquer profissão. Todos os profissionais que querem se manter relevantes em relação ao seu trabalho, precisam se atualizar. Uma das formas de conseguir isso é estar atento às tendências do seu trabalho. Não só as que o atingem diretamente, como novas técnicas, ou ferramentas, mas também as que estão relacionadas, um novo site, plataforma etc. 

A verdade é que quanto mais atualizado, por dentro das notícias de sites e blogs especializados, mais bem-adaptado esse especialista estará para o mercado de trabalho. Até porque, quando se trata de desenvolvimento web, e com a velocidade que as tendências na internet mudam, é preciso estar sempre atento para não ficar para trás. 

Durante este texto, apresentamos as principais habilidades profissionais tanto técnicas quanto comportamentais para ser um desenvolvedor web. Devemos destacar que, apesar de as capacidades técnicas serem muito importantes, afinal, estão relacionadas a entender códigos e linguagens base para a criação de sites, não devemos esquecer das aptidões voltadas à conduta, que são fundamentais à rotina do especialista dessa área.

Saber lidar com as pessoas, ser comunicativo, escutar e entender quais são as necessidades dos seus clientes são características essenciais para fazer um bom trabalho. Além disso, é muito importante atualizar-se constantemente com informações de qualidade sobre as ferramentas e novidades da profissão. 

Gostou do nosso texto sobre desenvolvimento web? Já atua na área ou está procurando novas oportunidades de para trabalhar como desenvolvedor? Então, saiba o que temos para você. Conheça o banco de talentos da Rock!

Posts populares com esse assunto

Os comentários estão desativados.