Por Mariana González

redatora e revisora freelancer na Rock Content, crítica de cinema e apaixonada por histórias em todas as suas formas.

Publicado em 29/08/2017. | Atualizado em 08/01/2019


Os melhores clientes procuram produtores de conteúdo que sigam os princípios a seguir, e você deveria prestar atenção nisso se quiser ganhar mais!

Torne-se um especialista em produção de conteúdo!Powered by Rock Convert

Para quem trabalha com produção de conteúdo web, surgem cada vez mais variedades de formatos para que você possa transmitir a mensagem desejada por seus clientes. Nesse contexto, uma tendência já estabelecida e que promete continuar crescendo é o copywriting.

Mas o que é copywriting? Trata-se da escrita de um texto (blog post, e-book, slogan etc.) visando vender e/ou promover um produto, um serviço, uma ideia, uma ferramenta, uma pessoa ou uma empresa.

Respeitando os preceitos do marketing de conteúdo, os textos de copywriting não precisam necessariamente fazer com que o destinatário da mensagem feche negócio assim que terminar a leitura. O objetivo da empresa — e, consequentemente, também o seu — pode ser convencer o leitor a entrar em contato ou assinar a newsletter.

Para que você seja capaz de trabalhar com esse tipo de conteúdo com sucesso, é fundamental desenvolver suas habilidades de copywriting. Quer saber quais são elas? Continue a leitura e fique por dentro do que você precisa saber para se dar bem como copywriter.

1. Objetividade

Por meio do copywriting, a empresa busca entregar conteúdo relevante para seu público-alvo e, assim, alcançar o objetivo final de realizar uma venda. De maneira geral, a relevância de um texto tem muito a ver com sua objetividade.

Portanto, como copywriter, você deve saber ir direto ao ponto e rechear seu conteúdo de informações importantes e que vão fazer a diferença para o leitor. Dessa forma, a empresa estabelece sua autoridade no assunto, o que aumenta as chances de fidelização.

2. Capacidade de interpretação

Quando você é chamado para um trabalho de copywriting, a empresa vai lhe fornecer todas as informações de que você precisa para produzir o(s) conteúdo(s): detalhes sobre o produto, dados do público-alvo, tendências do mercado, dados demográficos e até mesmo informações sobre os objetivos e tendências da empresa.

Tudo isso, quando reunido, representa um amontoado de dados e números que precisa ser pincelado e, então, apresentado na forma de um conteúdo de qualidade e que seja capaz de conquistar o público-alvo.

Sendo assim, é imprescindível que você consiga não apenas entender todas as informações que lhe serão passadas, mas também que seja capaz de, a partir delas, produzir um material coeso, dinâmico e interessante. Com isso, é possível entregar para seu cliente um conteúdo que faça jus às características reais do produto, sem minimizar ou maximizar nada — o que poderia enganar o leitor.

3. Persuasão

A persuasão é uma das habilidades mais importantes do produtor de conteúdo que trabalha com copywriting. Afinal, você não deve apenas ser capaz de convencer o leitor da qualidade, da autoridade e da superioridade da empresa/produto em questão, mas também fazer isso de maneira sutil.

Lembre-se: mesmo que o objetivo final seja fechar negócio, copywriting não é publicidade! Para tanto, é preciso pesquisar a fundo o tema principal do seu conteúdo, o espaço em que ele será publicado (o blog ou página de rede social da companhia, por exemplo) e a empresa como um todo. Assim, você conseguirá abraçar a ideia e conquistar o leitor de maneira honesta.

Também é fundamental, é claro, escrever bem. Um conteúdo fluido, com boa escaneabilidade e que seja desenvolvido de maneira a engajar o leitor a cumprir o objetivo da empresa nasce de um copywriter talentoso! Escrever constantemente, ler blogs com textos de qualidade e dar continuidade aos estudos são algumas maneiras de aprimorar sua escrita.

4. Criatividade

Fortemente conectada à qualidade da sua escrita, a capacidade de ser criativo também é muito valorizada em um copywriter. Afinal, de que outra forma você conseguiria desenvolver um conteúdo capaz de envolver e encantar o leitor e, ainda por cima, convencê-lo a “obedecer” seu comando de assinar a newsletter da empresa ou baixar um e-book, por exemplo?

Além disso, é a criatividade — unida à empatia — que permitirá que você compreenda o público-alvo da empresa e consiga colocar-se no lugar dele. Consequentemente, o conteúdo produzido será mais enfático e conquistará melhores resultados, pois será aquilo que o leitor realmente quer e precisa.

Mantenha em mente, também, que o copywriter escreve em nome da empresa. Nesse sentido, ser criativo ajudará você a adaptar seu próprio estilo àquele do seu cliente, levando-o a ser bem-sucedido no desenvolvimento de conteúdo para uma variedade de empresas e sobre qualquer assunto.

Guia da escrita criativa

5. Originalidade

Nenhuma peça de copywriting é igual à outra! Ou, pelo menos, não deveria ser. Como já discutimos, o objetivo da estratégia é conquistar o leitor e gerar conversões, fazendo com que a empresa tenha mais clientes e feche mais vendas. Para tanto, o conteúdo deve também estabelecer a autoridade e a qualidade da empresa dentro de seu ramo de atuação.

O que acontece, então, se o copywriter simplesmente muda algumas palavras em um texto publicado no blog de uma empresa concorrente? Ou se trouxer as mesmas exatas informações escritas de outra forma, sem acrescentar nada de novo?

Caso o leitor perceba ou a empresa dona do conteúdo original descubra — e pode ter certeza de que, mais cedo ou mais tarde, isso vai acontecer —, a reputação do seu cliente será bastante afetada. E, é claro, seu nome no mercado também ficará sujo.

Além disso, o Google já tem ferramentas que conseguem separar conteúdos originais de cópias. A partir delas, o buscador é capaz de dar preferência para o que for inédito. Ou seja, a falta de originalidade também é prejudicial em termos de SEO e de alcance.

6. Storytelling

O storytelling — ou a boa e velha contação de histórias — é uma estratégia muito benéfica dentro do copywriting. Lembre-se de que, para alcançar seu objetivo de vender o produto/serviço/marca, você deve encantar e envolver o leitor, criar uma conexão com ele.

Nota do editor:
Para aprender mais sobre Storytelling e melhorar suas habilidades de copy, confira nosso Minicurso gratuito sobre a arte de contar boas histórias. 😉

Mini-curso de Storytelling: Conquiste sua audiência contando boas histórias

Uma das melhores maneiras de fazer isso é por meio de situações e cases que ilustrem tudo o que você está dizendo no texto. Ao escrever sobre “5 maneiras de fazer sucesso nas redes sociais“, por exemplo, mostrar ao leitor quem se deu bem a partir dessas táticas vai engajá-lo com mais força, pois ele verá que você sabe do que está falando.

Além disso, o storytelling é interessante por humanizar o conteúdo e aproximá-lo mais da realidade do leitor. Como resultado, ele sentirá que a empresa o compreende, algo extremamente valioso na hora da conversão.

Viu só? Se você é um produtor de conteúdo talentoso, certamente conseguirá dar conta do desafio de ser copywriter!

Agora que você já conhece as habilidades de copywriting necessárias para produzir conteúdos desse tipo, não perca tempo: comece a desenvolvê-las ainda mais com as mais de 10 horas de videoaulas Imersão Freelancer!

Imersão Freelancer: 11 videoaulas gratuitas para te ajudar a ter sucesso como freela

Posts populares com esse assunto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *