Por Matheus de Souza

Nômade digital que escreve e empreende. Foi considerado pelo LinkedIn como o terceiro brasileiro mais influente da rede em 2016 – o mais jovem da lista, aos 27 anos.

Publicado em 13/03/2019. | Atualizado em 07/03/2019


Vamos ao básico: se você quer ser freelancer e trabalhar em casa ou ao redor do mundo, tem que pensar em alguma atividade que possa desempenhar remotamente e em como ganhará dinheiro com isso.

Ok, se você está lendo esse texto é porque quer trabalhar de forma remota – independente de ter vontade ou não de viajar o mundo e se tornar um nômade digital.Você cansou do escritório.Quer flexibilidade, liberdade e, principalmente, se sentir vivo.Acertei?Bom, então continue lendo porque esse texto é para você.Um grande equívoco que percebo quando alguém diz que quer trabalhar remotamente e viver de freela é que, geralmente, essas pessoas procuram por empregos.Tudo bem que existem plataformas onde você pode arrumar alguns trabalhos temporários e hoje algumas empresas oferecem a opção do home office, porém, se você quer ter uma carreira de sucesso trabalhando remotamente e com flexibilidade de verdade, deve criar o seu próprio trabalho.Mas, como fazer isso?Bom, há pouco mais de 1 ano trabalho de forma integral como freelancer. Porém, minha carreira como freelancer não começou naquele dia 17 de janeiro de 2017 quando pedi demissão do meu emprego. Todo esse lifestyle surgiu no dia em que percebi que os empregos convencionais não eram para mim. Isso foi em meados de 2015.Naquela época, quando decidi que queria trabalhar por conta própria, nos meus termos e condições, passei a estudar exaustivamente como fazer isso. Li livros como "Trabalhe 4 Horas por Semana", para ter "uma luz" de como trabalhar remotamente, e "O Poder do Hábito", para estabelecer uma rotina e encontrar tempo para criar enquanto eu ainda tinha meu trabalho formal.Lembre-se sempre: o caminho para se tornar um freelancer bem-sucedido não começa no dia em que você se demite, mas no dia em que você decide que este é o estilo de vida certo para você.Portanto, prepare-se para ralar muito até que isso se torne realidade.A ideia deste guia, aliás, é te ajudar com essa preparação.Vamos lá?Criando seu trabalho remotoVamos ao básico: se você quer ser freelancer e trabalhar em casa ou ao redor do mundo, tem que pensar em alguma atividade que possa desempenhar remotamente e em como ganhará dinheiro com isso.Falando assim parece simples, eu sei. Mas, também sei que na realidade não é. Eu mesmo levei uns bons dois anos para ter aquele momento de "É ISSO! SOU UM GÊNIO!".O problema é que muita gente já desiste aí."Não consigo pensar em nada"."Não sou bom em nada"."Não tenho mais esperanças de ser nômade digital"."Isso aí é para quem tem pais ricos"."Só rico larga tudo".Esse é o tipo de coisa que estou acostumado a ler por aí – confesso que também já pensei assim.O ponto é que quando você consegue, de fato, pensar em algo que possa fazer remotamente e que pague suas contas, o nomadismo digital está mais perto do que você imagina.E essa resposta sobre "o que fazer" você não encontrará neste post nem em qualquer outro.Por que?Eu não sei qual a sua bagagem. Não sei no que você é bom. Não sei quais suas referências.Portanto, quem vai descobrir essa resposta é você mesmo.Eu sei, desanima pensar, pensar, pensar e não chegar numa resposta. Mas ela existe. Nem que seja um "esse modelo trabalho não é para mim".Planejando sua nova vidaOk, você encontrou uma forma de trabalhar remotamente. Uhul!Agora, nesse primeiro momento, esqueça o nomadismo digital. Seu foco tem que estar em, primeiro, migrar para o home office.Pense no seguinte:Quanto de dinheiro você precisa para se manter durante 6 meses (ou 12, caso seja mais conservador) caso algo dê errado?E aqui você terá que fazer algumas concessões. Principalmente se quiser viver num estilo de vida nômade. Nada de carrão, apartamento dos sonhos do Pinterest, roupas de marca ou balada todo final de semana.Então, a dica que dou nessa fase do planejamento é: só se demita do seu emprego atual quando tiver o valor de 6 meses do seu "lifestyle" no banco. Não seja irresponsável. Não "largue tudo".Nota do editor: Já sonhou em ser nômade digital? Com a ajuda dos 10 principais nômades brasileiros, para produzimos um material sobre o nomadismo, fugindo dos filtros e do glamour do Instagram, abordando os desafios, dificuldades e, é claro, as vantagens desse estilo de vida.

Posts populares com esse assunto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *