Google Analytics um guia rápido para monitorar o seu blog!

Google Analytics: um guia rápido para monitorar o seu blog!

Nos últimos dez anos, o universo do marketing sofreu uma mudança significativa. Hoje, esse ambiente passou a colher e analisar de uma enorme variedade de dados.

Nos últimos dez anos, o universo do marketing sofreu uma mudança significativa. Hoje, esse ambiente passou a colher e analisar de uma enorme variedade de dados.

Desde então somos capazes de provar, quantitativamente, a qualidade de um conteúdo. Então, como essa nova cultura afeta a redação para web?

Se você souber tirar proveito das métricas, elas vão levantar conhecimentos fundamentais para avaliar a eficácia de um texto. Além disso, elas servem como guias para organizar o seu calendário editorial.

É aqui que entra o Google Analytics, um dos melhores amigos de quem trabalha com marketing de conteúdo:

O que é o Google Analytics?

O Google Analytics é um software gratuito que serve para analisar dados relativos ao tráfego do seu site ou blog.

Dentre outras coisas, ele mostra quais são os posts mais bem-sucedidos, a origem dos seus leitores e o caminho feito por eles quando navegam pelo seu domínio.

Para isso, ele conta com uma série de recursos de interpretação de dados. Embora todos sejam bastante úteis, o importante aqui é saber quais se adequam ao seu objetivo.

A seguir, preparamos um passo a passo para você se familiarizar com a ferramenta. Depois, nos aprofundaremos em suas funções mais relevantes para a redação web.

Confira:

Como instalar o Google Analytics?

O primeiro passo é acessar o site do Google Analytics. Se você já tem alguma conta no Google, e estiver logado, a página inicial do software abrirá automaticamente. Caso não, será requerido um login ou que você crie uma conta.

Você deve estar logado na conta que deseja atrelar ao Google Analytics, então fique atento. Na página inicial, verá um botão escrito “Inscreva-se”. Depois de clicar nele, será redirecionado à página Nova Conta, para fazer seu cadastro.

Criando uma conta

  • Nome da conta: o recomendado, aqui, é usar um nome simples e direto. Pode ser “Analytics Redação Web”, por exemplo;
  • Nome do website: é o nome do site a ser analisado. Como uma mesma conta permite a análise de diversos sites, é importante para a sua organização identificá-los apropriadamente;
  • URL do website: é o endereço do site a ser analisado;
  • Categoria do setor: não é um item obrigatório, mas será importante se você quiser consultar relatórios de comparação de dados do setor em que o blog está inserido;
  • Fuso horário: também não é obrigatório, mas te ajudará a entender os hábitos de seu público-alvo através de horários com maior número de visitações ao blog, por exemplo;
  • Compartilhamento de dados: as informações sobre cada item estão bem explicadas na própria página, ficando a seu critério decidir o que compartilhar.

Obtendo uma ID e um código de acompanhamento

Após aceitar o contrato de termos e serviços, o Google Analytics irá gerar um número de identificação (ID). Cada site que você acompanhar pelo Analytics terá uma ID própria.

A ID é alfanumérica e serve apenas para distinguir o site analisado. Junto a ela, é gerado um código de acompanhamento. Esse sim é o responsável pela análise e deverá ser inserido em todas as páginas que você deseja acompanhar no blog.

Se o blog estiver cadastrado no WordPress, basta baixar o plugin do Google Analytics para WordPress. Se não, o melhor é pedir a alguém que entenda de programação para fazer isso por você, pois não é uma tarefa muito simples.

Entendendo o Google Analytics

Agora que você já está cadastrado, é hora de começar a explorar as funções dessa ferramenta.

O layout é bem intuitivo e o próprio Google Analytics te ajuda a entender seu funcionamento com um pequeno tour durante o primeiro acesso.

Eis um resumo dos setores principais:

  • Página inicial: é onde estarão listadas todas as suas contas e os sites que você acompanha;
  • Relatórios: aqui você tem acesso aos dados de tráfego do seu blog;
  • Personalização: serve para você criar seus próprios relatórios, combinando os dados de forma diferente do padrão dos relatórios do menu anterior;
  • Administrador: aqui você pode administrar suas contas, checar sua ID de acompanhamento e conceder acesso ao Analytics a outros usuários.

Quais as principais métricas do Google Analytics para produtores de conteúdo?

De nada adianta, porém, ter esse monte de dados à sua disposição se você não souber para quê eles servem.

Nós separamos as métricas mais relevantes para quem trabalha com produção de conteúdo. Elas podem ser acessadas pela aba público > visão geral.

1. Sessões

O Google Analytics chama as visitas ao seu site de “sessões”.

Essa métrica serve para te dar uma dimensão de quantas pessoas estão acessando o blog e visualizando o seu conteúdo em determinado período.

A configuração básica do Analytics é de 30 dias, mas você pode alterá-la para obter informações mais detalhadas.

2. Usuários

São os visitantes únicos do site, ou seja, pessoas que acessaram o seu conteúdo apenas uma vez no período estipulado pelo relatório.

É importante acompanhar essa métrica para averiguar se o blog adquire leitores fiéis. Afinal, ainda que seja positivo atrair sempre novos visitantes, você quer que seu conteúdo seja bom o suficiente para fazer com que eles retornem, certo?

3. Taxa de rejeição

Sabe quando você encontra um artigo interessante no Facebook, acessa, lê e depois fecha a página? Então. Esse processo é computado pela taxa de rejeição.

Por isso, taxas de rejeição altas não são um problema tão sério assim para os blogs. Obviamente, você deve tentar reduzi-la ao mínimo possível, mas não precisa se desesperar com percentuais na faixa dos 70%, por exemplo.

4. Páginas por visita

Essa métrica verifica quantas páginas, em média, um visitante acessa no seu site.  Por isso, é interessante que ela seja acompanhada junto da taxa de rejeição.

Um blog cujo conteúdo convida o leitor a explorá-lo, acessando outros artigos, por exemplo, tende a ter uma taxa de rejeição menor e um número de páginas por visita maior.

5. Duração média da sessão

É o tempo que um visitante passa no site.

Mesmo que o seu blog tenha uma taxa de rejeição alta, a duração média da sessão pode ser elevada caso o conteúdo do blog seja formado por posts extensos e bem informativos, que cativem os visitantes.

Se eles gastaram o tempo deles lendo o seu artigo, mesmo que saiam do blog logo em seguida, é bem provável que retornem atrás de mais informações valiosas.

6. Fontes de aquisição de tráfego

Esse é um dos relatórios mais importantes disponibilizados pelo Google Analytics. Através dele, você descobre quais canais estão gerando mais visitas ao site e pode adequar suas estratégias de divulgação de conteúdo de acordo com as melhores fontes de tráfego.

As opções são:

  • Busca orgânica: quando o visitante encontra o seu site/artigo pesquisando por palavras-chave em mecanismos de busca;
  • Social: os acessos adquiridos através das redes sociais. Mostra em quais mídias se concentra o seu público-alvo;
  • Email: registro dos leitores que acessam o seu blog graças ao email marketing ou assinatura da neswletter;
  • Direct: é quando o visitante acessa o site diretamente pela URL, ou seja, digitando-a no navegador;
  • Referências: aqueles visitantes que chegaram ao seu site através de outro site. Se um blog fez uma postagem e linkou o seu blog no texto, quem clicar nesse link será computado nas Referências;
  • Buscas pagas: todos os acessos obtidos através de anúncios do seu site em mecanismos de busca, campanhas ou Adsense.

Como o Google Analytics auxilia na produção de conteúdo?

O Google Analytics é uma das formas mais confiáveis de checar o desempenho do seu conteúdo.

Se você produz artigos para um blog e verifica que ele apresenta uma média baixa de páginas por visita, por exemplo, pode reverter essa situação incluindo mais calls-to-action que sugiram a leitura de outros artigos do site ou trabalhando melhor o seu link building.

Já um percentual baixo de acessos via email pode sugerir que você precisa retrabalhar os textos de email marketing.

Por outro lado, altos percentuais de compartilhamento nas redes sociais indicam um texto engajador, que conquistou o público.

Com dados como esses em mãos, é possível identificar um padrão de qualidade. Você pode determinar quais os temas favoritos do seu público, qual o estilo de texto ele mais curte ler e onde encontrar visitantes com maior facilidade.

Qual a importância do Google Analytics para o marketing de conteúdo?

Se o marketing de conteúdo é um mar de possibilidades, o Google Analytics é o barco que você usará para navegá-lo.

Definir e acompanhar suas métricas é imprescindível para qualquer estratégia. Elas são os indicativos do que está dando certo e do que precisa de um pouco mais atenção.

Em um meio que dispõe de um volume massivo de dados, é importante contar com a ajuda de ferramentas simples, porém eficazes.

Além disso, conhecer o universo em que você está inserido é fundamental na hora de prospectar clientes. Afinal, eles querem ter a segurança de que estão contratando um profissional que está por dentro dos melhores meios de destacar sua marca.

Por isso, se você quer continuar aprofundando seus conhecimentos em marketing de conteúdo, a Universidade Rock Content oferece dois cursos gratuitos e exclusivos: Certificação em Marketing de Conteúdo e Certificação em Produção de Conteúdo para Web.

Aprimore seus talentos e produza um conteúdo de primeira. Esperamos você!