Por Luana Rios

redatora da Comunidade Rock Content, jornalista confiosa no poder da palavra para alumiar e mover. Pós-graduada em Marketing.

Publicado em 14/11/2017. | Atualizado em 13/11/2017


Listamos os 30 principais termos que todo revisor deve conhecer. Então, se você já é um revisor ou pretende se tornar um, não deixe de conferir!

Que os universos da produção e da revisão de conteúdo para a web exigem habilidades distintas você já sabe: é preciso ser atento, gostar de aprender novos temas, ter uma mente criativa e antenada, bem como carregar uma boa bagagem linguística, é claro.

Mas você imaginaria que, mesmo reunindo todo esse arcabouço profissional, ainda é interessante conhecer alguns termos que são comuns na área de trabalho? Pois bem, por isso, preparamos um glossário de revisão completinho com mais de 30 termos que você precisa saber para ficar por dentro do linguajar que é utilizado entre os profissionais.

Então, se você já é um deles ou pretende investir nessa carreira, temos uma sugestão: siga agora com essa leitura! Estará um passo adiante no desempenho do seu papel com mais destreza e comprometimento.

Por que devo ler esse glossário de revisão?

A produção de materiais ricos para a internet vem crescendo à medida em que várias empresas e profissionais enxergam a necessidade de se posicionar no mundo digital por meio do Marketing de Conteúdo. E o que isso representa para nós, revisores, hein? Oportunidades de trabalho!

Ou seja, quanto mais gabarito e autoridade você tiver e conseguir transmitir para o mundo, mais chances você terá de prestar serviço ou ser contratado por uma dessas organizações que apostam na produção de textos. Então, estude, leia, conheça, pergunte e não perca nenhuma chance de se aprofundar nos caminhos promissores da área, ok? Essa é uma ótima chance! #ficadica

Agora, vamos aos termos?

1. ABNT

Ainda que não saiba exatamente o real significado da sigla ABNT, temos certeza de que já ouviu falar nessa palavrinha, não é mesmo? Bom, se ainda houver dúvida, por meio deste glossário de revisão, ela acabará.

Associação Brasileira de Normas Técnicas, ou ABNT, é o nome da entidade que é responsável pela padronização de produtos e serviços criados pelo homem no Brasil para garantia de sua qualidade.

Suas regras podem servir tanto para diversas áreas de conhecimento, a exemplo da formatação dos textos acadêmicos, orientações para construções civis e laboratórios de experimentos.

2. Abreviatura

É um recurso da língua escrita portuguesa para reduzir palavras ou expressões. A regra geral para criar a abreviatura de um termo é redigir a primeira sílaba e a primeira letra da segunda sílaba e adicionar o ponto abreviativo. Por exemplo:

  • século = séc.;
  • numeral – num.;
  • lógica = lóg.;
  • observação = obs.;
  • ofício = of.

Vale lembrar que as abreviaturas comumente utilizadas para comunicação informal, por meio dos aplicativos de mensagens de texto, como o Whatsapp, não são aceitas pela norma culta, ok? Então, “vc” e “agr” são consideradas como erro para a escrita de textos. (Pode parecer óbvio, mas, às vezes, é bom deixar deixar claro as obviedades)

3. Adjetivação

É o processo de conferir qualidades àquele tema sobre o qual o redator está escrevendo. Pode servir para melhorar a experiência do leitor em visualizar determinado cenário, deixando o conteúdo mais expressivo. Já o mau uso, pelo excesso, pode simplesmente denegrir a imagem do seu texto: tende a representar falta de conteúdo e perder a credibilidade aos olhos de quem lê. Lembre-se disso quando revisar os próximos materiais!

4. Alfabetação

É o ato de organizar o material em ordem alfabética, a exemplo deste (lindo) glossário de revisão que vos fala. Simples, não é mesmo?

5. Boneco

É a última prova impressa, com todo o acabamento final de como ficará a publicação. Geralmente, as editoras fazem um boneco de uma obra para aprovação do autor. É um momento importantíssimo para dar aquela última conferida se o material está perfeitamente editado, diagramado e acabado.

6. Box

É uma seção de destaque na página utilizada para chamar a atenção com algum anúncio, informação adicional ou, até mesmo, um infográfico.

7. Caixa alta e caixa baixa

É o simples utilizar da letra maiúscula e da letra minúscula: caixa alta e caixa baixa, respectivamente.

8. Citação

É o trecho em que o autor faz referência a autores terceiros. Existem três tipos de citação: direta, indireta e citação de citação. São comuns em trabalhos acadêmicos e a revisão destes quesitos são de extrema importância, uma vez que a formatação exige atenção especial. Ah! Caso haja citação de autores nesses materiais sem a devida referência, corre-se o risco de ter o trabalho zerado. Portanto, atenção redobrada, colegas!

9. Copidesque

Esse é o profissional que está apto a ir além de um trabalho de revisão gramatical. Eis, como exemplo, os revisores aqui da Comunidade. Os copidesques podem corrigir e reescrever textos com a intenção de deixá-los mais adequados à pauta, evitar a repetição de palavras e/ou para checar a utilização das palavras-chave já estipuladas.

Devem também indicar se o conteúdo produzido está relevante para aquela persona, entre outras funções que vão além do trabalho estritamente criterioso do revisor gramatical.

10. Cotejar

É o ato de comparar versões de um texto. É muito comum o cotejo de traduções com seus originais.

11. Desvios gramaticais

Também conhecido como erros gramaticais, esse termo é a palavra top of mind quando se escuta falar sobre revisão de texto. Não deixar passar essas falhas cometidas por falta de atenção ou desconhecimento é um dos principais objetivos do trabalho de quem corrige as produções.

12. Diagramação

Consiste em organizar o conteúdo de texto e imagens a fim de facilitar a leitura e deixar o visual mais agradável para o usuário final. É o trabalho de montar uma página de jornal ou revista, por exemplo. Geralmente, é uma atividade desempenhada por designers.

13. Edição

Além do sentido de mexer para formatar um produto final, comum com o uso de ferramentas como Word e LibreOffice para o caso de texto por exemplo, o termo “edição” também serve para denominar a publicação de uma obra, seja literária ou não. Esses materiais ganham novas edições quando há modificações notáveis e nova tiragem.

Apostamos que você já viu livros intitulados “2ª edição”ou “edição original”, não é mesmo?

14. Elementos de saliência

São recursos que, quando usados intencionalmente e corretamente, ajudam o redator a destacar elementos no próprio texto para facilitar a leitura e chamar a atenção de quem está lendo.

Na prática, são os bullet points, negrito, itálico, sublinhado etc. O uso abusivo desses elementos de saliência pode deixar o texto carregado e, ao contrário da sua intenção, afastar o interesse pelo seu conteúdo.

15. Entrelinhas

É o tamanho do espaçamento entre as linhas de um texto. É comum ter regras de entrelinhas em trabalhos acadêmicos.

16. Expediente

Geralmente, é um box que aparece nas primeiras páginas de publicações e serve para tornar pública a equipe responsável pela produção da obra. Se você observar, há expediente em informativos internos, revistas e boletins onlines, por exemplo.

17. Fonte

É o modelo de letra que o editor ou designer escolhe utilizar para a escrita/impressão do texto. Uma das fontes mais clássicas são Arial, Times New Roman e Helveltica.

18. Formatação

Trata-se do estilo ao qual deve estar submetido o texto. Cada formato exige um tipo diferente de formatação. No caso de trabalhos acadêmicos, a indicação é usar a ABNT como referência. No entanto, para a produção de conteúdo web o ideal é utilizar as técnicas de copywriting.

19. Intertítulo

Esse é definitivamente instrumento de uma boa escrita. Sabe por quê? Porque serve para deixar o texto mais fluído para o leitor, ou seja, o influencia na tomada de decisão em seguir (ou não) lendo suas palavras até o final. A sugestão é que a cada 80 linhas seja inserido um intertítulo. Na formatação web, ele também serve para melhorar a indexação do post no Google, bem como para melhorar a escaneabilidade do texto para o usuário.

20. Job

Esse é um termo comum entre pessoas que trabalham no ramo da comunicação, seja com revisão de textos, na redação de jornais ou agência publicitárias. É usado para se referir às tarefas designadas aos profissionais. Ex.: Esse job de revisão é de Francisco.

21. Lauda

É a página escrita ou em branco de determinado post, artigo ou trabalho acadêmico. No mundo da revisão, o termo é utilizado para facilitar a forma de precificar cada trabalho: cada lauda terá um número “x” de toques, incluindo os espaços e sinais de pontuação. Então, cada revisor estipula quanto cobra por cada página dessa.

22. Lide

No jornalismo, o lide é o cabeçalho da notícia. Serve para informar ao leitor qual é o fato, onde aconteceu, como e por que se deu daquela maneira. Na redação web, podemos chamá-lo de introdução e ele deve capturar a atenção do leitor. No blog da Comunidade, já demos dicas sobre como escrever bons parágrafos introdutórios!

23. Nariz de cera

É tudo o que você deve evitar na produção de textos, principalmente, se for para a internet. O nariz de cera é aquele conteúdo que fala, fala e não diz nada, sabe? Está no sentido oposto do lide, pois se trata de construções prolixas e vazias. Portanto, NUNCA deixe-os passar!

24. Palíndromo

O termo, de origem grega, significa um caminho percorrido novamente e são palavras ou frases que, se lidas de trás para frente, permanecem idênticas. No bom português e neste glossário, nós explicamos o uso do palíndromo na prática: serve para deixar seu conteúdo, digamos, mais irreverente e interessante para o leitor.

25. Pauta

Essa, provavelmente, já é uma palavra bem conhecida para quem já trabalha com a produção ou revisão de texto. Pautar um trabalho significa oferecer as informações necessárias para sua execução. Ao fechar um trabalho com uma editora, por exemplo, é interessante saber qual tipo de revisão será realizado: apenas ortográfica? Precisará de um olhar criterioso em relação ao conteúdo? É possível sugerir alterações estruturais?

Tudo isso está bem descrito nas pautas. Então, não se esqueça de preparar a sua e alinhar com o cliente antes de iniciar o serviço, ok? Ela pode evitar diversos ruídos. Acredite!

26. Prova

Ao contrário do que você pode estar imaginando, essa prova não significa mandar a revisão ser aprovada pelo cliente. É quase isso: trata-se da impressão de todo o material para fazer aquelas últimas checagens. Afinal, é sempre bom contar com a ajuda de estratégias para melhorar seu trabalho na área… usar a prova também é uma!

27. Rubrica

Esse é o momento mais esperado para a publicação de um livro. É quando o material recebe assinatura em uma página, autorizando a impressão do material.

28. Sangrar

Esse é um termo bastante utilizado na revisão de materiais que vão para a impressão, a exemplo de revistas e livros. Refere-se ao uso de imagens ou textos que ultrapassam a margem estabelecida para o documento, garantindo assim uma área segura caso aconteça algum erro no corte.

29. Tiragem

A palavra é utilizada para denominar a quantidade de exemplares que foram feitos de algum livro, artigo, revista ou qualquer material impresso. Inclui também aqueles que ficam encalhados, ou seja, que não foram vendidos.

30. Toques

São o número de vezes em que você aperta os caracteres no teclado para escrever seu texto. Mas se lembre que a pontuação e a barra de espaço também contam, ok?

Para saber quantos toques seu texto tem, por exemplo, na ferramenta de edição Word, basta ir até a aba “Revisão” e clicar na opção contar palavras ou, caso deseje saber o número de apenas um trecho, selecione-o e siga os passos acimas. O número de caracteres com espaços representará o número de toques da sua produção.

Pronto! Esses são 30 exemplos dos termos que são mais interessantes para você saber nessa empreitada, caro (futuro) revisor. Como já dissemos, este glossário de revisão é um convite para aqueles que desejam encontrar caminhos múltiplos para começar e/ou incrementar a carreira. Nós sabemos que o mercado tende a ser bem competitivo e não medir esforços para alcançar os melhores trampos pode ser seu diferencial.

Então, agora que você deu o pontapé inicial rumo ao seu sucesso, sugerimos o quê? Sim, mais conteúdo educativo na área: preparamos um guia de português e gramática atualizado para você não deixar passar nenhum desvio gramatical nos seus próximos jobs, ok? Então, não perca tempo e comece a investir no seu futuro lendo nosso ebook!

Guia de Português e Gramática para Produção de Conteúdo Web

Posts populares com esse assunto