Por Rafael Terra

Redator e desenvolvedor web freelancer.

Publicado em 15/07/2021. | Atualizado em 15/07/2021


Utilizar frameworks CSS é bastante comum na rotina dos desenvolvedores web. Além de mostrar as opções mais populares atualmente, vamos dar dicas para se fazer um bom uso desse tipo de recurso na construção de sites e aplicativos mobile.

Atualmente, os frameworks CSS estão entre as ferramentas de front-end mais utilizadas por desenvolvedores web em suas atividades. Eles são capazes de agilizar a produção dos mais variados projetos de forma simples, eficiente e confiável.

Considerados grandes aliados daqueles que buscam aumentar a produtividade, os frameworks são bibliotecas de códigos já prontos que permitem a implementação de diversos recursos em poucas linhas de comando. Após integrá-los ao seu próprio código, fica muito mais fácil organizar layouts, inserir componentes personalizados e criar sites totalmente responsivos.

Por todos esses bons motivos, muitos dos que atuam na área não dispensam o uso desse recurso no desenvolvimento de sites e aplicativos. Ainda que você tenha o seu preferido, nós sabemos que a busca por um bom framework CSS é, na verdade, uma tarefa praticamente contínua.

A verdade é que existem diversas opções no mercado — que está bastante movimentado, já que estamos falando de uma das principais tendências na produção de conteúdo web. Pensando nisso, preparamos uma lista com os 14 frameworks CSS mais utilizados pelos profissionais hoje em dia.

Vamos falar sobre seus recursos, vantagens e diferenciais para ajudar você a escolher a opção ideal para cada projeto. Vamos lá!

1. Semantic UI

A primeira alternativa da nossa lista é o Semantic UI, framework que está em constante evolução desde que foi lançado, em 2013. Sua grande característica, como o próprio nome sugere, é que ele é projetado para que a construção do código do usuário seja simples e orientada pela semântica.

Isso quer dizer que suas classes são nomeadas de modo a remeter à sintaxe de um idioma natural. Assim, conceitos como plural e ordem das palavras ajudam bastante a entender as funções e recursos integrados ao framework. Graças a essa estrutura, o Semantic UI pode ser uma boa opção para aqueles que estão iniciando no uso dessas ferramentas de desenvolvimento.

Por outro lado, é recomendado que o usuário tenha certa familiaridade com a linguagem de programação JavaScript, que é fundamental para vários dos recursos oferecidos.

2. Pure

Framework desenvolvido pela gigante da web Yahoo, o Pure se destaca por ser uma ferramenta extremamente leve e veloz. A biblioteca tem cerca de 4kb apenas, o que ajuda a manter otimizado o carregamento das páginas e aplicativos construídos com ela.

Com design responsivo incorporado ao código, essa é uma boa opção para aqueles que desenvolvem sob o conceito de mobile-first — isto é, que pensam primeiro na experiência dos usuários de dispositivos móveis. Ele também é bastante flexível, permitindo que o usuário sobrescreva as suas classes e customize a ferramenta para diferentes necessidades.

No entanto, é preciso considerar que a ferramenta não conta com recursos em JavaScript e a variedade de módulos e templates é mais limitada em comparação com outros concorrentes.

3. Miligram

Outro framework que aposta em uma estrutura minimalista para dar mais liberdade ao desenvolvedor é o Milligram. Com uma base de usuários e colaboradores considerável, sua biblioteca conta com uma coleção de módulos indispensáveis para qualquer site prontos para serem exibidos em qualquer dispositivo.

Ainda mais leve do que o antecessor de nossa lista, ele pode ser agregado a qualquer projeto sem a necessidade de reconfigurar os estilos já existentes, já que ele não conta com nenhuma estilização padronizada. Isso também significa que o desenvolvedor precisa ter um certo nível de conhecimento sobre a linguagem CSS para deixar o projeto com a identidade visual pretendida.

4. Bootstrap

Provavelmente, o Bootstrap seja o mais lembrado quando falamos em frameworks CSS atualmente. Criado pela equipe do Twitter em 2011, ele é um dos principais responsáveis pela popularização desse tipo de ferramenta como um importante recurso para desenvolvimento web.

Além de permitir a criação de sites totalmente responsivos, ele conta com o auxílio de microprocessadores de folhas de estilo para um desempenho eficiente sem abrir mão de uma implementação facilitada. Também é possível adicionar seus plugins JavaScript para ter acesso a uma vasta biblioteca de componentes, como carrossel de imagens, galerias e botões incríveis.

A comunidade do Bootstrap é enorme e muito ativa, o que garante ao framework uma documentação completa e atualizada. Sua principal desvantagem é o aumento causado nas requisições de carregamento da página, dependendo da quantidade de recursos adicionados, já que sua modularização pode exigir alguns conhecimentos mais avançados.

5. UIKit

Mais uma excelente opção para quem busca um framework robusto e poderoso, o UIKit traz consigo um conjunto de elementos que podem ser facilmente customizados para se integrarem a qualquer ideia. Seus componentes podem ser utilizados individualmente, de acordo com a necessidade do usuário, tornando seu carregamento mais ágil.

O principal mercado do UIKit é o de desenvolvimento de aplicativos para o sistema iOS. Por isso, sua comunidade não é tão grande e a documentação não é tão desenvolvida, o que pode ser uma barreira à sua utilização em alguns casos.

6. Skeleton

O Skeleton é mais um dos frameworks de nossa lista que se destacam por ser leve e compacto. Em cerca de 400 linhas de código apenas, essa ferramenta é capaz de fornecer os principais recursos utilizados em projetos menores, com um sistema de grid pronto para exibir corretamente sites em desktops, tablets e smartphones.

Graças ao seu tamanho mínimo, ele praticamente não causa reflexos no desempenho das páginas em que é utilizado. A desvantagem é que, justamente por ser tão enxuto, ele não é recomendado para projetos maiores e que demandam alguns recursos já considerados comuns.

7. Tacit

Diferentemente da maioria das soluções que conhecemos, o Tacit não nasceu do investimento de uma grande empresa ou do esforço de um grupo de desenvolvedores. Essa biblioteca foi idealizada e criada por uma única pessoa e seu objetivo é entregar resultados excelentes até mesmo para quem tem pouco conhecimento sobre as linguagens de desenvolvimento web.

Como a ideia do framework é ser a principal referência para o desenvolvimento do projeto, não é recomendado utilizá-lo em conjunto de outras bibliotecas ou até mesmo com estilos próprios, muitas vezes. No entanto, seu visual nativo é bastante agradável e pode funcionar muito bem com a maior parte das páginas modernas.

8. HTML5 Boilerplate

Construído por profissionais, o HTML5 Boilerplate é, na prática, um template inicial que serve como base para a criação de qualquer site. Sua aplicação confere mais velocidade e segurança para o desenvolvimento web ao implementar um conjunto de boas práticas de front-end que estão presentes nos sites das maiores empresas do mundo.

Há disponível para os interessados uma versão simplificada e mais leve, que pode se adaptar à maioria das situações, e outra personalizada, em que é possível selecionar os recursos que melhor atenderão a cada projeto. Vale ressaltar que ele é indicado para quem já tem experiência com as linguagens de desenvolvimento, já que ele não conta com recursos e elementos prontos como outras ferramentas que vimos.

9. Vuetify

O Vuetify é uma biblioteca para Vue.js, um popular framework da linguagem de programação JavaScript. Ele é baseado no conceito de Material Design, implementado inicialmente pelo Google e que se estabeleceu como um dos principais conceitos no desenvolvimento de aplicativos mobile e aplicações web.

Por meio dele, é possível ter acesso a uma série de componentes estilizados que deixam qualquer projeto com uma interface profissional e sofisticada. Para tirar todo o proveito da ferramenta, contudo, é fundamental dominar os principais aspectos do framework necessário para o seu funcionamento.

10. Onsen UI

Pensado especialmente para o desenvolvimento mobile, o Onsen UI permite a criação de aplicativos por meio de linguagens web, como HTML, CSS e JavaScript. Em sua primeira versão, ele dependia do framework de JavaScript AngularJS, o que deixou de ser necessário a partir da segunda versão, dando mais liberdade aos que utilizam essa ferramenta.

Graças a essa forma híbrida de trabalhar que o Onsen UI permite, quem desenvolve pode aproveitar as tecnologias que mais domina sem deixar de lado os componentes de interface que aplicações mobile demandam. Por ser um framework de nicho, sua comunidade pode não ser tão grande, mas se mantém ativa e conta com uma boa documentação para orientar os interessados.

11. Groundwork

Outra recomendação para quem gosta de apoiar bons projetos independentes é o Groundwork. Ele fornece ao desenvolvedor um conjunto de recursos em HTML5, CSS e JavaScript para tornar seus sites escaláveis e acessíveis em praticamente qualquer dispositivo com pouco esforço.

Ele oferece ainda layouts predefinidos para os principais tipos de sites, permitindo a customização dos elementos para que cada página mantenha sua identidade visual. A principal desvantagem é que, por ser um projeto pequeno e sem uma grande comunidade de usuários, questões como atualização e suporte podem representar uma dificuldade em sua utilização.

12. 960 Grid System

O framework 960 Grid System é uma ferramenta que estabelece o conceito de criação de páginas com a largura de 960 pixels. Essa é considerada uma medida ideal para a visualização do site em qualquer tamanho de tela sem comprometer a sua estrutura e o posicionamento dos seus elementos.

Os desenvolvedores disponibilizam uma série de exemplos de layout que podem ser construídos por meio do framework. No entanto, vale também ter em mente que as páginas web têm se tornado cada vez mais fluídas quanto às suas dimensões, especialmente após o surgimento de ferramentas que facilitaram a responsividade. Porém, existem, sim, diversos projetos em que o 960 Grid System pode ser bem aplicado e entregar ótimos resultados.

13. Tailwind CSS

A premissa do Tailwind CSS é que o desenvolvedor construa suas páginas praticamente sem precisar sair da edição do arquivo HTML. Para isso, ele é totalmente baseado em classes de utilitários, ou seja, classes pré-definidas no arquivo CSS para a maioria das funções que a linguagem disponibiliza.

O framework conta com uma grande comunidade de usuários e uma documentação completa para quem quiser conhecer suas classes, que já são nomeadas de forma a deixar bem claro o seu resultado. Ao dominar a ferramenta, não há dúvidas de que ela pode ajudar a conferir mais dinamismo e aumentar a produtividade.

Para muitos, no entanto, sua estrutura faz com que a manutenção das páginas seja mais complexa, além de compartilhar de diversos problemas dos ultrapassados estilos inline. Outra desvantagem é que ele não conta com elementos básicos em sua biblioteca, como botões ou formulários.

14. Materialize CSS

Mais um framework CSS que segue o conceito visual moderno estabelecido pelo Google, o Materialize CSS disponibiliza uma biblioteca repleta de componentes elegantes e de fácil aplicação em qualquer site. Também dá para utilizar os componentes do Bootstrap de forma conjunta, o que dá ainda mais possibilidades para quem desenvolve.

Assim como todos os framework modernos, ele é totalmente responsivo e pode ser customizado para uma melhor experiência. Mas, para fazer o seu melhor uso, é indicado que se tenha bons conhecimentos nas linguagens web que são base de sua estrutura.

Como vimos ao longo deste post, existem opções indicadas tanto para aqueles que ainda estão descobrindo o que é framework e como eles podem aumentar sua produtividade quanto para desenvolvedores mais experientes. Seja qual for o seu caso, considerar algumas dicas importantes ajuda a tirar o melhor proveito dessas ferramentas no dia a dia.

Lembre-se sempre que a ideia é utilizar essas bibliotecas para agilizar a produção de conteúdos, e não como uma solução pronta. Por isso, dominar os principais aspectos da linguagem de estilos CSS é altamente recomendado para quem pretende aplicar os frameworks na hora de desenvolver. Isso garante uma compreensão plena das funções que a ferramenta está desempenhando, permitindo que você as utilize com controle e eficiência.

Outro ponto a ser considerado é o seu impacto na performance das páginas e aplicativos criados por meio dos frameworks. Quanto menor a quantidade de linhas de código não utilizadas presentes em seu projeto, mais simples será sua manutenção e melhor será a experiência do usuário final.

Se há alguns anos o uso de frameworks CSS dividia opiniões, hoje em dia eles já foram incorporados aos processos produtivos de várias agências e profissionais. Por isso, elas se tornaram praticamente um requisito para quem quer se tornar um freelancer de destaque na área de desenvolvimento web.

E você, está pronto para colocar suas habilidades em prática? Descubra como se tornar um freelancer Rock Content e transforme seu talento em verdadeiras oportunidades!

Posts populares com esse assunto

Os comentários estão desativados.