Por Carolina Zanoti

Redatora na Rock Content.

Publicado em 23/11/2015. | Atualizado em 19/03/2018


Para que serve um CTA? Para você ter uma clara ideia da importância dos botões Call To Action para o marketing de conteúdo, basta fazer uma analogia simples: os CTAs estão para a estratégia assim como as estações estão para um metrô. Ou seja, é a partir desses banners que os potenciais clientes interagem com […]

Para que serve um CTA? Para você ter uma clara ideia da importância dos botões Call To Action para o marketing de conteúdo, basta fazer uma analogia simples: os CTAs estão para a estratégia assim como as estações estão para um metrô. Ou seja, é a partir desses banners que os potenciais clientes interagem com as campanhas, seja se dirigindo para as landing pages ou baixando alguma oferta relevante.

No entanto, para fazer com que esses visitantes realmente topem entrar nessa “estação” e embarquem rumo às taxas de conversão, é preciso alinhar técnicas infalíveis de design, texto e visão estratégica dentro de um simples botão. Neste artigo, você vai se despedir da receita desgastada do “baixe aqui” e aprenderá 7 formas de criar CTAs que, de fato, convertem. Confira!

1. Enfatize os benefícios

Você provavelmente já ouviu aquela expressão jocosa: “de graça, até injeção na testa”. Pois bem, no mundo digital não é diferente! As palavras “de graça”, “grátis” e “gratuito” têm força inestimável para chamar o click dos visitantes, pois quem é que não gosta de ganhar alguma coisa sem ter que pagar nada por ela? Logo, deixe bem claro o que é que o usuário ganhará para clicar no CTA, enfatizando os benefícios em detrimento da própria ação em si. Em suma, explique qual é o VALOR DA OFERTA.

Exemplo: [Leia de graça todo o conteúdo das pprovas do ENEM] é melhor que [Faça o download de todo o conteúdo das provas do ENEM]. Concorda?

2. Seja curto, grosso (e criativo)

Especialistas recomendam o limite de até 150 caracteres para que você passe uma mensagem efetiva dentro de um CTA antes que o texto se torne enfadonho (e acabe desviando o usuário do click). Aí é que mora o verdadeiro talento do redator: escrever uma chamada bem curtinha, que não seja óbvia, e ainda consiga captar a atenção do usuário. Uma boa opção é usar a criatividade e pensar “fora da caixa”.

Exemplo: [Y=KX. Se você não sabe a resposta para esta fórmula, melhor não resistir a esse click!] em vez de [Inscreva-se agora no curso preparatório para o vestibular 2016].

3. Foque nos objetivos

O principal objetivo de todo Call To Action, como o próprio nome já entrega, é incentivar uma ação. Porém, qual tipo de ação? Vai depender do seu objetivo. O que você quer que o visitante faça? Que ele baixe um e-book, inscreva-se na newsletter do site ou marque uma entrevista com um consultor? Todos esses objetivos precisam ser traduzidos com clareza nos botões a partir de verbos no modo imperativo como “quero”.

Exemplo:

[Sim, quero conversar com o consultor online]; [Quero assinar a newsletter do site (X)].

4. Explore o potencial das personas

Ao focar nas suas buyer personas — os seus “clientes ideais”, numa definição simplória — um manancial de chamadas criativas para os CTAs se abrirá. Isso porque você entrará em contato com dores, problemas e impedimentos dos visitantes que você deseja converter. Sendo assim, chamadas interrogativas que realcem supostos obstáculos ou estados de espírito serão mais facilmente detectadas pelas personas.

Exemplo:

[Cansado da rotina de trabalho? Que tal um fim de semana repleto de esportes radicais? Vem saber mais aqui!].

5. Apele para os testemunhais

Por mais que seja um pouco cafona, todo mundo sempre tem uma pontinha de curiosidade sobre o que as celebridades andam fazendo, e é por isso que elas vendem tantas revistas de fofoca por aí. A ideia aqui é usar esse costume paparazzi para turbinar as conversões, não importa a área da celebridade…

Exemplos:

[Quer saber como Neil Patel transformou seu blog em referência mundial do marketing digital? Garanta agora seu e-book grátis e descubra!];

[Acesse agora a dieta exclusiva da Gabriela Pugliesi e perca 10 quilos em apenas 1 mês].

6. Coloque-se no lugar do usuário

Pela lógica do marketing de conteúdo, o usuário não chega ao seu CTA por acaso. Ele provavelmente se deparou com o botão dentro de um site ou blog. Logo, antes de escrever o conteúdo do Call To Action, é preciso que você reflita sobre o momento em que o usuário entrará em contato com o CTA.

Se o CTA, no caso, for um anúncio pago do Google, por exemplo, quanto mais direto ao ponto você for, mais efetivo, já que o usuário prestará atenção em outros assuntos:

[Inscreva-se agora no Vestibular 2016 da Faculdade X]

Mas se o usuário, no caso, estiver lendo um post de blog e você quiser incentivá-lo a fazer o download de um e-book sobre um assunto similar, nada mais casual do que um CTA “amigável” que antecipe um determinado “desejo”:

[Quero receber meu guia exclusivo sobre como economizar nas férias] é melhor que [Baixe agora o guia exclusivo sobre como economizar nas férias].

7. Layout arrojado

Mas não é só o conteúdo de qualidade que faz do CTA um recordista de conversões. Cores, tamanho, imagem e localização são elementos que devem ser minuciosamente calculados:

  • Cores: devem destoar das cores padrões do site/blog. As primárias (magenta, azul e amarelo) já se demonstraram bastante eficazes para capturar a atenção dos usuários.
  • Tamanho: o tamanho do botão vai depender exclusivamente da plataforma e deve se adaptar conforme o lugar em que será colocado (no meio do texto, nas laterais, no rodapé…). É importante não esquecer da responsividade para não gerar CTAs fora dos padrões de leitura.
  • Imagem: a imagem deve ser compacta — para não pesar o carregamento — e deve simbolizar o valor da oferta.
  • Localização: por meio de programas como “Crazy Egg” é possível detectar as áreas do site/blog mais visualizadas ou clicadas. Os CTAs devem ser inseridos justamente nesses pontos “quentes”.

A aplicação de todas essas fórmulas certamente poderá transformar seus CTAs em campeões de conversão!

No entanto, lembre-se de que não existe tal coisa como um CTA “pronto e acabado”. É necessário que você monitore e avalie constantemente a performance de cada um deles — e não hesite em ativar os testes A/B para chegar a taxas de conversão satisfatórias. É que muitas vezes o segredo do sucesso reside na troca de uma simples palavra ou de uma cor. Vai saber…

E então, esse conteúdo sobre CTA que converte foi realmente útil para você? Deixe sua opinião nos comentários!

Como_escrever_o_melhor_conteudo_para_blog (1)

Posts populares com esse assunto