Por Bruna Moreira

Analista de Marketing na Rock Content

Publicado em 16/05/2019. | Atualizado em 16/05/2019


Em busca de duas horinhas de inspiração? Listamos os melhores filmes para você, freelancer, relembrar o amor pela escrita e sair daquela página em branco!

Imersão Freelancer - maior curso online gratuito do BrasilPowered by Rock Convert

A rotina de freelancer já foi bastante retratada no cinema e são vários os filmes que tem um freelancer como personagem principal.

Mas, às vezes, precisamos mesmo é de um filminho que relembre porque amamos a escrita ou forneça duas horinhas de distração que nos inspire a sair daquela página em branco…

Por isso, pedimos à nossa Comunidade de Freelancers para contar quais filmes eles indicariam para os colegas de profissão. As melhores recomendações você confere abaixo!

1. Poderia me perdoar? (Can You Ever Forgive Me? – 2018)

“O filme conta a história de uma escritora de biografias de celebridades.

Quando ela encontra dificuldades para publicar, ela decide falsificar cartas de famosos. E quando é descoberta, passa a roubar cartas de famosos para revender! 

Como é baseado em fatos reais, o desfecho não é lá tão surpreendente mas a trajetória é sensacional. E ainda levanta discussões sobre plágio e a história de roubar como um artista.”

– Dimitri Vieira

2. Walt nos bastidores de Mary Poppins (Saving Mr. Banks – 2013)

“Esse filme mostra como foi feita a adaptação do livro Mary Poppins para o cinema.

Mostra como cada participante de um projeto tem uma expectativa diferente sobre o resultado dele. É bem legal!”

– Bruna Venancio

3. Central do Brasil (1998)

“Vocês já se perguntaram como o trabalho de vocês pode ser valioso para alguém?

Eu penso nisso em muitos textos com pautas muito relevantes à persona, ao cenário que imagino ela inserida. Algumas vezes eu mesma sou também a persona.

O que nós escrevemos pode mudar vidas das pessoas que leem. Aquelas dicas de saúde, finanças…

Central do Brasil mostra uma escritora de cartas na estação levando o trabalho dela a outro patamar. Entregando pessoalmente uma encomenda. E não era uma carta.”

– Bruna Gomes

4. Meia-Noite em Paris (Midnight in Paris – 2011)

“Acho que todo mundo já viu, mas, resumindo, mostra a história de um escritor que sonha em viver da sua arte, apesar de toda a pressão familiar e social que ele tem para ser um cara bem-sucedido.

Ele sabe que a escrita não trará rios de dinheiro, mas é isso que ele ama e quer fazer.

Isso sem falar na delícia que é “encontrar” os Fitzgerald, Hemingway, Dali, Buñuel…”

– Caroline Silva

5. Synecdoche, New York (2009)

“Gente, filme da vida!

Conta a história de um diretor que ganha uma “verba infinita” para escrever uma peça de teatro. Mas inúmeros acontecimentos surgem na vida dele, dificultando a finalização da obra.

É muito bom!”

– Thais dos Reis

6. Mesmo se nada der certo (Begin Again – 2013)

“Embora esteja mais relacionado à música, ele mostra a trajetória de uma produção independente com todos os seus desafios.

A cena a seguir, pelo menos para mim, faz um paralelo sobre como uma palavra-chave e algumas referências se transformam, dentro dos nossos cérebros, em conteúdos incríveis.”

– Silvia Seco

7. O homem que viu o infinito (The man who knew infinity – 2015)

“O filme é baseado na história do matemático indiano Ramanujan, que era autodidata e dizia que seus conhecimentos eram presentes divinos de seu Deus.

Ele era ambicioso, queria publicar seus estudos e, por isso, foi para Cambridge depois de várias indicações e jeitinhos indianos (o quê? Você pensou que só nós, brasileiros, tínhamos essa fama?).

Lá em Cambridge, entre preconceitos e dificuldades vividas nos relacionamentos humanos, é que entra o verdadeiro motivo da minha indicação desse filme para todo freelancer.

Seu conhecimento era constantemente questionado e, por várias vezes, por seu orgulho, ele quebrou a cara e não conseguiu o que tanto queria, que era uma cadeira no corpo docente da instituição e seu estudo publicado.

Somente depois que ele aceitou fazer as provas matemáticas e seguir as orientações de seu mentor é que ele finalmente conseguiu o que queria. Ou seja, uma mistura perfeita entre inspiração e razão.

Vejo isso de forma muito intensa no marketing de conteúdo.

Temos nossos conhecimentos de outras áreas, nossa paixão pela escrita, leitura e (por que não dizer?) habilidades que nasceram com a gente ou nos foram dadas por nossos deuses.

Mas, se não seguirmos os direcionamentos, técnicas de SEO, orientações dos revisores, analistas e do próprio cliente, não chegaremos ao nosso maior objetivo: um texto épico.”

– Amanda Gusmão

8. Ruby Sparks – A Namorada Perfeita (Ruby Sparks – 2012)

“É uma comédia leve, divertida e é boa para aqueles momentos onde precisamos relaxar a mente, sem um filme mto cabeça.

Fala de um escritor em bloqueio criativo e da magia que acontece quando ele começa a escrever sobre uma garota e tudo que ele escreve ela faz.

É sobre o nosso poder e nossa responsabilidade com a escrita, e também sobre desapego.”

– Bruna Gomes

9. O Advogado dos 5 Crimes (A Murder of Crows – 1999)

“O filme conta a história de um advogado que decide se tornar escritor, mas é pego por um bloqueio criativo. Então, ele conhece um senhor que lhe entrega um manuscrito e pede a sua opinião.

O advogado fica impressionado com o manuscrito, que fala sobre um serial killer e é uma verdadeira obra prima do suspense. E, quando o senhor morre, ele publica o livro como se fosse dele.

Mas aí descobre-se que todos os crimes relatados no livro são reais e o advogado se torna o principal suspeito dos assassinatos.

Fala muito de ética e responsabilidade na escrita.”

– Bruna Moreira

10. Repórteres de Guerra (The Bang Bang Club – 2010)

“Não é um filme novo e também não tem relação com a escrita, mas vocês já vão entender a indicação.

O filme é baseado em fatos reais e retrata o dia a dia de fotógrafos freelancers que trabalham em meio aos conflitos na África do Sul, na época do Apartheid.

O Bang Bang Club era um grupo fechado de fotógrafos freelancers que aceitam um iniciante.

É muito inspirador o amor que eles têm ao trabalho, o modo como eles enfrentam qualquer coisa para registrar a realidade e a disposição de abrir mão de suas vidas pela profissão.

Alguns de vocês reconhecerão algumas fotos que aparecem no filme. Já aviso que não é um filme leve, mas indico muito!”

– Samantha Conti Panzini

11. O mestre dos gênios (Genius – 2016)

https://www.youtube.com/watch?v=g6VwkEmR1Uo

“Ele mostra o difícil trabalho entre um escritor e seu editor para lançar um best seller.

E para nós que escrevemos, esse filme marca por mostrar as dores do escritor para conseguir cortar palavras e tornar seu livro mais interessante para os leitores.

Ele aprende a arte do desapego que todos nós precisamos treinar todos os dias para criarmos um texto cada vez melhor.”

– Gisele Karam

12. Magia além das palavras (Magic beyond words – 2011)

“É um filme biográfico sobre a J.K. Rowling que mostra a história dela até a publicação do primeiro livro de Harry Potter.

Eu acho super inspirador porque revela todas as dificuldades dela na escrita, desde relacionamento abusivo até o desemprego.”

– Bruna Moreira

13 e 14. Deadpool 1 e 2 (2016 – 2018)

“Yeah! Sim, essa é uma ótima indicação para desconstruir construindo a tal da jornada do herói.

E claro, entender que a linguagem de um texto, quadrinhos ou filme tem que ser ajustada para seu público.

Cá pra nós, todo mundo que ama Deadpool, ama o fato de que ele interage diretamente com o público, faz menções do mundo real, debocha de si mesmo, do filme, etc… e cria uma conexão incrível!”

– Amanda Gusmão

Bônus: dicas do editor

15. Quase Famosos (Almost Famous – 2000)

VocJá pensou em trabalhar como jornalista freelancer para uma das maiores revistas de música do mundo, cobrindo uma turnê da sua banda de rock favorita?

Parece algo fora da realidade, não é? Mas o filme é baseado na história real do roteirista e jornalista freelancer Cameron Crowe e sua trajetória como acompanhante da banda Led Zeppelin, em matéria para a revista Rolling Stone.

Muito além do universo “sexo, drogas e rock ‘n ‘roll”, a trama traz lições importantes para produtores de conteúdo que desejam escrever textos com objetividade, de acordo com a persona e o pitch (mesmo que a sua opinião seja diferente das recomendações trazidas na pauta).

16. O Abutre (Nightcrawler – 2014)

Enfrentando dificuldades para conseguir emprego, um jovem cinegrafista interpretado por Jake Gyllenhaal se comporta como um verdadeiro “abutre”.

Na história, o personagem sai em busca de todo tipo de violência: acidentes, suicídios e assassinatos que possam render (e vender) boas imagens para o obscuro segmento do jornalismo sensacionalista de Los Angeles.

A maioria dos comportamentos do protagonista – como alterar cenas de crime, registrar imagens de pessoas ainda agonizantes e forjar delitos – não são exemplos para ninguém.

No entanto, o filme levanta muitos questionamentos importantes para qualquer profissional sobre a ética no trabalho, a competitividade no mercado, o poder de manipulação da mídia e a falta de limites na busca pelo sucesso.

17. Julie & Julia (2009)

Impulsionada por uma carreira monótona e pouca satisfação pessoal, Julie Powell resolve passar um ano cozinhando 524 pratos do livro de receitas de sua musa inspiradora Julia Child, e documentar todas as suas experiências em um blog.

A trama não parece muito empolgante a princípio até descobrimos que é baseada nas histórias reais de duas mulheres que viveram em épocas diferentes, mas usaram sua obstinação para mudar de carreira.

Uma delas é Child, na França dos anos 40, época em que as cozinhas eram dominadas por homens. A outra, Powell, nos Estados Unidos de meados dos anos 2000, época em que ser blogueiro ou freelancer não era considerado uma profissão.

Assim, o filme traz um importante panorama sobre o poder da internet e da tecnologia nas mudanças do mercado de trabalho.

Além disso, ele também apresenta uma reflexão sobre como as pessoas podem visualizar novas oportunidades de carreira, ganhar dinheiro e alcançar o sucesso.

18. Medianeras: Buenos Aires da Era do Amor Virtual (Medianeras – 2011)

O cinema argentino é um destaque por suas obras sensíveis e cheias de significado. E com o filme Medianeras não poderia ser diferente.

A película nos mostra as rotinas de uma estilista e um web designer freelancers tentando se livrar da solidão trazida pela cultura virtual e pela modernidade.

Se você trabalha sob uma estrutura home office, provavelmente vai se identificar ainda mais com a realidade desses personagens e os problemas que o isolamento pode trazer para quem costuma trabalhar sozinho.

19. Na Estrada (On the Road – 2012)

Mesmo não retratando diretamente o trabalho dos freelancers, a história de Na Estrada foi inspirada no livro On The Road, de Jack Kerouac, que passou anos viajando pelo oeste dos Estados Unidos enquanto escrevia suas obras literárias mais aclamadas.

A impecável fotografia de viagem, a trilha sonora marcada por jazz e a direção de Walter Salles são os ingredientes ideais para inspirar quem quer se tonar, ou já é, um nômade digital.

20. A voz de uma geração (In A World… – 2013)

Você já se viu no meio de situações em que não sabia como explicar para os seus pais, amigos e familiares como funcionava o seu trabalho como freelancer?

Teve dificuldade em conseguir uma vaga que te motive ou um trabalho com remuneração justa?

Carol, a protagonista do filme, também. Cheia de dificuldades para ingressar no mercado dos dubladores da indústria cinematográfica, resta a ela apenas sua obstinação para vencer os percalços.

O filme é uma ótima pedida para aqueles momentos em que duvidando de todas as nossas escolhas profissionais.

E você, conhece outros filmes para freelancers que ficaram de fora dessa lista?

Compartilha com a gente nos comentários! Quem sabe suas dicas não viram uma “parte 2” desse artigo?

Depois de se inspirar com o seu filme preferido da lista, aproveite para conferir nosso Guia da Escrita Criativa!

Guia da escrita criativaPowered by Rock Convert

Posts populares com esse assunto