Por Andréa Calado

Formada em TI e redatora freelancer na Rock Content.

Publicado em 24/02/2021. | Atualizado em 25/02/2021


As ferramentas front-end são utilizadas para desenvolver aplicações web com recursos poderosos e modernos, como a criação de sites responsivos, a aplicação de animações nas páginas e o desenvolvimento de conteúdos interativos. Conheça algumas delas!

A cada ano as aplicações web ficam mais sofisticadas e complexas, pois com tanta concorrência na internet é preciso prender a atenção dos usuários em uma página e envolvê-los com experiências interativas. Para desenvolver páginas com esses recursos, os desenvolvedores precisam contar com ferramentas front-end que facilitem a tarefa de desenvolvimento.

Utilizar os recursos adequados ajuda o profissional de desenvolvimento a ganhar mais agilidade e a atender as necessidades de um mercado que está em constante evolução. É importante entender o que faz cada ferramenta para identificar com facilidade qual a mais indicada para desenvolver as atividades necessárias, como gerar o CSS para uma página, realizar testes nos navegadores e muito mais.

Com tantas alternativas e novas tecnologias no mercado, nem sempre é fácil identificar as melhores opções. Quer conhecer algumas delas? Para ajudar você nessa tarefa, preparamos este conteúdo com 22 ferramentas de front-end que são utilizadas em diferentes fases da tarefa de desenvolvimento.

As funcionalidades das aplicações web e sua importância

As aplicações web são divididas em duas partes: o back-end, que faz o processamento das informações movimentadas na página, ou seja, o relacionamento com o banco de dados, e o front-end, que transforma essas informações em um conteúdo visual para que as pessoas usuárias possam interagir com a página e obter a melhor experiência possível com ela.

Para isso, as funcionalidades da aplicação front-end devem ser sempre com o objetivo de tornar a navegação na página simples e intuitiva para os usuários. Isso é feito, por exemplo, com a utilização adequada de um conjunto de recursos, como a aplicação de cores e formatações da maneira correta e o uso de elementos interativos na página, entre eles: botões, menus, animações etc.

Principais ferramentas de front-end para desenvolvedores

Entre as carreiras do futuro para profissionais da tecnologia, a de programador está entre uma das mais promissoras, especialmente em função da necessidade de proporcionar a melhor experiência ao usuário. Para isso, é preciso unir habilidades técnicas à criatividade. Existem diversas ferramentas que ajudam nesse processo, e separamos as principais nos próximos tópicos.

Editores de código

Os editores de código, como o próprio nome sugere, são necessários para escrever o código da aplicação, o que poderia ser feito com alternativas bem simples, como o bloco de notas do Windows. Entretanto, eles oferecem recursos adicionais desenvolvidos para facilitar a programação.

Há diversos editores de código no mercado e a escolha depende das necessidades do projeto a ser desenvolvido. Existem ferramentas com suporte a diferentes linguagens de programação e com recursos adicionais para ajudar no desenvolvimento. Confira algumas delas a seguir.

1. VS Code

O Visual Studio Code é um editor de código desenvolvido pela Microsoft, distribuído gratuitamente e com versões para as plataformas Windows, Linux e macOS. Ele foi desenvolvido para trabalhar com as linguagens básicas de front-end como JavaScript, TypeScript, HTML, CSS, entre outras.

Entretanto, ele é extremamente flexível, pois é possível instalar extensões — plugins para o desenvolvimento em outras linguagens de programação — como C#, PHP, Perl, Python, Ruby e muitas outras. Além disso, ele tem características como:

  • intellisense: que funciona como um autocompletar para funções e trechos de código;
  • depuração: permite marcar um determinado ponto no código para encontrar falhas ou acompanhar a execução;
  • integração com o Git: que é um gerenciador de código-fonte.

Fonte da imagem: https://code.visualstudio.com/assets/docs/getstarted/userinterface

2. Atom

O Atom também é um editor de código leve e gratuito desenvolvido pelo GitHub. Ele oferece características semelhantes às do VS Code e já vem com gerenciador de pacotes próprio, o atm — Atom Package Manager. Além disso, permite a instalação de inúmeras extensões para oferecer suporte a outras linguagens de programação e adicionar funcionalidades ao editor.

Uma característica importante do Atom é que ele contém o plugin Teletype, que permite aos desenvolvedores editar o código em equipe. Portanto, é uma funcionalidade adicional que ajuda a melhorar a produtividade do time de desenvolvimento.

Gerenciadores de pacotes

Ao desenvolver uma aplicação, geralmente utilizamos recursos externos como frameworks e bibliotecas. Para isso, precisamos adicioná-los ao nosso projeto inicial. Os gerenciadores de pacotes são ferramentas que auxiliam nessa tarefa, pois eles instalam e gerenciam esses recursos na aplicação de forma simples, rápida e sem a necessidade de configurações manuais, que é a causa de muitas falhas durante o desenvolvimento.

Na prática, eles acessam um repositório que contém diversos pacotes e instalam na aplicação conforme a requisição efetuada. Os gerenciadores de pacote funcionam por meio de instruções no Prompt de Comando ou por meio do terminal de comandos do VS Code, por exemplo. Existem diversos gerenciadores de pacotes no mercado. Vamos falar sobre alguns deles.

3. NPM

Para utilizar o NPM é preciso instalar o Node.js primeiro, um recurso dessa ferramenta. Após a instalação, podemos usar o NPM para criar um projeto vazio, fazer uma cópia de um projeto do GitHub, além de adicionar, atualizar ou excluir os pacotes usados na aplicação.

designer freelancerPowered by Rock Convert

4. Yarn

O Yarn também é um gerenciador de pacotes e pode ser instalado por meio de download no site de origem ou por outro gerenciador de pacotes. Assim como o NPM, ele é utilizado para adicionar e gerenciar recursos empregados em um projeto.

Um de seus diferenciais é que, ao baixar um pacote, ele é capaz de verificar as dependências necessárias, instalá-las e gerenciá-las para que o ambiente funcione da maneira adequada. Além disso, ele tem uma área de cache para evitar o download várias vezes do mesmo pacote.

Empacotadores (bundlers)

As aplicações web utilizam diversos arquivos de códigos JavaScript. Realizar o gerenciamento desses arquivos e ordená-los para que a página funcione da maneira adequada pode ser uma tarefa bem complicada e trabalhosa. Para resolver essa questão, existem os empacotadores ou bundlers.

Basicamente, os arquivos JavaScript e suas dependências são agrupados em um ou mais pacotes para serem utilizados de maneira otimizada pelos navegadores. Entre as ferramentas que desenvolvem essa tarefa estão as indicadas abaixo.

5. Webpack

O Webpack é um empacotador de módulos de código JavaScript que também pode ser utilizado com outros formatos de scripts, como TypeScript, JSX, entre outros. Ele segue o mesmo princípio para empacotar arquivos CSS e formatos equivalentes, como Less, SCSS etc.

Na prática, o Webpack utiliza um arquivo de configuração para indicar o arquivo de origem, que contém os módulos e suas dependências que serão organizadas na ordem correta. Em seguida, ele cria um arquivo com esse conteúdo organizado para ser utilizado na aplicação front-end.

O arquivo pode ser gerado no formato minificado, ou seja, sem quebra de linhas ou espaços adicionais. O objetivo é deixá-lo mais leve para otimizar o carregamento da página. Vale ressaltar que a performance deve servir como critério de seleção ao contratar um provedor, uma vez que esse é um fator de influência de hospedagem de sites.

6. Parcel

O Parcel também é um empacotador de arquivos e, assim como o Webpack, pode ser utilizado com outros formatos de scripts, arquivos CSS e imagens. Uma das diferenças entre eles é a facilidade para a configuração, que no Parcel é bem mais simplificada.

Geradores CSS

O CSS é essencial para a aplicação front-end, pois é com ele que empregamos a formatação para que os elementos tenham determinadas características, como bordas arredondadas, sombras em textos ou em caixas, gradientes e muito mais.

Escrever o código CSS para que ele funcione na maioria dos navegadores e testar o resultado é uma atividade bem trabalhosa. Felizmente, existem ferramentas que podem nos ajudar nesse momento. Confira algumas delas a seguir.

7. CSS3 Generator

O CSS3 Generator é uma ferramenta online e gratuita para a geração de códigos CSS3. Ele oferece diversas propriedades, como border-radius, box-shadow, flexbox, gradiente, entre outras. Ao acessá-las, é possível configurar os atributos de cada uma, visualizar o efeito que será aplicado e copiar o código-fonte gerado.

Além disso, ele mostra no topo da página a partir de qual versão os principais navegadores são compatíveis com aquela propriedade. Dessa forma, é possível verificar se vale a pena ou não utilizar o recurso.

8. The Ultimate CSS Generator

O The Ultimate CSS Generator é uma ferramenta online para a geração de código CSS. Ele oferece a configuração de mais propriedades, como o background-color, border-radius, border-image, textos e animações. Entretanto, ele só mostra se o navegador é ou não compatível com a propriedade, sem indicar a versão inicial.

Bibliotecas e frameworks

As aplicações front-end têm muitas funcionalidades semelhantes, como a necessidade de serem responsivas, utilizarem menus e uma série de outros recursos que demandam um bom tempo de desenvolvimento para funcionarem de maneira adequada na maior parte dos navegadores.

Basicamente, as bibliotecas e frameworks são ferramentas desenvolvidas para oferecer essas funcionalidades, além de permitirem customizações. Dessa forma, os desenvolvedores podem usá-las em suas aplicações de forma simples e rápida. Existem inúmeras delas disponíveis, confira algumas a seguir.

9. React

O React é uma biblioteca JavaScript baseada em componentes, o que facilita o reaproveitamento de código. Uma de suas principais características é a excelente performance, pois ele contém o ReactDom, que é uma cópia virtual do DOM — Document Object Model — que, por sua vez, representa a estrutura da página. Isso permite ao React controlar o estado dos elementos com muito mais agilidade.

10. Vue

O Vue é um framework JavaScript baseado em componentes reutilizáveis. Ele é fácil de aprender, pois utiliza JavaScript, HTML e CSS. Assim como o React, o Vue também tem uma cópia virtual do DOM para gerenciar o estado dos elementos.

É importante dizer que Vue é um framework progressivo, o que significa que ele pode ser utilizado com outras bibliotecas e frameworks, mesmo em aplicações já existentes. Ele também é reativo, ou seja, sempre que houver alguma modificação de estado, é feita a atualização da página sem que ela seja recarregada completamente.

Essas características o tornam uma ferramenta que pode ser utilizada, por exemplo, para desenvolver plugins para WordPress, pois é facilmente adaptável ao código já existente.

Geradores estáticos de sites

Uma página estática é aquela em que não existem requisições adicionais feitas ao servidor, ou seja, uma vez que o conteúdo foi carregado, ele não sofre alterações. Um exemplo são as páginas de blog post, páginas do tipo “Quem somos” etc.

Existem bibliotecas, como o React, que geram o conteúdo das páginas dinamicamente no navegador do usuário, ou seja, elas são carregadas por meio de código JavaScript conforme as solicitações feitas pela pessoa.

O problema disso é que, ao não ter a página renderizada com todo o HTML escrito, os buscadores não conseguem fazer a indexação do conteúdo da maneira adequada, o que prejudica o SEO da página. Felizmente, existem ferramentas que ajudam a resolver essa questão.

11. Next.js

O framework Next.js foi desenvolvido para trabalhar com o React e facilitar a indexação do site pelos motores de busca. Com ele, é possível fazer a renderização das páginas durante o build, que é a construção do site. Isso permite gerar conteúdos estáticos que podem ser, inclusive, armazenados em uma CDN para tornar o acesso a cada página ainda mais rápido.

O Next.js também pode renderizar a página do lado do servidor sempre que houver uma requisição e devolver o HTML completo. Além disso, ele oferece outros recursos que o tornam ainda mais poderoso, como o roteamento de páginas, que é automático e feito sem a necessidade de configurações adicionais.

Otimizadores SVG

O SVG — Scalable Vector Graphics — é um formato de imagem vetorizada criado pela W3C — Wide Web Consortium. Na prática, é um código XML que descreve a imagem por meio de gráficos vetoriais bidimensionais. Por isso, ela pode ser escalonada sem perder a resolução.

Dependendo de como o arquivo foi gerado, ele pode ter elementos que podem ser removidos, o que ajuda a reduzir o seu tamanho e deixá-lo mais leve para ser utilizado nas páginas. Confira abaixo uma ferramenta que pode auxiliar nessa tarefa.

12. SVGOMG by Jake Archibald

O SVGOMG é uma ferramenta online e gratuita. Seu objetivo é otimizar o código XML da imagem SVG. Para isso, permite a configuração de uma série de características, como remover o DocType, tags <metadata>, excluir instruções XML, minificar cores e muito mais. Depois, é só fazer o download da imagem ou do código-fonte gerado.

Bibliotecas de animações

As animações são essenciais para tornar a página mais interativa, elegante e interessante ao usuário. Ela ajuda a prender a atenção das pessoas e a apresentar conteúdos dinâmicos. Existem bibliotecas que ajudam a criar códigos para desenvolver animações a fim de surpreender os visitantes.

13. AnimateCSS

O AnimateCSS é uma biblioteca CSS que contém uma série de animações disponíveis. Na prática, basta adicioná-lo ao projeto por meio de gerenciadores de pacotes ou acessar a folha de estilos disponível na CDN e utilizar as classes disponíveis para obter os efeitos desejados.

Também é possível configurar algumas propriedades, como a duração do efeito, a quantidade de repetições e o tempo de espera para iniciar a animação. As classes também podem ser aplicadas aos elementos por meio de código JavaScript.

Um benefício dessa biblioteca é que ela pode ser facilmente utilizada em qualquer aplicação. Entre as vantagens e desvantagens do WordPress, por exemplo, está a facilidade de editar o código-fonte e adicionar recursos como o AnimateCSS para tornar o seu conteúdo mais elegante.

14. GreenSock (GSAP)

O GreenSock é uma poderosa biblioteca de animações desenvolvida em JavaScript e compatível com todos os navegadores, até mesmo com os mais antigos, e com dispositivos móveis. Ele realiza a manipulação de qualquer propriedade CSS ou objeto que seja possível acessar com JavaScript. Por isso, consegue fazer animações extremamente profissionais.

Ferramentas do navegador

Uma das principais atividades das pessoas que desenvolvem aplicações front-end é verificar o comportamento da página nos navegadores. Essa atividade é essencial para analisar o código-fonte e identificar eventuais falhas. Todos os navegadores têm suas próprias ferramentas e oferecem vários recursos.

15. Firefox Developer Tools

O Firefox Developer Tools oferece recursos para inspecionar os elementos da página, editar estilos, ativar ou desativar a aplicação de determinadas propriedades e muito mais. Também é possível realizar testes de código JavaScript, com a adição de pontos de paradas para verificar o comportamento do código.

Ele ainda oferece outros recursos para acompanhar o desempenho da página, como o tempo de carregamento de imagens e arquivos, o tempo de processamento de requisições HTTP, além de exibir o conteúdo com a ferramenta Responsive Design Mode, que permite testar o layout para diferentes tamanhos de tela.

Fonte: https://developer.mozilla.org/enUS/docs/Tools/Page_Inspector/How_to/Open_the_Inspector

16. Chrome DevTools

O Chrome DevTools é uma ferramenta poderosa para auxiliar os desenvolvedores, pois oferece todas as características que mencionamos na ferramenta anterior. Entretanto, ele contém alguns recursos adicionais, como o inspetor de segurança e ferramentas de verificação de memória mais avançadas.

Fonte: https://developers.google.com/web/tools/chrome-devtools/images/panels/elements.png

Teste entre navegadores

Ao desenvolver aplicações front-end, é importante verificar se a página funciona da maneira adequada em todos os navegadores e tipos de dispositivos. Mais uma vez, existem ferramentas que ajudam a realizar essa atividade.

17. CanIUse

O CanIUse é um site que traz informações sobre a compatibilidade dos recursos utilizados em aplicações front-end referentes a HTML, CSS, SVG e JavaScript. Se o site utiliza a propriedade CSS border-radius, por exemplo, basta digitar essa palavra na barra de pesquisa para obter a relação dos navegadores — inclusive os de dispositivos móveis — que suportam o item pesquisado e a partir de qual versão.

18. Am I Responsive

O Am I Responsive é uma ferramenta online para verificar a responsividade do site em diferentes tipos de dispositivos. Basta digitar a URL do site desejado para conferir o carregamento da página em vários tamanhos.

O interessante é que você consegue navegar pelo site em cada modelo de dispositivo, o que permite identificar eventuais falhas. Outra característica muito útil é que ele realiza testes para o localhost. Para isso, basta informar a URL do ambiente, como http://localhost/aplicacao.

19. Responsive Web Design Checker

O Responsive Web Design Checker é uma ferramenta de front-end que permite testar o site em diferentes tamanhos de tela. É possível escolher a resolução da tela e até o modelo do dispositivo. Existem diversas alternativas para os principais dispositivos: desktop, notebook, tablet e smartphones.

Para utilizá-lo, basta informar a URL do site. Entretanto, a ferramenta só aceita site seguro. Então, se a página não utilizar o protocolo SSL, não será possível testá-la. Por isso, também não é possível fazer testes com o servidor local.

Colaboração de código e playgrounds

Existem inúmeras ferramentas para desenvolvimento front-end gratuitas na internet. Boa parte desse conteúdo surgiu em função do compartilhamento de códigos entre os desenvolvedores e de empresas desenvolvedoras que disponibilizam os códigos-fontes.

Os playgrounds são ferramentas online preparadas para que os desenvolvedores possam realizar codificação e testes de forma simples e rápida e compartilhar os resultados com outras pessoas.

20. GitHub

O GitHub é uma das principais plataformas de compartilhamento de código. Ele também é um poderoso gerenciador de códigos-fontes, no qual podemos organizar os projetos de acordo com as versões e atualizações realizadas. É uma ferramenta excelente para o trabalho em equipe, pois todos podem fazer alterações nos códigos e acompanhar as modificações efetuadas.

21. CodePen

O CodePen é um playground para o desenvolvimento online de códigos HTML, CSS e JavaScript. Em uma mesma tela, podemos visualizar o editor para cada uma dessas linguagens, além de visualizarmos o resultado do código digitado na parte inferior da tela, como em um navegador. Também podemos utilizar variações do CSS e do JavaScript, como SCSS, Less, Babel, TypeScript, CoffeeScrip, entre outros.

22. JSFFiddle

O JSFFiddle também é um playground para o desenvolvimento de códigos HTML, CSS e JavaScript. Ele oferece uma série de bibliotecas e frameworks para serem utilizados em conjunto com o JavaScript, como AngularJS, React, Vue e muitas outras.

Conheça a plataforma ION e suas funcionalidades

Os conteúdos interativos são essenciais para atrair e envolver a atenção do público, o que é muito importante em uma estratégia de Marketing Digital. A plataforma ION da Rock Content oferece a seus clientes a possibilidades de criar conteúdos nesse formato. Dessa forma, eles podem criar diferentes modelos de peças interativas para suas campanhas, como infográfico animado, landing pages, quizzes e muito mais.

Entre as suas funcionalidades está o registro das ações do usuário pela página, a realização de testes A/B, a geração de relatórios de marketing e do Analytics com o resultado do tráfego na página. Também é possível fazer a integração com outras plataformas, como CRMs e diversas ferramentas de Marketing Digital.

ION é uma plataforma destinada a empresas que querem aumentar a sua audiência com a apresentação de conteúdos interativos. Para isso, ela oferece a ferramenta Creative Studio, na qual é possível criar diversas campanhas baseadas em modelos preexistentes ou desenvolver novos. Tudo é feito com recursos de responsividade para permitir o acesso por diferentes tipos de dispositivos.

Portanto, ION Interactive é uma plataforma completa que integra o desenvolvimento de páginas interativas às necessidades do Marketing Digital. Por todas essas características, ela é exclusiva para desenvolvedores trabalharem, especialmente com atividades que são tendências de trabalho freelancer, como o desenvolvimento de conteúdos interativos.

Como você pôde acompanhar ao longo do texto, existem inúmeras ferramentas de front-end que facilitam a vida das pessoas que desenvolvem aplicações para web. É importante entender como elas funcionam e quando podem ser úteis em um projeto. Dessa forma, será possível economizar tempo e ganhar mais agilidade no desenvolvimento.

Por falar em ferramentas, temos mais algumas de design para mostrar. Confira neste post as principais dúvidas sobre Adobe XD, Figma e Sketch, e saiba qual delas escolher!

Powered by Rock Convert

Posts populares com esse assunto