Por Amanda Gusmão

Amante do homeoffice, geek old school e mãe de dois pequenos padawans.

Publicado em 12/04/2018. | Atualizado em 19/05/2020


Como toda atividade remunerada, existem etapas básicas para alcançar sucesso como profissional freelancer. Entenda aqui algumas das fases, como divulgação dos serviços, captação de clientes e cobrança de serviços!

Trabalhar como freelancer é uma experiência que todo mundo deveria ter. Nela, o profissional tem todas as responsabilidades, de atrair, negociar, até garantir que seu cliente tenha sucesso com o produto ou serviço prestado. Ou seja, é ele quem estipula e é responsável por cada uma das etapas de freelance.

E por quê isso é relevante para a carreira profissional? Porque além de desenvolver novas habilidades, assimilar lições de marketing, administração, finanças e relacionamento, o freelancer também aprende a cuidar de sua imagem e networking.

Estas duas últimas serão heranças somadas ao conhecimento que poderão ser levadas até o final da carreira, e se bem desenvolvidas, renderão muitos frutos na vida pessoal e profissional.

Levante a mão qual freelancer nunca teve que convencer seus familiares que sua profissão era remunerada ou que não ouviu, pelo menos, uma vez “manda currículo para fulano!” depois de explicar do que se tratava sua atividade autônoma.

Com uma imagem profissional bem construída, porém, situações como estas serão incomuns. E mesmo que você leve todas elas com bom humor, fato é que elas também atrapalham suas conexões e indicações pessoais para novos negócios.

Por essas e outras, é muito importante que o freelancer tenha uma dinâmica de trabalho bem planejada e organizada. Esse controle permitirá que ele aumente sua produtividade, transmita seu profissionalismo e claro, administre um padrão de qualidade diferenciado para seus jobs.

Então queremos saber. Você está precisando montar um esquema para seu trabalho freelance para conquistar sua autoridade de uma vez por todas e mostrar que manda muito bem no que faz? Confira neste post as etapas essenciais e estratégicas que separamos para você.

1. Divulgação dos serviços

Divulgar é preciso, independentemente de qual seja sua atividade como freelancer. Porém, é necessário ter uma estratégia por trás disso, ou você terá muito esforço (e às vezes até despesas) e pouco retorno.

Por exemplo, se você quer divulgar um curso online para domar crianças e leões (porque o conceito, em alguns casos, é o mesmo), o mais recomendado é buscar comunidades, redes sociais e eventos que tenham famílias como público-alvo, certo?

As redes sociais, obviamente, são os canais mais prósperos na realidade que vivemos. No Instagram,artistas e designers podem divulgar seus trabalhos mais interessantes, no LinkedIn, as conexões profissionais rolam soltas para produtores de conteúdo, coaches e consultores, e ainda tem o Facebook, que possui diversas ferramentas que favorecem a divulgação de atividades profissionais, como soluções para loja virtual e muito mais.

A criação de um blog, canal no Youtube e demais contas sociais ajudam não somente a divulgar seus trabalhos, educar a audiência, como também permitir que os clientes façam contato com você. Mas não se engane, é preciso ter boas estratégias para captá-los.

2. Captação de clientes

Então você divulgou, muitos começaram a seguir suas postagens, visitar sua loja ou ler seus conteúdos. Podemos dizer que eles deram um passo, ou foram empurrados para uma etapa seguinte na jornada de compra ou aquisição de serviços, mas ainda é necessário que alguém os capture rapidamente. Adivinha quem fará isso? Exatamente, o freela.

Com a divulgação foi possível mostrar para seu público mais segmentado, do que você é capaz. Na captação dos clientes, é necessário sacramentar a informação de que aquilo foi feito ou será sob medida para eles.

Você pode então, capturar clientes por newsletter, email marketing, listas de contatos de um evento, troca de cartões ao final de um fórum de discussão, ou até no cafezinho da esquina, depois de contar para o dono da lanchonete às maravilhas que você fez para a loja ao lado.

Ou seja, é na captação dos seus futuros contratos que você confirma sua proposta de valor, mostra seus diferenciais e se mostra absolutamente indispensável para o sucesso do seu cliente.

Então, é o momento de tomar uma boa dose de habilidades comerciais, porque você vai vender seu peixe e passar a conta da quitanda em seguida.

3. Negociação e elaboração de contrato

Se a captação de clientes foi feita devidamente, o cliente entenderá que o valor pedido é justo, ou seja, que seus diferenciais justificam o montante que está sendo negociado.

Porém (e nessas horas tem muito mais que só um “porém”), não significa que ele não tentará barganhar, não é mesmo?

Então, antes de elaborar uma proposta de negócio, é preciso saber precificar seu trabalho freelancer contabilizando as horas de serviço, os insumos gastos, entre outros. Depois, estabelecer um preço que ofereça margem para negociação sem que seja necessário amargar prejuízos para fechar negócios.

Com valores acordados, a elaboração de um contrato formaliza os direitos e obrigações das duas partes. Forma de pagamento, prazo para entrega, quantidade de ajustes possíveis, possibilidade de renovação automática, entre outras particularidades, são alguns dos pontos que devem ser estabelecidos.

4. Prestação de serviço e acompanhamento

Prestação de serviços e acompanhamentos são etapas de freelance em que a palavra de ordem é: organização.

Isso porque é esperado que não só um cliente, mas vários deles gostem e contratem o trabalho do freelancer, que por sua vez, deverá entregar tudo o que foi prometido a cada um deles.

Então, home office — ou espaço similar, organizado. Agenda de compromissos e aplicativos de gestão de projetos alinhados, atualizados regularmente.

Além disso, vale lembrar que a disciplina e organização da vida pessoal também interferem nesse ponto. É preciso ter uma rotina saudável, inclusive de descanso, para que consiga trabalhar bem disposto e com toda sua capacidade intelectual.

Com todos esses elementos sob controle, o freelancer pode atuar sempre dentro dos prazos estabelecidos em contrato, manter seus clientes atualizados, saber quando é o momento de buscar novos contatos e medir os resultados de seus produtos e serviços comercializados.

5. Cobrança do serviço

Quando tudo sai dentro das expectativas e de acordo com o que foi negociado, a etapa de cobrança é tranquila, muitas vezes desnecessária pois os clientes fielmente cumprem o pagamento conforme acordado.

Mas, infelizmente, algumas vezes é necessário fazer cobranças daquele cliente esquecido, que não atende suas ligações e usa todos os outros subterfúgios, bem malandramente, para não te pagar.

Sim, eles existem e não são fáceis de identificar ou combater. É preciso ser firme e objetivo nas cobranças, mas sem, porém, perder o posicionamento profissional para tratar a situação tão frágil.

Vale, nesse sentido, fazer uma lista de bons clientes e pensar duas, três, quatro vezes antes de fazer negociações com aqueles que atrasam os pagamentos.

Não é uma das atividades mais agradáveis a serem feitas, muitos freelancers acabam terceirizando essa função para não criar desgaste com o cliente. Mas ainda assim, os atrasos podem trazer complicações financeiras e mal estar que ninguém gosta de reviver.

6. Gestão do sucesso do cliente

Essa é uma etapa que todo freelancer deveria inserir em sua organização profissional, pois garante novas oportunidades de negócio, cria um relacionamento com clientes e fortalece o canal para receber feedbacks e promover melhorias.

Grandes empresas, como a Rock Content inclusive, instituíram o setor de sucesso do cliente para garantir que ela consiga obter o máximo de performance de seus produtos ou serviços contratados.

Fazendo isso, os resultados dos clientes são excelentes propagandas da qualidade de seus serviços e motivos de sobra para não procurarem ou sucumbirem às investidas da concorrência.

É possível adaptar essa filosofia para seu trabalho de freelancer. Se você é um redator, por exemplo, além de produzir conteúdos fantásticos, pode dar dicas de como aumentar o compartilhamento da informação, onde obter boas imagens etc.

7. Networking

Networking é ouro para freelancers. Seja com clientes, seja com parceiros de atividades relacionadas, ele contribui para a propagação da sua imagem profissional e criação de novas oportunidades de negócios.

Eles também são excelentes fontes de conhecimento. Trabalhar e trocar informações com outros profissionais permite que você expanda sua visão do negócio, desenvolva sua criatividade e melhore seus serviços para os clientes.

8. Reciclagem de conhecimento (um plus nas etapas de freelance)

Apostar na atualização profissional também é essencial em um mundo onde tudo muda o tempo todo. Investir em cursos de atualização, buscar conhecimentos em áreas relacionadas, ler blogs maravilhosos (você acha que isso é uma indireta sem modéstia nenhuma? Acertou!) e bons livros coloca você na vanguarda do seu setor.

São etapas de freelance para ninguém botar defeito. Estruturando seus serviços, sua capacidade para assumir novos projetos será incrivelmente aumentada, além da satisfação de ter tudo sob controle e poder controlar seus resultados. Você também conseguirá lidar melhor com os clientes-treta, mas não espantá-los por completo.

Mas calma que não é preciso entrar em desespero. Se você não quer lidar com barganhas e clientes mau pagadores, tenho a solução ideal para você. Seja um freelancer da Rock Content e se preocupe apenas em produzir o melhor conteúdo da web!

banner levantada de mão redação

Posts populares com esse assunto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *