Por Autor Convidado

pelo blog da Comunidade Rock Content.

Publicado em 22/01/2021. | Atualizado em 22/01/2021


Este artigo foi produzido pela Sabrina Andrade, da equipe da Imaginie, empresa parceira da Comunidade Rock Content e a maior plataforma de correção e ensino de redação do Brasil.

Nossa comunicação escrita possui a classificação em cinco tipos de texto: o narrativo, descritivo, expositivo, dissertativo e injuntivo. Mas você sabe definir o que é dissertação?

Todos os casos acima exigem estratégias de escrita que passam pelos seguintes pontos: leitura, organização de ideias, aquisição para o hábito de escrever, refinamento para a construção de períodos mais curtos e a utilização da pontuação de forma correta.

Sendo assim, para que você fique mais afiado na dissertação, preparamos este artigo para mostrar como é a sua estrutura, suas características, apresentar onde comumente essa redação é utilizada e, por fim, você vai poder ver nosso bônus com 17 dicas para escrever uma boa dissertação. Curtiu? Então, vamos lá!

O que é dissertação?

Dissertar significa explicar, discorrer, discursar. Logo, a dissertação é um estudo teórico de natureza reflexiva, que consiste na ordenação de ideias sobre um determinado tema. 

Portanto, um texto é caracterizado como dissertativo ao defender uma ideia ou de um ponto de vista, ou seja, quando se emite a opinião pessoal sobre determinado assunto. 

Dessa forma, a dissertação corresponde na elaboração de um texto subjetivo. No entanto, é preciso entender que o caráter sobre o que se expõe não deve ser de forma direta. Por exemplo, não é correto utilizar a forma na 1ª pessoa do singular, como a expressão “na minha opinião”.

Portanto, você só irá entender o que é dissertação se praticar e escrever corretamente ao defender um ponto de vista com o objetivo de reter a atenção do seu leitor, aplicando muito bem suas ideias no texto. 

Quais são os tipos de dissertação?

Entender o que é dissertação também requer saber quais são seus dois tipos: argumentativa e expositiva. Vejamos, a seguir, como é cada uma delas. 

Dissertação argumentativa

O autor pretende provar a veracidade ou falsidade de ideias, objetivando convencer seu leitor. Para isso, ele utiliza de argumentos, provas evidentes e até de testemunhas para a sua comprovação.

Dissertação expositiva

O autor apresenta uma ideia, enquanto expõe o que ele ou outras pessoas pensam sobre determinado tema ou assunto. Geralmente, é utilizada a técnica de amplificação da ideia central, demonstrando sua natureza, antecedentes, causas próximas ou remotas, consequências ou exemplificando.

Suas principais funções são esclarecer, informar ou avaliar, sem haver interferência da opinião do autor. Sua linguagem é clara, objetiva e os verbos são conjugados no presente do indicativo, ou seja, um tempo verbal utilizado para falar de uma ação que ocorre no momento da fala. 

Como é a estrutura da dissertação?

Agora que você já conhece os tipos de dissertação, vamos continuar falando sobre a sua estrutura. Afinal, sabendo disso, você estará a um passo de desvendar o que é dissertação. 

Pois bem, a estrutura da dissertação é baseada na organização dos seus parágrafos e das suas ideias. Veja como esse tipo de texto é feito.

Introdução

A introdução da dissertação constitui o parágrafo inicial do texto. Ela corresponde a uma sinopse sobre o assunto a ser tratado. Portanto, não é ideal utilizar muitas explicações antes do tempo. Todas as ideias devem ser apresentadas de forma sintética, pois é no desenvolvimento que elas serão melhor detalhadas.

A construção da introdução pode ser feita de várias maneiras:

  • constatando um problema;
  • delimitando um assunto;
  • definindo um tema.

Desenvolvimento

Trata-se da segunda parte da dissertação, também chamada de argumentação. Representa o corpo do texto e onde as ideias propostas na introdução são desenvolvidas. Também é o momento em que o autor defende o ponto de vista acerca do tema proposto, atentando-se para não deixar de abordar nenhum item contido no parágrafo inicial.

A reflexão sobre o tema proposto não pode ser trabalhada de modo superficial. Assim, para aprofundar essa abordagem buscam-se sempre os porquês. De modo prático, o procedimento busca levantar os argumentos referentes ao tema.

Conclusão

A conclusão da dissertação representa o seu fecho. Pode-se fazer uma reafirmação do tema, de modo a resumir todas as ideias que foram expostas anteriormente ou apresentar possíveis soluções para o problema apresentado. Trazendo, assim, uma conclusão ao assunto discutido.

Vale lembrar que não se deve acrescentar informações novas na conclusão, pois, se ainda há informações a serem incluídas, o desenvolvimento ainda precisa ser trabalhado.

Quais são as características da dissertação?

Saber quais são as características do texto dissertativo é outra forma de não esquecer o que é dissertação. 

Portanto, atente-se aos seguintes pontos:

Tese: deve ser apresentada no início da dissertação.

Ideias: devem ser relevantes para o tema proposto e serem relacionadas diretamente a ele.

Coesão e coerência: não deve haver explicações desnecessárias.

Estrutura: introdução, desenvolvimento e conclusão.

Unidade: não deve haver fragmentação do mesmo assunto em parágrafos distintos.

Texto: deve ser bem claro, conciso e objetivo.

Originalidade: deve demostrar um diferencial em meio aos demais textos.

Em quais meios a dissertação aparece?

Você vai saber o que é dissertação ao visualizar esse tipo de texto em:

  • artigos científicos ou jornalísticos;
  • monografias, dissertações de mestrado ou teses de doutorado;
  • redações do Enem e outras provas de ingresso às universidades;
  • livros didáticos;
  • ensaios ou críticas;
  • manifestos;
  • enciclopédias;
  • notícias de jornais;
  • blogs e outros.

Bônus: 17 dicas para escrever uma boa dissertação

  1. Aborde na introdução e na conclusão o que realmente estiver no desenvolvimento;
  2. Evite períodos muitos longos ou sequências de frases muito curtas;
  3. Evite dirigir-se ao leitor;
  4. Evite repetições exageradas e umas próximas das outras, tanto de palavras, quanto de informações;
  5. Utilize sinônimos e expressões que representem a ideia em questão;
  6. Mantenha-se rigorosamente dentro do tema proposto;
  7. Evite utilizar expressões desgastadas, “batidas”;
  8. Utilize exemplos e citações relevantes;
  9. Evite gírias e termos coloquiais, a não ser que seja necessário e que você faça essa marcação;
  10. Evite linguagem rebuscada;
  11. Evite a argumentação generalizadora e baseada no senso comum;
  12. Tenha cuidado com palavras como “coisa” e “algo”, pois elas possuem um sentido vago; 
  13. Não coloque ponto final após o título;
  14. Não use chavões, provérbios, ditos populares ou frases feitas;
  15. Não proponha questionamentos no texto, sobretudo na conclusão;
  16. Jamais use a primeira pessoa do singular, a menos que haja uma solicitação do tema;
  17. Use exemplos de domínio público, sem narrar seu desenrolar, fazendo somente uma breve menção.

Agora que explicamos o que é dissertação, você já consegue escrever seu próprio texto dissertativo utilizando as melhores estratégias. Mas antes de partir para a ação, que tal conferir nosso artigo com dicas de redação?

Posts populares com esse assunto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *