erros de gramática que você precisa parar de cometer agora mesmo!

10 erros de gramática que você precisa parar de cometer agora mesmo!

Não importa se você é um redator profissional ou de fim de semana, se vive disso ou faz por hobby, se é velho de casa ou recém-chegado, você é, assim como todos nós, humano. E como todo ser humano, já está cansado de saber que o erro, meu amigo, esse é um companheiro de sempre.

Não importa se você é um redator profissional ou de fim de semana, se vive disso ou faz por hobby, se é velho de casa ou recém-chegado, você é, assim como todos nós, humano. E como todo ser humano, já está cansado de saber que o erro, meu amigo, esse é um companheiro de sempre.

Errar é normal, aceitável e é no erro que a gente aprende — mesmo que isso soe clichê. Ainda mais quando se é produtor de conteúdo, erros de português partem até de profissionais experientes.

Por exemplo, no dia a dia da revisão de textos a gente sempre percebe que alguns probleminhas, sejam eles de ortografia, acentuação ou semântica, são quase universais.

Pode ser que você, querido redator, nem saiba que tem cometido esses deslizes, então, para te ajudar (e melhorar nosso trabalho também, por que não?), vale conferir essa lista com alguns erros gramaticais que você precisa parar de cometer para produzir textos melhores e aumentar suas chances de sucesso na vida de freela.

1- Ao invés de

Esse é um clássico! Muita gente confunde os termos “ao invés de” com “em vez de” ou, o que é pior, acha que significam a mesma coisa. Mas cabe uma explicação para acabar de vez com a sua dúvida:

  • Ao invés de: significa ao contrário de, em oposição. Ou seja, só use quando você estiver apresentando duas ideias opostas.

Exemplo: o carro virou à direita ao invés de virar à esquerda.

  • Em vez de: significa em lugar de.

Exemplo: foi ao cinema em vez de ir ao teatro.

Vale dizer que “em vez de” também pode significa ao invés de, mas o contrário não pode acontecer, ok?

2- A maioria são

Esse erro parece bem feio quando lido sem contexto, mas pode acreditar: você, provavelmente, já o cometeu em algum texto. Isso acontece porque é comum incluirmos algumas palavras ali no meio, o que mascara esse erro e faz com que ele passe batido na hora que escrevemos.

Em todos os dias da minha vida de revisora eu encontro (em mais de um texto) expressões como “a maioria das pessoas que gosta de tal coisa já sabem como isso funciona” ou “a maioria dos itens de decoração custam mais caro”.

Os redatores acabam se esquecendo de que a concordância deve estar com ‘a maioria’ e não com o que vem depois. Para evitar esse erro bobo, feio e chato, sempre releia a frase com essa atenção. O mesmo vale para “um grande número de pessoas/coisas” e outras expressões similares.

3- Afins e porquês

Se tem uma coisa que quase todo mundo nesse Brasil ainda não domina é o fatídico uso dos porquês e dos afins. Junto, separado, com ou sem acento, a verdade é que esse erro já é uma constante. Na dúvida, alguns redatores acabam usando todas as formas sem nenhum controle ou reflexão antes, soltando expressões a torto e a direito, torcendo pra acertar algum.

Afins

  • A fim separado deve ser usado sempre quando você estiver falando de propósito, finalidade ou desejo (fulano é a fim de sicrano).
  • Afim junto deve ser usado apenas para indicar afinidade, semelhança.

Porquês

  • Porquê: sempre que vier precedido de artigo, deve ser usado junto e com acento. Exemplo: o porquê (já que se comporta como um substantivo)
  • Por que: usado geralmente em início de frases, para perguntar, separado e sem acento.
  • Por quê: separado e com acento é usado em finais de frase interrogativa, antes do ponto ou em pergunta isolada. Exemplo: por quê?
  • Porque: usado para explicar alguma coisa. Exemplo: “eu escrevi esse texto porque quero te ajudar”.

4- Alcóolico

Se você leu o intertítulo acima e não achou nenhum problema, sinto te informar que você está engrossando a estatística dos erros gramaticais.

Pode parecer bobeira, mas é impressionante a quantidade de redatores que acentua a palavra alcoólico do jeito errado. O acento agudo é no segundo “o”, nunca no primeiro!

Guia de Português e Gramática para Produção de Conteúdo Web

5- Mal/Mau

Não adianta ficar de cara feia ao ver essas duas palavrinhas. Compreendo que elas são uma pedra no sapato dos nossos revisores. E acredite: você não está sozinho! Segundo um levantamento feito pela empresa de marketing digital SEMRush, a diferença entre Mal com L e mau com U foi a 9ª dúvida mais pesquisada no buscador do Google.

Para tirar a sua dúvida, lembre-se sempre que:

  • Mal é o contrário de bem.
  • Mau é o contrário de bom.

Para ficar mais claro, veja os exemplos abaixo!

  • Certo: Ele esteve de mau humor porque seu texto como freelancer não foi aprovado ontem.
  • Errado: Ele esteve de mal humor porque seu texto como freelancer não foi aprovado.

Percebeu a diferença?

Basta fazer essa troca para acertar na gramática!

6- Onde/Aonde

Talvez, a confusão gerada por esses advérbios pode ser explicada porque ambos são utilizados para se referir a um lugar. No entanto, cada um possui a sua particularidade e você precisa conhecê-la para não afetar a qualidade do seu texto.

Use aonde por dois motivos: quando os verbos da oração solicitarem a preposição e quando as orações indicarem movimentos.

Vamos analisar as seguintes frases:

  • “Aonde você vai?”
  • “Aonde seu tio pode me levar?”

No primeiro caso, o advérbio “aonde” foi utilizado porque o verbo ir pressupõe ir a algum lugar. Enquanto na segunda sentença, existe ideia de movimento,  pois o sujeito precisa levar alguém ou algo.

O advérbio “onde” é utilizado como curinga por muitos redatores freelancers. No entanto, a partir de hoje, antes de acrescentar ele em seu texto, responda duas perguntas básica:

  • O advérbio “onde” está indicando o lugar em que algo ou alguém está?
  • Quando troco “onde” por “local em que/ lugar em que”, a frase permanece com o mesmo sentido?

Se você respondeu positivamente a essas questões, sinta-se livre para utilizá-lo!

7- Mas e mais

Outro erro clássico da língua portuguesa. A boa notícia é que ele é muito simples de detectá-lo. Quando utilizado sem o “i”, o “mas” torna-se uma conjunção adversativa. Ou seja: limita-se ou se opõe a uma nova ideia. Para ficar claro, imagine a seguinte situação.

“Você está escrevendo um texto, mais não consegue entregar a tempo. Logo, entra em contato pedindo desculpas pelo ocorrido.”

A frase acima apresenta dois problemas. Primeiro porque o “mas” deveria está grafado sem o “i”, uma vez que você não conseguiu concluir o texto conforme o esperado. Segundo porque deixar uma tarefa expirar é um erro que você jamais pode cometer, caso contrário, a sua reputação ficará prejudicada.

Se ainda estiver com dúvidas em relação ao “mas”, substitua-o por:

  • Todavia;
  • No entanto;
  • Entretanto;
  • Porém.

O “mais” é um advérbio de intensidade. Pode ser usado também como adição. Portanto, a partir de hoje, escreva textos com mais carinho, mais qualidade e menos erros gramáticas, combinado?

8- Há/A

Sabemos o quanto é complicado, para algumas pessoas, entender qual a melhor forma de usar esses vilões da língua portuguesa. Para tirar suas dúvidas, veja abaixo a explicação.

O “Há” é utilizado para indicar algo que já ocorreu.

Exemplo: há dois dias estou lendo os conteúdos do blog da Comunidade Rock Content.

O “A”, sem o H, é utilizado para o futuro.

Exemplo: A dois dias saberemos o resultado da prova final.

9- Iminente/Eminente

Essas duas palavras são definidas na língua portuguesa como parônimas ou parônimos. Isso porque elas possuem praticamente a mesma escrita e pronúncia, mas tem significados diferentes. As vezes, eles tiram o sono de muitos redatores durante a produção dos seus textos.

Veja como a diferença entre eles é simples.

Eminente é um adjetivo. Ele pode ser usado para indicar as seguintes características.

  • Alto;
  • Grande;
  • Elevado;
  • Saliente;
  • Pessoa importante;
  • Notável.

Exemplo: é um eminente redator freelancer.

A palavra “iminente” também indica um adjetivo. No entanto, podemos utilizá-la somente quando algo está prestes a acontecer.

Exemplo: o perigo de acidente no jogo de futebol é iminente.

10- Ao encontro de/de encontro a

Essas duas expressões têm significados basicamente opostos, mas todo mundo teima em confundi-las e usá-las de maneira trocada. “De encontro a” significa oposição, embate, choque. Se uma coisa vai de encontro à outra, ela está indo na direção contrária, é discordante.

“Ao encontro de” já significa concordância, estar favorável a alguma coisa. Uma estratégia que vai ao encontro do negócio da empresa, é tudo que ela precisa!

Não vale ficar triste se você vestiu alguma dessas carapuças (ou todas, isso pode acontecer…), porque a vida é assim mesmo!

E não se engane, hein? Tem muitos outros errinhos soltos pela blogosfera, então fique sempre ligado nas nossas dicas e não pare nunca de se aprimorar.

Aliás, quer ver uma lista completíssima com os erros de português mais cometidos pelos redatores freelancers? Confira a nossa lista completa com os 102 erros de português mais comuns!