língua portuguesa

Aprenda na prática como escapar dos principais erros e falhas da Língua Portuguesa!

Dominar o português exige anos de experiência não só com as letras, mas também com a pronúncia das palavras. Aprenda — na prática — como escapar deles!

Por mais que você treine a escrita diariamente, estude, leia, viaje, converse, assista, interaja, brinque e faça o que for para se tornar uma pessoa melhor na busca pelo respeito fidedigno à Língua Portuguesa, sempre haverá um errinho gramatical, de ortografia ou de pontuação em seus textos.

Como somos seres limitados e imperfeitos, as belezas do maravilhoso Português, muitas vezes, podem transformar frases em presas da ambiguidade, dos erros de concordância e até mesmo do temido desrespeito às normas. E nem mesmo corretores eletrônicos são capazes de identificar alguns deslizes, principalmente os subjetivos.

Sabe quando você quer dizer uma coisa e o leitor entende outra?

Sendo um dos idiomas mais amplos do mundo, a Língua Portuguesa abre um leque de oportunidades e também de armadilhas, ou seja, o que é luz hoje, pode ser a sua sombra amanhã.

Para você ficar mais atento ao uso das palavras, colocações pronominais, sinônimos, concordâncias, adjetivos e afins, elaboramos este post com um intuito meio maquiavélico: vamos desbravar e explicar os erros mais comuns cometidos por redatores.

Por que a Língua Portuguesa abre espaço para tantos erros gramaticais?

Dominar o português exige anos de experiência não só com as letras, mas também com a pronúncia das palavras. Além disso, a prática ajuda muito na fluidez de um texto, fazendo com que os objetivos do cliente sejam alcançados com mais facilidade.

No entanto, quem escreve muito também é vítima da mecanização dos procedimentos e, vez ou outra, acaba deixando passar algo que seria óbvio até para uma criança, como canta Nando Reis.

Por que é tão difícil não errar na escrita? Ou mesmo na fala? A resposta está justamente no convívio com a nossa mãezinha chamada Língua Portuguesa, a detentora da varinha mágica de nossas vidas.

No entanto, como escrever não é fruto de mágica, mas de muito treino e estudo, nada melhor do que a persistência para sempre aprimorar os seus textos, evitando os erros que tanto incomodam os revisores Brasil afora. Assim, quanto maior o preparo, menores serão as falhas gramaticais.Portanto, é preciso sempre manter um contato com bons livros e conteúdos que sejam enriquecedores.

guia prático de português e gramática atualizado CTAPowered by Rock Convert

Quais são as falhas mais comuns nos textos dos freelancers?

Apesar de não existir um dado estatístico sobre o assunto, o cobaia aqui pode trazer algumas experimentações vivenciadas nos últimos 17 anos de estrada. Aliás, já cometi um erro acima para testá-lo. Identificou? Pois é, meu caro.

Cobaia pode ser um substantivo feminino para identificar um roedor, ou uma figura de linguagem para apresentar um objeto de testes. No caso, eu. Objeto? Quem nunca foi?

Assim, o correto seria “a cobaia”. Só que, em vez de utilizar este exemplo, seria bacana inserir “ao invés”, já que o sentido é de oposição. “Só que ao invés…”. Percebe como podemos cair em arapucas das mais variadas possíveis e inimagináveis?

Afinal, já fazem anos que busco encontrar o meu lugar ao sol. Opa, fazem não se encaixa, pois no sentido de tempo decorrido, o verbo fazer é impessoal, sendo usado somente no singular. Então, é “faz”, compreende?

Como o assunto está ficando um pouco complicado, o redator aqui vai te deixar quites com a Língua Portuguesa. Pode ser? Tudo certo? Na verdade, nem um pouco, pois o correto é “quite”, pois deve concordar com o substantivo a que se refere.

Assim, o manual de redação escrito pela Rock é uma boa dica para você se aprimorar através dos ensinamentos de profissionais gabaritados e bem sucedidos. Hahaha. Adoro pegadinhas… Identificou os pontos falhos na frase?

O primeiro refere-se ao “através”. No exemplo, o certo seria “por meio”, no sentido de intermédio, ao contrário da ideia de atravessar expressa pelo “através”. Em relação aos profissionais, deve-se usar bem-sucedidos como sinônimo de vitoriosos. Sem hífen também é correto em determinadas ocasiões, como no caso do ato de ocorrer, acontecer depois ou de substituir alguém numa função. Eis as várias facetas da nossa Língua Portuguesa.

Dessa maneira, se você está afim de aprender a escrever corretamente, não deixe de acompanhar as mudanças que, muitas vezes, passam desapercebidas. Afim né? Desapercebidas…. Assim, vai ficar difícil! Primeiro, “afim” é um adjetivo e significa semelhança, enquanto a locução “a fim” expressa finalidade. Já “desapercebida” só deve ser utilizada quando o sentido for de desprovido ou desprevenido.

Como a frase sugere uma falta de atenção, o correto seria “despercebida”. Viu como é fácil cair no olho do furacão? Situação que já acontecia há anos atrás com nossas vovós. Isso porque não se usa “há” e “atrás” na mesma frase. Ou se diz “há anos” ou a “anos atrás”. Fácil essa, não é mesmo?

Recomendação de leitura:
👉 Como revisar seu próprio texto em 6 passos simples que não exigem que você seja um expert em gramática.

O que fazer para ser um mestre da Língua Portuguesa?

Mesmo citando poucos exemplos, já foi possível perceber o quanto a Língua Portuguesa exige cuidados extras para você não errar na escrita. E como praticar o aprimoramento diante de um oceano de regras, anacolutos, anagramas, cacofonias, eufemismos e hipérboles?

Isso para não falar do barbarismo e da anástrofe…. Expressões estranhas, mas que fazem parte do nosso idioma. Quer saber o que significam? Eis a primeira regra para se dar bem nos textos: pesquise.

Quem quer ser um redator de sucesso não pode ficar estático. É preciso movimentar os olhos e também a bunda da cadeira. Afinal, as vivências também contribuem com o conhecimento. Não pense que ficar em casa o dia inteiro diante do computador será a solução para transformar um texto truncado em algo genial.

Você pode ler uma enciclopédia por dia e ainda escrever mal. Ou seria mau? Enfim, ler é importantíssimo, mas não deixe a sua vida ancorada em uma baia de produção.

Isso porque português se aprende também na conversa com um caipira, na audição de uma gíria, nos ditados populares, no respeito a uma expressão LGBT, na curtição de uma música, na consciência ambiental, na sensibilidade proporcionada pela profundidade de uma pintura ou na persuasão para conquistar a mulher da sua vida.

Quer viver a luz da Língua Portuguesa?

Então se jogue, aprenda, persevere, tenha disciplina, seja motivado, pratique e levante quando a sombra do idioma o derrubar em um dia qualquer.

E para facilitar seus próximos passos e incrementar o seu arsenal de ferramentas contra os erros dessa língua pra lá de traiçoeira, aproveite para baixar nosso guia gratuito com 63 erros para evitar na escrita e dicas simples de como evitá-los!

63 erros para evitar na escritaPowered by Rock Convert