Por Matheus Pereira

Analista de Planejamento na Rock Content.

Publicado em 05/10/2016. | Atualizado em 09/01/2020


Imagine a seguinte situação: você recebeu uma tarefa para produzir pautas. Pensou em um título atraente, pesquisou a melhor palavra-chave, fez uma descrição completa, porém está inseguro ao enviar a tarefa. Você já passou por isso? Calma! Não precisa entrar em pânico! A insegurança é muito comum durante esse processo, afinal, uma boa pauta precisa […]

Imagine a seguinte situação: você recebeu uma tarefa para produzir pautas. Pensou em um título atraente, pesquisou a melhor palavra-chave, fez uma descrição completa, porém está inseguro ao enviar a tarefa.

Você já passou por isso? Calma! Não precisa entrar em pânico!

A insegurança é muito comum durante esse processo, afinal, uma boa pauta precisa conter  alguns elementos importantes, além de estar de acordo com a estratégia do cliente.

Pensando nisso, vamos enumerar quais são os erros de pauta que um profissional freelancer não pode cometer durante a produção de pautas.

Quer produzir pautas perfeitas e ter mais confiança em seu trabalho? Então, não perca mais tempo! Confira tudo o que você precisa saber a seguir:

Entenda o conceito de pauta

Antes de mais nada, é essencial entender o conceito de uma boa pauta. Ao contrário do que muita gente imagina, pauta não é título, pauta não é texto, pauta não é palavra-chave.

A pauta é a chave para o sucesso de um texto. Por meio dela, o redator irá obter informações preciosas para criar um conteúdo épico para a persona do cliente.

Na pauta, o redator tem acesso a informações como o título, o público a quem se destina, a linguagem que o blog pretende adotar, a palavra-chave que irá conduzir o conteúdo, as referências que lhe ajudarão a produzir um conteúdo de qualidade e quais são os tópicos que devem ser mencionados no texto.

Uma pauta de qualidade deve deixar as informações claras tanto para o redator como para o cliente.

Siga uma metodologia

Pautas não podem ser desenvolvidas de qualquer forma. É necessário seguir uma metodologia para evitar ajustes e refações.

Ao receber a pauta, você tem acesso ao briefing. Essa é a primeira informação que você deve analisar antes de começar a desenvolver um conteúdo.

Pular essa etapa é dar um tiro no escuro, pois, no briefing você irá descobrir os seguintes dados:

  • Dados sobre a empresa;
  • Diferenciais da empresa;
  • Produtos e serviços que a empresa desenvolve;
  • Persona da empresa;
  • Objetivo da estratégia;
  • Linguagem do blog;
  • Quais são os assuntos que devem ser evitados;
  • As principais palavras-chave utilizadas pelo cliente;
  • Link para mídias sociais.

Depois de conhecer as principais informações da empresa, é hora de criar pautas. Mas, quais são os erros que você não pode cometer? São eles:

Evitar o direcionamento de pautas da tarefa

O direcionamento de pautas é um elemento muito importante para produzir uma tarefa com eficiência. Nele, há informações de como a pauta deve ser desenvolvida.

O direcionamento pode ser solicitado através de títulos ou palavras-chaves que já foram definidos pelo cliente. O redator tem liberdade para modificar, por exemplo, um título, caso veja necessidade. No entanto, manter a linha de abordagem do direcionamento é essencial.

Portanto, a regra é clara: quando houver direcionamentos, busque segui-los para evitar futuros ajustes e refações.

Pesquisar palavras-chave inadequadamente

Para criar boas pautas, faça uma pesquisa eficiente de palavras-chave antes de começar a produzir um conteúdo. As keywords irão ajudá-lo a encontrar os termos que se encaixam melhor na estratégia do cliente.

Atualmente, a competição para ficar entre os primeiros colocados do Google é intensa.  Por isso, quando for produzir as pautas, opte por palavras-chave mais específicas, conhecidas como long tail. Elas possuem menos concorrência nos programas de busca, facilitando, assim, o rankeamento do blog do cliente no Google.

Para entender melhor o assunto, veja a diferença:

Palavra-chave head tail
marketing digital
Palavra-chave long tail
estratégias de marketing digital
Palavra-chave head tail
computador
Palavra-chave long tail
como comprar um computador

Percebe-se que as palavras-chave head tail são mais genéricas e abrangentes. Já as palavras-chave long tail são termos mais longos e específicos.

Durante o processo de produção de pautas, não é indicado repetir as palavras-chaves nas outras pautas, ou seja, para cada pauta, use uma palavra-chave diferente.

A repetição de palavra-chave não é uma prática recomendável pelos programas de buscas, pois os famosos robôs entende que você está querendo usá-las a qualquer custo no texto, e não naturalmente, como é orientado.

Criar títulos pouco atraentes

Reserve um pouquinho do seu tempo para criar um bom título para a sua pauta. Hoje, os internautas consomem diversas informações por dia e você tem apenas alguns segundos para impressioná-los. Pensar em bons títulos é uma ótima estratégia para seduzir o leitor rapidamente.

Mas, quais são as características que credenciam um bom título?

  • Títulos que contém números atraem mais o leitor;
  • Títulos que têm entre 5 a 9 palavras possuem alto poder de conversão;
  • Títulos com informações negativas atraem mais que títulos com linguagem positiva.

Para criar títulos épicos, não se esqueça de conhecer a sua persona, pois, através das suas necessidades de mercado, você irá conseguir criar títulos que estejam de acordo com o perfil dela.

Dar pouca atenção à descrição geral

Não adianta criar bons títulos, buscar excelentes referências, escolher o melhor call-to-action (CTA), se a sua descrição geral estiver incompleta.

A descrição geral irá orientar o redator para que ele entenda de que forma deverá abordar a pauta no texto. Geralmente, essa descrição é composta pelo objetivo das pautas e pelos tópicos que o redator deve mencionar ao longo do texto. Veja:

Título: x dicas para escolher a casa ideal para morar
Descrição geral: O objetivo desse artigo é fornecer, para a nossa persona, pelo menos, cinco dicas para que ela aprenda como escolher a melhor casa para morar. Pode-se destacar: analisar o perfil da vizinhança, perguntar a opinião dos moradores, entre outros. Explique brevemente cada informação destacada.

Uma descrição geral da pauta não precisa ser longa demais e nem enxuta. Basta informar quais são os conteúdos que devem constar no texto.

Optar por referências sem qualidade

Para que o redator desenvolva um bom texto, ele deve contar com referências de qualidade. Devido a esse fator, ao criar uma pauta, opte por sites renomados, que são confiáveis e tenham um conteúdo escaneável.

Por exemplo, sites colaborativos, como o Wikipedia, podem ser muito pouco confiáveis ou imprecisos como referências. Portanto, procure informações autorais, de pessoas que são autoridades reconhecidas na internet.

Referências em vídeo podem ser interessantes desde que não sejam muito extensos, pois poderão atrapalhar a produtividade do freela.

Negligenciar o call-to-action

A escolha de um CTA não pode ser definida através de um sorteio, afinal, esse elemento incentiva o leitor a tomar uma ação referente ao blog do cliente. No planejamento de pautas, são utilizados 9 tipos de CTA.

  • Comentário no post;
  • Assinar a newsletter;
  • Curtir a página do Facebook;
  • Linkar para outro artigo do blog;
  • Baixar um material rico (como um e-book, por exemplo);
  • Fazer o teste gratuito do software;
  • Sugerir compartilhamento nas redes sociais;
  • Convite para o leitor entrar em contato com a empresa.

O CTA irá depender do formato da pauta e se o cliente possui esses elementos em seu blog. Portanto, antes de definir um CTA para a sua pauta, verifique, por exemplo, se o blog possui um espaço para comentário no post, se tem materiais ricos disponíveis para download ou ícones para compartilhar o blog post nas redes sociais.

Evitar o funil de vendas

Para criar boas pautas, é necessário entender o conceito de funil de vendas e como desenvolver conteúdos para cada etapa do funil. No total, são três etapas: atração, consideração e decisão.

No topo do conteúdo, onde se concentra a parte mais larga do funil, a persona não tem consciência do problema que ela tem, ou seja, ela ainda não está buscando um produto ou serviço.

Já no meio de funil, a persona demonstra interesse em comprar um produto ou serviço do cliente e pretende saber mais informações acerca do que ele tem a oferecer.

O funil de vendas é um processo que precisa ser estudado constantemente, pois, através desse conhecimento, é possível criar pautas que estejam alinhadas com a estratégia do cliente.

Deixar a tarefa expirar

A cada tarefa expirada “um panda morre no Alasca”. Embora esse dado seja fictício, serve de alerta para que você entenda o quanto é importante entregar suas tarefas dentro do prazo.

Não cumprir com prazos atrapalha o processo da empresa que você está oferecendo o seu serviço, a estratégia do cliente e a sua reputação como profissional. Ou seja: todos saem perdendo.

Portanto, a partir de hoje, repense duas vezes antes de deixar uma tarefa expirar, tudo bem?

Após ler este post, surgiu alguma dúvida? Para evitar que novos erros de pauta aconteçam, faça o Curso de Produção de Conteúdo Web, que contém dicas incríveis sobre planejamento de pautas!

Curso de Produção de Conteúdo

 

Posts populares com esse assunto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *