erros-de-freelancers

Os 9 maiores erros de freelancers e como evitá-los

Ser freelancer não é uma tarefa fácil. Além de tentar explicar para sua família no que você realmente trabalha, é preciso aprender a lidar com clientes que atrasam o pagamento, as contas que chegam na data certa, mas o seu salário não, e um monte de outros desafios.

Ser freelancer não é uma tarefa fácil. Além de tentar explicar para sua família no que você realmente trabalha, é preciso aprender a lidar com clientes que atrasam o pagamento, as contas que chegam na data certa, mas o seu salário não, e um monte de outros desafios.

Quem já está há algum tempo na profissão sabe do que estamos falando. Até conseguir a liberdade de controlar a sua própria carga horária, poder trabalhar de qualquer lugar do mundo e ter mais tempo para aproveitar a vida, vamos cometendo muitos erros pelo caminho.

Se você está começando agora nessa carreira, também precisa ir se preparando para errar muito até encontrar a tão sonhada independência do cartão de ponto e dos chefes. Para facilitar a sua vida reunimos os maiores erros de freelancers e como você pode fugir deles!

1. Não organizar uma rotina produtiva

A liberdade de trabalhar de acordo com a sua própria vontade é uma das principais vantagens da rotina de um freelancer. Mas a ausência de alguém para dar ordens, a falta de metas preestabelecidas ou horários fixos pode também acabar com a sua produtividade.

Uma rotina sem procrastinação ajuda no processo de criação e na entrega de trabalhos com rapidez e qualidade. Afinal, se você se mantiver organizado, vai evitar a perda de muitas horas tentando finalizar um único artigo. O que resulta em tempo de sobra para dar aquela corridinha, para uma ida ao cinema ou cervejinha no fim da tarde. Ou seja: tempo para viver!

Uma dica de freelancers mais experientes é tratar a sua rotina de trabalho como em uma empresa normal. Acordar cedo, tomar banho, vestir uma roupa e começar as suas atividades pontualmente.

Se você está começando e ainda não consegue “segurar a barra que é cuidar de você”, imagine a sua cartela de clientes como “chefes” que exigem pontualidade e qualidade no que é oferecido. E estão te pagando por isso.

2. Não ter um ambiente exclusivo para o trabalho

Lembra daquele tempo em que você acordava às 5h da manhã, em pleno horário de verão, para enfrentar mais uma hora de engarrafamento até chegar ao trabalho? Melhor nem lembrar, não é?

Trabalhar sem sair de casa é maravilhoso, mas se você não tiver um ambiente exclusivo pode se transformar em um caos. Já que aquela vontade de ficar na cama, ou assistir a nova temporada da sua série favorita na Netflix, são tentações que podem comprometer toda a sua produtividade e prazos de entrega.

Defina um espaço exclusivo para o trabalho na sua casa, longe do entretenimento e de onde você costuma relaxar. Se você sofre com o barulho de outros moradores ou vizinhos, procure uma cafeteria com Wi-Fi ou um espaço de coworking, pensados especialmente para o trabalho autônomo. De acordo com o site Coworking Brasil existem mais de 100 espaços com essa funcionalidade no país.

3. Não revisar o conteúdo (uma, duas, cem vezes) antes da entrega

É claro que você não precisa revisar um único texto por 100 vezes. Mas é essencial que antes do envio, o conteúdo seja revisado pelo menos duas vezes. Mesmo que você seja a Glória Maria da redação jornalística ou o professor Pasquale da Língua Portuguesa, é comum que deixe passar erros de concordância, pontuação ou ortografia, sem uma revisão.

E o pior: pode divulgar informações erradas caso não consulte mais de uma fonte, já que a internet é um espaço aberto também para quem não sabe bem o que está dizendo, ou melhor, compartilhando.

Depois de escrever, não tente se livrar logo do seu texto. Dê um tempo, descanse a mente e revise todo o conteúdo. Se possível leia em voz alta, para identificar o que não faz muito sentido ou o que está completamente errado.

4. Não valorizar o próprio trabalho

A profissão de freelancer é relativamente nova. Muitas pessoas ainda não entendem como é possível ter um emprego sem sair de casa, não ter um chefe fixo ou uma carteira assinada.

Esse cenário ainda cria uma certa dificuldade para que as empresas tratem o trabalho com seriedade, e para que os próprios freelancers consigam encarar a sua profissão como algo valioso.

Não é incomum encontrar em sites, propostas “imperdíveis” como: Procura-se redator para criar texto de 800 palavras para blog de grande repercussão e acesso. Valor do artigo: R$5 ou apenas divulgação do autor, em alguns casos. Isso mesmo, pelo menos, três horas do seu trabalho e esforço pelo valor de um cafezinho.

Antes de aceitar qualquer valor pelos seus textos leve em conta a dedicação, o tempo e a complexidade que aquela pauta exigirá, até mesmo se você trabalhar exclusivamente para um único lugar. Segundo a EscolaFreelancer, a média paga pelo mercado por artigos é de:

  • R$ 15,00 para textos de até 500 palavras;
  • R$ 20,00 para textos de até 1000 palavras;
  • R$ 30,00 para textos de até 1300 palavras;
  • R$ 50,00 para textos de até 1500 palavras;
  • R$ 100,00 para textos de até 2000 palavras.

Sabemos como o mercado é complicado, e nem sempre é fácil encontrar trabalhos bem-remunerados. Mas isso não quer dizer que você deva aceitar qualquer oferta. Dizer não a algumas propostas é uma forma de valorizar não apenas o seu trabalho, mas de outros profissionais.

Essa é uma maneira de fazer com que as empresas entendam que o trabalho como freelancer exige talento e dedicação. Muitas vezes, quem atua como copywriter são jornalistas, publicitários e profissionais de marketing que investiram tempo, dinheiro e boa parte da sua vida para se qualificarem.

5. Não se organizar financeiramente

O trabalho como freelancer também é acompanhado de instabilidade, afinal você nunca sabe quando um cliente continuará com um projeto ou site. Se o fluxo de trabalho diminuir, ou acabar, é essencial ter uma reserva para se manter até surgir algo novo. Se você acha que é uma missão quase impossível montar um planejamento financeiro sem uma remuneração fixa, nós te garantimos que não.

Comece de baixo, tente poupar pelo menos 10% da sua renda mensal e evite gastos desnecessários em meses que tiver ganhos maiores. Mantenha anotados todos os dados do que recebe e do que gasta em uma planilha no Excel ou aplicativo, como o GuiaBolso.

E o mais importante: mude o seu pensamento. Não há problemas em comprar roupas novas toda semana ou gastar o dinheiro do seu freela em idas aos restaurantes mais caros da cidade, mas é preciso estar ciente que tempos difíceis podem chegar. Trate o seu trabalho como um negócio e tenha um capital de giro para imprevistos, futuros investimentos ou apenas para parar por um tempo e viajar por aí, de vez em quando.

6. Não criar um bom portfólio para divulgação

Já dizia o ditado: “quem não é visto não é lembrado”. Para se candidatar a qualquer vaga profissional você precisa ter um currículo atualizado, com dados, formação e experiência profissional, não é?

O mesmo vale para o freelancer. Nos casos dos redatores web, essa experiência deve vir em formato de portfólio. Ele deve reunir os textos, artigos, notícias, matérias jornalísticas, posts e e-books criados por você. Alguns sites permitem que links sejam compartilhados, mas é importante que você também mantenha os seus trabalhos salvos em um site destinado para esse tipo de material.

7. Não prezar pela originalidade

Você lembra daquela época do colégio, quando começamos a pesquisar na internet e recebíamos a recomendação dos professores: “Nada de usar o CTRL C + CTRL V”? Costumávamos usar alguns truques para fugir dessa regra, como procurar artigos na 13ª página de buscas do Google ou alterar a ordem das palavras, e voilá, nota 10 nos trabalhos.

Mas a tecnologia que se tornou nossa amiga, também nos apresentou ferramentas para detectar plágios. E não tenha dúvida que os seus clientes vão utilizar esses softwares. E se você for pego pode ter sua credibilidade afetada. A originalidade também é uma arma para que você sempre tenha um trabalho garantido, e seja procurado por novos clientes.

8. Não pesquisar o mercado e a concorrência

Se você acompanha o blog da Comunidade Rock Content já cansou de ler os termos SEO, personas, call to actioncopywriting e inboud marketing. Se não, já passou da hora de se atualizar. O mercado freelancer está crescendo e se tornando cada vez mais competitivo. Por isso repetimos aqui o velho clichê: é preciso conhecer as novidades!

Se conformar em manter sempre os mesmos clientes ou escrever sobre os mesmos temas é um dos maiores erros de freelancers que pode atrasar o seu crescimento diante da concorrência. Pesquise sempre onde estão as melhores oportunidades, em áreas diversificadas, sejam em empresas de marketing como a Rock Content, revistas, sites ou empreendimentos individuais.

Procure as áreas em ascensão e tente aprender o máximo sobre elas. Afinal, você não precisa ser um especialista para criar um conteúdo mais técnico. Se hoje, a tecnologia e o marketing de conteúdo são os assuntos do momento, entenda o que esses temas reservam para o futuro e saia na frente da concorrência.

9. Não ter momentos de folga

É bem provável que seus amigos imaginem que nesse momento, enquanto eles enfrentam um trânsito caótico na volta para casa, você esteja trabalhando de uma praia paradisíaca no Caribe.

A capacidade de criar a própria carga horária que os freelancers possuem é um desejo e motivo de inveja para a maioria dos profissionais. O que eles não sabem é que esse cenário criado pela nova geração de viajantes empreendedores conhecidos como “nômades digitais”, nem sempre corresponde à realidade que nós, meros mortais, enfrentamos. Criar seus horários não significa trabalhar menos. E não ter momentos de folga é um dos maiores erros dos freelancers.

Comece a educar a si mesmo e aos seus clientes. Crie um horário de trabalho e evite fugir dessa rotina. Reserve alguns intervalos para ficar longe do computador. Nada de responder e-mails nas madrugadas, corrigir textos aos finais de semana ou compartilhar o seu Whatsapp e redes sociais para resolver questões profissionais. A não ser que seja extremamente necessário para o seu trabalho.

Muitas vezes a comodidade do home office acaba dobrando a nossa carga de trabalho, que se estende por algumas horas depois do horário comercial, vai indo pelo fim de semana, compromete as férias por causa daquela tentativa de cumprir prazos e corrigir os erros indicados pelo cliente, e quando você percebe está trabalhando muito mais agora do que quando batia ponto em uma empresa.

Tome cuidado com essas ações, se mantenha na linha e, com certeza, a sua carreira freelancer vai ter muito mais sucesso!

Gostou das nossas dicas sobre os maiores erros de freelancers? Fique ligado na fan page do blog da Comunidade Rock Content para acompanhar os nossos conteúdos em primeira mão!