Por Bruna Venâncio

Literatura, filmes, séries e muita, mas muita música.

Publicado em 12/04/2021. | Atualizado em 16/03/2021


Vídeos são o grande boom do momento! Já pensou em seguir as carreiras de videomaker e de filmmaker? Qual a diferença entre elas. Confira.

Se a gente fosse traduzir literalmente as palavras videomaker e filmmaker, diríamos que o primeiro é o profissional que produz vídeos, enquanto o segundo produz filmes. Porém, qual a diferença entre um vídeo e um filme? Quais os limites entre as duas definições? O quê diferencia, de fato, as atuações do videomaker e do filmmaker que justifique a existência das duas palavras?

Antigamente, a diferença estava no fato de que o filmmaker fazia filmes sobretudo para o cinema, enquanto os videomakers criavam vídeos para suportes digitais. Porém, basta acessar as redes sociais para identificar que, na atualidade, os filmmakers também já voltaram seus trabalhos para o mundo digital. Muitas produções são lançadas diretamente nos streamings, sem contar a necessidade cada vez maior desse recurso para o videomarketing.

Como você pode perceber, os conceitos estão cada vez mais complexos devido ao boom de conteúdos nesse formato e da necessidade de criar produtos audiovisuais cada vez mais criativos — indo bem além da função de um simples editor de vídeo. Vamos entender melhor como tem funcionado cada carreira e como está o mercado? Acompanhe!

O que é um videomaker e como é a carreira?

O que caracteriza o profissional videomaker é o fato de que ele atua sozinho. Ele capta, edita e finaliza materiais audiovisuais sem ter uma equipe para auxiliá-lo em cada etapa do trabalho.

Como é possível imaginar, ele atua com foco na pós-produção, ainda que esteja envolvido no projeto desde a sua concepção. Normalmente, o profissional não trabalha com roteiros e, por isso, precisa estar pronto para lidar com imprevistos e para apostar em experimentações para “fechar” a ideia, e atingir o objetivo da filmagem.

Conhecimentos para ser um videomaker espetacular

Uma vez que o videomaker realiza todas as etapas do projeto, da concepção até a finalização e entrega para o cliente, ele precisa ser organizado e construir uma espécie de “pré-roteiro mental” que o auxilie a captar as imagens certas para construir a narrativa audiovisual.

Ter noções de diferentes ferramentas de arte, vídeo e áudio é primordial, como o manuseio de câmera e de equipamentos para realizar uma boa captação. O domínio de softwares, como o Photoshop e Lightroom vai auxiliá-lo no aprimoramento de imagens, o que permite um resultado mais profissional na finalização. Para inserir motion designs, você pode utilizar o Illustrator e o After Effects, e editar o arquivo por meio do Premiere Pro ou Final Cut Pro.

É claro que qualquer conhecimento em artes vai fazer diferença no resultado do seu trabalho. Então, procure estudar cinema, roteiro e direção, e desenvolva intimidade com recursos multimídias. Ver filmes e acompanhar inovações na área também são extremamente bem-vindos.

Salário e atuação

O salário de um videomaker pode variar como em qualquer setor profissional. Afinal, você pode ser contratado para um job e fazer orçamento específico para aquele projeto. Porém, o salário médio gira em torno de R$5000.

Por se tratar de um serviço com equipe enxuta, muitos projetos se beneficiam da contratação do videomaker. É o caso de canais de YouTube, mas também de empresas que já tenham percebido o impacto de vídeos nas redes sociais e no engajamento do público. Vídeos comunicam ideias e atraem por múltiplos motivos, incluindo atrações sensoriais, como visão e audição

O que é filmmaker e como atua esse profissional?

O filmmaker é um contador de histórias e, muitas vezes, pode ser chamado de cineasta. Ele costuma trabalhar com equipes de sonoplastas, roteiristas, produtores, atores e auxiliam a criar filmes a partir de roteiros e mobilizam palavras, sons e imagens para representar uma realidade e transmitir emoções.

Em sua atuação, o filmmaker seleciona as cenas e vai para o set de gravação com uma ideia a ser registrada por meio dos recursos audiovisuais. Eles têm, portanto, um treinamento na área de cinematografia, a ciência da fotografia em movimento, e a sua relação com as demais esferas que envolvem a habilidade de contar uma história.

Conhecimentos para se tornar um filmmaker incrível

O filmmaker geralmente se especializa na técnica narrativa de produzir filmes, sejam eles no formato de longas ou curtas-metragens. A formação pode ser variada, mas, normalmente, está relacionada à área de Cinema, Roteiro, Rádio TV, Publicidade e Propaganda.

Por mais que o filmmaker conte com uma equipe para realizar cada etapa do projeto, é importante que ele tenha uma noção de cada uma dessas áreas, pois vai precisar entender a orientação do roteiro, dialogar com o diretor, auxiliar o sonoplasta etc.

Entender, por exemplo, de pós-produção vai auxiliar o filmmaker a fazer escolhas no ato da produção audiovisual, pois ele já terá em mente o resultado esperado.

Salário e atuações

O filmmaker pode atuar na televisão, criando séries e novelas, na publicidade, criando comerciais e filmes institucionais, e até na criação de vídeos para a internet.

Existem muitos cineastas que são chamados para fazer vídeos institucionais e — claro — arrasam! Há, ainda, a possibilidade de trabalhar como analista audiovisual dentro de agências, emissoras de TV ou empresas.

O salário médio de um filmmaker também gira em torno de R$5000, podendo variar a partir das especificidades do projeto.

Por que apostar nessas carreiras?

Se você pretende trabalhar com vídeomarketing, saiba é um dos momentos mais promissores para o mercado de criação de vídeos. À medida que novas ferramentas de criação são lançadas, como o Instagram, o Instagram Stories e o Tik Tok, novas formas de se consumir conteúdos são criadas, o que influencia a produção audiovisual e o modo de narrar histórias.

Já temos nos confrontado com peças criadas pensando na interação do público e para veiculação nos ambientes virtuais em que ele está inserido. Alguns artistas têm investido, por exemplo, na criação de vídeoclipes na vertical, priorizando, portanto, o formato do story.

Muitas empresas também têm investido nesses profissionais para desenvolver peças voltadas para os meios digitais, de modo a enriquecer a sua comunicação. Os vídeos são uma linguagem rica e que permite adaptação a formatos diversos. Basta que você se dedique a conhecer o mercado, a estudar ferramentas, recursos e a linguagem audiovisual e testar seus conhecimentos na prática.

Gostou de conhecer a carreira de videomaker e de filmmaker? Não pare por aí! Confira o nosso dossiê do audiovisual!

Powered by Rock Convert

Posts populares com esse assunto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *