descrever um produto

Desvendamos como descrever um produto passo a passo

Confira algumas das melhores dicas para acertar na descrição de produtos em e-commerces e sites de vendas!

A internet ultrapassa qualquer barreira geográfica, levando produtos e serviços para qualquer lugar do país — e, em alguns casos, também fora dele. Porém, justamente por isso e pelo fácil acesso, a concorrência é alta. Então, é preciso ter muita atenção aos mínimos detalhes para não ficar para trás. E um dos mais importantes é saber descrever um produto.

Quando um cliente opta pela compra online, ele tende a ficar mais inseguro quando comparado com a compra em uma loja física. Isso acontece porque, pela internet, ele não poderá ver o produto na sua frente, muito menos tocá-lo, ou seja, há espaço para muito mais dúvidas — como o material, o tamanho, a qualidade do acabamento, entre várias outras.

Para compensar essa questão, descrever um produto de forma completa é o melhor jeito de satisfazer o cliente e conquistar um potencial maior de conversão. Quer saber como? Preparamos um passo a passo para você conhecer algumas boas práticas e fazer isso com excelência. Confira!

1. Comece com um bom título

O título do produto será a base para fazer uma descrição impecável. Então, comece com o pé direito e crie um adequado, de forma que faça o cliente querer saber mais sobre aquele item, ou, então, que mostre que aquilo é justamente o que ele está procurando naquele momento.

Tome cuidado para que o título não fique muito genérico. Um exemplo é utilizar apenas o termo “tênis branco” para descrever um calçado. Por outro lado, tenha cuidado para não fornecer detalhes demais logo no nome, especialmente aspectos desnecessários que podem ser explicados melhor na descrição.

2. Foque em uma palavra-chave

Quando falamos de vendas online, é preciso lembrar-se de um item muito importante na hora de descrever um produto: a palavra-chave, isto é, o termo que será o foco da descrição.

Atualmente, as técnicas de SEO são extremamente relevantes para as pesquisas na internet, tanto para quem busca quanto para quem ser encontrado.

Mas é a hora de ter bom senso. Utilize a palavra-chave na medida certa, pois ela precisa aparecer de forma estruturada, somente quando for pertinente, sem exageros. Uma dica valiosa também é investir em termos completos — o que chamamos de cauda longa —, que nada mais são do que expressões mais específicas e direcionadas. É escolher “sapato rosa para crianças” em vez de apenas “sapato”, entendeu?

Nesse cenário, é válido fazer uma rápida pequisa sobre os termos mais buscados na web e que tenham relação com o produto. Quanto mais específica for a palavra-chave, melhor será o desempenho da sua descrição.

3. Evite usar a descrição do fabricante

Em primeiro lugar, entenda que nem sempre a descrição do fabricante será a ideal para o seu cliente. Em segundo, há uma questão ainda mais séria ligada ao SEO do seu site e da própria descrição do produto.

É bem provável que a descrição do produto feita pelo fabricante já esteja na web de alguma forma: na própria página do fabricante ou em algum outro e-commerce que também tenha autorização de vendê-lo.

Por causa disso, o Google entenderá que se trata de um conteúdo duplicado e aplicará fortes penalizações na sua página de venda, bem como no seu site como um todo.

Então, nem pense em aproveitar a descrição do fabricante para ganhar tempo. Essa é uma “economia” que pode custar muito mais depois.

4. Pense na experiência do usuário

Não se esqueça de que a descrição de produto existe com um grande propósito: cativar o cliente. Por isso, de nada adianta ter um bom conteúdo se ele não está apresentado de forma que favoreça a leitura de quem navega pela sua página.

Para se dar bem nessa missão, trabalhe bem a escaneabilidade da descrição — que nada mais é do que saber distribuir bem o conteúdo, de forma que a leitura seja suave e fácil. Para isso, vale apostar em tópicos, dividir em parágrafos curtos, negritar termos quando necessário, etc.

Além disso, a descrição precisa ser bem objetiva, informando exatamente o que o cliente precisa saber. Lembre-se de que a maioria das pessoas está com pressa ou acessando várias abas ao mesmo tempo, então, é preciso saber conquistá-las nesse cenário.

5. Cuidado com os erros de escrita

Existem alguns erros que simplesmente acabam com a imagem de um produto, e também com a reputação da marca. O erro de português é um deles. Sabemos que sempre pode acontecer algum deslize, mas há maneiras de se precaver e evitá-los.

Então, é imprescindível revisar os textos antes de publicá-los e usar um corretor ortográfico sempre que possível. Aliás, vale envolver outras pessoas nesse processo para que a revisão seja ainda mais completa. Todo cuidado é pouco nessa hora.

6. Conheça o seu cliente

É o seu cliente que a descrição precisará atingir, então, nada melhor do que conhecer seus gostos, suas preferências, suas dores, hábitos de consumo, etc. Mas, acima de tudo, é preciso saber como conversar com ele.

Isso pode ser um desafio, mas já existem algumas boas ferramentas que podem ajudá-lo a entender melhor o que se passa na cabeça do seu cliente — e uma das mais importantes é esta aqui para criar a sua buyer persona.

Além disso, vale a pena testar diferentes abordagens para analisar qual é a mais adequada e ajustar sua comunicação se for necessário.

7. Conte uma história

As histórias têm o poder de despertar emoções nas pessoas, um elemento essencial para influenciar a tomada de decisão na hora de fazer uma compra. Então, lance mão do storytelling na hora de criar suas descrições.

Essa é uma estratégia poderosa e muito aplicada nos dias de hoje em muitos mercados — inclusive, pelas marcas mais famosas. Por que não levá-la para os seus produtos?

Está pronto para encantar seus clientes e converter mais? Temos certeza que com esse passo a passo, descrever um produto será muito mais fácil e te tratá resultados muito melhores!

E por falar em criar textos memoráveis e atraentes, o que acha de conhecer também o nosso glossário de produção de conteúdo para web?