Uma Search Engine Results Page (SERP) do Google

7 Critérios de Ranqueamento do Google que você precisa dominar!

Existem mais de 200 fatores de ranqueamento no Google, mas alguns deles não estão sendo priorizados pela sua concorrência. Saiba quais são!
Torne-se um especialista em produção de conteúdo!Powered by Rock Convert

O Google tem muitos critérios de ranqueamento que utiliza para decidir como os sites estarão posicionados em sua busca. E quanto melhor você conseguir entender esses critérios, mais fácil é encontrar uma boa posição nos resultados orgânicos de busca do mecanismo, já que é baseado neste entendimento que são construídas todas as técnicas de SEO.

Ranqueamento é a posição que um website ocupa na página de resultados da ferramenta de buscas. Há vários fatores que influenciam se um website aparece bem ou mal no SERP, baseado na relevância do conteúdo, nas palavras-chaves contidas ali e na quantidade de links que referenciam aquele material. Ao longo da postagem de hoje, você conhecerá alguns critérios de ranqueamento que fazem toda a diferença e podem colocar o seu blog ou site na primeira página do Google.

1. Conteúdo

Precisamos começar este artigo com ele, que é o fator mais importante no ranqueamento de qualquer página: o conteúdo. Isso não deveria ser novidade para ninguém, mas vez ou outra precisamos frisar a importância de produzir materiais ricos para publicar em seu website. Nos últimos anos, principalmente, houve uma mudança clara nos buscadores, como o Google, de um tipo de conteúdo focado em palavras-chave para aquele escrito em linguagem natural e feito para, de fato, ajudar as pessoas.

Websites como o SearchMetrics comprovam que, na atualidade, apenas 53% dos 20 sites mais bem ranqueados no Google tem uma palavra-chave em seu título. E esse número está caindo ano após ano, o que claramente demonstra como o Google tem avaliado sites por sua relevância e não pela mera inclusão de palavras-chave em seu conteúdo.

Isso é uma boa notícia para os produtores de texto e uma má notícia para aqueles que tentam burlar o SEO de páginas incluindo milhares de palavras-chave em seus códigos. A busca semântica chegou para ficar e é uma tendência que veremos dominar o mercado nos próximos anos.

O que você pode fazer para obter melhores resultados neste cenário? Escrever, escrever e escrever bastante, sobre conteúdo que interesse os seus leitores e que faça a diferença em suas vidas. Quanto mais você produzir matérias de relevância, maiores são as chances do seu website chegar à primeira página do Google e não é só ao seu SEO que a produção de conteúdo fará bem.

Bons materiais afetam a taxa de saída de pessoas de seu website, mudam a quantidade de cliques que você recebe e poder alavancar seus CTAs. Há um monte de motivos pelos quais escrever, portanto, mãos à obra!

2. Backlinks

Outro critério de ranqueamento que não saiu de moda foi o backlink. A técnica de linkar para um outro website continua popular para fazer um blog chegar a uma posição melhor nos resultados dos buscadores e parece que não vai a lugar algum.

A diferença é que o Google aprendeu a diferenciar os bons links dos maus links. De modo que, mais links ainda resultam em uma pontuação maior, mas eles precisam vir todos de uma origem válida e de um domínio com autoridade.

A chave, então, para uma campanha de link building bem-sucedida parece estar na criação de conteúdo que as pessoas desejam (sempre ele) e na promoção deste conteúdo de maneira adequada. O Google lerá os seus backlinks feitos para este conteúdo relevante e vai considerar o seu conteúdo mais relevante ainda. E conforme uma postagem ganha vários backlinks desse tipo o ranqueamento dela sobe, pois atinge três critérios importantes e diferentes: número de backlinks, autoridade de links e diversidade de links.

Por isso, para chegar lá só há um jeito: pesquisar, escrever e promover. Esses são os três verbos que devem estar constantemente na cabeça de um produtor de conteúdo. Ele deve pesquisar que tipo de conteúdo as pessoas desejam ler, escrever um post atraente a respeito desse tipo de conteúdo e promovê-lo pelas redes sociais, a fim de ganhar tantos backlinks quanto for possível.

Seguindo essa fórmula, você pode aumentar consideravelmente a autoridade do seu blog e consequentemente o ranqueamento dele nos buscadores.

3. Uso de palavras-chave ao longo de um texto

Lembra que a gente falou sobre o uso indiscriminado de palavras-chave e como ele pode ser prejudicial para o seu conteúdo? Pois é. Mas o não uso de palavras-chave pode ser igualmente nocivo para o seu website.

O que você precisa é de encontrar um equilíbrio. E de determinar as long tail keywords certas para atrair um nicho de pessoas adequado para o seu conteúdo. Mas sobre isso nós já falamos em outra postagem aqui do blog, que você pode conferir clicando aqui.

Utilizar palavras-chave no seu título e ao longo do seu conteúdo, vai alertar ao Google que o seu texto trata de um determinado assunto e colocá-lo entre os resultados de busca para aquela determinada pauta. Isso é ótimo e queremos obter esse resultado, afinal, de que outra maneira as pessoas poderiam encontrar as suas postagens? O que você não quer é encher o seu post de palavras-chave vazias de conteúdo e deixar de endereçar o assunto em si.

Dessa forma, não há como esperar por ranqueamento. Afinal, você não está entregando absolutamente nada para o seu leitor e não podemos frisar o suficiente que conteúdo é tudo quando o assunto é encontrar o seu lugar ao sol na internet.

Por isso, use palavras-chave e use variações de sua palavra-chave, para também atender as pessoas que buscam coisas parecidas com o assunto sobre o qual você está falando. Isso ainda é tão importante para o ranqueamento de seus posts quanto era há alguns anos.

4. Experiência de uso no mobile

Quantas vezes você recebeu um link no seu celular e deixou para conferí-lo depois, quando estivesse em um desktop? Vamos considerar que você é como nós e a resposta é zero. Hoje, é raridade uma pessoa fazer esse tipo de coisa e por isso todos os websites precisam estar preparados para receber visitantes mobile, inclusive o seu pequeno blog, pelo menos se ele quiser ser um líder nos resultados do Google.

O buscador, em 2016, fez uma grande mudança. Ele migrou para a priorização mobile-first na indexação de páginas da internet. Mas o que isso significa?

Isso significa que o Google hoje armazena em seus servidores, primeiramente, aquelas páginas que tem uma versão mobile e depois a sua versão web. Por causa disso você pode imaginar o quanto pode ser importante ter o seu site otimizado para dispositivos móveis, não é mesmo?

Mobile optimization é um fator de ranqueamento crucial e todos os domínios mais bem ranqueados do Google têm, obrigatoriamente, uma versão para celulares. De modo que não adianta que seu site faça tudo certo em termos de palavras-chave, conteúdo e SEO se você deixar de lado essa questão. Ele jamais chegará a primeira página do Google sem uma versão mobile.

Tudo isso é parte dos esforços da companhia em providenciar uma web focada na experiência do usuário. Depois de perceber que a maioria dos seus consumidores está pouco propensa a fazer uma busca na internet se tem o seu celular por perto, o Google adotou essa medida e não parece que vai mudar de ideia com relação a ela tão cedo. Por isso, invista na criação de um layout mobile para a sua página.

Se quiser otimizá-la com relação a isso, há alguns passos que você pode seguir. O primeiro é visitar o Google Search Console, a ferramenta do próprio Google que permite ver como a sua página aparece nos resultados de busca. Ali você pode adicionar e verificar a versão mobile do seu website e garantir que ela é visualizada pelo buscador.

Em seguida você pode usar o Txt testing tool para garantir que o seu site mobile é acessível ao Googlebot, sem problemas. A ferramenta é gratuita e pode ser acessada clicando aqui.

5. Presença de material multimídia

A presença de material multimídia é outro critério de ranqueamento que pode ajudar ou prejudicar o seu site, dependendo que como ele está estruturado. Você já pensou em como vídeos, fotos e apresentações afetam o seu SEO? Pois é.

A questão é a seguinte. Esses materiais podem ser muito bons para o seu resultado em buscadores desde que estejam otimizados para SEO.

Aprender a fazer isso pode ser um pequeno desafio, mas depois das primeiras vezes você estará habituado. Com imagens é tudo bastante simples, bastando alterar seu título, nome, alt-text e legenda. Isso deve ser o suficiente para que buscadores entendam que aquela imagem se refere a um conteúdo de sua página.

Já vídeos são um pouco mais complicados. Dependendo de onde você opta por hospedá-los, pode haver diferenças em como alterar suas propriedades. O importante é não esquecer de incluir tags que sejam as mesmas do post em questão e que façam parte da estratégia do seu blog.

Nos áudios e podcasts você deve seguir o mesmo procedimento dos vídeos, lembrando-se de editar seu nome, legenda e descrição para que ele seja encontrado facilmente por buscadores. Em seguida, adicione tags que estejam em correspondência com o post ao qual estão atrelados e pronto.

Desde que os materiais multimídia postados em seu blog estejam otimizados para SEO, eles são uma ótima maneira de melhorar seu ranqueamento já que são novos elementos a serem indexados pelo Google em sua busca. Quando alguém for procurar por imagens ou vídeos na ferramenta, poderá encontrar a seus conteúdos e, consequentemente, sua página.

6. Velocidade de carregamento

Um dos critérios mais importantes no ranqueamento de websites é a velocidade de carregamento de uma página. Você já deve ter passado por essa situação uma quantidade de vezes.

Ao fazer uma busca, encontra o resultado que parece corresponder perfeitamente às suas necessidades. Mas depois de clicar no link percebe que ele não carrega imediatamente. Nem após longos segundos.

A sua reação, naturalmente, é a de migrar para o segundo resultado de busca. E o Google conhece esse comportamento. Por conhecê-lo, em seus esforços para otimizar a experiência do usuário, prioriza na sua busca os resultados que carregam em maior velocidade e dá a eles o melhor ranqueamento.

O normal para o buscador é esperar que páginas sejam carregadas em dois segundos, ou menos. E se você quiser otimizar a sua página há muito que pode fazer.

Elimine alguns scripts, comprima melhor suas imagens e dê uma olhada na qualidade do seu CSS. Todos esses aspectos fazem uma diferença e tanto no peso do seu HTML e, consequentemente, na velocidade de carregamento do seu website.

Quem quer chegar a primeira página do Google pode até mesmo experimentar com recursos como o Google AMP. O carregamento rápido de página móveis é uma novidade lançada pelo buscador e pode ser encontrada nos resultados de busca que apresentam um sinal de raio ao lado de seus links.

Páginas AMP foram otimizadas utilizando o que há de mais moderno em termos de webdesign para que priorizem o conteúdo e a experiência do usuário. Você pode conhecer um pouco mais sobre o projeto no site.

7. Tamanho do conteúdo

Muitas vezes ignorado, este critério ainda tem um grande peso no ranqueamento das páginas nos mecanismos de busca. Estamos falando do tamanho de um conteúdo. Não há um tamanho ideal, segundo o próprio Google, para que uma página seja considerada pronta para ranquear entre os primeiros resultados de pesquisa, mas há variações de acordo com o tópico e propósito de cada página.

Se você quiser ter uma ideia do que é um tamanho legal para os seus conteúdos, uma boa maneira de fazer isso é visitar páginas que já têm boas posições no buscador para as palavras-chave em que você deseja ranquear. Avalie o tamanho médio de suas postagens e considere fazer conteúdos de tamanho semelhante.

SEO é uma indústria em constante evolução, portanto as informações deste guia são válidas até que os motores de busca decidam fazer alterações em seus critérios de ranqueamento. Sites como o Google estão sempre modificando a maneira como classificam as páginas listadas em seus resultados para conseguir entregar links de qualidade para seus visitantes. É preciso estar atento sempre e pronto para adaptar a sua página às novidades no setor.

Já que você agora é um expert nos critérios de ranqueamento do Google, vai adorar ser apresentado à ferramenta que ele preparou para que dominemos o uso de palavras-chave. Conheça o Google Keyword Planner e saiba como utilizá-lo para conseguir as melhores posições de busca!

Planejador de Conteúdo Rock Content