Por Lucas Amaral

Publicado em 05/07/2018. | Atualizado em 09/01/2019


Entenda quais são dados da Content Trends 2018 podem ajudar a compreender o mercado freelancer e as oportunidades para profissionais independentes!

A Content Trends é a maior pesquisa de Marketing de Conteúdo do Brasil. Realizada anualmente pela equipe de Inteligência da Rock Content, é um prato cheio para empresas e agências que investem nessa estratégia.

São diversos dados relacionados ao mercado, tendências, estrutura de negócios, modelos de gestão, aderência e muitos outros.

Afinal, redatores, revisores, designers, diagramadores e outros profissionais autônomos geralmente oferecem serviços relacionados à metodologia conhecida como Inbound Marketing, cujo principal pilar é o conteúdo.

Se você é freelancer, não deixe de ler as linhas a seguir. Neste artigo, você saberá quais são as principais informações que Content Trends 2018 fornece para o mercado freela! Continue a leitura e confira!

Adoção do marketing de conteúdo

Se você trabalha com produção de conteúdo, pode abrir um sorriso. Os números apontam que, ano a ano, a demanda tende a aumentar.

Em 2015, 67,2% das empresas adotavam o marketing de conteúdo. Em 2017, esse número subiu para 71%. E agora, em 2018, esse valor chegou a 73%.

Aqui precisamos citar as empresas de software/cloud/SaaS como um nicho em crescimento, pois cerca de 76,7% delas já investem na estratégia. As agências de marketing e propaganda não ficam muito atrás, com 67,5%.

Outros setores que apresentam bons investimentos em marketing de conteúdo são:

  • Educação: 66,1%
  • Consultoria: 62%
  • Ecommerce: 57,6%
  • Serviços Corporativos: 57,3%
  • Veículos de Comunicação: 55,8%

Como era de se esperar, agências de propaganda e Marketing continuam como algumas das principais empresas nacionais a investirem em Marketing de Conteúdo.

Nada menos que 30,5% dos respondentes da pesquisa atuam no segmento. Se você é freelancer e quer prospectar mais clientes, a grande jogada continua sendo fazer parcerias com esse formato de agências, já que servem como facilitador no processo de conexão.

Outro setor que em evidência é o de softwares, com 10,4% dos participantes. Plataformas de Saas (Software as a Service) e Cloud Computing são ramos da tecnologia que devem exigir ainda mais criação de conteúdo.

Para redatores especialistas (aqueles que se aperfeiçoam em um único tema) é sempre bom manter-se atento a esses dados. Isso porque é possível reparar se há ou não demanda para temas determinados. Confira, a seguir, outros nichos em destaque:

  • Educação: 8,8%
  • Consultoria: 6,9%
  • Ecommerce: 5,4%

Por outro lado, alguns temas apresentam valores mais modestos. Veja alguns números:

  • Saúde: 2,6%
  • Imóveis: 1,6%
  • Jurídico: 1,2%
  • Recursos Humanos e recrutamento: 0,6%

Mas se lembre que nem é preciso avaliar também a concorrência para observar com precisão a tendência de aumento da demanda.

Um tema para o qual existem poucos redatores pode ser mais atraente do que um que possui grande demanda, mas também um vasto número de pessoas oferecendo o serviço.

Empecilhos para utilização do Marketing de Conteúdo

Esse é um dado extremamente relevante para freelancers. Um valor de 29,4% aponta que a falta de equipe disponível é o principal motivo para não adotar o Marketing de Conteúdo.

Na economia sob demanda, isso é um prato cheio. Afinal, se as empresas estão com problemas para aplicar essa estratégia com a equipe interna, a quem eles podem recorrer? Aos freelancers, é claro!

Seja para criação de conteúdo em texto, gráfico ou audiovisual, certamente isso representa um grande leque de oportunidades que estão por vir.

Outro dado interessante revela que 21% não possui o orçamento necessário para desenvolvê-la.

Sendo assim, para esse tipo de negócio pode ser uma boa ideia terceirizar a produção de conteúdo, o que no fim das contas também é benéfico para quem optou pela carreira de freela.

Há, ainda, 11,3% que apontam como principal obstáculo a falta de tempo. E, como sabemos, profissionais autônomos podem resolver esse problema sem grandes dificuldades.

Outro dado revela que as equipes de Marketing costumam ser bem enxutas. Em 36,4% das empresas, o número de colaboradores vai de 2 a 5 pessoas. E 22,1% conta com apenas um profissional se dedicando à estratégia. Há, ainda, 24,2% que não possuem equipe de Marketing.

Nesse cenário, é possível imaginar que, como o Marketing de Conteúdo exige criação de material frequente e equipes pequenas podem não dar conta do recado, o investimento nos serviços terceirizados deve crescer.

Há ainda outras informações muito interessantes. 52% das empresas ainda produzem o conteúdo internamente, enquanto 23,9% adotam a produção exclusivamente terceirizada.

Apesar da preferência pela criação interna, é possível notar um crescimento na terceirização com relação ao ano passado.

Há, ainda, a produção de conteúdo mesclada, que incorpora a interna e a terceirizada, com 23,5% dos respondentes.

Mais empresas investindo em Marketing de Conteúdo

Outra boa notícia é que, entre as empresas que ainda não investem em marketing de conteúdo, 61,8% pretendem adotar.

De acordo com a pesquisa, 48,2% ainda não deram início à implantação e 13,6% já começaram.

Para a economia freelancer especializada em produção de conteúdo para web, isso significa que há ainda mais corporações que desejam investir nesse tipo de serviço. Mais um ponto positivo para a economia GIG.

Aumento do volume de conteúdo produzido

A produção de conteúdo também vem crescendo ano após ano. 70,7% das empresas aumentaram em relação a 2017, o que traz um cenário promissor para quem trabalha com isso.

Veja, a seguir, uma relação percentual da quantidade de conteúdos produzidos mensalmente:

  • 35,6% de 1 a 4 conteúdos
  • 23,8% de 5 a 8 conteúdos
  • 12,8% de 9 a 12 conteúdos
  • 9,7% de 13 a 20 conteúdos
  • 18,1% mais de 20 conteúdos

A pesquisa ainda indica que negócios que produzem mais de 13 conteúdos recebem 1,8 mais visitas que aquelas com números inferiores.

Táticas mais utilizadas

Para profissionais freelancers, também é importante saber quais são os formatos de conteúdo mais utilizados pelas empresas brasileiras. Veja os números a seguir:

  • Posts em redes sociais: 89,2%
  • Posts em blog: 70,5%
  • Vídeos: 54,7%
  • Newsletter: 53,5%
  • Fotos/Ilustrações: 51,9%
  • Ebooks/Whitepapers: 42,1%
  • Infográficos: 32,2%

Como é possível perceber, a maioria das empresas se preocupa, principalmente, com as mídias sociais e o conteúdo em blog, mas os vídeos apresentaram um crescimento de mais de 5% em relação ao ano passado. Então fique ligado nesse formato!

Canais mais utilizados para consumir conteúdo por potenciais clientes

Se o seu objetivo é adquirir mais clientes, os dados a seguir podem ser interessantes. Eles estão relacionados aos canais acessados para consumo de conteúdo.

  • Google: 86,7%
  • Redes Sociais: 85,4%
  • Jornais e revistas online: 52,7%

Aqui percebemos que ter um blog continua sendo uma ótima maneira de prospectar clientes, assim como ter presença nas principais redes sociais, como Facebook e LinkedIn.

Tendências e desafios das empresas

Aqui temos algumas informações relacionadas aos principais objetivos das empresas em 2018.

  • Produzir conteúdo que engaje o público: 74,6%
  • Diversificar conteúdos e formatos: 46,9%
  • Medir o ROI do marketing de conteúdo: 43,4%

O estudo mostra ainda que 61,8% das empresas se consideram moderadamente ou muito bem-sucedidas no marketing de conteúdo. Esse números são promissores. Tanto que 58% dos respondentes pretende aumentar o orçamento para marketing de conteúdo nos próximos 12 meses.

E aí, viu só como a Content Trends pode trazer muitas informações para quem adota o modelo freelancer? Se você quiser ter acesso completo ao conteúdo, basta baixá-lo neste link!

Posts populares com esse assunto