Por Dimitri Vieira

Editor-chefe do blog Comunidade Rock Content.

Publicado em 23/03/2018. | Atualizado em 19/07/2019


Você já sabe como usar palavras-chave em seu texto? Este artigo vai te ensinar as melhores práticas de redação e SEO usadas na Rock Content, pelos times de Marketing e Planejamento de Conteúdo!

Uma dificuldade recorrente que nós, produtores de conteúdo para web, enfrentamos diz respeito a como usar as palavras-chave no texto e como otimizar os conteúdos para o Google.

Surgem algumas dúvidas como:

  • É realmente obrigatório colocar a KW no H1?
  • E nos intertítulos?
  • Quem sabe no primeiro e no último parágrafo?
  • Ou seriam apenas boas práticas?
  • Será que precisamos mesmo utilizar a palavra-chave exatamente como foi sugerida na pauta?
  • Ou podemos confiar na compreensão semântica do Google?

Essas são algumas das dúvidas que responderemos neste post. Confira!

E se quiser aprender ainda mais sobre escrever para SEO e palavras-chave, fizemos um webinar que contou com a participação da Letícia Nonato, editora-chefe do Marketing de Conteúdo. É só preencher o formulário abaixo para assistir! 🙂


Materiais e leituras recomendados no webinar:
Freelancer no LinkedIn: 7 hacks para otimizar o seu perfil
SEO básico: comece a fazer SEO agora mesmo de forma simples
Guia básico de como fazer uma pesquisa de palavras-chave completa!
Ubersuggest: ferramenta de palavras-chave é disponibilizada de graça!
Long tail e head tail: conheça os diferentes tipos de palavra-chave!
Conteúdo de qualidade segundo o diretor de marketing da Rock Content
O poder dos links: entenda o que eles podem fazer por um blog
Google mobile-first index: saiba o que muda com a nova indexação

A era do keyword stuffing já passou

O algoritmo do Google é atualizado constantemente. Antes dos anos 2000, tudo era baseado em palavras-chave e as páginas de resultados de pesquisas, SERPs, eram dominadas por verdadeiros spams.

Assim, caso você quisesse rankear para o termo “palavra-chave”, bastava você escrever um texto falando excessivamente sobre palavra-chave, mencionando as características e tipos de palavras-chave. Ou se quisesse extrapolar, você poderia utilizar trechos como “palavra-chave, palavra-chave, palavra-chave” e isso funcionaria.

Mas um conteúdo dessa forma é extremamente pobre e não engaja o leitor. Ou seja, a taxa de rejeição é altíssima.

Felizmente, na década de 2000, o Googlebot foi aprimorado para ter maior foco em qualidade, além de verificar apenas palavras-chave. E, em 2013, foi lançada a atualização Humming Bird, que teve grande foco em semântica e na análise da experiência de usuário no algoritmo do Google.

Mas qual o impacto disso na redação para web?

O Google já é especialista em semântica

Não é necessário usar sempre a mesma versão engessada da palavra-chave para rankear bem. Um exemplo que gostamos bastante na Rock Content está mostrado abaixo:

Como usar palavras-chave: pesquisa sobre altura da torre eiffel mostra 300 m como resultado

Como usar palavras-chave: pesquisa sobre tamanho da torre eiffel mostra 300 m como resultado

Se você pesquisa por “altura da torre eiffel” ou por “tamanho da torre eiffel”, o Google fornece a mesma resposta: 300 m. Isso porque ele consegue compreender exatamente o que você está querendo pesquisar, mesmo utilizando palavras diferentes!

Outro exemplo ainda mais impressionante que descobrimos recentemente é do filme Galinho Chicken Little. Observe a SERP para “galinho ticoliro”:

Como usar palavras-chave: pesquisa por "galinho ticoliro" mostrando resultados do filme Galinho Chicken Little

Se o Google é capaz até mesmo de decifrar isso, pode ficar tranquilo que ele vai compreender os sinônimos de suas palavras-chave. E a não repetição de sua KW vai, na verdade,ajudar a rankear melhor.

Mas como lidar com palavras-chave excêntricas?

Algumas pautas são definidas baseando-se apenas em volume de pesquisa. E um costume da grande maioria dos usuários é encurtar ao máximo o que ele digita para pesquisar.

Assim, uma situação comum é que vários termos sem conjunção, artigos e outros componentes de orações aparecem com um volume de busca maior que com esses elementos.

Utilizando o SEM Rush, identificamos o exemplo abaixo:

Como usar palavras-chave: pesquisa no SEM Rush mostrando maior volume de buscas para "paris turismo" que para "turismo em paris"

“Paris turismo” tem quase o dobro do volume de pesquisas para “turismo em Paris”. Mas isso não significa que precisamos incluir essa palavra-chave de forma engessada em nosso conteúdo. Nem mesmo no título.

Como prova disso, veja os primeiros resultados da SERP para “Paris turismo”. Todos eles contém esse termo semanticamente, mas não na correspondência exata:

Como usar palavras-chave: SERP da pesquisa por "paris turismo"

Portanto, se você é planejador de pautas, não dificulte a vida do redator e evite utilizar palavras-chave engessadas. Mas se você for redigir uma tarefa com uma KW assim, procure incluí-lá no mínimo de sentenças possíveis ou entre em contato com o responsável pela pauta e explique isso para ele.

Para facilitar a vida dos revisores, em plataformas de produção de conteúdo e nos editores de textos, é comum que seja exigido um mínimo de palavras-chave no conteúdo. Por isso, é importante colocar a correspondência exata da palavra, mas não é regra para todas as vezes que você for fazer referência ao assunto do texto.

O principal ensinamento que queremos passar aqui é o seguinte:

Escreva para pessoas, otimize para buscadores

O seu conteúdo será consumido por usuários. E, por mais que ele esteja perfeitamente otimizado para SEO, de nada vai adiantar caso seu visitante tenha uma experiência ruim.

Assim, para responder às perguntas da introdução:

É obrigatório utilizar a palavra-chave no título e nos intertítulos?

Não é obrigado, mas são consideradas boas práticas. Principalmente no H1 e no SEO Title, para facilitar a visualização e a identificação de seus conteúdos pelos usuários.

Nos intertítulos também pode ser interessante para facilitar a escaneabilidade e ainda pode ser um suporte para conquistar snippets.

Mas inclua a KW caso seja de forma natural. Não tente quebrar a cabeça para inseri-la em um dos títulos — ou depois o seu leitor pode precisar quebrar a cabeça para entender a necessidade dela ali. E isso é péssimo para a experiência do usuário em sua página!

E no primeiro e último parágrafos?

É exatamente o mesmo caso dos intertítulos. Caso a palavra-chave encaixe bem na introdução e na conclusão, perfeito!

Mas não force a barra, ou cairá no mesmo problema. E entenda que:

Nem todo conteúdo tem como objetivo rankear bem no Google

Isso mesmo! Alguns posts são produzidos para responder dúvidas de clientes, ou mesmo de redatores.

E temos também os conteúdos produzidos com o objetivo de ter um bom resultado na divulgação em redes sociais.

Por exemplo, o nosso texto sobre Como conseguir emprego no melhor time de Marketing do Brasil em 23 horas tem como KW: “conseguir emprego em marketing”. Analisando ele no Yoast, vemos o seguinte:

Como usar palavras-chave: Yoast mostrando densidade de 0% da palavra-chave

Isso quer dizer que o post apresenta problemas?

Não! Por dois motivos:

  1. não utilizamos a palavra-chave especificamente, mas utilizamos termos similares;
  2. esse post foi feito com foco em divulgação nas redes sociais!

Apesar dos “problemas” apontados pelo plugin, tivemos 637 clicks nele no Facebook e mais de 100 compartilhamentos. O que nos leva ao próximo tópico:

Como usar o Yoast corretamente?

O Yoast é um dos plugins de SEO mais populares. E ele funciona basicamente como um simulador do Google para verificar se seu conteúdo está otimizado para buscadores.

Aqui vamos focar na análise de palavras-chave, mas temos um post completíssimo sobre o Yoast, caso queira aprender mais.

Ao inserir a KW no campo “Palavra-chave em foco”, a ferramenta vai verificar a utilização exata do termo inserido. Veja o exemplo a seguir:

Como usar palavras-chave: exemplo do uso restrito da palavra-chave e variações semânticas dela

Para o Yoast, o uso estrito é considerado melhor. Mas, para o Google, definitivamente não!

Então, não se apegue demais aos indicadores desse plugin. Ele indica o que pode ser melhorado! Utilize-o como um consultor para que você analise suas sugestões e defina o que vai seguir (ou não).

Lembre-se: utilize suas palavras-chave de forma natural, sem tentar forçá-las em seu texto. Foque em produzir um conteúdo de qualidade primeiro, depois otimize para SEO. E se quiser aprender ainda mais sobre produção de conteúdo, confira agora o nosso Guia Definitivo da Produção de Conteúdo.

Guia Completo de Produção de Conteúdo

Posts populares com esse assunto